• A importância do Direito Ambiental dentro das empresas

    Por Mais Empresas  |  22/12/2017  |  Comente »

    Em um país com recursos naturais abundantes, o Direito Ambiental se faz essencial para que esses recursos sejam utilizados de forma consciente

    O direito ambiental, como o próprio nome sugere, se preocupa com as questões ambientais de cada país. Por meio de um conjunto de regras e normas jurídicas zela tanto pela fauna e flora, quanto pelas interações desses bens com a sociedade.

    No Brasil o direito ambiental é indispensável em vista da quantidade de recursos naturais disponíveis. Porém, apesar de ter leis ambientais avançadas, na prática são pouco aplicadas.

     

    Dentro das empresas

    Quando se fala em direito ambiental dentro das organizações, relaciona-se a melhoria na qualidade ambiental dos serviços, produtos e do ambiente de trabalho. Sejam essas empresas públicas ou privadas, o compromisso com o direito ambiental estabelece que sejam adotadas práticas que causem o menor dano possível a natureza. Desde a produção, até os resíduos produzidos.

    E as empresas que se relacionam mais estreitamente com as legislações ambientais, são as de produção de alimentos e construção civil. Por exemplo, para a viabilização do projeto de um condomínio, é necessário juntar toda uma documentação referente a vários aspectos da obra. Tudo para garantir a proteção dos recursos naturais cuja utilização é comum para toda a sociedade.

    Apesar de ser uma área considerada nova no meio jurídico, encontra-se em expansão. E o mercado empresarial só tem a ganhar, pois aliado a consultoria ambiental cria um trabalho multidisciplinar e participativo que auxilia as empresas a cumprirem a legislação ambiental. Dessa forma sanções penais e administrativas são evitadas e os empreendimentos não sofrem com pagamento de multas e até paralisação de suas atividades.

     

    Especialização

    A área não compõe a grade dos cursos de Direito, o que faz com que os interessados tenham que buscar uma pós-graduação. E não somente profissionais da área jurídica como advogados, promotores e procuradores podem procurar essa especialização. Pessoas que já atuam na área ambiental podem investir, como cientistas, biólogos e até engenheiros.

  • A importância da gestão financeira para sua empresa

    Por Mais Empresas  |  02/12/2017  |  Comente »

    Saiba mais sobre as principais funções da gestão financeira e as primeiras etapas que a empresa deve receber no financiamento.

    A gestão financeira é um conjunto de ações e procedimentos administrativos que envolvem o planejamento, análise e controle das atividades financeiras da empresa. O objetivo da administração financeira é melhorar os resultados apresentados pela empresa e aumentar o valor do patrimônio, gerando um lucro líquido das atividades operacionais. No entanto, é muito comum que as empresas não realizem uma gestão financeira adequada.

    Uma boa gestão financeira permite que você visualize a situação atual da empresa. As pastas apropriadas permitem a análise e colaboram com o planejamento para otimizar os resultados.

    A falta de gerenciamento financeiro adequado pode causar os seguintes problemas:

    – Não tem a informação correta sobre o saldo de caixa, o valor das ações do produto, o valor das contas a receber e contas a pagar, o volume de despesas fixas e financeiras. Isso ocorre porque o registro correto das transações não é feito;

    – Não sei se a empresa obtém lucro ou perda em suas atividades operacionais porque não está preparada a demonstração do resultado;

    – Não calcule o preço de venda corretamente, pois seus custos e despesas não são conhecidos;

    – Não responde corretamente o volume e a origem dos recibos, bem como o volume e o destino do pagamento, uma vez que não está preparado um fluxo de caixa, um controle do movimento diário da caixa;

    – Não conheço o patrimônio líquido da empresa porque o balanço não está estabelecido;

    – Não sei o quanto os sócios retiram as taxas de administração, porque não é estabelecido um valor fixo para a remuneração dos membros;

    – Não saber como administrar adequadamente o capital de giro da empresa, porque o ciclo financeiro de suas operações não é conhecido;

    – Fazer planejamento financeiro e análise da empresa, porque não há sistema de informações de gerenciamento (fluxo de caixa, demonstração de resultados e balanço patrimonial).

