• Aprenda a utilizar o LinkedIn para gerar engajamento em seu negócio

    Por Mais Empresas  |  10/09/2020  |  Comente »

    Atualmente, o LinkedIn é uma das redes sociais mais utilizada no universo corporativo. A rede criada em 2003 por Reid Hoffman e comprada pela Microsoft em 2016, contém cerca 675 milhões de usuários no mundo.

    Sabe-se que antigamente, muitas pessoas usavam esta ferramenta apenas para postar currículo e procurar emprego. Mas muita coisa mudou, atualmente 200 países estão presentes na plataforma.

    O Brasil é o terceiro país que mais utiliza esta plataforma – ficando atrás somente para os Estados Unidos e a Índia respectivamente. É justamente por isso que se utilizado da forma correta, se torna uma ferramenta essencial para turbinar marcas que buscam ter uma forte presença online.

    Por onde começar com o LinkedIn?

    Um dos primeiros passos a serem feitos é criar uma página para a sua empresa no LinkedIn. Mas, por quê isso é tão importante? De forma resumida, essa página será uma espécie de cartão de visita online, é ali que futuros colaboradores e até mesmo, clientes, irão conhecer um pouco mais do que você faz.

    Por exemplo, vamos supor que você possui um consultório odontológico e está precisando aumentar a sua presença na internet. Ao criar a sua página no LinkedIn, você irá conseguir criar conexões que têm foco na área da saúde.

    Essa é uma das maiores vantagens da rede. Por ser uma ferramenta voltada a assuntos profissionais e em negócios, ela pode se tornar uma forte aliada quando se trata de criar uma carreira sólida e próspera.

    Mesmo com todos esses pontos positivos, alguns usuários acabam apenas criando o seu perfil e logo em seguida, abandonam e dedicam a sua atenção para outras plataformas digitais por não terem noção por onde começar. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você ter uma página de sucesso:

    1. Capriche na parte visual

    Uma página que possui uma boa identidade visual se torna mais atrativo. Como fazer isso? Crie uma imagem personalizada para capa e para a foto de perfil – dê preferência para a logo da sua empresa. Isso com certeza irá gerar ainda mais tráfego para sua página.

    Também crie uma descrição criativa e com personalidade. Este é o momento de vender a sua empresa. Um texto de impacto e com palavras-chave atrai mais público.

    No caso do consultório de odontologia, seria interessante utilizar frases como “lente de contato dental” ou “prótese sobre implante dentário”.

    2. Atualize a sua página com periodicidade

    De acordo com o Hootsuite, um sistema norte-americano especializado em gestão de marcas na mídia social, corporações que possuem uma página atualizada no LinkedIn, possuem o dobro de visitas quando comparados a outras que estão com informações incompletas.

    Outra forma de ter uma boa página é se posicionando. Imagine que você já criou a página do seu consultório e já preencheu todas as informações necessárias. Agora é preciso fazer com que as pessoas entendam o seu trabalho.

    Você pode criar por exemplo, uma publicação sobre o avanço da tecnologia e abordar o uso do aparelho ortodôntico transparente pelas pessoas que preferem um visual mais discreto.

    3. Trace metas e objetivos

    Ao começar a se posicionar no LinkedIn, é importante ter em mente quais são os objetivos que você deseja alcançar. Através destes tópicos, você e sua equipe irão criar uma estratégia de comunicação.

    Por isso, se sinta livre para desenhar suas metas – desde que elas sejam possíveis de serem atingidas. O importante é saber para onde você quer ir e quais são os caminhos necessários.

    4. Tenha um cronograma específico para o linkedin

    Sabe aquela frase “Quem não é visto, não é lembrado”? Nas redes sociais, a relevância e engajamento são medidos dessa forma. Ter um planejamento de posts, com uma determinada frequência faz com que os seus seguidores tenham maior interesse e afinidade com a empresa.

