• Como o Data Driven pode turbinar seus resultados

    Por Mais Empresas  |  06/02/2020  |  Comente »

    Data Driven é um conceito muito atual, porém, não é de hoje que ele é utilizado pelas empresas, organizações e corporações de todos os tipos.

    Também conhecido como “gestão Data Driven”, o termo diz respeito à análise de dados, informações e métricas, que são usados para direcionar o planejamento e o processo de tomada de decisões. 

    Dessa maneira, é possível responder com mais velocidade e precisão as demandas do mercado, além de aprimorar os processos de modo assertivo.

    Na prática, podemos exemplificar com um serviço de conserto de aquecedor a gás, que utiliza determinadas ferramentas, métodos e materiais. 

    Para alcançar bons resultados durante o processo, é necessário que o responsável tenha feito uma análise prévia da atividade, com testes e estudos que demonstram a efetividade do trabalho.

    Atualmente, o Data é usado em muitas estratégias de marketing. Afinal, com uma base sólida de informações e dados, pode-se planejar ações direcionadas, com resultados muito positivos para as empresas.

    Neste artigo, vamos abordar como a gestão Data Driven pode ajudar o seu negócio a crescer. 

    Saiba como aplicar o Data Driven no seu negócio

    Quando uma organização levanta dados e informações para compreender como está a realidade de mercado, bem como o comportamento dos principais clientes e, a partir disso, traça estratégias coerentes para cada cenário, ela já incorporou a cultura Data Driven.

    Mas, para aplicar esse tipo de gestão, é preciso responder às seguintes questões:

    • Qual é o perfil médio dos meus clientes?
    • E as características do meu público-alvo?
    • Quais fatores ameaçam o meu negócio?
    • As mídias mais usadas pelos meus clientes
    • Quais são as informações relevantes para meu público?

    Por exemplo, vamos pegar um serviço bem específico, como a limpeza interna de aeronaves

    A atividade é voltada para grandes corporações aeronáuticas, companhias de aviação e por pessoas com jatos particulares (ou até aviões). Portanto, temos um perfil e um público-alvo específico para o serviço.

    Sendo assim, não adianta nada planejar uma campanha de marketing voltada para outro tipo de cliente. 

    É aí que entra o Data Driven, pois a partir das informações colhidas a respeito dos potenciais clientes, pode-se formular um planejamento direcionado para quem realmente necessita do serviço.

    Hoje em dia, as campanhas não são formuladas somente pelo feeling do gestor ou da equipe de marketing. 

    Empresas que implementam o Data têm mais chances de se destacar perante à concorrência é, além disso, ter mais reconhecimento no mercado.

    Passo a passo para aplicar a gestão Data Driven na empresa

    Novamente, lembramos o quanto os dados são importantes para uma gestão Data Driven. 

    Podemos fazer um paralelo com uma análise de água potável – se os pesquisadores não tiverem em mãos os relatórios, gráficos e informações de potabilidade, o estudo não é está completo.

    Por conta disso, antes de mais nada, a empresa precisa verificar se já possui um sistema de coleta de dados ou se é necessário implantá-lo. Sem o armazenamento de informações, não há gestão Data Driven.

    Além disso, há outros fatores que devem ser levados em consideração para aplicar o Data Driven, entre eles:

    1 – Democratização das informações

    Uma empresa Data Driven não deixa os dados inacessíveis, ao contrário, ela os disponibiliza para toda a equipe.

    As informações devem ser repassadas para todas as áreas estratégicas, como forma de estimular a participação dos colaboradores na interpretação dos indicadores.

    Para isso, recomenda-se colocar os dados em nuvem, em planilhas compartilháveis, dashboards e outros programas.

    Assim, todos os colaboradores envolvidos na elaboração de uma declaração de importação, por exemplo, tem acesso às principais informações e dados importantes para o serviço.

    Desse modo, tem-se uma inteligência coletiva e independente, o que ajuda na tomada de decisões em um tempo hábil.

    Além disso, a democratização de dados faz parte das estratégias de endomarketing (comunicação interna), pois os funcionários têm acesso aos dados que permitem a execução de um trabalho melhor e se sentem parte da equipe. 

    Como consequência, aumenta-se a produtividade, o rendimento e o engajamento dos colaboradores.

    2 – Investimento em tecnologia

    O notável avanço da tecnologia permitiu a automação de vários processos, muitas vezes cansativos, repetitivos e feitos manualmente. 

    Assim, diminui-se os erros por falhas humanas, além de aumentar a produtividade e ter processos de alta qualidade, o que é benéfico tanto para a empresa quanto para o público.

    O mesmo vale para a coleta e armazenamento de informações. Por exemplo, se antigamente a instalação de um sistema de para raio era feita por profissional responsável por calcular e fazer todas as anotações importantes em um pedaço de papel.

    Hoje o serviço pode ser organizado em softwares altamente tecnológicos, com cálculos automáticos e alto índice de precisão.

    Assim, chega a ser praticamente impossível pensar em uma gestão data driven eficaz sem a ajuda dos recursos tecnológicos. 

    Mais do que evitar erros, a automação é responsável por gravar dados, armazenar informações e gerar relatórios, em tempo real, dos processos envolvidos em toda a empresa.

    A tecnologia não está restrita somente aos sistemas de automação dentro da empresa. Ela também envolve o uso de plataformas online, que são indispensáveis para o marketing atual.

    Podemos encontrar praticamente tudo na internet. Se digitarmos “tubos de ensaio com tampa rosqueável”, por exemplo, iremos nos deparar com inúmeros resultados, incluindo sites de empresas que fornecem esses artigos.

    Desse modo, mais do que se fazer presente no mundo virtual, as plataformas, páginas da web, aplicativos e, até mesmo, as redes sociais, são importantes ferramentas para a coleta de dados.

    Com elas, é possível identificar o público que mais consome os conteúdos da empresa, o perfil dos clientes e, assim, elaborar estratégias de divulgação online direcionadas a um determinado público.

    3 – Campanhas individualizadas

    Todos os dados são importantes, porém, há uma preferência pelas informações que dizem respeito ao público-alvo.

    Muito disso, deve-se à elaboração de campanhas individualizadas, de acordo com as necessidades de cada cliente.

    Por exemplo, o aluguel de caminhão pipa, usado para operações de umidificação, irrigação, provisão de água potável e operações de terraplanagem, pode ser um serviço altamente requisitado por empresas de construção civil e órgãos públicos. 

    No entanto, é imprescindível prestar atenção nas diferenças de cada cliente, oferecendo conteúdos personalizados.

    Ou seja, nem sempre um órgão público tem o mesmo interesse de uma empresa de construção civil. Ou, ainda, dois empreendimentos, mesmo que de áreas comuns, podem não ter os mesmos interesses.

    Assim, com a gestão Data Driven é possível acompanhar o que, de fato, cada um dos clientes deseja, desenvolvendo estratégias afuniladas e altamente direcionadas.

    5 – Opinião dos clientes

    Quando falamos em gestão data driven e coleta de dados, muitas pessoas já pensam em planilhas e relatórios recheados de números, gráficos e porcentagens. 

    De fato, os indicadores são traduzidos em numerais, pois a interpretação é facilitada, além de ser possível ter uma ideia melhor dos resultados.

    No entanto, a coleta de informações e dados não se limita aos números. A opinião dos clientes, quando expressadas em críticas, elogios, depoimentos e sugestões também deve ser levada em consideração.

    Por exemplo, uma fábrica produziu uma caixa de passagem 4×4, levando em conta as especificações de um cliente. 

    Quando o produto chegou, o consumidor ficou espantado com a qualidade do material e a resistência da caixa. Assim, resolveu ligar para a fábrica e parabenizá-la pelo trabalho.

    Nesse contexto, a fabricante pode aproveitar o depoimento do cliente e investir em materiais de qualidade e resistentes, para que os feedbacks continuem positivos.

    Entretanto, quando o contrário ocorrer, como uma reclamação ou crítica ao produto, a empresa deve analisar o porquê da decepção do cliente e, assim, planejar o que é possível fazer para melhorar o relacionamento com o consumidor.

    Ou seja, os dados devem ser percebidos mesmo quando não apresentados em números. 

    Ao final, a empresa pode transformar os depoimentos em métricas, contabilizando a quantidade de reclamações x a quantidade de elogios.

    Se você ainda não está convencido das vantagens da gestão Data Driven faça um pequeno experimento: veja se qual estratégia publicitária é mais efetiva. 

    Uma que foi feita apenas levando em conta a opinião do gestor, e outra, desenvolvida após a coleta de dados sobre o perfil do público-alvo.

