Lojas Virtuais faça você mesmo

Por Luis Mosko  |  16/04/2010  |  6 comentários »

Ecommerce Lojas VirtuaisMuitos provedores oferecem recursos para criação de lojas virtuais no estilo “Faça você mesmo” e ainda com um grande chamariz. É GRÁTIS. Outras empresas oferecem soluções prontas, onde o cliente faz uma assinatura e já pode fazer a sua loja em poucos passos.

Ai  me perguntam se essas ferramentas funcionam, e eu falo que sim, funcionam perfeitamente.  Apesar de algumas serem puro engodo, existem muitas empresas sérias com sistemas muito bons e sabendo usá-las, podem ser uma solução barata e eficaz.

Mas a questão principal não é a ferramenta funcionar ou não, a questão maior quando se contrata uma empresa para realizar um serviço, esta na maneira que esse empreendimento é visto pelo empresário e também pela sua disponibilidade de tempo e financeira e o seu grau interesse nas vendas online.

Vamos fazer uma analogia a outros serviços.
Quando mudamos o escritório da Mais Empresas, pela primeira vez, tivemos que instalar um central telefônica, como não tínhamos muitos recursos, eu que era um adepto convicto do “faça você mesmo” resolvi instalar a central, afinal de contas “sei fazer tantas coisas” não seria um aparelhinho desses que me venceria. Então passei os fios nas tubulações e li o manual, liguei no suporte, pesquisei na internet, fiquei um sábado inteiro envolvido.  E bingo realmente instalei e configurei a dita, porém quando ia fazer mais algumas configurações finais esqueci de desligá-la e ocorreu um curto que queimou a placa principal.

O resultado foi que tive que trocar a placa e o custo foi  metade do preço da central nova. Ou seja eu paguei o preço para aprender a instalar, se eu tivesse chamado um instalador eu pagaria menos do que o concerto da placa.
Se me perguntarem se valeu apena eu digo que não, pois não precisei instalar outra placa até hoje, perdi um sábado e gastei mais do que precisava. Corri o risco, poderia ter dado tudo certo, como em outras coisas que fiz, mas nesse caso não deu.

No caso de um e-commerce é muito mais complexo que o exemplo da central, pois envolve muitas áreas da empresa como;  financeiro, jurídico, publicidade, TI, entre outros.

Se o empresário quiser fazer um e-commerce sozinho, terá de aprender algumas dezenas de ferramentas e conhecimentos que podem não ser o foco do seu negócio, ou seja, terá de pagar o preço.  O que deve ser levado em consideração é se o preço pago para aprender e colocar em prática é menor do que o preço pago para uma empresa com experiência desenvolver a solução.

Como em negócios existe o ditado “Time is Money” e cada vez mais o tempo é realmente dinheiro, portanto analise bem e faça sua escolha ponderando todos os parâmetros que podem interferir no negócio, como em qualquer negócio, a chave é o conhecimento, leia muitos artigos, livros, peça conselhos a outros empresários que já tem experiência, enfim conheça bem o novo mercado que está  prospectando.

6 comentários:

  • Roberto Yug Serralvo em 14/05/2012:

    Obrigado Luis Mosko. Suas observações foram inteiramente pertinentes, principalmente no que tange ao aprendizado que uma pessoa leiga tem que ter até chegar ao conhecimento necessário e ideal para a partir daí desenvolver o seu negócio. Por outro lado, para os mais abnegados como você fica a dica: conhecimento não ocupa espaço e nunca é demais.

  • Rodrigo Silva Petresk em 30/09/2012:

    Isso é relativo!… como o amigo Roberto nos lembrou “conhecimento não ocupa espaço e nunca é demais”, você aprendeu, se aperfeiçoou, e se hoje precisar você saberá por si próprio como o fazer.
    Pensando assim, em lojas virtuais, em ambos os casos seja no modelo “faça você mesmo”, ou qualquer outro modelo, você deve sim, e tem a obrigação como um verdadeiro empresário de aprender o funcionamento de algo que é tão importante para uma empresa, as vendas online. Ou alguem gosta de ficar dependendo pra sempre de outro ou empresa pra isso ou aquilo?
    O empresário que não conheçe TUDO que tange a sua empresa NUNCA será um empresário de sucesso.

  • Luis Mosko em 1/10/2012:

    Olá Rodrigo,
    A questão central não é exatamente essa. Não digo que o empresário não deva conhecer os processos de um negócio que ele pretende entrar, a questão é será que vale a pena fazer tudo “in house”? Quais os custos dessa aprendizagem e desenvolvimento?
    Nesse negócio você sempre vai depender de outras empresas, não tem como você fazer tudo sozinho, é inviável. Assim como uma empresa física precisa de fornecedores, você não precisa ter um funcionário contratado para fazer a contabilidade, nem mesmo abrir um setor de TI para desenvolver um ERP para sua empresa.

  • Orlando Gomes Teixeira em 21/10/2012:

    Tenho grande interesse em montar um site ecommerce para farmacia e necessito orientações dos procedimentos a serem seguidos para ob. ter-mos sucesso
    Desde já , muito grato.

  • Orlando Gomes Teixeira em 21/10/2012:

    Tenho grande interesse em montar um site ecommerce para farmácia e necessito orientações para os procedimentos a serem seguidos a fim de obter-mos sucesso.

  • Luis Mosko em 22/10/2012:

    Olá Orlando,

    Pode entrar em contato conosco pelo telefone, 67 3025-5101

Deixe seu comentário:

*