    Muitas empresas do setor de têxteis e vestuário começam com pessoas que trabalham ou trabalham em outras empresas da região ou que possuem habilidades e conhecimentos de produção. Isso também é verdade em outros setores da economia.

    Poucas pessoas têm experiência em gestão financeira, o que interfere nos resultados. Muitas vezes, as atividades começam modestamente e, à medida que os negócios crescem, a gestão financeira não acompanha o crescimento do negócio porque os gerentes não possuem o conhecimento necessário nesta área e estão muito envolvidos no negócio. produção.

     

    As principais funções de gestão financeira são:

    – Planejamento e Análise Financeira: análise dos resultados financeiros e planejar as ações necessárias para garantir melhorias;

    – O uso adequado de recursos financeiros: análise e negociação dos recursos financeiros necessários e a utilização dos recursos financeiros disponíveis;

    – Empréstimos e depósitos: analisar a concessão de crédito ao cliente e lidar com a recepção dos créditos concedidos;

    – Caixa: realizar os recebimentos e pagamentos, acompanhar o saldo de caixa;

    – Contas a receber e a pagar: gerenciar contas a receber relativas a vendas futuras e contas a pagar relacionadas a encaminhar compras, impostos e custos operacionais. Você sabia que existem vários softwares de conciliação bancária?  O investimento é garantido, pois reduzem tempo, dinheiro e mão-de-obra na hora de conciliar todas as informações do seu banco com as informações das empresas de cartão e outros serviços financeiros terceirizados.

     

    Os primeiras decisões que a empresa deve tomar em relação às finanças são:

    – Organizar arquivos e verificar se todos os documentos estão devidamente controlados;

    – contas do Monitor a pagar e receber, estabelecendo um fluxo de pagamentos e recebimentos;

    – Verifique o fluxo de caixa e cheques bancários;

    – Encomendar os custos e gastos com fixa e variável;

    – Definir a retirada de membros;

    – Prever vendas e fluxo de caixa;

    – Siga a evolução do patrimônio líquido da empresa, conhecer a rentabilidade e lucratividade.

    Para mais dicas e informações sobre gestão financeira e conciliação bancária acesse: http://conferecartoes.com.br/

  • Saiba Porque Sua Empresa Precisa de Um Sistema de Gestão

    Por Mahmod Issa  |  28/11/2017  |  Comente »

    O sistema de gestão se tornou um dos pilares da administração contemporânea. Conhecido como ERP, ou Enterprise Resource Planning, ele cria uma interface virtual da empresa, ajudando a garantir alto nível de controle e integrar pessoas, tecnologias e processos.

    Ainda assim, muitos empreendedores questionam o real valor da ferramenta para seus negócios. Vejamos algumas das principais vantagens de se ter um sistema de gestão e como sua empresa pode se beneficiar de cada uma delas.

    Informações Confiáveis, Disponíveis e Centralizadas

    O primeiro grande ganho auferido com o uso de sistemas de gestão está na forma pela qual ele recebe, organiza e disponibiliza as informações. Trata-se de uma ferramenta que cria um diretório estruturado com tudo o que é essencial para o controle do negócio.

    Assim, de acordo com as entradas que cada setor realiza, você tem uma fonte de consulta unificada, de fácil acesso e em tempo real. Isso permite analisar a empresa de forma ágil e objetiva, proporcionando maior segurança no processo decisório.

    Tal aspecto é válido para toda a gama de documentos e informações empresariais, como: indicadores, procedimentos operacionais, emissor de notas fiscais eletrônicas, ordens de serviço e compra, por exemplo.

    Visão Sistêmica do Negócio

    O sistema de gestão é projetado para controlar e articular sua empresa em vários níveis. Não existem informações isoladas ou fora de contexto. A ideia é que o gestor tenha uma visão completa das interfaces e conexões entre áreas e resultados, permitindo decisões assertivas.

    Não basta ter uma grande massa de dados. É preciso saber qual o impacto disso para cada parte do negócio e definir intervenções que levem em consideração todos os lados da questão.