    Os resultados provavelmente serão melhores para a segunda estratégia, que dará muito mais certo será direcionada.

    Além do mais, as empresas devem acompanhar os avanços tecnológicos, a dinâmica do mercado e as inovações organizacionais, como forma de se destacar em um mundo cada vez mais competitivo e exigente. 

    Desse modo, os resultados são positivos e a empresa terá um notório reconhecimento.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Saiba como o Outbound Marketing ainda pode ser uma boa opção para o seu negócio

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    O Outbound Marketing é uma das estratégias mais utilizadas dentro do Marketing Digital.

    Na internet, existem milhões de páginas de diferentes marcas que oferecem os mais variados tipos de produtos e serviços. 

    Isso só é possível porque o Marketing Digital vem fornecendo oportunidades iguais a todas as empresas.

    Só que, ao mesmo tempo em que proporciona essas oportunidades, a concorrência entre as marcas aumenta e quem sai ganhando é o consumidor. 

    Ele tem acesso a tudo o que precisa, com vantagens que variam de acordo com a organização e o produto que oferece.

    Para se destacar, as marcas precisam encontrar maneiras de atrair a atenção do seu perfil de consumidor, por meio de estratégias que atendem às mais diversas necessidades.

    O Outbound é um recurso do Marketing Digital que pode ser aplicado por qualquer marca, visando atingir os mais diversos objetivos. Mas antes de escolher uma estratégia, é necessário conhecer um pouco cada uma delas.

    É natural que pessoas interessadas pelas estratégias de Outbound, mesmo que não entendam muito do assunto, tenham dúvidas.

    Neste artigo, explicaremos o que é Outbound Marketing, como ele funciona e quais são as vantagens de aplicá-lo no dia a dia. Confira:

    O que é Outbound Marketing?

    Quando pensamos em Marketing Digital, estamos nos referindo a um termo abrangente que traz consigo uma enorme variedade de estratégias.

    É natural que, quando falamos dele, muitas pessoas que conhecem um pouco o assunto se lembrem automaticamente das estratégias orgânicas de atrair o consumidor.

    De fato, o Marketing Digital se popularizou muito porque ele traz possibilidades iguais, tanto para uma pequena empresa fabricante de rampa de acessibilidade quanto para uma multinacional do mesmo nicho.

    No entanto, o mesmo Marketing Digital também oferece outras estratégias, como o Outbound, que ao contrário de despertar a atenção do cliente e atraí-lo, tem como objetivo trazê-lo por meio de produtos e serviços.

    Em outras palavras, as empresas vão atrás do cliente ativamente, e essa estratégia é bem antiga, surgindo antes mesmo do Marketing Digital.

    Há algumas décadas, as campanhas de Outbound Marketing eram veiculadas nos meios mais tradicionais.

    Tais meios eram, basicamente, anúncios em estações de rádio ou canais de TV, panfletos, jornais e outros. 

    Atualmente, com o advento da tecnologia digital, esse tipo de propaganda também existe e podemos citar como exemplo aquelas que interrompem um vídeo que você está assistindo na Internet.

    Outros tipos são os pop-ups, e-mails em massa, banners e diversos recursos que temos contato diariamente, enquanto acessamos a Internet.

    O Outbound também é muito diferente quando se trata do preço dele, em comparação com os investimentos nas estratégias orgânicas. 

    Por exemplo, uma empresa que trabalhe com plano de controle ambiental vai investir um pouco mais em Outbound do que com outras estratégias. Entretanto, os resultados também são mais rápidos e significativos.

    Antes de pagar por anúncios, é importante saber como o Outbound funciona na prática. Acompanhe.

    Como o Outbound funciona?

    Se você chegou até aqui, deve estar pensando que o Outbound é coisa de empresa antiquada, mas está enganado.

    Essa estratégia pode ser aplicada por qualquer tipo de organização, desde uma fabricante de rótulo BOPP até uma grande rede de supermercados.

    A fabricante mencionada pode fazer uso do Outbound de diversas maneiras, como distribuir panfletos com propaganda. 

    Entretanto, nesse sentido, dentro da internet ela também pode agir, usando, por exemplo, recursos em mídias pagas que serão direcionadas para pessoas ou empresas que estejam próximas.

    Durante a execução do Outbound, uma empresa não está direcionando suas ações para o seu público-alvo. 

    No entanto, dentre aqueles que serão expostos, haverá pessoas interessadas no produto ou serviço oferecido.

    Sendo assim, o Outbound funciona da seguinte maneira:

    • Foco em propaganda ativa;
    • Empresa procurando clientes;
    • Prospecção ativa;
    • Comunicação em um único sentido.

    Vantagens do Outbound Marketing

    Você já conheceu um pouco do Outbound Marketing até aqui, e entendeu que ele pode ser aplicado por tipos diferentes de empresas, desde uma que desenvolva sistema de gestão antissuborno até uma ótica.

    Por se tratar de um conceito que traz ações e estratégias distintas, muitas pessoas têm dificuldades em entender suas vantagens. Enumeramos abaixo algumas delas.

    1 – Fácil mensuração

    Dentro do marketing digital, é muito importante mensurar os resultados para que as campanhas dêem certo. Mas com o Outbound Marketing, fazer isso é muito mais rápido e em tempo real.

    Se uma empresa de locação de guindaste faz uma campanha Outbound e segue os dados da mensuração, as taxas de conversão melhoram consideravelmente, o que direciona melhor as estratégias.

    Com base nisso, as decisões também são mais assertivas, pois se baseiam em dados concretos, afunilando com eficiência a campanha.

    2 – Mais poder de escolha

    Quando uma marca opta por usar o Outbound Marketing, ela escolhe ativamente quando deseja falar. 

    Se fizer uma análise de dados que aponte o horário e em quais canais o seu público-alvo mais têm acesso, pode veicular seus esforços a partir dessas informações.

    Consequentemente, os resultados do Outbound são mais rápidos do que das outras estratégias. 

    A partir do momento em que a empresa inicia a prospecção, o público já começa a ser impactado.

    3 – Validação mais rápida de ideias

    Quando uma organização, seja esta uma fabricante de tinta hospitalar ou qualquer outra, faz uso do Outbound Marketing, consegue-se ter uma boa amostragem do seu perfil consumidor.

    Desse modo, tendo como base os retornos do Outbound, é possível passar a veicular as campanhas para um perfil mais assertivo. 

    Como aplicar o Outbound Marketing?

    Para ter acesso a esses benefícios, é importante conhecer como aplicar o Outbound. Existem muitos caminhos para se trabalhar com o Outbound e um deles é por meio dos anúncios nos vídeos em sites como o YouTube.

    As propagandas do YouTube são um ótimo exemplo de Outbound Marketing na Internet. Elas podem aparecer tanto no começo e no meio quanto ao final do vídeo. 

    Muitas vezes, as propagandas têm a ver com o vídeo que você está assistindo ou com pesquisas que você fez na internet.

    Para aplicar essa estratégia, as marcas costumam investir valores um pouco maiores do que nos demais. 

    No entanto, as propagandas em vídeo têm muito poder e dão às empresas uma comunicação mais direta com seus consumidores.

    Outra vantagem dos vídeos é a carga visual valiosa que eles trazem. Hoje em dia, as pessoas valorizam muito as imagens, sejam estas fotos ou vídeos. Mas no caso dos vídeos, estes são ainda mais eficientes.

    Se, por exemplo, uma fabricante de leitor de RFID faz um vídeo para ser veiculado no YouTube, como propaganda, ela pode explicar de maneira muito mais clara e direta a respeito do seu produto.

    É como ter a oportunidade de se comunicar frente a frente com o consumidor, sem que ele precise ler nada.

    Além dos vídeos, outro exemplo de Outbound Marketing são os banners. Ao acessar um site ou uma rede social, é muito comum que o usuário se depare com anúncios atraentes e que chamam a atenção, fazendo uso de cores e imagens. Estes são os banners.

    O custo-benefício também é outro atrativo dessa ação do Outbound, porque custa muito mais barato do que produzir um anúncio para o YouTube ou transmitir uma propaganda na televisão.

    Mas antes de distribuir banners por aí, a empresa precisa fazer um mapeamento do seu público-alvo. Além disso, o número de visitas do site onde deseja levar a propaganda também deve ser considerado.

    Por conta disso, é muito comum que as empresas optem pelas redes sociais para veicular anúncios semelhantes.

    Nelas, todos os tipos de consumidores estão presentes, ou seja, uma empresa fabricante de isopor encontrará ali pessoas que pesquisam coisas como “onde comprar caixa de isopor”, assim como usuários que procuram por promoções diversas.

