Otimização de Sites (SEO)

O que é SEO?

Se você está pesquisando o assunto deve ter lido que SEO nada mais é que um conjunto de técnicas utilizadas para melhorar o posicionamento do site no Google. Errado. Realmente o objetivo é melhorar a posição do site no Google, mas não existe receita de bolo.

A otimização de sites, atualmente, vai muito além de fórmulas prontas. SEO é o estudo contínuo do algoritmo do Google. Um trabalho de engenharia reversa que nunca será concluído e é influenciado pelo comportamento do usuário, branding da sua marca e qualidade do seu site.

Crescimento de visitas

Caso real de aumento de tráfego orgânico.

O Google procura entregar o melhor resultado para o usuário. Nós da Mais Empresas acreditamos que a otimização é trabalhar para ser o melhor site para o usuário e consequentemente o primeiro do Google.

Quem trabalha para enganar o Google e alcançar boas posições a todo custo está construindo o alicerce da sua campanha online de areia, podendo cair a qualquer momento. Entender a lógica dos buscadores e focar no usuário é uma base forte, sem riscos.

Otimização de sites aumenta vendas?

Existem duas maneiras de aumentar o tráfego orgânico: a correta e a outra. Da maneira correta, identificamos as KPIs (objetivos do site), realizamos a pesquisa de palavras-chave que identifiquem grupos de interesse relacionados aos objetivos do site.

Por exemplo, se meu site é uma loja virtual de calçados, minha principal KPI é concluir uma venda de produto. Logo, preciso otimizar meu site para termos como “comprar calçados online” que indicam possíveis clientes.

O jeito errado de fazer SEO é otimizar para qualquer coisa, brigar por posições em rankings que não convertem em vendas ou leads para o site. Para um site de sapatos, alcançar uma boa posição na SERP para o termo “calçados” pode ser uma boa, mas será que não existem outras prioridades?

Eu preciso otimizar meu site?

Bom, se eu fosse seu concorrente certamente diria que não. SEO é crítico. Se você não faz, o Google vai sugerir outro site. Diferente de um anúncio publicitário, na busca orgânica as pessoas estão procurando pelo seu produto. A chance de conseguir um lead ou uma venda é muito maior que em outras mídias.

Alguns dados sobre o assunto:

  • 70% dos consumidores que compram off-line, pesquisam online;
  • Consumidores que compram através de dois canais são três vezes mais rentáveis que os que compram em apenas um. Três canais são cinco vezes mais rentáveis. Eis a importância de ser multicanal;
  • 90% das pessoas que são impactadas por um anúncio, depois pesquisam na internet.

Otimizar meu site ou anunciar no Google?

Existe a possibilidade de anunciar seu site no Google através do Adwords. É uma opção viável? Sim. Porém, o ideal é não trabalhar isoladamente. Adwords e SEO são soluções complementares.

Anunciar nos links patrocinados é prático e sustentável, já que os resultados são imediatos. Você paga apenas quando clicam no seu anúncio. Sendo assim, a conta fecha mais fácil. No caso da otimização do site, os resultados são de longo prazo, porém duradouros.

Diferença entre tráfego orgânico e adwords

 

Trabalhar de forma combinada pode aumentar a abrangência da empresa no mercado com um custo mais baixo. Investir nos dois é a melhor solução para pequenas empresas. Se a sua ainda não investiu em um ou outro, já está atrasada.

SEO na prática

O trabalho de SEO é dividido em duas frentes: SEO On Page e SEO Off Page, que se referem a otimização dentro e fora do site, respectivamente.

Otimização On Page

O On Page, como o próprio nome já diz, engloba tudo que pode ser feito em seu próprio site. Divido o On Page em três braços: arquitetura, código e conteúdo.

Quando falo em arquitetura, não me refiro ao layout. O design tem sua importância e trataremos disso mais tarde. A arquitetura da informação é a maneira como o seu site foi organizado. Algumas vezes é preciso reestruturar todo o site devido a uma arquitetura mal planejada.

Por essas e outras, é imprescindível que a otimização do site seja levada em consideração desde o início. Para o desenvolvimento do seu site, procure uma agência que esteja disposta a planejar tudo isso desde o começo.

O código otimizado na verdade era pra ser uma obrigação do desenvolvedor. O Google exige um código semântico, ou seja, que os elementos do HTML sejam utilizados para o que eles realmente foram feitos. Parece obvio, mas a maioria dos sites não segue essa regra.

O conteúdo é a peça chave de todo o trabalho de otimização. Isso mesmo, o conteúdo é o mais importante. Claro que o Google não é uma pessoa. É um mecanismo. Dessa forma, ele precisa calcular padrões de conteúdo de qualidade. Aí que entra o profissional de SEO.