    Como gerir o fluxo de caixa sem pensar no estoque? Como definir a demanda sem analisar a escala de pessoal? Como combinar um prazo sem conhecer a produtividade? O sistema de gestão fornece a visão holística da organização, aumentando o conhecimento e o poder de decisão de quem administra.

    Informações Analíticas

    Toda organização pode ser representada por um emaranhado de dados. Eles têm as mais diversas fontes e razões, mas só fazem sentido quando convertidos em informações e interpretados de maneira apropriada. O problema é que esse processo toma tempo e, caso não siga um padrão, pode não alcançar o resultado esperado.

    A grande vantagem do sistema de gestão nesse ponto é realizar toda a parte manual de tratamento de dados, de maneira ágil e seguindo uma metodologia única. Torna-se algo corriqueiro realizar a extração de relatórios que representem uma determinada situação na empresa.

    Os gestores ficam então munidos de diversas linhas de raciocínio para analisar o negócio e definir a rota de ação mais adequada a cada desafio com o qual precisem lidar.

    Comunicação Ágil

    Já imaginou se as discussões e as interfaces entre várias áreas e pessoas de uma mesma empresa se basearem em fontes de informação distintas? Cada um com sua planilha de Excel, recheada de dados que os setores conheçam individualmente e sem a devida troca entre as partes.

    Isso aumenta em muito o tempo para colocar todos na mesma página e ainda abre margem para que cada gestor siga uma linha de raciocínio individual. Trata-se do tipo de situação em que os processos não fluem como deveriam, uma vez que cada indivíduo age baseado em interesses setoriais, não empresariais.

    Esse é um dos principais problemas resolvidos pelo sistema de gestão. Ao criar uma fonte central, todos aqueles que têm interesse em determinado processo podem ter acesso a informações que otimizem a relação entre setores. Isso promove uma linguagem única e assertiva, integrando áreas e fluxos.

    Sistema de Gestão: A Tecnologia que Pode Mudar Seu Negócio

    Não importa qual o seu desafio empresarial, o sistema de gestão ERP certo pode ajudá-lo. Trata-se do tipo de ferramenta pensada para favorecer cada área e processo do negócio, concedendo o tipo de clareza que todo administrador precisa.

    Não se trata de uma moda de mercado ou de um item supérfluo. Os sistemas de gestão abrem as portas para uma informatização robusta da sua empresa, permitindo o tipo de agilidade e controle de quem quer sobreviver a um mercado cada vez mais competitivo.

     

  • Uma alternativa para quem deseja obter melhores resultados em seu negócio é a reestruturação societária, entenda

    Por Mais Empresas  |  03/10/2017  |  Comente »

    Muitas empresas do mesmo ramo não são concorrentes durante toda sua existência. Às vezes a busca por vantagens faz com que aconteça uma reestruturação societária para alcançar melhores resultados no mercado. Existem três tipos de processo para que isso ocorra, a cisão, a fusão e a incorporação.

    Os três nomes são denominados como estratégias econômicas para quem busca ingressar um novo nicho de mercado. Em certo momento surge uma necessidade de aumentar o campo de atuação mercadológico, e isso leva os empreendedores a estes tipos de reorganização societária.

    De acordo com a Lei 6.404/1976, “a cisão é a operação pela qual a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim ou já existentes, extinguindo-se a companhia cindida, se houver versão de todo o seu patrimônio, ou dividindo-se o seu capital, se parcial a cisão”. Ou seja, o processo de cisão ocorre quando uma pessoa jurídica decide dividir seu patrimônio com duas ou mais sociedades que já existem.

    Pela mesma lei, a fusão é “a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações”. O propósito aqui é o inverso da cisão, pois as sociedades se unem, formando uma nova e automaticamente extinguindo as companhias originárias, assim formando uma outra personalidade jurídica. Uma empresa que é criada a partir da fusão tem uma maior capacidade produtiva e detém de mais tecnologias, além da redução de custos.

    A incorporação “é a operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações”. As sociedades incorporadas deixam de existir, mas a empresa incorporadora passa a ser titular de todo o patrimônio da sociedade.