    Além disso, busque sempre compartilhar artigos de terceiros ou até mesmo de funcionários da empresa que estejam alinhados com a cultura e posicionamento do seu negócio. Isso faz com que o seu alcance aumente significativamente.

    De acordo com o próprio LinkedIn, é preciso que, pelo menos uma vez por semana, haja publicações em seu seu feed. É importante ressaltar que precisam ser legendas estratégicas e criativas. Que usem palavras que estejam ligadas com o seu produto.

    Nesse sentido, se sou da área da saúde, não é aconselhável falar sobre o dia do aviador, mas sim, buscar falar sobre temas mais próximos aos meus, como por exemplo, clareamento consultório.

    5. Explore a ferramenta do linkedin

    Use ao máximo os recursos que o LinkedIn oferece. Não se atenha a textos comuns, pense fora da caixa. Compartilhe seus conteúdos em vídeos, eBooks, Webinars e PDFs. Faça com que a sua página seja relevante e referência para o público.

    Assim, você irá conseguir gerar o tão sonhado engajamento de qualidade para o seu endereço e turbinar o seu negócio online. Coloque essas dicas em prática e através de persistência e foco, você estará com uma audiência qualificada dentre as empresas. Não perca tempo e comece agora!

    Este conteúdo foi produzido Mayara Santos, redatora da empresa Vue Odonto

  • Por que utilizar aplicativos de mensagens instantâneas pode gerar mais lucros para a sua empresa?

    Por Mais Empresas  |  21/08/2020  |  Comente »

    O envio de mensagens instantâneas tornou-se algo comum nos dias atuais.

    Com o avanço da internet e o boom das redes sociais, vários aplicativos de comunicação surgiram com o intuito de aproximar pessoas, com a possibilidade de diálogos em tempo real.

    Aliás, essa tecnologia foi vantajosa não apenas para os diálogos interpessoais, mas para as empresas também.

    Com as mensagens instantâneas é possível ter uma comunicação rápida e efetiva com os clientes, de uma maneira bastante simples.

    Para termos uma ideia, até o final de 2018, 78% dos usuários de smartphones em todo o mundo enviaram mensagens instantâneas mensalmente para outras pessoas. 

    A perspectiva é que haja um crescimento de 23% até o final de 2021.

    Ou seja, aos poucos o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) tradicional por telefone é substituído por aplicativos leves, que permitem uma comunicação dinâmica e direta entre os consumidores e as empresas.

    Inclusive, alguns e-commerces possuem uma plataforma própria para troca de mensagens instantâneas, onde os clientes podem perguntar sobre encomenda expressa, comentar alguma insatisfação ou tirar dúvidas.

    No artigo de hoje, saiba por que utilizar aplicativos de mensagens instantâneas para gerar mais lucros a sua empresa, e conheça quais são as principais ferramentas de comunicação para os negócios. Acompanhe a leitura!

    Quais são os aplicativos de mensagens instantâneas mais conhecidos?

    O desenvolvimento tecnológico disponibilizou inúmeros aplicativos de mensagens instantâneas e, a cada dia que passa, novas ferramentas surgem para atender à crescente demanda da comunicação online.

    Hoje em dia, podemos encontrar links para uma sala privativa virtual, em que é possível fazer reuniões, aulas, entrevistas em tempo real, em qualquer parte do mundo.

    Para os negócios, quais são os melhores aplicativos de mensagens? A seguir, separamos alguns deles.

    1 – WhatsApp Business

    O WhatsApp Business é uma versão aprimorada do aplicativo, com foco na troca de mensagens entre clientes e empresas. 

    A ferramenta empresarial foi a que mais cresceu no Brasil em 2019, registrando mais de 850 milhões de downloads para Android e iPhone em todo o mundo.

    A grande vantagem do WhatsApp Business é a oportunidade de separar as conversas pessoais das profissionais, algo que não era possível antes do advento da versão do aplicativo para negócios.