    Outra dica é não poluir visualmente o banner, ele deve ser atraente, mas não causar incômodo ao usuário. 

    Ele precisa ser instigado a clicar, por isso, antes de fazer o banner, é fundamental contar com um profissional que entenda do assunto.

    Obviamente, existem outras estratégias em Outbound Marketing que podem ser aplicadas pelas empresas. 

    Neste artigo, mencionamos apenas algumas delas para que você possa ter uma noção de como isso funciona pela Internet.

    O Outbound possibilita que as empresas busquem ativamente pelos seus consumidores, tendo a oportunidade de estabelecer a sua marca de maneira mais rápida e com resultados praticamente instantâneos.

    Sabendo usá-lo, qualquer marca pode atingir seus objetivos rapidamente e de maneira muito satisfatória.

    Como também, é possível que as corporações combinem as ações de Outbound com as estratégias de Inbound, potencializando ainda mais os resultados dos negócios.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Profissionais de marketing: 5 soft skills essenciais para crescer na carreira

    Por Mais Empresas  |  19/12/2019  |  Comente »

    O mercado de trabalho busca por profissionais de marketing, a cada ano que passa, com mais competências, pré-requisitos e aptidões para preencher suas vagas. Sua formação acadêmica é importante, assim como adquirir experiência na prática.

    Além disso, saber como a criação de sites e otimização podem favorecer o serviço do profissional, também é essencial.

    Mas em um ambiente que flui de criativo à diversificado, há comportamentos que não podem ser moldados durante a vida acadêmica e em escritórios de agências. E apesar das qualidades técnicas serem bastante importantes, as soft skills podem destacar um bom profissional de um ótimo profissional.

    5 soft skills essenciais para o profissional de marketing

    Aqui estão uma seleção de 5 soft skills que você precisa ter para impulsionar sua carreira. E se você não possui essas habilidades agora, não fique desanimado!  Forneceremos dicas de como obtê-las ao longo do tempo.

    1# Intuição

    Você pode estar se perguntando: “OK, mas intuição você tem ou não tem”. Saiba que é possível adquirir uma boa intuição ao longo de experiências. Como um profissional de marketing, você nem sempre vai ter os dados que você precisa. E quando você não possui as informações necessárias, é necessário fazer decisões baseadas em seus instintos.

    Nessas situações, você não pode temer o desconhecido; você deve confiar em seu instinto. Se você possuir um conhecimento maior de sua empresa e compradores, é ainda mais fácil que seus palpites sejam mais que uma “aposta” – baseado em seu conhecimento real.

    Não se preocupe caso você falhe algumas vezes, acontece. Em vez disso, aprenda com seus erros e saiba que sua intuição crescerá ao longo do tempo.

    2# Curiosidade

    Talvez uma das habilidades mais importantes para profissionais de marketing, a curiosidade não é só algo bom de se ter; é uma necessidade.

    O marketing está em constante mudança, e todo profissional precisa ter interesse, paixão e fome para questionar e aprender com novas técnicas, ferramentas e métodos que envolvem o marketing.

    Há diversas ferramentas que mostram novas tendências no marketing, as quais você pode utilizar para aprimorar seus conhecimentos, testar outras coisas e se aperfeiçoar enquanto profissional.

    3# Habilidades Sociais

    Trabalhar no meio de marketing sem possuir habilidades sociais pode ser um desastre. É necessário que todos os membros da equipe trabalhem juntos para atingirem seus objetivos gerais.

    Trabalhar sozinho, sem se comunicar com ninguém, não trará bons resultados para você e sua empresa.  Além disso, se você trabalha em mídias sociais, precisa de habilidades sociais para entender como as pessoas se comunicam entre si e, assim, criar um conteúdo mais envolvente.

    4# Habilidades de Persuasão

    O marketing tem tudo a ver com persuadir pessoas a consumir determinado produto, por isso é comum que os grandes profissionais dessa área tenham essa habilidade em abundância.

    Persuasão significa que você possui a capacidade de se alinhar aos objetivos executivos, sem comprometer o que você acha que é certo para a marca. Você precisa convencer seu chefe a investir em experimentos para alcançar seus objetivos pessoais.

    E se você falhar, não desista; lembre-se que o marketing é sobre criar experimentos, e alguns deles podem não funcionar de primeira. Ao convencer os outros lembre-se de se basear na lógica, não somente em seus sentimentos.

    5# Criatividade

    Essa é uma habilidade constantemente associada ao profissional de marketing. Mais que isso; a criatividade é indispensável nessa área. Não só a habilidade de criação, que se limita ao ponto de vista técnico.

    Essa soft skill precisa estar presente em toda corporação da empresa. A criatividade não está restrita a um único departamento, por isso envolver toda a equipe é fundamental para ampliar o ângulo de visão e obter de todos as melhores ideais de criação. Os profissionais mais criativos são aqueles que possuem referências de vida e curiosidade distintas do marketing.

  • Tendências de design de logo para 2020

    Por Mais Empresas  |  18/12/2019  |  Comente »

    Você conhece quais são as principais tendências de design de logo para 2020? Se não, é hora de aprender, especialmente se você planeja fazer uma releitura da identidade visual da sua companhia.

    Esse conhecimento é importante pois auxilia na tomada de decisões para o visual da logo que será produzida, junto com a escolha das cores da empresa e vários outros elementos que serão definidos na releitura.

    Ou seja: apesar de não ser o responsável pela criação artística da logo, é o gestor que deve tomar as decisões finais. Por isso, é importante conhecer as tendências de design de logo em 2020 para não errar na escolha.

    Abaixo, você pode conferir as principais tendências de design de logo para o ano que vem. No entanto, vale lembrar que elas não devem, necessariamente, trabalhar em conjunto. Ou seja: é possível até mesmo que algumas tendências sejam contraditórias.

    Dito isso, siga a leitura para saber mais sobre o assunto!

    O design de logo 3D é uma das tendências para 2020

    É fato que o estilo mais simplificado e chapado, bidimensional, ainda está em alta entre as principais logos do planeta. No entanto, aos poucos, vamos vendo surgir uma tendência diferente no mercado: a logo 3D.

    Nesse caso, o desenvolvimento da logo é pensado usando elementos geométricos e tridimensionais para criar ilusões de ótica ou causar impactos específicos. Uma das palavras principais da logo 3D é a perspectiva, que ajuda a dar mais profundidade para a imagem. Outro elemento importante é a legibilidade da logo.

    Isso é importante pois, por ser tridimensional, ela pode ficar um pouco confusa de ser compreendida. No entanto, é essencial trabalhar com linhas simples e claras de modo a garantir que o trabalho será bem lido pelo público.

    Uma “quasi-tendência” dentro da logo 3D é a logo bidimensional que simula a perspectiva de alguma profundidade. Um exemplo clássico disso é a nova logo da Netflix, que usa tons diferentes de vermelho para simular profundidade e fugir da imagem chapada.

    A simplificação e minimalismo continuam em alta

    Apesar da insurgência de formas geométricas e perspectivas tridimensionais, a maior parte do design de logo que serão produzidas em 2020 ainda seguirão a ideia de simplicidade e minimalismo.

    Basta ver como as principais empresas do mundo, como o Facebook, Youtube, Microsoft e Google ainda apostam em logos simples e minimalistas.

    O segredo para poder criar e usar essas logos é pensar muito bem na combinação de cores, além de apostar na menor quantidade possível de recursos visuais para transmitir uma informação.

    O design de logo em 2020 deve ser responsivo e adaptável

    Uma necessidade que tem surgido nos últimos anos, com a incrível quantidade de plataformas, redes sociais e espaços, é a de criar logos que sejam adaptáveis e responsivas.

    Por exemplo, pense na logo da Disney. O visual completo é o texto “Walt Disney” na frente do Castelo da Cinderela e com um um semi-círculo por trás, tudo em branco sobre um fundo azul. No entanto, nem sempre a logo completa pode ser usada. Nessas situações, a logo é apresentada somente com o texto “Walt Disney”. Em outras situações, é somente “Disney”. Já quando é necessário somente um ícone, é o D na tradicional tipografia da empresa.

    Por isso, é essencial que a criação de uma logo em 2020 seja pensada de forma a facilitar a adaptação e responsividade da criação.

    O uso do espaço negativo estará em alta em 2020

    O famoso logo do Carrefour é um dos maiores exemplos o uso de espaço negativo do mundo. As formas em azul e vermelha formam um C em espaço negativo, o que gera comentários até hoje.