    As vantagens de unir um ou mais empreendimentos

    É preciso entender quais as diferenças, pois apesar de serem simples na teoria, na prática é mais complexa, dependendo do tamanho das empresas envolvidas. Existem inúmeras vantagens ao unir duas empresas para concluir um mesmo objetivo, como a diversificação maior de mercado, abrangendo não somente um único público alvo.

    E com essa união de públicos há um aumento da abrangência da marca, isso ajuda no fortalecimento do negócio, aumentando as oportunidades de conversão de vendas. E com mais vendas e mais contratações o faturamento pode dobrar e a empresa continua se desenvolvendo, assim como ocorrem as reduções de custo.

    Surgem também melhores condições de atuação, já que com a nova sociedade a empresa ganha um formato maior, com melhores perspectivas de mercado e com riscos reduzidos. Com isso as dificuldades diminuem e o crescimento é certo.

    Realize o processo da melhor forma possível, faça acordos claros, defina a contribuição de cada empresa antes da sociedade se firmar. A comunicação deve ser aberta entre todos os colaboradores, para que não haja falhas e todos fiquem cientes das decisões que serão tomadas. E antes de tudo, defina responsabilidades para cada um dos envolvidos, isso permite um gerenciamento mais adequado e maior produtividade.

    Antes de qualquer decisão é preciso buscar informações para tudo ocorra dentro da lei e sem grandes problemas, para as duas ou mais empresas que desejam formar uma nova sociedade. É preciso buscar uma consultoria especializada para o processo de constituição.

  • Quais os maiores desafios do profissional de marketing?

    Por Mais Empresas  |  26/09/2017  |  Comente »

    O mundo vem passando por uma transformação digital, onde todos os processos estão sendo automatizados pelos computadores, softwares, aplicativos e até celulares. E poucas profissões sofreram tantas mudanças quanto a de gerente de marketing, pois seu principal foco, o cliente, foi introduzido a novos canais de comunicação desafiando os profissionais a buscarem estratégias mais eficazes de venda e de estabelecimento de relacionamento com seu cliente. E todos os setores da empresa saem ganhando quando uma estratégia de marketing é bem sucedida.  

    Por vezes, os profissionais acabam se sentindo perdidos sobre qual é o melhor caminho a seguir para ter uma melhor performance e, assim, trazer melhores resultados para a empresa. Hoje em dia, já não são importantes o número de e-mails que são enviados, mas sim o impacto que cada um deles no faturamento da empresa, e se essa é a melhor estratégia de campanha.

    Em 2016 o HubSpot publicou um estudo sobre as tendências de markerting mundial, e a maior parte dos profissionais apontou que a comprovação do retorno sobre o investimento é o maior desafio da área. Essa dificuldade vem do desconhecimento do histórico de ações da empresa e falta de planejamento, neste ponto o profissional de marketing deve trabalhar lado a lado da gestão financeira.

    Outro ponto é o foco no produto e não no cliente, segundo dados da Adobe apenas um de cada cinco profissionais de marketing enxerga que a experiência do consumidor como sua oportunidade mais valiosa. Ou seja, é mais comum que as empresas se preocupem mais em divulgar seus produtos e serviços, sem considerar a entrega de valor que está sendo feita a seus clientes.

    Dar mais importância ao cliente não significa deixar seu produto de lado, quer dizer para se tornar necessário, estar sempre a um passo à frente. Ao orientar sua estratégia ao cliente, abrirá portas para mais oportunidades de negócios.

    É importante, também, entender a importância da tecnologia neste processo. Muitas empresas ainda tratam as iniciativas e estratégias digitais como objetivos adicionais, separados do negócio principal, portanto surgirem problemas em outras áreas dentro da empresa que não estão preparadas para atuar com os modelos digitais. O digital não é uma tendência e sim, uma necessidade.

    Mas são os desafios que nos movem em busca de maior desenvolvimento e conhecimento. Como profissional de marketing dentro de uma empresa, não tenha medo de expor suas ideias nem sugerir novas ações e estratégias. Você pode enfrentar algumas resistências, mas seus resultados falarão por você.