    Além disso, a automação do WhatsApp Business permite a automatização de mensagens para otimizar o tempo.

    Sendo possível responder leads (potenciais clientes) e consumidores com maior rapidez, mesmo fora do horário comercial.

    Contudo, o principal objetivo da ferramenta é construir um relacionamento de qualidade com o público, gerando mais vendas e tirando dúvidas acerca de um determinado assunto. 

    Dessa forma, é possível combinar especificações para a locação de espaço comercial, tirar dúvidas sobre prazos de entrega, conhecer características de um produto ou serviço, etc.

    O Whatsapp Business não é um aplicativo recomendado para quem deseja enviar mensagens promocionais ou anúncios diretos para os usuários. 

    Inclusive, o Facebook – que é responsável pelo aplicativo – reforça que poderá bloquear os negócios que estejam usando a versão Business de maneira equivocada.

    O Whatsapp Business é gratuito para empresas, sendo recomendado para negócios de pequeno ou médio porte. Também é preciso ter um número de celular diferente do pessoal. 

    No caso das grandes corporações, a versão indicada é a Enterprise.

    2 – Facebook Messenger

    O Messenger do Facebook é um dos aplicativos de mensagens instantâneas mais conhecidos em todo o mundo. 

    Muito disso deve-se à popularidade do próprio Facebook, e não demorou muito para que as empresas percebessem que era um diferencial usar o chat da plataforma para interagir com os clientes.

    O Messenger pode ser adotado por empreendimentos de qualquer ramo de negócio, desde que tenham uma fanpage no Facebook, pois o chat é integrado à página. 

    Dessa forma, todo seguidor (e não seguidores) pode enviar mensagens diretas para as empresas e receber respostas pelo mesmo canal.

    Normalmente, o Messenger é usado para dúvidas pontuais de usuários.

    Por exemplo, quando querem saber mais a respeito do valor de uma aula de violão iniciante, perguntar o endereço do estabelecimento, entre outras informações rápidas. 

    Por esse motivo, muitas empresas usam a configuração de mensagens automáticas no Messenger para responder os clientes fora do horário comercial.

    Ou até mesmo para tratar de questões recorrentes, como horário e local de funcionamento.

    Desde 2018, o Messenger também disponibiliza espaços publicitários, que podem ocupar uma parte da página inicial do aplicativo, em formato de carrossel horizontal. 

    Além disso, é possível enviar anúncios diretamente pela ferramenta, algo que não se pode fazer no WhatsApp Business.

    Por isso, o Messenger é um dos aplicativos preferidos das empresas que querem investir no estreitamento de relações com os clientes e desejam planejar estratégias de vendas por mensagens instantâneas.

    Assim como o WhatsApp Business, o Messenger é gratuito. Porém, ele abre a oportunidade de patrocínio de anúncios.

    3 – Telegram

    O Telegram é um aplicativo de troca de mensagens instantâneas, concorrente do WhatsApp. Embora não seja tão popular, a ferramenta é capaz de aprimorar a estratégia de marketing das empresas, aumentando o alcance da marca.

    Uma das maiores vantagens do Telegram é o envio de mensagens e postagens para todos os assinantes. Por isso, o aplicativo é muito usado como um canal de bate-papo em grupo.

    Desse modo, se o interesse é enviar um conteúdo a respeito de recarga de extintores, é possível transmitir a mensagem para todos os clientes cadastrados no grupo do Telegram.

    O aplicativo permite a inclusão de salas com até 200 mil membros.

    Além disso, o Telegram tem o seu armazenamento em nuvem.

    O que significa que é possível acessar o aplicativo em qualquer dispositivo (celular, tablet ou computador), pois as mensagens permanecem sincronizadas.

    Outro ponto positivo da ferramenta é a sua segurança. O Telegram conta com um recurso de chat secreto, que autodestroem as mensagens após determinado tempo, requisitando uma senha para a abertura do aplicativo.