    Depois do Carrefour, poucas empresas tentaram usar o espaço negativo em suas logos. Agora, em 2020, a ideia é que o recurso comece a aparecer com mais destaque e seja usado por mais empresas.

    O segredo de usar o espaço negativo em uma logo é entender que não basta simplesmente pegar um desenho e fazer um recorte na imagem. O melhor uso de espaço negativo é aquele que evoca emoções e a sensação de “descobrimento” em quem o observa.

    Por isso, é necessária muita técnica artística para utilizar o espaço negativo em uma boa logo. No entanto, o resultado é imbatível quando bem utilizado.

    As logos redondas seguem em evidência em 2020

    Uma das principais tendências de logo para 2020 é manter a ideia de que as logos redondas são mais interessantes. Veja empresas como o Google, Apple, Mercedes e tantas outras marcas que apostam em desenhos circulares.

    Uma das vantagens delas é que as logos redondas são mais fáceis de ser adaptadas e aplicadas em diferentes plataformas ou mídias. Além disso, elas são naturalmente mais modernas que as quadradas, o que faz com que sejam vistas como mais dinâmicas.

    Essas são as principais tendências de logos em 2020. Como mencionado, algumas delas podem trabalhar bem em conjunto (como a logo 3D e o espaço negativo), enquanto outras não funcionam bem quando aplicadas lado a lado e são até mesmo contraditórias.

    E aí, o que você achou das principais tendências do mercado de logos? Comente abaixo com a sua opinião!

  • Como a automação de marketing pode ajudar os seus negócios?

    Por Mais Empresas  |  10/12/2019  |  Comente »

    Se você já investe em marketing na sua empresa e possui um setor especializado para as suas campanhas, é essencial optar pela automação da área.

    Para que você consiga maior efetividade nas suas ações de marketing e traga mais resultados para o seu negócio, é importante conhecer as melhores ferramentas para tornar os seus processos mais funcionais e produtivos.

    Isso não quer dizer, que você precisará contratar novos profissionais, mas que deverá investir em mecanismos para garantir que a rotina seja automatizada.

    Quando você lança uma campanha de marketing para promover o lançamento de um modelo de carpete corporativo, por exemplo, você deixa o processo nas mãos da equipe de marketing, que em conjunto com os seus vendedores, atuarão de maneira eficiente.

    Ou seja, eles vão precisar entregar bons resultados para que a sua ação de marketing renda bons frutos. 

    Para fazer isso, eles podem precisar de alguns elementos que tornem essa tarefa mais dinâmica, otimizando os esforços para atingir a meta.

    Um desses componentes é a automação de marketing, que não se trata apenas de repetir processos de maneira rápida, mas sim de facilitar grande parte das ações em envolvidas em uma campanha.

    Se você ainda não sabe como oferecer esse suporte para a sua equipe de marketing, garantindo que eles possam trabalhar de modo mais eficiente, siga a leitura deste artigo para entender mais sobre o tema.

    O que é a automação de marketing?

    Tudo o que envolve automação já nos traz à mente uma série de gastos de implementação, as vezes pouco lucrativos. Mas isso não é verdade.

    A automação de marketing vai exigir que você disponibilize para a sua equipe um software e algumas tecnologias que podem facilitar a administração das suas campanhas, como um modo eficiente de melhorar os seus lucros.

    Se você precisa investir em uma ação de marketing para promover os seus serviços de remoção industrial, será necessário desenvolver um trabalho específico para isso, contanto com os processos de automação.

    Para essa campanha, certamente será preciso:

    • Desenvolver conteúdos para o seu blog;
    • Divulgação em redes sociais;
    • Gerar leads;
    • Enviar e-mail marketing.

    Esses elementos são os responsáveis por trazer resultados para a campanha, garantindo que o dinheiro retorne para o empreendimento com os devidos lucros.

    Desenvolvendo conteúdos

    Desenvolver conteúdos para o seu blog faz parte de um processo criativo, em que é preciso produzir artigos e materiais com informações importantes sobre temas relacionados a um produto, tal como a instalação de um nobreak industrial.

    Isso é fundamental para que os seus leitores comecem a perceber as necessidades estruturais relacionadas ao seu negócio e, assim, realizar a compra de determinados equipamentos, investindo nele.

    Essa etapa do processo pode ser essencial na sua campanha de marketing, já que ela desperta a atenção do cliente e faz com que ele efetue uma compra.

    Do mesmo modo, um determinado conteúdo deverá ser postado nas plataformas sociais para que os seus seguidores conheçam mais sobre a loja de artigos decorativos e optem por comprar um Papai Noel inflável no seu estabelecimento.

    Cuidar dessas postagens exige concentração e disciplina. Isso porque é preciso criar uma frequência de interação com o público, para que eles se engajem nas suas campanhas.

    O papel da automação

    Mas como fazer isso de modo eficiente? Nesse caso, é preciso investir na automação de marketing, já que um sistema apropriado permite programar as publicações, fazendo com que os seus funcionários otimizem o tempo e possam empenhar outras tarefas.

    Nesse mesmo software é possível estruturar campanhas de marketing para enviar para a sua lista de leads, otimizando até mesmo as suas ações de e-mail marketing.

    É por isso que a automação é essencial dentro da sua rotina de marketing, garantindo um trabalho mais eficiente e ajudando nos seus negócios.

    Os benefícios trazidos com a automação de marketing

    Administrar uma empresa exige bastante conhecimento e dedicação. Isso porque é preciso acompanhar o mercado para que você esteja sempre à frente dos seus concorrentes e alcance a liderança do segmento.

    Com a modernização de diversas frentes você pode tornar o seu negócio muito mais produtivo e, nesse caso, a automação de marketing pode ser fundamental.

    Afinal, você pode ter um excelente processo de fabricação de portão de ferro galvanizado, mas os seus clientes precisam saber disso.

    Essas características diferenciadas podem ser elementos importantes no momento da compra.

    Sendo assim, as suas campanhas de marketing devem ser desenvolvidas e pensadas para que elas impactem o seu público e, assim, gerem mais resultados para o negócio.

    Desse modo, você conseguirá melhores processos e eficiência investindo na automação de marketing da sua empresa.

    Por isso, entre os principais benefícios dessa decisão, estão:

    • Otimização do ciclo de compras;
    • Redução do CAC;
    • Eficiência no envio de materiais;
    • Personalização dos seus conteúdos.

    Ciclo de compras

    Toda empresa trabalha com um funil de vendas, de modo que para comprar piso laminado, por exemplo, o cliente vai passar por diversas etapas.

    Isso quer dizer que um visitante vai entrar no seu site e conhecer os seus produtos. Se ele se interessar, certamente vai inserir o seu e-mail de contato para receber as novidades do negócio.

    Pode ser que nessa visita o potencial cliente visualize um modelo que desperte nele a vontade de finalmente realizar a obra para substituir o piso da sala, que já está pendente há alguns meses.

    Com isso, quando ele começa a receber os seus e-mails promocionais, o futuro cliente passa a colocar entre as suas prioridades a compra do produto, de modo que ele decide aproveitar uma promoção que o e-commerce esta oferecendo.

    Desse modo, ele opta por realizar o pedido na sua loja e, assim, o ciclo de compras dele estará concluído.

    Quando você utiliza o seu sistema de automação de marketing, é possível diminuir as etapas de compra que serão percorridas pelo seu cliente de modo mais eficiente.

    Isso porque com uma programação planejada, em que cada etapa do processo já está previamente mapeada, a sua empresa interage de modo acertado e no tempo certo.

    Assim, em vez de trabalhar o contato com os potenciais clientes manualmente, o seu sistema já estará habilitado para seguir cada fase no momento oportuno, enviando materiais de acordo com a etapa do funil em que o comprador se encontra.

    Redução de CAC

    O CAC (custo de aquisição por cliente) vai indicar qual o valor investido pela sua empresa para levar o cliente até o momento da compra.

    Isso inclui o tempo gasto, os custos da sua campanha e outra série de elementos que devem ser considerados levando em conta cada fase do trabalho.

    Assim, se a sua equipe pode utilizar a automação de marketing para agilizar essas etapas, haverá uma redução nesses custos.

    Afinal, todo o processo é feito em menos tempo, sem demandar a atenção exclusiva de um funcionário para atender a cada cliente.

    Com isso, o seu CAC será cada vez menor, trazendo mais lucros para o negócio.

    Eficiência no envio do e-mail marketing

    Se você deseja oferecer um desconto especial para que os seus clientes adquiram rufo para muro na sua loja virtual, certamente você apostará em uma campanha de e-mail marketing.