    Principais tópicos que você deve investir para se tornar um profissional melhor:

    • Compreenda qual o seu papel dentro da empresa e o que você pode fazer para que te valorizem mais profissionalmente
    • Analise os meios pelos quais você entra em contato com seus clientes e parcerios, e veja se são eficientes
    • Feita essa análise, prepare sua equipe para que ela entenda como os seus clientes buscam informação e quando tomam a decisão de comprar um produto ou serviço
    • Incentive sua empresa a buscar engajamento em diversos canais, tanto para comunicação interna quanto externa
    • Defina um objetivo e conecte todos os produtos e soluções em torno dele
    • Não tenha medo de inovar e experimentar ações diferenciadas
    • Esteja em constante movimento, nunca pare de estudar sobre seu trabalho para se manter atualizado
  • Quando é a hora certa de inovar? Empresas há muito tempo no mercado dão exemplo

    Por Mais Empresas  |  15/09/2017  |  Comente »

    A longevidade das empresas é um tema delicado, afinal os empresários precisam estar preparados para lidar com as adversidades do mercado em que atuam, crises econômicas, concorrência e problemas de gestão. Por isso é essencial que as empresas reconheçam que o mercado sofreu mudanças, hoje está muito mais competitivo e inovar é o único meio de continuar ativo. Infelizmente o pensamento dos empresários, principalmente aqueles que comandam empresas mais antigas, ainda é um pouco atrasado. É comum que acreditem que o negócio irá prosperar sempre se continuarem a fazer o que sempre fazem, só que melhor do que os concorrentes.

    Em uma entrevista ao portal Uol o diretor-superintendente da FTD Educação, Antônio Rios, concorda que os empresários mais antigos tendem a ter certa resistência com mudanças nas estratégias de negócios. E que quando o mercado está favorável, é fácil perder a mão “Em tempos de bonança, é comum as empresas fecharem os olhos para determinadas coisas e se permitirem (gastar) mais do que deveriam. A cada crise enfrentada, a empresa renasce, e a tormenta acaba sendo um grande aprendizado” diz.

    Antônio é diretor de uma empresa centenária, a FTD Educação foi fundada em 1902 pelo Instituto Marista, e mesmo que venha fazendo basicamente a mesma coisa desde então, a empresa soube encarar as crises e a evolução do mercado de forma otimista e consciente.

    Exemplos de empresas que se mantém firmes em seu segmento há anos

    Tramontina, existe desde 1911.

    Granado, fundada em 1870

    Multicasa, nasceu em Campo Grande MS em 1978

    Inovação

    Não existe uma fórmula ou estratégia perfeita que garanta a permanência e sucesso de uma empresa no mercado, é necessário que seja feita uma análise que mostre em quais inovações a empresa deva investir, quais aspectos devem ser mudados e quais devem ser mantidos. Porém, há três pilares principais que podem ser levados em consideração, que são os clientes, concorrentes e a tecnologia. Dentro desses três aspectos a empresa deve inovar não só em produtos e serviços, mas em processos operacionais, comercialização e estrutura organizacional.

  • Até que ponto o nome da faculdade influencia no currículo?

    Por Mais Empresas  |  21/08/2017  |  Comente »

    Há muito tempo se ouve falar que após escolher o curso que se quer fazer, deve-se concentrar as energias em pesquisar e escolher uma boa faculdade para que futuramente, quando seu currículo for analisado, a fama da instituição de ensino o ajude a conseguir um emprego. Mas o tempo passa e os processos mudam, hoje em dia há muitas outras formas de se fazer notar do que apenas cursando uma boa faculdade.

    A profissional de recursos humanos da empresa 8020 Marketing Digital, Raquel Belalian,  explica “A fase de análise de currículo embora seja “fria”, nós conseguimos identificar pontos que podem ser relevantes sobre o perfil do candidato, por exemplo se ele saiu da cidade natal para cursar algum curso específico ou até se tendenciou para alguma área específica dentro da faculdade, mas não julgo ser determinante para a seleção”, diz.