    Para uma empresa de motoboy para delivery, o Telegram é uma opção bastante viável.

    Já que ele permite apagar dados pessoais dos clientes, como o endereço.

    O Telegram é gratuito, sendo uma alternativa muito vantajosa para as empresas que desejam enviar conteúdo em massa.

    Como escolher o aplicativo de mensagens instantâneas certo para a sua empresa?

    Não há uma resposta certa para essa pergunta.

    A verdade é que a escolha do aplicativo de mensagens instantâneas irá depender diretamente do objetivo da sua empresa, bem como a finalidade da comunicação com os clientes.

    Por exemplo, se a intenção é tratar de especificações para envio de uma mercadoria por entrega rápidas, talvez o WhatsApp Business seja a melhor opção.

    Já que o diálogo é mais próximo, simples e rápido.

    Contudo, é preciso ter cuidado, pois a mínima desatenção com o envio de um anúncio pode significar o bloqueio da sua conta pelo próprio aplicativo. 

    Sendo assim, o compartilhamento de propagandas pode ser melhor através do Facebook Messenger.

    Portanto, para tomar essa decisão, vale a pena verificar alguns pontos:

    • Seus clientes costumam usar quais aplicativos?
    • Sobre o quê desejo conversar?
    • Qual o intuito e o interesse da mensagem?
    • Quanto a minha empresa terá que investir?
    • Tenho recursos para responder com rapidez os clientes?

    Ao refletir sobre esses questionamentos, fica mais fácil escolher o aplicativo de mensagens instantâneas. Não se pode esquecer também que algumas plataformas, como as de delivery, contam com canais próprios para comunicação com o cliente. 

    Assim, o consumidor pode perguntar diretamente sobre o serviço motoboy que está com o pedido.

    Vale dizer que a agilidade da comunicação e troca de conteúdo instantâneos depende muito dos recursos técnicos disponíveis. 

    Portanto, caso a sua empresa não tenha um canal de banda larga adequado, é possível que se tenha falhas na troca de mensagens.

    Por conta disso, é importante que a empresa verifique se dispõe de equipamento técnico suficiente.

    Em especial de internet, para empregar aplicativos de mensagens instantâneas com eficiência, para não comprometer a comunicação com os clientes.

    Conclusão

    A substituição das linhas telefônicas por aplicativos de mensagens instantâneas já é uma realidade em todo o mundo. 

    É notável o crescimento da comunicação virtual e, a cada dia que passa, mais pessoas preferem enviar perguntas diretamente pelo Facebook, WhatsApp ou fazer parte de um grupo do Telegram.

    Muito disso deve-se à praticidade das plataformas, além da facilidade de digitar um pedido, ao invés de passar longos minutos no telefone e, muitas vezes, não ter o seu problema solucionado pelo SAC.

    Por esse motivo, as empresas buscam alternativas de comunicação, buscando alinhar um diálogo efetivo com estratégias de marketing digital, para conquistar mais leads e fidelizar os clientes.

    Contudo, vale a pena ter atenção na escolha certa do aplicativo.

    Leve em conta os objetivos da empresa, os recursos técnicos disponíveis e quais os canais preferidos dos consumidores.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Como fazer um bom gerenciamento de crise em redes sociais?

    Por Mais Empresas  |  24/04/2020  |  Comente »

    O momento que estamos vivendo é de incertezas, devido às transformações nas relações sociais e de trabalho ocasionadas pela pandemia do Covid-19. Sendo assim, é necessário adotar projetos de gerenciamento de crise, como forma de lidar com questões imprevisíveis em cenários atípicos de mercado.

    Para a internet, o cenário também é complicado, mesmo com o aumento de compras por demanda online. 

    Afinal de contas, não basta estar presente no mundo virtual, é preciso se antecipar, já que as crises costumam ocorrer em diferentes épocas.