    Imagine só ter que disparar manualmente diferentes e-mails para toda a sua lista de leads?

    Isso não só daria um trabalho extra para a sua equipe, como faria com que o tempo necessário para essa tarefa fosse imenso.

    Com um sistema de automação, isso ocorre de modo simples e rápido, contando com a vantagem da personalização, tema do próximo tópico.

    Personalização dos seus conteúdos

    Qual cliente não gosta de ser tratado com atenção e exclusividade? Se você quer investir em um atendimento de qualidade, essa deve ser uma das suas principais metas.

    Com a automação de marketing, você pode colher os benefícios de personalizar os contatos com os seus clientes de modo bastante interessante.

    Assim como um adesivo de segurança pode ser personalizado com o logo do estabelecimento, por que não apostar no envio de e-mails que levam o nome de cada cliente?

    Com um sistema de automação isso é possível, garantindo que, ao abrir a mensagem, o seu cliente seja tratado de modo único, despertando a sua atenção.

    Você ainda pode customizar o seu conteúdo de acordo com o que você planejou, fazendo com que as suas campanhas ofereçam exatamente aquilo que você quer transmitir para o seu público.

  • Como otimizar os custos com marketing na sua empresa

    Por Mais Empresas  |  02/12/2019  |  Comente »

    Os custos com marketing de uma empresa estão entre os primeiros a serem cortados em um momento de crise. Isso é um erro que deve ser evitado. A razão disso é simples: não é inteligente para quem passa fome vender a vara de pescar.

    Na prática, isso significa que não é sábio acabar com os recursos de um setor responsável por arranjar mais clientes em um momento de crise. Na verdade, se possível, a intenção da empresa deve ser outra: aumentar os gastos com marketing.

    No entanto, não adianta gastar indiscriminadamente. O objeto deve ser otimizar os custos para que cada real seja mais valioso e traga mais resultados do que antes. Assim, é possível fazer mais com menos e superar qualquer dificuldade. Quer saber como? Então siga a leitura!

    Estabeleça parcerias para otimizar os custos com marketing

    Suponha que a sua empresa vende doces para festas de aniversário, como bolos, brigadeiros e afins. Além dos seus serviços, quem organiza uma festa infantil precisa de mais o quê?

    Pensando superficialmente, podemos lembrar da fantasia infantil, da decoração, da música e de um fotógrafo. Assim, por que não firmar uma parceria com empresas que atuem nessas áreas? Desse modo, é possível criar um ciclo de indicações para clientes em comum.

    Esse é apenas um exemplo de parcerias que ajudam a otimizar os custos com marketing. Na prática, essas parcerias não custam nada. No entanto, elas trazem retornos incríveis, já que são indicações feitas para um público altamente interessado. A conversão costuma ser excelente.

    Aposte na segmentação detalhada para ter resultados melhores

    A estratégia anterior usa um determinado conceito de maneira superficial. Trata-se da segmentação de marketing. Explicando de forma simples, segmentação é direcionar sua comunicação para um público específico, que teoricamente teria mais interesse na sua mensagem.

    Um dos benefícios da estratégia é que ela tem uma taxa de conversão muito maior, além de um custo bem menor, o que faz com que sua adoção seja mais interessante.

    Vejamos um exemplo a seguir

    Pense novamente naquela empresa de doces para aniversários. Ela tem a chance de pagar R$ 1 milhão para colocar um comercial de 30 segundos no intervalo da novela mais assistida no Brasil.

    A audiência é de 10 milhões de pessoas. No entanto, desses 10 milhões, 50% já têm filhos adultos e ainda não possuem netos, o que faz com que não se interessem pelos doces. Sobram 5 milhões.

    Mais 30% já fizeram festa de aniversário naquele ano e não precisam de um contato agora. Outros 15% não têm renda o suficiente para comprar o produto, não consideram isso algo essencial ou já contam com alguma empresa que presta o serviço.

    Dos 10 milhões, sobraram 500 mil potenciais clientes. É bastante. No entanto, desses 500 mil, 50% se distraíram e esqueceram o nome da sua empresa depois do comercial. Outros 25% não gostaram da peça publicitária. 5% levantaram para ir ao banheiro e não viram a propaganda, além de mais 10% que trocaram de canal.

    Resultado: 50 mil pessoas se interessaram pelos seus serviços, ligaram para você, pediram orçamento e negociaram. A taxa de conversão foi de 10, ou seja: você fechou 5 mil negócios por causa daquele comercial. Ótimo? Pode ser. No entanto, houve um desperdício de mais de 9 milhões de pessoas que não precisavam ver aquele anúncio, já que nunca comprariam.

    A segmentação corrige isso. Em vez de fazer você pagar muito mais para alcançar muita gente que não está interessada, ela limita o seu foco apenas naquele grupo que tem o interesse. O valor do anúncio, portanto, é muito menor, mas a conversão é bem maior e os ganhos são impressionantes.

    Use um controle de métricas para aprimorar os custos com marketing

    Uma das belezas do Marketing Digital é poder fazer essa conta que fizemos anteriormente com facilidade. Antigamente, era praticamente impossível fazer o levantamento de quantas pessoas viram um comercial, qual o perfil e tudo mais.

    No entanto, o Marketing Digital traz métricas completas, que permitem à empresa fazer uma análise de alto nível sobre os seus gastos. Dá para saber onde o dinheiro está sendo bem gasto e onde não está, de modo a elaborar respostas estratégicas que mudem a situação.

    Por isso, é essencial controlar métricas como o ROI, CTR, taxa de conversão, bounce rate e tantas outras que dão o diagnóstico de cada campanha de marketing conduzida pela sua empresa.

    Entenda o comportamento do cliente na jornada de compras

    Nem todo consumidor tem um processo linear na jornada de compras. Na verdade, isso é a exceção. São poucos os que passam pelas fases de descobrir um problema, aprender sobre a solução, considerar opções e decidir qual comprar.

    Alguns começam pela consideração de opções. Depois voltam para a descoberta do problema. Avançam para aprender sobre a solução. Retornam. Avançam de novo. Enfim, fazem um caminho complexo.

    É importante entender o comportamento do seu cliente para poder estabelecer ações e estratégias que se adaptem à variação para não perder nenhuma oportunidade de venda.

    Tenha uma visão contábil para analisar os gastos

    Todo mundo é vítima da “visão de vaidade”. Isso acontece em todas as áreas e setores, mas é especialmente comum no marketing. Estamos falando do “problema” de focar em elementos que fazem bem ao ego, mas não trazem resultados.

    Por exemplo, quantos fãs têm a página da sua empresa no Facebook? 5.000? 10.000? 200.000? E quantos deles comentam suas postagens todos os dias? 10? Menos? Pior: quantos compram com você?

    De nada adianta ter 1 milhão de visualizações em um vídeo se ele não converte, não gera vendas, não cumpre seu objetivo.

    Por isso, é importante simular uma espécie de consultoria de contabilidade com seu orçamento de marketing: analisar cada gasto, ver os resultados e estabelecer o que deve continuar ou não.

    Só assim é possível reduzir os custos com marketing, mas, acima de tudo, manter ou melhorar os resultados obtidos pelas campanhas.

    Seguindo essas dicas, ficará mais fácil otimizar os custos com marketing dentro da sua empresa. Assim, os resultados se manterão ou melhorarão, mas os gastos serão menores, o que trará mais lucro para sua companhia.

    Gostou de aprender como otimizar os custos com marketing? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

  • Aprenda como fazer marketing de conteúdo para hotéis

    Por Mais Empresas  |  31/10/2019  |  Comente »

    Já se foi o tempo em que desenvolver uma plataforma era o suficiente para vender mais, independente do produto ou serviço. Isso também se aplica em conteúdo para hotéis.

    O modo como o seu futuro cliente busca por você foi sendo refinado, e com esta maneira, as próprias ferramentas buscadoras foram aperfeiçoando cada vez mais suas métricas.

    O mesmo é válido para empreendimentos hoteleiros, considerando a enorme concorrência. O marketing de conteúdo para hotéis ou inbound marketing precisa se focar no ambiente em que o mesmo está inserido. Neste artigo, você encontrará dicas para alavancar o conteúdo do seu hotel.

    O que é o marketing de conteúdo para hotéis?

    Trata-se do desenvolvimento de textos, fotos, vídeos para site, blogs e redes sociais de empreendimento hoteleiros. Não importa se são grandes redes hoteleiras ou pequenas pousadas.

    Lembre-se: Conteúdo é tudo que compõe a página que vai atrair seu cliente, a foto é fator de peso neste caso, para isso indicamos conhecer sobre HDR em fotografias para hotéis.