    Outra questão que norteia este assunto, seria a possível preferência dos recrutadores por pessoas que tenham se formado em universidades públicas de renome, porém Raquel reafirma que para ela esta informação não é determinante “O perfil e valores que se aproximem ao da empresa pesam mais na contratação do que a instituição de estudo” constata.

    É um erro deixar recair sobre as instituições que estudou ou os cursos que fez toda a responsabilidade de sucesso em uma entrevista, pois elas não resumem toda a sua capacidade intelectual. Antes de quantidade, é preciso pensar em qualidade e comprometimento, não adianta ter cursado a melhor faculdade e feito os melhores cursos se você não soube aproveitar e absorver este conhecimento.

    É importante investir em outros pontos que deixarão seu currículo mais interessante, como cursos complementares à sua área de formação, um curso de idioma, colocar no documento se você se envolveu em projetos durante a faculdade, estágios e qualquer experiência que tenha te agregado conhecimento. Raquel lembra ainda da importância de se aproveitar as oportunidades ainda dentro da graduação “É possível que o candidato tenha tido contato com professores renomados e projetos importantes durante o curso, e isso serve de bagagem para o estudante e soma na vida profissional. Mas o que vale de verdade é o interesse do aluno em buscar as informações, a internet hoje pode suprir muitas oportunidades de conhecimento antes difíceis de alcançar” diz.

    Outro quesito apontado por Raquel, é a da organização visual do currículo. É essencial que ele esteja bem formatado e apresentando as informações de maneira simples, clara e objetiva. Fique atento também a erros de português ou digitação, é sempre bom revisar todo o texto antes de enviar.

    Ao se candidatar a uma vaga tente saber mais sobre os valores da empresa, além de se inteirar sobre as atividades que ela desempenha e analise se o perfil de funcionário que estão procurando se encaixa em você. Seguindo estas dicas simples, você conseguirá se destacar sem depender da fama da universidade em que estudou.

     

  • As diversas áreas da indústria: como se especializar

    Por Mais Empresas  |  23/05/2017  |  Comente »

    Com alta demanda por técnicos, algumas áreas da indústria estão se destacando nos últimos anos, colaborando para uma crescente no mercado. Algumas delas são as áreas de energia, celulose, tecnologia da informação e construção. Isso quer dizer que o mercado profissional se aquece, buscando por profissionais, que vão sempre encontrar vagas e oportunidades melhores, principalmente com o passar do tempo.

    Em Mato Grosso do Sul, é muito claro que a celulose veio para ficar e as indústrias do segmento se mostram altamente consolidadas, principalmente na região do Bolsão. Porém, outras indústrias como a têxtil e alimentícia continuam em crescimento e expansão. Por isso, quem está procurando cursos profissionalizantes para ingressar em um novo emprego ou carreira, pode e deve se especializar.

    Por isso, cursos técnicos em mecatrônica, mecânica e eletroeletrônica são de extrema importância. No caso da mecatrônica, por exemplo, o técnico formado pode atuar em indústrias automobilísticas, alimentícias, de bens de consumo, petroquímicas e de energia, fabricantes de máquinas e laboratórios de controle de qualidade. Tudo isso abre um leque de opções muito bacana para qualquer profissional.

  • O curso de administração pode te ajudar a criar seu próprio negócio

    Por Mais Empresas  |  22/03/2017  |  Comente »

    Pensando em ser seu próprio chefe? O Curso Técnico do SENAC em Administração oferece conhecimentos para administrar pessoas e negócios.

    O profissional que fizer esse curso poderá realizar atividades de administração relacionadas operação de logística, gestão de materiais e patrimônio de marketing, vendas e finanças e poderá trabalhar em organizações públicas e privadas em diversos segmentos como comércio, serviços, consultoria, ensino e pesquisa. Conhecimento o suficiente para abrir o seu negócio e expandi-lo de diversas formas.

    O curso oferecido pelo SENAC tem como objetivo formar profissionais com foco em resultados, que possam integrar pessoas para trabalharem juntas em resoluções de problemas.