    No caso das redes sociais, o gerenciamento precisa ser ainda mais cuidadoso. Isso porque mais de 93% das decisões de compra são influenciadas pelas mídias online, incluindo as redes. 

    Portanto, saber como lidar com situações complexas é a chave para o sucesso.

    Quer saber como fazer um bom gerenciamento de crise em redes sociais? Então acompanhe o post de hoje, com algumas dicas para a sua empresa.

    Gerenciamento de crise: Crie um plano de ação

    O plano de ação é o primeiro passo para todo e qualquer gerenciamento de crise. E, mesmo em períodos calmos, vale a pena elaborar um planejamento organizado, já que as crises vão acontecer.

    Por isso, desde um negócio voltado ao aluguel de empilhadeira elétrica, até micro e pequenos empreendimentos, precisam de um plano de ação.

    Nas redes sociais, os períodos de crise podem gerar um ambiente de estresse que, em muitos casos, pode desestabilizar a equipe de gestão. 

    Sendo assim, a dica é criar um protocolo de procedimentos para orientar as ações durante uma situação de crise.

    A partir desse protocolo, é possível prever certos tipos circunstâncias, além de ter um roteiro mais ou menos pronto do que fazer.

    Entre outras vantagens do plano de ação para as redes sociais, destacam-se:

    • Melhor preparação das equipes de marketing digital;
    • Facilidade para estabelecer um “tom” de como tratar o cliente;
    • Diminui o nível de estresse dentro da empresa;
    • Melhora a capacidade de aprendizado pós-crise.

    Lembre-se: as crises vão acontecer. Portanto, se você quer ter uma boa presença no ambiente virtual e saber como gerenciar as redes sociais em momentos difíceis, não dá para ignorar a importância do plano de ação.

    Gerenciamento de crise: Cuide da sua imagem nas redes

    A imagem nas redes sociais não se refere somente a ter um perfil bonito e atraente. Além disso, o público precisa ter uma boa percepção sobre a sua marca e, para isso, é necessário construir uma boa reputação.

    Por exemplo, uma administradora de contabilidade e administração de condominios pode receber alguma reclamação, pois qualquer empresa está sujeita a isso, especialmente no ambiente online.

    Caso aconteça, é importante que a administradora saiba responder com competência, tentando resolver o problema do usuário, de modo a evitar conversas conflituosas e agressivas.

    Em momentos de crise, como o que passamos agora, é possível que surjam reclamações de vários tipos, ou somente os famosos haters, que somente querem causar intrigas online. 

    Por isso, é primordial ter um planejamento de como responder a esses usuários, ou qual tipo de comunicação adotar, para manter a imagem positiva da empresa.

    Outra situação é não ignorar o cliente. Quando uma empresa de combate a incêndio oferece uma resposta simpática, que abre possibilidades para o diálogo e busca compreender a necessidade do usuário, a reputação é muito melhor, em comparação aos empreendimentos que “fingem não ter visto”.

    Use o copywriting para influenciar o público no gerenciamento de crise

    O copywriting pode ser traduzido como o “texto da persuasão”, pois ele tem como principal objetivo guiar a audiência na tomada de uma decisão, por meio de slogans, conteúdos em sites, posts, e-book, e-mails, entre outros.

    Assim, essa técnica pode influenciar tanto uma decisão de compra direta, ou seja, a compra de um produto ou serviço, como a instalação de um piso polido de concreto, ou uma outra ação, como uma ideia.

    Em momentos de crise, a segunda opção é bastante viável, pois você pode convencer o consumidor a não deixar de comprar na sua empresa, por inúmeros motivos, que não tem a ver somente com a aquisição de algo, mas sim, com manter uma ideia, comprar um valor.

    Quando as marcas escrevem bem, ou seja, aplicam um bom copywriting, a tendência é se destacar no mercado, pois as pessoas serão educadas a respeito do negócio.