    O conteúdo é bom se corresponde a alguma necessidade que o público do hotel tenha. Por exemplo, se o hotel também é um flat e conta com uma cozinha no apartamento, quem pesquisa gostaria de saber se o local conta com:

    • Utensílios de cozinha;
    • Panelas;
    • Fogão ou forno micro-ondas para cocção;
    • Se tem frigobar ou uma geladeira pequena para armazenar alimentos perecíveis.

    ‘Ah, mas eu não tenho ideia. Como vou saber o que o hóspede quer?’

    Para encontrar essa resposta basta perguntar aos recepcionistas, pessoal de reservas e ao responsável pela comunicação em geral. Com toda a certeza, existem perguntas recorrentes que poderiam gerar um conteúdo ótimo.

    Que tipo de conteúdo para hotéis posso utilizar para chamar a atenção?

    Quanto mais específico sobre a realidade do hotel ou pousada melhor. O marketing de conteúdo para hotéis será mais efetivo quando for pontual. Veja alguns exemplos:

    • Se o local é uma praia, falar sobre a previsão do tempo pode ser a informação crucial para que o cliente defina ir ou não. E ninguém melhor para isso do que o próprio hotel.
    • Pontos turísticos – você pode até achar que são assuntos batidos, que já tem muita gente tratando disso. No entanto, tente partir para algo que não foi feito ainda, como dar luz a pontos que apenas os moradores da região conhecem. Além de aumentar as chances de aumentar o número de diárias, incentivará o turismo local. Todos ganham!
    • Falar de acontecimentos locais como eventos que a cidade sediará e fatos em tempo real. Notícias mais sérias também podem entrar em sua lista de possíveis conteúdos.
    • Dicas sobre viagem em geral. Quem nunca pesquisou sobre a melhor forma de organizar a mala, objetos para levar na viagem e etc.?

    Esta lista poderia se estender muito mais, mas paremos por aqui, pois, com certeza, sua mente já está borbulhando de ideias.

    Seja um hotel, um restaurante, sempre tem algo a ser comunicado.

    Periodicidade no conteúdo para hotéis

    O marketing de conteúdo para hotéis deve ter uma periodicidade pré-definida, entretanto, não precisa ser algo muito rígido. Definir quando publicar depende principalmente da plataforma utilizada.

    Redes sociais são mais dinâmicas, então, dispor de um conteúdo diário, ainda que seja uma foto bem produzida, pode manter seu público interessado. Quando o marketing para hotéis usa o blog como plataforma principal, manter um espaçamento entre as publicações é o mais indicado para não sobrecarregar o leitor.

    Neste último, é necessário dizer, que por se tratar de um conteúdo com maior relevância, mais dados e informações densas, o público precisa de um tempo para assimilar. É por esta razão que o texto deve ter qualidade, informações relevantes e boa imagens.

    O formato do texto importa?

    Sim! É primordial, principalmente, se for inserido em um blog por exemplo.

    O responsável pelo marketing de conteúdo e as publicações deve atentar-se ao conforto de quem lê.

    • Escolha uma fonte confortável e em tamanho que possibilite a leitura sem dificuldades;
    • Usa subtítulos para definir os assuntos e levar o leitor até o desfecho do seu pensamento;
    • Não redija parágrafos muito longos, pois dificulta a leitura e pode ficar confuso;
    • Use imagens em boa qualidade para ilustrar sua postagem, desde que tenham relação com o texto. É mais uma maneira de facilitar o entendimento;
    • Listas (como esta aqui) são ferramentas utilizadas para organizar o pensamento e, claro, facilitar o desenvolvimento do argumento;
    • Insira espaçamentos, mas sem exageros. E sempre veja a prévia do artigo publicado para verificar se não ficou demais!

    A utilização de imagens com qualidade e de informação relevante também deve ser empregada nas redes sociais para manter um padrão!

    Não tenho tempo para cuidar de tantos detalhes!

    É para isso que agências de comunicação e relações públicas especializadas na produção de textos e na publicação das mesmas nas plataformas da empresa.

    Em muitos casos, o desenvolvimento inclui análise do Google Analytics para definição de pauta e planejamento, feitura dos textos, revisão e a publicação dos mesmos. O cliente não precisa se preocupar com nada.

    Se optar por uma agência, verifique o que os clientes dizem nas avaliações de Facebook, Reclame Aqui e demais sites. Analise o atendimento, o serviço prestado em marketing de conteúdo para hotéis, compare o valor cobrado.

  • 5 dicas de utilização da comunicação interna nas corporações

    Por Mais Empresas  |  22/10/2019  |  Comente »

    Você já parou para pensar no papel da comunicação interna? Tão importante quanto construir uma imagem de uma empresa para os clientes, é ter uma cultura de diálogo entre os colaboradores e resumidamente essa é uma das propostas desse conceito.

    Alguns especialistas da área como Clemen (2005) defende que essa é uma estratégia muito importante para alinhamento e organização de uma empresa.

    Não importa se o negócio é focado no conserto de geradores de energia ou envolve a área logística, a comunicação é uma chave para bons relacionamentos interpessoais.

    Como o público interno é composto por pessoas que a empresa tem uma relação de proximidade e agenda em comum, os desafios em estabelecer e implementar estratégias assertivas podem ser ainda maiores. 

    Neste artigo vamos abordar algumas dicas para você implementar essa estratégia na sua corporação ou melhorar a que já está em vigor. Confira!

    1 – Alinhe expectativas internas

    Para que uma mensagem seja compreendida entre as duas partes, sem ruídos de comunicação, é fundamental que o setor de comunicação interna fale a mesma língua que os colaboradores.

    Por isso, alinhar expectativas, realizar pesquisas, ouvir os desafios e necessidades da rotina do trabalho e entender qual é o meio de comunicação é mais efetivo para conversar com seu público é fundamental.

    Digamos que uma empresa vende peças para bicicletas atacado e a equipe de vendas e atendimentos precisa conhecer todos os detalhes, marcas e particularidades das peças de acordo com o modelo e transmitir as informações de forma padronizada para o cliente.

    Ação prática de comunicação interna

    Promover um treinamento para os colaboradores e disponibilizar materiais de apoio como guias, apostilas, gráficos e e-books sobre as peças.

    Inclusive, uma dica eficiente na hora de produzir esses materiais de comunicação é a equipe responsável pela produção de conteúdo realizar perguntas e coletar informações sobre as principais dúvidas, desafios e situações que a equipe enfrenta em relação ao produto.

    Quando as expectativas e informações são alinhadas, as ações de comunicação interna passam mais credibilidade para os colaboradores. Aliás, uma pesquisa da Harvard Business Review, chegou a conclusão que informações de fontes confiáveis valorizam a mensagem.

    2 – Divulgue informações relevantes

    Seja em temas mais técnicos com transmitir informações para uma equipe de manutenção de uma centrífuga industrial – equipamento usado na indústria em processos como separação e purificação de fluidos – ou em mudanças no cotidiano da organização como uma reforma no refeitório, a equipe de comunicação abordar conteúdos relevantes.

    É por isso que conhecer as necessidades, oportunidades, perfil e desafios internos da equipe ajuda a mapear o que pode ser interessante na hora de criar comunicados claros e efetivos.

    Ter clareza e objetividade na hora de divulgar as informações também é algo super importante e, para que as informações cheguem aos colaboradores certos, você pode utilizar ferramentas que ajudam a propagar a mensagem para um grande número de pessoas. São exemplos de informações relevantes:

    • Oportunidades internas;
    • Recessos ou alterações no fluxo de trabalho;
    • Reuniões;
    • Treinamentos;
    • Campanhas de conscientização;
    • Reestruturação de equipes;
    • Premiações;
    • Eventos.

    Em nichos de mercado mais específicos como as indústrias do segmento alimentício e farmacêutico que trabalham com produtos laboratoriais e normas específicas, atualizações em normas técnicas de órgãos sanitários como a ANVISA também são comunicados relevantes.

    3 – Utilize o e-mail marketing para comunicação interna

    Sustentável, prático, usual e efeito. O e-mail é um meio de comunicação direto e que você pode utilizar para enviar comunicados personalizados, campanhas segmentadas, mensagens individuais ou coletivas sobre uma organização.

    Por ser uma ferramenta padrão de trabalho, as chances desse canal ter sucesso na entrega são bem altas.

    Dessa maneira, as campanhas por e-mail podem ser úteis para divulgar informações relevantes, oportunidades, açõe da empresa, cursos e também podem ser complementares à outras formas de sensibilização.