    A instituição oferece o curso em módulo EAD e presencial e seu programa de ensino envolve:

    Programa:

    Módulo I

    • Auxiliar na elaboração, implementação e acompanhamento do planejamento estratégico das organizações
    • Elaborar, organizar e controlar documentos da organização
    • Auxiliar na estruturação e operacionalização de projetos
    • Auxiliar a execução dos procedimentos de recrutamento, seleção e integração de pessoas
    • Apoiar e executar ações pertinentes a desenvolvimento de pessoas, retenção, avaliação de desempenho e elaboração de planos de cargos e salários
    • Atuar na organização e execução de ações relacionadas à qualidade de vida, saúde e segurança nos ambientes de trabalho
    • Projeto Integrador – Assistente de Recursos Humanos

    Módulo II

    • Apoiar e executar ações referentes às rotinas de admissão e demissão de colaboradores
    • Auxiliar na elaboração da folha de pagamento
    • Auxiliar a execução das ações pertinentes aos processos de gestão de materiais e patrimônio em organizações
    • Auxiliar a execução de atividades relacionadas às operações logísticas em organizações
    • Projeto Integrador – Assistente de Logística

    Módulo III

    • Auxiliar a execução das ações pertinentes aos processos financeiros em organizações
    • Auxiliar as operações pertinentes às atividades da controladoria nas organizações
    • Projeto Integrador – Assistente Financeiro

    Módulo IV

    • Auxiliar no planejamento, o desenvolvimento e na aplicação do composto de marketing das organizações
    • Executar atividades de apoio administrativo em processos comerciais
    • Apoiar a operacionalização de ações de comércio exterior
    • Auxiliar o planejamento e a execução de melhorias dos processos organizacionais
    • Projeto Integrador – Assistente de Marketing e Vendas

    O curso tem duração de 18 meses e como o SENAC é uma instituição conhecida nacionalmente você terá um bom encaminhamento para o mercado de trabalho.

     

  • Comece sua startup com a ajuda de profissionais capacitados

    Por Mais Empresas  |  26/12/2016  |  Comente »

    O termo startup está em uso no Brasil e trata de pessoas trabalhando em conjunto com uma ideia inovadora que pode trazer um grande lucro. Além disso, startup sempre foi sinônimo de iniciar uma empresa e colocá-la em funcionamento, só que de uma forma diferente. E por possuir características próprias, os empreendedores desses negócios podem encontrar dificuldades de orientação em relação ao mercado e posicionamento.

    Por esse motivo é importante planejar e adquirir conhecimento antes de tudo e um bom profissional em contabilidade pode ajudar nesse suporte cymbalta for pain. Entre outras atividades, é ele que vai ajudar a identificar o melhor regime tributário para as atividades que sua empresa for exercer. Ele também pode cooperar com os cuidados em relação à parte de gestão, dar dicas de planejamento tributário, emissão de notas, pagamentos, etc.

    E antes de abrir uma startup é preciso conhecer o mercado e ter certeza que sua empresa atende a um problema real, não adianta, por exemplo, comprar uma franquia do exterior que não tem demanda no Brasil, por isso é aconselhável apresentar um bom projeto a outras empresas e ficar atento aos feedbacks.

    Saiba ouvir opiniões e absorver o que lhe interessa

    Ouça a opinião de pessoas experientes no ramo do empreendedorismo, saiba filtrar as críticas e colocá-las em prática. E antes de realmente abrir as portas do novo empreendimento, faça pequenos testes, veja o que o mercado precisa para inovar e vai colocando aos poucos seu produto ou ideia na rua.

    Se optar por ter sócios, faça uma boa escolha, pois é complicado colocar um projeto em pratica sozinho, é como dizem duas cabeças pensam melhor que uma. Procure alguém de confiança e que seja o contrário de você, mas que tenha os mesmos objetivos. Normalmente se você é mais agressivo precisa de alguém mais calmo, e é assim que a empresa fluirá melhor.

    Busque informação, participe de palestras, workshops, cursos profissionalizantes, conheça pessoas, compreenda melhor o mercado e assim renove as ideias para automaticamente inovar no negócio. O empreendimento só dá certo com muita força de vontade, uma boa ideia, e bons investidores, por isso não desista.