    Imagine, por exemplo, somente uma propaganda nas redes sociais sobre avaliação patrimonial. Ela pode suscitar muitas dúvidas aos usuários, especialmente os que não conhecem esse tipo de serviço.

    Com o copywriting, é possível mostrar ao público como a atividade funciona, sua importância e o porquê ela aparece como fundamental nos momentos de crise.

    Aplique recursos gráficos e audiovisuais para explicar a crise

    Em momentos difíceis e de incertezas, os indivíduos tendem a procurar por cada vez mais informações sobre o contexto, especialmente nas redes sociais. Diante disso, a sua empresa pode oferecer um conteúdo didático a respeito da crise.

    Como consequência, a audiência passa a confiar melhor na sua empresa, o que é ótimo para o plano de gerenciamento de crise.

    Esse tipo de informação vale para todas as empresas. Na atual época, é interessante que uma fábrica de cama hospitalar venda, por exemplo, fale um pouco sobre a crise na saúde, bem como demais assuntos relacionados.

    O uso de recursos gráficos e audiovisuais podem facilitar o entendimento do público, além disso, conteúdos desse tipo têm um alto potencial para se tornarem virais.

    Respeite a linguagem de cada rede social no gerenciamento da crise

    As redes sociais possuem certos tipos de especificações, principalmente quanto à linguagem. O Facebook e o Instagram, por exemplo, permitem uma conversa mais informal, enquanto o LinkedIn requer mais formalidade.

    Além do mais, as redes também têm certas características quanto aos formatos. Em épocas de crise, é necessário ter uma atenção especial a esses detalhes.

    Por isso, se a intenção é divulgar uma foto, com tag para compra do produto e o preço, de uma camisa social para uniforme de empresa, a rede social mais adequada pode ser o Instagram.

    Mas, se a intenção é divulgar um vídeo tutorial, o YouTube pode ser a mídia mais recomendada.

    Não se esqueça de integrar as redes sociais, para que todas sigam o mesmo padrão de identidade visual e, ainda, passem a mesma informação ao público, mesmo em diferentes linguagens e formatos.

    Não acumule problemas

    Um bom gerenciamento de crise nas redes sociais também prevê a eliminação do problema o mais rápido possível, antes que ele cresça e se torne muito difícil de controlar. 

    Aliás, a procrastinação pode ser fatal para as redes sociais.O famoso “empurrar com a barriga” pode levar a várias situações desconfortáveis para a empresa. 

    Em momentos de crise, é preciso ter mais cuidado ainda, pois todos estão passando por um período de estresse, o que pode esquentar ainda mais os ânimos e comprometer a reputação da empresa.

    Seja transparente com o seu público

    Informar sobre as especificações de um perfil u estrutural é uma boa maneira de cativar a audiência interessada nesse produto, pois ela quer saber mais sobre ele, como usá-lo, entre outras características.

    O mesmo vale para a comunicação em momentos de crise.

    Sendo assim, seja transparente com os seus seguidores na rede social. Se errou, assuma. Se mudou algum método de trabalho na empresa, explique sobre isso. Se está lançando algo novo, fale mais sobre o assunto.

    São esses pequenos detalhes que fazem toda a diferença em como o público vai reconhecer a sua empresa, principalmente nos momentos de crise.

    Tenha um time preparado para esses momentos

    Nada melhor do que ter um time de profissionais competentes para preparar o seu plano de ação durante um gerenciamento de crise. 

    Para isso, é necessário treinar seus colaboradores e mantê-los atualizados sobre a situação em que se encontram.

    Em alguns casos, recomenda-se, inclusive, a construção de dois times para trabalhar de forma integrada: um para tratar e resolver a crise interna da empresa, e outro focado na comunicação, com a tarefa de lidar com o público diretamente.