    Vamos imaginar um exemplo prático? Uma empresa que realiza o transporte de cargas especiais precisa cumprir uma série de regras em relação às operações logísticas, principalmente no quesito segurança.

    São consideradas cargas especiais: produtos farmacêuticos, produtos perecíveis, bebidas, objetos de vidro, líquidos inflamáveis, entre outros.

    Qual é a forma mais prática de reforçar os cuidados ou criar uma campanha de conscientização sobre o assunto? O e-mail é uma alternativa.

    Além desse recurso, é viável analisar se os colaboradores deste setor também utilizam outras ferramentas de comunicação como o WhatsApp, por exemplo.

    Na hora de criar um e-mail marketing ou uma newsletter com assuntos que possam interessar o seu público interno, algumas dicas podem ser válidas.

    Veja a lista abaixo para melhorar comunicação interna:

    • Utilize ferramentas para envio de e-mails em massa;
    • Monitore a campanha, com métricas como taxa de clique;
    • Crie título de e-mail atraente para incentivar a abertura;
    • Personalize a mensagem;
    • Certifique-se que a linguagem está clara e condiz com a empresa.

    Além das campanhas e e-mails estratégicos, criar uma newsletter personalizada com assuntos relevantes para os colaboradores é uma forma de manter a comunicação ativa.

    Caso a empresa seja especialista no ramo de reparação de placas eletrônicas, por exemplo, uma ideia é selecionar as notícias da semana ou do mês relacionadas ao setor e montar uma lista de curiosidades de momento para envio.

    Capacitações, informativos, comemorações internas, datas importantes de eventos da empresa e novidades da organização também podem render assuntos para a newsletter. O setor de comunicação precisa se integrar do funcionamento e do sistema de organização da empresa para construir as pautas.

    4 – Promova palestras e rodas de conversa para melhorar comunicação interna

    Como está o relacionamento interpessoal na sua empresa? Os colaboradores estão engajados no propósito da empresa?

    Esses questionamentos são muito importantes para uma gestão mais eficiente e a comunicação corporativa pode ser uma grande aliada para identificar falhas e oportunidades.

    Vamos usar as empresas de usinagem em SP como exemplo. A usinagem é um processo que visa a criação de peças de metal e outros acessórios industriais. Como em toda empresa, é possível que essa atividade cause algum índice de insalubridade.

    Por isso, realizar rodas de conversa para ouvir os colaboradores, promover palestras sobre o uso dos equipamentos de proteção individual — os EPIs e coletar feedbacks é uma maneira de manter o diálogo ativo com os colaboradores.

    Uma cultura organizacional forte auxilia na comunicação interna

    Pode ser definida pelo bem comum e reflete a essência da empresa e uma boa comunicação entre os setores só fortalece a confiança entre a empresa e os colaboradores.

    Sendo assim, os benefícios da comunicação eficiente são: melhorias no relacionamento, maior transparência, maior compreensão dos propósitos da empresa, melhora da motivação e produtividade, entre outros.

    Ouvir os colaboradores de áreas que oferecem certos riscos na atividade, como as empresas de usinagem ou mesmo uma demolidora em SP – que geralmente conta com uma equipe preparada para trabalhos de muito esforço braçal – é a chave para identificar gargalos e promover melhorias.

    5 – Realize ações de incentivo

    O setor de comunicação corporativa não precisa se limitar à pesquisas e ao envio de mensagens burocráticas.

    Comunicar é ouvir, elogiar e incentivar os colaboradores também e, dessa forma, contribuir para um ambiente mais agradável para todos.

    Ter um calendário com datas comemorativas, realizar a comemoração dos aniversariantes do mês e promover confraternizações quando as metas são alcançadas são exemplos de ações de incentivo.

    Bonificar os resultados, incentivar cursos e eventos que contribuam com o desenvolvimento profissional do colaborador e aceitar sugestões de ações também pode render ótimos resultados.

    Lembre-se que a comunicação deve ser sempre uma chave e nunca um problema. Comunicar é expressar, resolver problemas, alinhar objetivos, evitar incompreensões e simplificar processos.

    Comunicação interna na sua empresa

    Uma empresa que se comunica com seus colaboradores pode ter mais sucesso na resolução de conflitos e alcançar resultados de forma mais objetiva. A organização é feita de pessoas, portanto, se comunicar com elas entendendo suas particularidades é um desafio, mas que vale a pena.

    Um líder que sabe se comunicar e ouvir a equipe, certamente terá colaboradores mais engajados em seu time. 

    Um gestor que incentiva a criação de ideias, escuta sugestões e preza pela colaboração, pode descobrir talentos novos. Colegas de trabalho que compreendem o propósito da organização podem se ajudar na rotina diária. 

    Dessa maneira, a comunicação exerce seu papel. Agora que você chegou ao fim deste artigo e descobriu algumas dicas de como implementar a comunicação interna na sua empresa, é hora de colocar as mãos na massa.

    Por fim, alinhe a missão, os valores e o objetivo da empresa com as futuras ações, faça um planejamento e inclua mais gente nessa roda. Identificar pontos de melhoria e motivos pelos quais a comunicação é útil também é válido.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 7 dicas para otimizar o marketing do seu escritório de advocacia

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    Uma das preocupações mais comuns de um escritório de advocacia é como otimizar o marketing jurídico que produz. Afinal de contas, é necessário manter um fluxo constante de clientes para ter lucro e não sair do mercado.

    No entanto, ao mesmo tempo que há essa necessidade, também existe uma série de preocupações com o Código de Ética da OAB e também em manter a produtividade da atuação jurídica. Por isso, surge o dilema: como melhorar o marketing, sem deixar cair a produtividade?

    Para ajudar a resolver essa questão, separamos 7 ótimas dicas que otimizarão o marketing do seu escritório de advocacia. Quer saber quais são? Então siga a leitura!

    1. Aprenda sobre SEO para otimizar o marketing do seu escritório

    Atualmente, a maneira mais fácil de ser encontrado por clientes é pela Internet. Afinal, quando você precisa de um serviço, a primeira coisa que faz é procurar por alguma empresa no Google, não é mesmo? Seus clientes fazem o mesmo.

    No entanto, apenas 5% de todas as buscas feitas no Google vão até a segunda página; 95% ficam apenas na primeira. Isso dá origem a uma piada entre publicitários de que “o melhor lugar para esconder um corpo é na segunda página do Google”. Afinal,  ninguém vai lá.

    Por essa razão, é importante que o escritório de advocacia aprenda sobre SEO, que é um conjunto de técnicas que visa aprimorar o seu site para aparecer na primeira página do Google. Isso garante que seu conteúdo será exposto para as pessoas e você conseguirá mais clientes sem precisar gastar muito por isso.

    2. Use um software jurídico para melhorar o seu marketing

    Parece que a dica não tem conexão, mas tem. Usar um software jurídico pode ajudar a melhorar o seu marketing. Isso por causa de algo chamado “marketing boca a boca”.

    Cerca de 92% dos consumidores admitem que compram ou experimentam um produto que foi indicado por um amigo ou familiar. Por causa disso, é essencial conseguir que seus clientes indiquem o seu serviço para um conhecido.

    Isso só acontece, no entanto, se o cliente for muito bem atendido e ganhar o caso com você. E, para aumentar as suas chances de fazer um bom trabalho, é importante aumentar sua produtividade e eficiência. Como se faz isso? Com um software jurídico.

    Logo, o software jurídico aumenta a qualidade do seu serviço, que vai encantar o cliente e gerar recomendações. Não demorará para mais e mais clientes surgirem na porta do escritório com essa estratégia.

    3. Invista em Marketing de Conteúdo com o seu escritório

    O Código de Ética da OAB proíbe muitas coisas dentro do Marketing Jurídico. No entanto, o documento libera o uso do Marketing de Conteúdo para escritórios de advocacia. E você deve aproveitar isso.

    O Marketing de Conteúdo é uma das maneiras mais baratas e eficazes de conquistar novos clientes. Basicamente, consiste em produzir conteúdo educativo e informativo de modo a construir uma imagem de autoridade e criar uma relação de confiança com o consumidor.

    Quando ele precisar de um escritório de advocacia, lembrará do seu, que o ajudou a resolver problemas com vídeos, textos e infográficos.

    4. Faça parcerias para conseguir novos clientes na sua advocacia

    Uma das maneiras de otimizar o marketing de um escritório de advocacia é criando parcerias com outros profissionais que trabalham em segmentos diferentes. Isso permite conquistar clientes a custo baixo e ter uma estratégia mais eficaz.