O SEO precisa identificar esses padrões e “dizer” para o Google que determinado conteúdo é, de fato, de qualidade. Algumas dicas de ouro para produzir um conteúdo de qualidade:

  • Uma página para um tema, não tente abordar muitos temas na mesma página;
  • Discorra tudo sobre o assunto, responda as perguntas o quê, quem, quando, onde, como e por quê;
  • Certifique que aja uma boa densidade da palavra-chave e que ela esteja presente nos títulos;
  • Utilize o máximo de recursos possíveis: imagens, listas, legendas, subtítulos, negrito e vídeo.

Por que utilizar vídeos?

Existem muitos motivos para usar vídeos em seus artigos. Poderia escrever outro artigo só falando disso, mas vou dar apenas uma dica fundamental: vídeo diminui a rejeição. Quando você acessa um site através do Google, volta para a página de resultados e vai para outro site, ele identifica que o primeiro site pode não ter sido útil. Se isso não for um fato isolado, ele vai rebaixar o site do ranking.

Otimização Off Page

Há alguns anos atrás quando o Google surgiu na internet, ele tinha um grande diferencial dos outros buscadores: o PageRank. O robô do Google navega pelos links da internet indexando páginas. Cada link passa uma determinada relevância para a página que é linkada, chamamos essa relevância de Link Juice.

O algoritmo identifica os links que uma página recebe e calcula a autoridade do site baseado na qualidade desses links. Ainda existem profissionais que consideram a quantidade de links como um fator importante para melhorar sua posição nos rankings. Eu não penso dessa forma.

O Google dá preferência pela qualidade dos links. Quando falo qualidade, refiro-me a relevância desse site na web, a relação do assunto do site com o seu tema, a posição do link na página e outros fatores.

Você poderia até acreditar se vários dos meus amigos lhe dissessem que sou bom de bola, mas se o Neymar falasse e argumentasse, você acreditaria. A lógica do buscador é mais ou menos a mesma. Para ele confiar que seu site é bom, outros sites do mesmo tema precisam recomendar você. Seu site tem que ser referência no assunto.  É possível ver o valor do PageRank do seu site em uma escala de 0 a 10, mas o Google já assumiu que não considera essa valor na composição das SERPs.

Além do PageRank, existe um outro método de identificar a qualidade do site, também utilizado pelos buscadores. Chama-se Trust Rank. Este considera determinados sites como de altíssima confiança. A sua confiança depende do quão longe está desses sites.

Outros fatores Off Page

O Google utiliza mais de 200 fatores para definir as posições nos resultados de busca. Boa parte deles estão fora da própria página, veja só:

  • Texto âncora dos links;
  • Idade do domínio;
  • Nome do domínio;
  • Servidor e vizinhança;
  • E muitos outros…

Concorrência

Uma maneira de iniciar um trabalho de SEO é avaliando a concorrência e o porquê do posicionamento de cada um. Claro que se você apenas imitá-los, vai seguir comendo poeira. Para analisar a concorrência, sigo uma rotina simples:

  1. Após um levantamento das principais palavras-chave, analiso as SERPs em busca dos meus verdadeiros concorrentes, visto que os concorrentes nas SERPs nem sempre são os mesmos do mundo real.
  2. Antes de qualquer coisa faço uma avaliação manual afim de identificar técnicas de SEO utilizadas por eles e qualidade de conteúdo.
  3. Utilizo a ferramenta da seoMOZ que faz uma analise detalhada de cada SERP, um levantamento do MozRank (semelhante ao PageRank) e MozTrust, das métricas sociais, da autoridade do site, etc.
  4. Por último, utilizo uma ferramenta de links como o Open Site Explorer, Ahrefs ou Majestic SEO para descobrir os links fortes dos concorrentes e entender o porquê da posição deles.

Fazer essa análise dos concorrentes não significa que encontramos um norte para trabalhar. SEO precisa ser entendido para ser aplicado. Copiar os concorrentes não é a melhor estratégia. O melhor plano é procurar se diferenciar.

Glossário do SEO

Quem está se inteirando agora sobre o assunto é normal se perder em alguns termos. Vejamos se eu acertei suas dúvidas:

  • Tráfego orgânico: visitas não pagas oriundas do Google, o objetivo do trabalho de SEO é justamente aumentar o tráfego orgânico.
  • KPI: Key Performance Indicator, ou seja, é o indicador de desempenho, indica que determinado objetivo foi alcançado.
  • Lead: cada contato, orçamento ou pedido de compra recebido.
  • SERP: página de resultados de uma busca.
  • Links patrocinados: anúncios nos resultados de busca do Google, feitos através do Google Adwords.

Se houver mais alguma dúvida sobre o conteúdo que foi publicado aqui, você pode entrar em contato comigo pelo formulário do site, será uma enorme satisfação ajuda-lo.

Artigos

A Informação Científica na Web 3.0

A partir dos bilhões de documentos que formam a World Wide Web (rede mundial de computadores) e os links que os ligam, cientistas da computação e...

Compras coletivas: bom para quem?

A fórmula de vender serviços com descontos de no mínimo 50% deu certo na internet. O “Peixe Urbano” começou e em seguida outros...