    Conclusão de gerenciamento de crise

    Os tempos de crise podem ser bastante difíceis para as empresas. Porém, independentemente do tipo de situação, como a que estamos vivendo atualmente, ou as próximas crises que podem acontecer – e até mesmo problemas dentro do seu próprio negócio – é preciso saber como fazer um bom gerenciamento.

    Nas redes sociais, ter um plano de ação específico para lidar com problemas nessas plataformas pode ajudar na reputação da sua empresa, além de manter os clientes fiéis à marca.

    Lembre-se: não é o momento de desistir. Mas sim, de adotar novos comportamentos, seguir um roteiro e ter maior transparência para lidar com o público.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Facebook é o maior serviço de armazenamento de imagens da internet

    Por Mais Empresas  |  21/09/2011  |  Comente »

    Todo ser humano, com idade suficiente, é claro, já foi fotógrafo por um dia. Atualmente, então, com celulares com câmeras e aplicativos de compartilhamento instantâneo, a fotografia virou não só um modo de guardar lembranças, como também de interagir com os amigos. Mas você já parou para pensar quantas fotos já foram feitas na história da humanidade? E sabia que o Facebook é o local onde estão boa parte delas?

    Continue lendo…

  • Implantar redes sociais é uma visão estratégica

    Por Mais Empresas  |  25/07/2011  |  Comente »

    O trabalho com as redes sociais nas empresas é estratégico e não operacional. E só uma ruptura com o modelo de negócios atual pode trazer sucesso.

    Continue lendo…

  • Utilize as redes sociais como ambiente de venda

    Por Mais Empresas  |  22/07/2011  |  1 comentário »

    É inegável que as redes sociais são um caminho interessante e viável para a comunicação entre empresas e consumidores. Twitter, Orkut, Facebook, UNIK, Badoo, Hi5, Quepasa e muitas outras fazem parte do boom das redes sociais.

    Continue lendo…

  • 10 erros que sua empresa pode evitar nas mídias sociais

    Por Mais Empresas  |  01/06/2011  |  Comente »

    As vezes as empresas ficam se perguntando: Onde foi que nós erramos? Parece um enigma, mas mesmos tendo uma atuação forte nas redes sociais o retorno em termos de conversão é inexpressivo. Em vez de repetir alguns dos erros mais comuns que as empresas estão cometendo nas mídias e redes sociais, para só depois aprender com eles, mais fácil ainda é saber evitá-los com antecedência, com o objetivo de não cometê-los!

    Então vamos lá. Vejamos quais são os erros mais comuns e como podemos resolvê-los.

    Continue lendo…

  • 10 ações positivas e negativas para o Twitter

    Por Mais Empresas  |  05/05/2011  |  Comente »

    Já é comum as empresas usarem o twitter como uma ferramenta do marketing digital. Existem empresas que se dão muito bem nessa rede social, mas, tem também, as que dão seus vacilos.

    Continue lendo…

  • Estar no LinkedIn não basta. Saiba usá-lo a seu favor

    Por Mais Empresas  |  28/04/2011  |  Comente »

    Veja como aproveitar melhor a maior rede social profissional do mundo

    Entre as redes sociais mais populares na internet, o site LinkedIn é o mais focado no ambiente corporativo. Lançado oficialmente em 2003, foi só em 2008 que o site alcançou uma taxa de crescimento exponencial, em parte devido à crise econômica iniciada no mercado imobiliário americano e que se expandiu para o mundo todo em 2009. Em 2011, a rede social já recebe mais de 1 milhão de novos cadastros a cada semana.

    Continue lendo…

  • O futuro da sua empresa está no Facebook?

    Por Mais Empresas  |  26/04/2011  |  Comente »

    A mais recente pesquisa da ComScore revelou que a quantidade de usuários do Facebook no Brasil chegou a 19 milhões de pessoas em março, número três vezes maior do que o registrado no mesmo período do ano passado. Se continuar nesse ritmo, o “Face” tomará o lugar do Orkut como rede social mais usada pelos brasileiros.

    Continue lendo…