    Por exemplo, suponha que o seu escritório seja especializado em Direito Tributário e só atenda empresas. É interessante fazer uma parceria com um escritório especializado em Direito Trabalhista. Assim, quando uma empresa chegar lá pedindo ajuda para resolver um problema tributário, eles indicam os seus serviços (e vice-versa).

    5. Busque reduzir custos para otimizar o marketing de advocacia

    Um dos grandes problemas do marketing para um escritório de advocacia é o seu custo. Como não dá para fazer o próprio conteúdo e outras técnicas estão proibidas pelo Código de Ética da OAB, o profissional jurídico fica sem saber o que fazer e acaba gastando muito.

    No entanto, é importante lutar para tentar reduzir os custos, mas sem perder resultados. É importante avaliar o desempenho da sua estratégia e trabalhar para que ela se torne cada vez mais eficiente.

    Por isso, analise os relatórios de desempenho e veja onde a sua estratégia está sendo mais bem sucedida e foque seus investimentos ali, cortando campanhas e ações que não dão resultados.

    6. Otimize o marketing de advocacia trabalhando com vários canais

    É importante que o escritório de advocacia pense no marketing como um organismo vivo e não como uma ciência exata que funciona de maneira linear. Aliás, é justamente o contrário: o marketing, especialmente na área do Direito, é completamente circular e fora de ordem.

    Imagine a jornada comum de um cliente. Para muita gente, ela é assim:

    • o cliente tem um problema jurídico;
    • ele abre o Google e digita “escritório de advocacia”;
    • encontra o primeiro e liga;
    • faz uma reunião e fecha negócio.

    No entanto, as coisas não são lineares assim. Essa é só a etapa final da jornada do cliente. No começo, ele nem sabe que tem um problema. Por isso, ele precisa aprender. Depois que aprende, ele pensa que não é tão sério assim.

    Então ele faz algumas pesquisas no Google e admite que, ok, ele tem um problema. Mas não precisa resolvê-lo, ou não tem como.

    Depois, andando pelo Facebook, ele dá de cara com um vídeo explicando que é possível sim resolver o problema dele com uma ação judicial. Certo, mas como escolher um advogado para esse caso? Esse é mais um problema.

    Dias depois, no Instagram, ele curte um post contando o caso de um cliente que teve um problema igual ao dele. No entanto, é só duas semanas depois, ao ler um e-mail mostrando como o escritório de advocacia resolveu alguns casos parecidos, que ele decide marcar uma reunião.

    Viu como a jornada é muito mais confusa e gera interação em diversos pontos? No nosso exemplo, a interação aconteceu por blog, Facebook, Instagram e e-mail. Por essa razão, é importante que tenha uma campanha completa, agindo em várias plataformas para conquistar clientes.

    7. Experimente coisas novas para otimizar o marketing da sua advocacia

    Às vezes, o segredo para ter um marketing mais eficaz é tentar uma estratégia nova. Faça testes e veja o que funciona e o que não funciona. Analise os resultados e tente novamente. Pesquise novas plataformas, novos canais e aprenda como eles funcionam. Quem sabe quantos clientes estão nesses lugares?

    Seguindo essas 7 dicas, você não terá problemas para otimizar o marketing do seu escritório de advocacia. Em breve, o fluxo de clientes ficará estável e você poderá crescer de maneira sustentável.

    Gostou das nossas dicas? Deixe um comentário abaixo contando qual delas você já testou e quais os resultados obtidos!

  • Como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet?

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    O empreendedor ao pensar em como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet acaba pensando em sites, redes sociais, blogs, e-mail, e nas diversas outras opções.

    De fato, esses empreendedores estão certos, já que todas essas opções são alternativas para como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet.

    Essas ações citadas podem funcionar como um quebra-cabeça e cada execução desse trabalho funciona como um todo e há diversas peças que precisam ser gerenciadas para que dê certo a presença na internet.

    O serviço de marketing na internet ou simplesmente serviço de marketing digital é algo indispensável atualmente, pois as pessoas passam muito tempo online.

    Além do benefício de alcançar as pessoas com maior facilidade, os empresários poderão ser ativos no mundo digital sem precisar investir muito dinheiro, por outro lado será essencial muito empenho e dedicação.

    No geral, a presença online irá proporcionar ajuda em:

    • Estabelecimento de marca;
    • Atração de novos leads;
    • Produção de vendas.

    Quem saber como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet? Continue lendo esse artigo.

    Como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet: dicas essenciais!

    Há diversas alternativas para os empreendedores que desejam investir no marketing na internet, já que vivemos em um mundo cada vez mais digital e não há como ignorar essas estratégias.

    Dica #1: Redes sociais

    As redes sociais são excelentes alternativas, pois todo mundo possui um cadastro e vive horas por dia pendurado no celular checando todas as informações disponíveis em uma mídia social.

    Não há como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet e ignorar a existências das redes sociais.

    Sendo assim, quando alguém disser que uma empresa precisa ter uma página no Facebook ou um perfil no Instagram, essa pessoa está certíssima, pois esse tipo de marketing na internet é sinônimo de sucesso.

    É possível realizar o marketing de uma empresa tanto de forma gratuita e utilizando a criatividade, como investindo um pouco de dinheiro em publicidade paga.

    O objetivo de realizar o marketing na internet por meio das redes sociais são:

    • Promoção da conscientização, ou seja, fazer a divulgação da marca para as pessoas que ainda não a conhecem;
    • Realizar a nutrição dos clientes e manter a marca na mente de todos os consumidores.

    A melhor rede social para realizar o marketing digital: como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet

    Atualmente o Facebook é a mídia social mais popular em todo mundo e há a possibilidade de criar páginas completas apresentando diversas informações sobre a empresa.

    Todo bom empresário deve saber como fazer marketing digital no Facebook.

    É a forma mais comum de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet, pois com as páginas, os clientes terão acesso a diversas informações e postagens criativas.

    Além do Facebook, há também outras redes sociais que podem ser interessantes para alcançar os clientes, como:

    • Instagram;
    • Twitter;
    • Pinterest;
    • Youtube.

    Divulgue todas as características do produto, as promoções e novidades sobre o serviço, pois essa é uma ótima forma de garantir que o cliente tenha acesso a informações como essas.

    Dica #2: Link patrocinados para o seu público-alvo

    Tradicionalmente, os links que são patrocinados são cobrados pelo CPC, também conhecido como custo por clique.

    A maneira como será realizado o pagamento pode depender da plataforma ou da escolha do empreendedor.

    O pagamento poderá ser de acordo com os cliques, ações realizadas, conversões e até mesmo por impressões.

    Dessa maneira, quando for realizado campanhas com links patrocinados, o empreendedor pode optar por anúncios de pesquisas ou anúncios gráfico, que também são conhecidos como Display.

    Um exemplo de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet através dos links patrocinados é que os usuários irão receber os anúncios para o produto de forma muito eficiente.

    Quando um usuário pesquisa por “camisa xadrez vermelha” e o produto que o empreendedor estiver oferecendo for uma camisa xadrez vermelha, o anúncio irá para o topo da pesquisa feita pelo consumidor.

    As plataformas mais famosas de anúncios de pesquisa de custo por clique é o Google AdWords e o Bing Ads.

    Essa é uma das estratégias de marketing digital mais interessantes.

    Dica #3: SEM — Search Engine Marketing

    Por fim, o objetivo dessa estratégia é fazer com que os clientes chegam até o produto através das pesquisas realizadas no Google ou em outras plataformas como essa.

    O Search Engine Marketing engloba todo esforço de marketing que é desenvolvido para contribuir na vida consumidores.

    Sendo assim, é uma ótima forma de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet.

    A partir desse conceito há o SEO, ou seja, o trabalho de otimizar os mecanismos de pesquisa e das plataformas pagas de pesquisa, um exemplo é o Google AdWords.

    O SEO é de graça e com a ajuda dessa estratégia, o empreendedor poderá desenvolver um site que seja otimizado para se classificar bem com o mecanismo de pesquisa.

    Sendo assim, as pessoas irão encontrar o conteúdo ofertado pela sua empresa.

    Aproveite as estratégias de marketing digital para atingir seu público-alvo

    Por fim, é interessante pensar em alternativas de pesquisa, como a ferramenta https://cnpj.biz/ que encontra as empresas, através de pesquisa avançada.

    Nesse sentido, basta você definir quais parâmetros quer, que a ferramenta entrega uma pesquisa completa.

    São ótimas estratégias de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet.

    Porém é preciso que o empreendedor seja bastante empenhado e invista dedicação em fazer com que o seu produto seja alcançado.

    Gostou desse artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais!