• Qual a configuração ideal de um notebook para trabalhar em Home Office?

    Por Mais Empresas  |  11/08/2020  |  Comente »

    O home office consiste no trabalho em casa. Cada vez mais as pessoas estão optando por essa modalidade de trabalho devido à sua enorme praticidade. Além do mais, hoje em dia, essa tem sido a melhor alternativa, devido à pandemia causada pelo novo Coronavírus.

    Nesse contexto, as pessoas estão criando ambientes propícios para que possam desempenhar as suas tarefas com o máximo de eficiência e conforto possíveis.

    Por isso, elas precisam contar com equipamentos que facilitem o trabalho. É o caso, por exemplo, de computadores. Afinal, eles são indispensáveis para quem trabalha em home office.

    No post de hoje, iremos descrever qual a configuração ideal de um notebook para trabalhar em home office. Porém, iremos tratar mais especificamente do Sistema Windows. Pois ele é o que possui o valor mais acessível do mercado e, apesar disso, atende muito bem a todas as necessidades.

    Melhor Sistema Operacional para home office: Windows 10

    O sistema operacional Windows 10 oferece ao usuário inovações muito potentes, que estão diretamente ligadas tanto à privacidade, quanto à segurança, para que você possa trabalhar da melhor forma possível, e com total tranquilidade.

    Sem contar que também é bem intuitivo e prático para tornar a sua rotina mais simplificada e tranquila.

    Em contrapartida, o Windows 7 e 8 não são mais recomendados.

    No caso do Windows 7, ele não recebe mais atualizações. A Microsoft encerrou o suporte que se estendia ao sistema.

    Com isso, caso você ainda utilize esse sistema operacional, deve estar ciente de que, pelo fato de não receber mais atualizações, o seu PC está totalmente vulnerável à ação de programas de malware.

    No entanto, apesar da descontinuidade das atualizações por parte da Microsoft, uma enorme parcela da população ainda utiliza esse sistema. Porém, é importante frisar que isso não é recomendado.

    Pois, exatamente por causa dessa grande quantidade de pessoas que ainda utilizam, o ataque de hackers será ainda maior.

    Enquanto isso, o Windows 8 também não é tão recomendado para trabalhos em home office, pois ele é considerado muito instável pela maioria dos usuários.

    Portanto, a melhor opção é o Windows 10. Além disso, como ele corresponde a uma atualização, os arquivos pessoais do usuário não são perdidos a cada atualização.

    Ainda que o sistema usado anteriormente seja o Windows 7, por exemplo.

    Outra vantagem do Windows 10 é que a sua instalação não necessita da remoção dos arquivos que já existem no computador.

    Processador Intel Core i5 ou acima

    Como o processador é quem executa as instruções da memória do PC ou Notebook, no caso do trabalho em home office, o mais indicado é que seja um processador Intel Core i5 ou acima.

    Pois esse tipo de processador contribui para um aumento na duração da bateria, permite uma melhor conexão com a internet, sem contar que o Notebook também apresenta um desempenho muito mais satisfatório.

    Mínimo 4 GB de memória RAM

    Com uma memória RAM de, pelo menos, 4 GB, você poderá executar diversas tarefas. Você poderá, inclusive, deixar abertos alguns programas ao mesmo tempo, poderá navegar na internet, deixando algumas páginas abertas sem travar, e trabalhar normalmente.

    Sendo assim, 4 GB de memória RAM é o mínimo que um computador precisa ter para quem trabalha em home office.

    HD de 500 GB ou acima

    O HD é o disco rígido do computador, e é onde os dados do usuário ficam registrados, como programas, documentos, vídeos e fotos. Sem o HD, a máquina não funciona. Para exemplificar a sua importância, saiba que é no HD que o Windows se encontra instalado.

    Por isso, se o computador não tivesse um HD, não seria possível usar o sistema operacional.

    Desse modo, para trabalhar em home office, o ideal é que o computador tenha um HD a partir de 500 GB, que é o suficiente para baixar programas, arquivos documentos diversos, navegar na internet e para os trabalhos do dia a dia.

    Conclusão Home Office

    Enfim, essa é a configuração ideal, ou pelo menos, essencial que um notebook precisa ter para trabalhar em home office, mas, para fazer uma escolha ainda mais eficiente, você pode pesquisar no Melhor do Lar e fazer comparações de preços, características e marcas e, dessa forma, tomar uma decisão mais precisa.

    Lembrando que existem ainda alguns componentes de hardware como a placa de vídeo e de som, porém, não são itens que farão tanta diferença se o intuito é apenas fazer trabalhos a partir de casa, já que as tarefas, em sua maioria, são leves. Portanto, apenas a configuração que vem de fábrica já é suficiente.

    Exceto se você não for usar a sua máquina para jogos ou tarefas mais complexas, apenas essa configuração que indicamos vai te servir muito bem.

  • Profissionais autônomos: Principais ferramentas da internet para atrair clientes

    Por Mais Empresas  |  08/07/2020  |  Comente »

    Diferente das empresas, muitos profissionais autônomos não têm estrutura de marketing para divulgar os seus serviços e nem para conseguir novos clientes através de publicações nas redes sociais.  

    Assim, é importante ter um planejamento e elaborar uma estratégia para isso. Pois, cerca de 40% dos trabalhadores brasileiros, em nove estados, atuam de forma autônoma. Geralmente, estes autônomos são prestadores de serviços, de acordo com o jornal Folha de São Paulo. 

    Diante essa situação, a internet se torna uma boa alternativa para conseguir novos clientes e consequentemente, aumentar a sua renda mensal. Isso é fundamental, principalmente em época de isolamento social e quarentena, por conta da pandemia do novo coronavírus.

    Assim, não importa que trabalho você faça, como jornalista, advogado, nutricionista, profissional da beleza, artesão ou qualquer outra função, o marketing digital pode aumentar sua presença online e assim, maximizar seu alcance. 

    Mesmo que à primeira vista, fazer estratégia de marketing digital possa não ser tão simples, a internet te ajuda a se informar melhor sobre o tema, o que facilita bastante esse processo e também ajuda na sua organização para a aplicação dessas técnicas que iremos te apresentar.

    Com a internet, aliada a um bom computador ou smartphone, o profissional autônomo pode criar, de forma simples, conteúdos como fotos, vídeos e textos que podem aumentar a presença digital da marca.

    Ou seja, opções não faltam para que esse conhecimento seja investido a seu favor. E essas ações são altamente aconselhadas por especialistas da área. 

    Então, se o profissional autônomo tem como objetivo final a ampliação de sua divulgação para captar mais clientes, a internet é sua aliada. 

    E para contribuir nisso, neste artigo selecionamos as principais ferramentas da internet que  atrair clientes. Não deixe de conferir!

    Marketing digital e a importância para o profissional autônomo

    Ao contrário de profissionais contratados, que geralmente atuam empresas que têm clientes estabelecidos, o autônomo deve se preocupar não apenas em captar novos clientes, como fidelizar os já existentes. Isso, em época de pandemia, é ainda mais complicado.

    Por isso, o marketing digital se torna tão importante. E não se trata apenas de fazer mera propaganda de seus serviços. 

    Com ele, você gera conteúdos que agregam valor aos seus potenciais clientes, criando uma relação. Nela, sua missão é resolver os problemas existentes e solucionar as dores dos seus leads.

    E as pessoas estão conectadas ao celular a todo tempo: no transporte público, nas ruas, na fila do banco, nos restaurantes, no trabalho, em suas casas. 

    Então, manter uma constante presença digital ajuda na expansão do seu negócio. E é preciso agir rápido, pois os seus concorrentes já descobriram isso e possivelmente estão faturando muito mais.

    E para não ficar para trás, veja dicas de ferramentas ideias para o profissional autônomo usar no seu marketing digital e atrair mais clientes. Não perca essa oportunidade e comece a aplicar essas ferramentas agora mesmo!

    6 ferramentas da internet para profissionais autônomos atraírem clientes

    Neste post, listamos 6 das ferramentas de marketing digital essenciais para você atrair mais clientes. Continue a leitura e confira agora mesmo as melhores estratégias para seu negócio.

    1. E-mail marketing

    O e-mail marketing ganhou força nos últimos anos e desponta como uma das principais formas de relacionamento com clientes. 

    Isso porque o usuário é impactado e pode se transformar em lead para seu negócio. E com o e-mail que você vai enviar conteúdos relevantes para ele, com o intuito de futuramente transformá-lo em cliente. Entre as principais ferramentas utilizadas para isso, o MailChimp é a que mais se destaca.

    2. Links patrocinados

    A busca do Google ainda uma das formas mais utilizadas pelas pessoas para encontrar produtos e serviços na internet.

    E uma das maneiras de estar presente nos resultados do buscador é por meio do investimento em links patrocinados.

    Com o uso de uma ou mais palavras-chave que façam sentido para o seu negócio, você indica o quanto está disposto a investir para ter seu link exibido toda vez que alguém buscar por aquela palavra. 

    3. SEO

    Você pode também apostar nos links orgânicos para o seu negócio por meio das técnicas de SEO

    Estes links são do que páginas do seu site, em geral, com assuntos de qualidade, encontradas pelo algoritmo do buscador. Para isso, devem apresentar conteúdo relevante para a palavra-chave buscada.

    O investimento em SEO é uma das ferramentas mais efetivas no marketing digital. Isso porque, apesar de os resultados virem em médio e longo prazo, eles costumam ser mais duradouros do que outras estratégias similares e também mais efetivos com relação aos seus clientes.

    4. Redes sociais

    As redes sociais já fazem parte de nossa vida, e isso significa que o profissional autônomo pode conseguir bons clientes por meio delas. 

    E no marketing digital, seus serviços precisa investir para manter uma presença nas redes sociais.

    Plataformas como Facebook e Instagram são as mais acessadas diariamente pelos consumidores para interagir com seus amigos, absorver conteúdo, compartilhar notícias, e claro, falar sobre o que estão fazendo e consumindo. 

    Ou seja, oferecem uma ótima oportunidade para a sua marca se aproximar ainda mais do seu público-alvo.

    5. Blog

    Use um blog como uma boa ferramenta para divulgar os seus serviços.E não importa o segmento que você atua, para ser mais visto no mundo online, investir nessa ferramenta se tornou uma grande estratégia. 

    Com o blog você tem:

    • Baixo custo;
    • Pode ser encontrado no Google;
    • Oportunidades de negócios;
    • Interação com o seu público;
    • Se torna fonte confiável de informação.

    Assim, com um conteúdo com qualidade e técnica, as chances de aumentar a sua autoridade em seu serviço cresce, consequentemente atraindo mais clientes.

    6. SMS Marketing

    Com a evolução da tecnologia, tornou-se possível interagir com potenciais de uma forma mais personalizada por meio do SMS Marketing.

    Essa é uma estratégia que utiliza mensagens de celular para construir a comunicação com os clientes. E se torna uma ferramenta muito eficiente, na medida em que permite um contato próximo e individual, com bem menos gastos do que se o envio da mensagem fosse feito via mala direta.

    Lembrando sempre que, se não houver um bom planejamento prévio e um esforço de mensuração e de acompanhamento dos resultados.

    7. Google Adwords e Facebook Ads

    De acordo com especialistas, para bons resultados com links patrocinados, a principal forma de fazer isso é usando a própria ferramenta do Google Adwords, ou então no Facebook Ads, que gera links dentro da rede social. 

    O Facebook Ads é a alternativa mais usada para quem quer anúncios em redes sociais. Embora existam serviços de ads em várias outras redes, como LinkedIn, Twitter e Instagram, o Facebook ainda é considerado o canal de maior retorno, por ser a maior rede social do mundo. 

    Já o Google Ads, lançada em 2000, é uma ferramenta de marketing digital que já está consolidada há bastante tempo. Ela é referência na chamada “busca paga”. 

    Nesse sentido, a grande vantagem do Google Adwords, comparado aos concorrentes, é o seu alcance. Porque basicamente qualquer usuário de internet no mundo utiliza o Google diariamente.

    Esperamos que estas dicas tenham sido úteis para a estratégia de marketing dos profissionais autônomos e assim, possam expandir sua carteira de clientes, criando também uma fidelização.

  • Como sua empresa pode tomar melhores decisões em épocas de crise

    Por Mais Empresas  |  03/06/2020  |  Comente »

    Ninguém esperava! Mas, junto com a pandemia, veio uma crise econômica. Vimos, de uma hora para outra, empresas sendo obrigadas a tomar decisões, a se reinventarem e infelizmente, algumas a fecharem. Não havia tempo, eram decisões de sobrevivência e diante do cenário não havia outra saída.

    Porém, agora que passamos desse primeiro momento, agora que entendemos um pouco mais o que está acontecendo e qual é o caminho que ainda vamos percorrer, as empresas podem ter uma noção melhor do que esperar e tomar decisões um pouco melhores melhores, baseadas um pouco mais em fatos do que em suposições. Mesmo assim, o cenário ainda não é perfeito. Temos muitas coisas indefinidas e muitas possibilidades, mas como muitas empresas não pode se dar ao luxo de adiar algumas decisões, separamos alguns pontos para serem levados em consideração e assim, diminuir um pouco os riscos, na medida do possível, é claro: 

    Dicas de como tomar decisões em épocas de crise

    • Olhar a história: já passamos por outras crises antes e olhar para o passado é uma boa maneira de ter algum material no qual se basear mesmo que as coisas tenham sido em outros tempos. É apenas um norte, com certeza há algo a se observar e a se aprender.
    • Olhar para fora: temos o mundo inteiro passando pelo mesmo problema. Mesmo que tenhamos situações bem diferentes dado a diversos fatores, temos algo em comum: a causa. Assim como, no combate ao vírus, os países olham e observam como os outros estão se portando, podemos e devemos fazer isso em relação aos nossos negócios também. Acompanhar publicações do nicho internacionais, fazer parte de fóruns e pesquisas na internet são capazes de te dar alguma noção de como as coisas estão, o que fizeram para que possa se inspirar também. 
    • A união faz a força: já pensou em se unir? Em trocar ideias com empresas que possuem o mesmo segmento que o seu ou que o segmento te complementa? É hora de unir forças, trocar experiências para que todo mundo saia bem dessa. Essa é uma das melhores maneiras de se coletar material real e funcional para a futura tomada de decisões. 
    • Especialistas: tomar decisões com base em opiniões e estudos de especialistas sem dúvida é a forma mais segura. Há empresas que trabalham justamente com os pontos que vemos ser mais sensíveis em meio à crise, como o design estratégico, que engloba áreas como viabilidade de empresas em cenários diversos, reestruturação de modelo de negócios, soluções inovadoras e integradas.
    • Tendências: quais eram as tendências para seu nicho antes da crise? E depois dela, o que falam sobre as opções de inovação? Quais as mudanças no comportamento do usuário você pode levar em consideração para promover mudanças um pouco mais seguras no seu negócio? Junte tudo isso antes de tomar decisões.
    • Conheça bem seu negócio: você conhece seu negócio bem? Procura estudar sempre sobre ele? Quanto mais você o conhecer, entender seus pontos fracos e fortes mais segurança e com maiores chances de serem assertivas. 
  • Como o Blockchain pode se tornar uma tendência de mercado

    Por Mais Empresas  |  02/06/2020  |  Comente »

    Você sabe o que é Blockchain e como essa tecnologia pode se tornar uma tendência no mercado?

    Tendo surgido juntamente com o bitcoin, a principal finalidade do Blockchain era possibilitar as transações virtuais com as criptomoedas. Contudo, esse potencial sistema teve sua utilização ampliada para fora do mercado financeiro.

    É possível comparar o Blockchain a um tipo de banco de dados, porém de uso comunitário, sendo alimentado por diferentes usuários em todo o mundo. 

    As informações incluídas neste sistema devem seguir regras pré-estabelecidas, tornando todos os dados seguros e confiáveis. 

    Além disso, é possível ter acesso a todo o histórico disponíveis no Blockchain, deixando as informações acessíveis a qualquer momento. 

    Justamente pela sua estrutura nova e tecnológica, o Blockchain vem ganhando grande espaço no mercado. Apesar de ser um conceito novo, ele se tornou uma das grandes apostas para o futuro das negociações comerciais, conquistando a atenção devida. 

    Um distribuidor de rolamentos, por exemplo, muito em breve poderá considerar a utilização do Blockchain para as suas transações internas, colhendo benefícios com o uso da tecnologia em diversas áreas da empresa. 

    Sendo assim, ele pode ser considerado uma aposta promissora para o mercado em geral. 

    Se você quer saber mais sobre o Blockchain, o seu funcionamento e como as empresas dos mais diversos segmentos podem utilizá-lo em seus negócios, siga na leitura deste artigo para aumentar os seus conhecimentos sobre o assunto.

    O que é o Blockchain e como ele funciona?

    A tradução do termo Blockchain significa “cadeia de blocos”. Isso quer dizer que ele se trata de uma tecnologia onde a transmissão de dados ocorre em cadeia, onde cada informação é processada em um local diferente, compondo esse sistema tecnológico.

    O seu funcionamento não depende de intermediários, sendo essa uma forma importante de garantir maior segurança e evitar que fraudes sejam cometidas. 

    Essa estrutura permite que uma empresa de portaria virtual possa considerar o uso do Blockchain em processos futuros, precisando de investimentos tecnológicos para desfrutar desse sistema eficiente.

    O funcionamento do Blockchain é sequencial, de maneira que cada informação complementa a outra.

    Por isso, ele é descrito como uma cadeia de blocos, onde cada um deles é unificado e se torna parte das informações do sistema. 

    Para fazer parte dessa cadeia, a informação inserida precisa ser validada. Após esse processo, ela é inserida no Blockchain, e se espalha por diversos computadores no mundo todo. 

    Esse se torna um dos elementos mais fundamentais para garantir a segurança do Blockchain. Afinal, cada modificação precisaria passar por todos esse locais, o que impede fraudes no sistema.

    A sua estrutura sequencial também impede que dados extras sejam adicionados posteriormente.

    Dessa maneira, o Blockchain se mostra como um sistema seguro, o que torna a sua usabilidade interessante para uma caldeiraria industrial, ou para um escritório de contabilidade, que precise manter os seus dados sempre devidamente protegidos. 

    As vantagens do uso do Blockchain

    Além de ser um elemento tecnológico, o que torna diferentes empresas muito mais competitivas e atualizadas no seu nicho, o Blockchain pode oferecer diferentes vantagens. 

    A confiança e a transparência são outros benefícios do sistema, justamente porque ele atua com quatro conceitos principais:

    • Ledger distribuído;
    • Privacidade;
    • Contrato inteligente;
    • Consenso. 

    O ledger distribuído é o chamado “livro-razão”, ou seja, o local onde os registros de todas as transações é armazenado e compartilhado entre vários computadores na rede, acessível a qualquer pessoa.  

    A privacidade também é outro elemento importante do Blockchain. Apesar de as transações serem verificáveis por toda a rede, ela prioriza a segurança. 

    Para um estabelecimento conciliador de cartões, esse tipo de elemento é fundamental, pois garante o sigilo de suas atividades..

    Enquanto cada movimentação de criptomoeda é aberta ao público, o Blockchain prioriza a proteção dos dados dos usuários envolvidos.  

    Sendo assim, se uma pessoa realizar uma determinada ação, inserindo informações nessa cadeia de blocos, os seus dados particulares são preservados. 

    O Blockchain também permite o uso de um tipo de contrato inteligente, ou seja, qualquer documento que faça parte do sistema não será alterado depois de estipulado. 

    Assim, uma empresa de cftv que queira aplicar o Blockchain na sua estrutura financeira pode ser beneficiada com esse ponto, uma vez que tudo o que está estabelecido previamente será seguido sem alterações.

    Por fim, o consenso também é uma das características vantajosas do Blockchain. Afinal, as transações realizadas na rede são verificadas pelos participantes do sistema, impedindo fraudes. 

    Como o Blockchain pode ser utilizado nas empresas

    Apesar de ser um sistema utilizado essencialmente em transações financeiras, o Blockchain já está sendo aplicado em diversas outras funções.

    A sua estrutura dinâmica é perfeitamente adaptável para outros tipos de usabilidade, o que possibilita uma série de ações para tornar o funcionamento de diferentes empresas muito mais eficiente e seguro. 

    Um sistema para loja de roupas, por exemplo, pode ser desenvolvido utilizando as premissas do Blockchain, priorizando a validade e a relevância das informações, unificando dados em cadeias de blocos, para assegurar o sigilo financeiro da empresa. 

    Sendo assim, o Blockchain já vem garantindo o seu espaço no mercado em alguns pontos específicos, com potencial para se tornar tendência em várias outras áreas. 

    O Blockchain e a Internet das Coisas (IoT)

    A Internet das Coisas é uma das grandes promessas para o segmento tecnológico. A conectividade de vários dispositivos ao mesmo tempo traz uma série de comodidades, o que também implica na necessidade de investimentos em segurança. 

    Nesse caso, o Blockchain pode ajudar na validação da conexão entre esses dispositivos, impedindo invasões e garantindo a verificação dos dados trocados durante o uso da IoT.

    O Blockchain e a validação de documentos

    Para garantir o funcionamento e a troca de informações seguras entre a matriz de uma empresa especializada na produção de chapa de aço galvanizado com as suas filiais, é preciso criar processos internos de grande segurança.

    O mesmo pode ocorrer quanto ao relacionamento de um advogado com o seu cliente, sendo esse um trabalho que muitas vezes exige sigilo absoluto das informações. 

    Muitos desses processos incluem documentos e a validação deles, que normalmente demoram horas ou dias para serem finalizados. O Blockchain pode ser aplicado para diminuir esse período de maneira eficaz. 

    Afinal, a sua estrutura é propícia para um acesso rápido e seguro, impedindo possíveis fraudes ou adulterações. 

    O Blockchain e a transparência de informações

    Empresas dos mais variados segmentos e até mesmo alguns órgãos governamentais assumem o compromisso de manter a transparência das suas informações, publicando-as em canais acessíveis ao público. 

    No entanto, a segurança desses dados, muitas vezes, são passíveis de veracidade, deixando a confiança das pessoas abalada. 

    Ao se utilizar o Blockchain para disponibilizar dados de interesse comum, esse tipo de desconfiança some do horizonte. 

    Afinal, a publicação de informações em bloco, dentro da cadeia existente no sistema do Blockchain é estruturada justamente para evitar qualquer modificação, tornando os dados disponibilizados muito mais confiáveis. 

    O Blockchain e os acordos comerciais

    Os acordos comerciais firmados entre uma empresa de grampo para cabo de aço e uma grande indústria de metais pode exigir uma série de etapas para a sua conclusão. 

    Além de uma assessoria jurídica, muitas vezes é necessário utilizar também a financeira, por tratar de negociações que demandam altas quantias em dinheiro. 

    Uma maneira eficaz de tornar esses processos e etapas simples e seguros é investir em um Blockchain, onde cada informação pertinente ao acordo pode ser firmada em um contrato inteligente. 

    Isso quer dizer que as cláusulas e as imposições de ambas as partes serão facilmente acessadas e não passarão por modificações não autorizadas, deixando todo o processo mais claro e direto. 

    Além disso, é possível manter a segurança de diversos dados relacionados ao negócio. Dessa maneira, os dois lados ficam resguardados, para que o contrato firmado possa ser mais seguro e tranquilo. 

    O Blockchain e a redução de custos

    Grandes empresas com atuação internacional viram no Blockchain uma maneira prática de realizar as suas transações bancárias de modo mais seguro e econômico.

    Para efetuar pagamentos de valores considerados altos, muitas delas recorrem aos serviços financeiros proporcionados pelo Blockchain, que possui estrutura semelhante aos pagamentos feitos com criptomoedas. 

    Assim, cada etapa da operação é rastreável e verificável, tornando-a mais segura e ágil. A grande capacidade de processamento do Blockchain, unificada com a transparência permitida pelo sistema contribuem positivamente para isso. 

    Apesar de ainda serem utilizadas de maneira discreta por grandes bancos mundiais, as transações via Blockchain mostram fortes tendências para o setor financeiro, possibilitando uma comunicação mais efetiva entre empresas de diferentes continentes. 

    Que o Blockchain seja um sistema efetivamente seguro, e que vem ganhando destaque no cenário econômico mundial, disso ninguém duvida. 

    A tecnologia presente na estrutura dessa cadeia de informações em blocos transmite cada vez mais segurança para os seus usuários, possibilitando uma série de ações que serão implementadas dentro de diversos estabelecimentos em um futuro muito próximo. 

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • O que é necessário saber para ter uma boa infraestrutura de TI

    Por Mais Empresas  |  01/06/2020  |  Comente »

    Uma boa infraestrutura de TI se refere a todos os elementos necessários que garantem e fornecem tecnologia a um usuário final. 

    Essa infraestrutura inclui servidores, armazenamento de dados, rede e sistemas convergidos.

    Além disso, também conta com virtualização, gerenciamento, automação e orquestração para entregar aplicativos na forma de sistemas usados pelo cliente.

    Estes podem ser smartphones, laptops, tablets, etc. Com isso, as empresas geram resultados reais, pois todos os serviços de tecnologia são apoiados em uma estrutura subjacente que funciona.

    A tecnologia é algo importante e que precisa fazer parte das empresas de absolutamente todos os setores. É por meio dela que os serviços e produtos têm sua qualidade garantida – mas não é só isso.

    Uma boa infraestrutura de TI também garante um bom funcionamento da empresa como um todo. 

    Hoje em dia, todas as informações que fazem parte de uma organização estão envolvidas com a tecnologia.

    Por isso, é importante contar com profissionais dedicados tanto a essa área quanto a suas subáreas, para que o funcionamento adequado da organização seja garantido.

    Por isso, neste artigo, vamos falar sobre o que é infraestrutura de TI, como ela funciona e como desenvolvê-la adequadamente.

    O que é infraestrutura de TI?

    A infraestrutura de TI de uma empresa está relacionada a todos os componentes indispensáveis para o funcionamento do negócio. 

    Dentre os principais podemos destacar:

    • Dispositivos como desktop, notebook, etc.;
    • Servidor (e-mail, banco de dados, armazenagem, etc.);
    • Rede (internet, roteador, cabeamento, etc.);
    • Impressoras;
    • Telefonia.

    Portanto, se uma fabricante de tubo quadrado se pergunta sobre quais itens de informática são necessários para que ela opere com qualidade, com certeza todos os itens acima entram como resposta.

    Como funciona uma infraestrutura de TI

    Uma boa infraestrutura de TI consiste na combinação de diversos elementos, sendo estes software, hardware, rede e também os recursos humanos. Eles permitem que uma organização forneça serviços de tecnologia da informação para a equipe.

    Existem diversos componentes-chave em uma boa infraestrutura de TI, sendo que a mais óbvia é o hardware, isso porque, sem ele, é impossível ter uma área de TI na empresa.

    Portanto, a organização precisa de computadores, servidores, roteadores, switches e outros componentes. 

    Para entender um pouco melhor, vamos especificar um pouco mais os principais componentes de uma boa infraestrutura de TI:

    1 – Hardware

    O hardware, apesar de ser o mais importante, não funciona sem um software. Dentro de uma empresa de licença de operação um software inclui aplicativos de produtividade, planejamentos de recursos empresariais e também CRM.

    Alguns desses aplicativos podem ser comprados prontos, já outros precisam ou podem ser desenvolvidos pela área de TI. Isso, contudo, vai depender da necessidade da empresa.

    2 – Internet

    Vivemos em um mundo dominado pela internet, por isso, ela se transformou em um fato essencial para que os negócios possam ser bem conduzidos.

    Dessa maneira, a conectividade da rede se tornou indispensável. Isso porque os funcionários dependem de e-mails, acesso à web e serviços telefônicos VOIP.

    Isso faz da conexão de rede algo necessário, pois diversas máquinas precisam ser conectadas ao mesmo tempo. Para isso, é necessário configurar fios, hubs de rede, switches e roteadores.

    3 – Pessoas

    Para que cada componente de uma boa infraestrutura de TI funcione adequadamente, o elemento humano é o mais importante. 

    Isso porque ele é o responsável por adequar todas as partes, de acordo com a necessidade de cada empresa.

    Os profissionais de TI podem ser desenvolvedores, administradores de sistema ou administradores de rede. 

    São eles que analisam as necessidades da organização para determinar quais softwares e hardwares farão todo o trabalho.

    Para atender às necessidades da organização, esses profissionais precisam comprar ou desenvolver uma solução. 

    Um exemplo disso é escolher uma solução local ou nuvem para uma fabricante de placa vibratória.

    Todos os componentes da infraestrutura de TI dependem um do outro. Isso, porque no final das contas, todas as empresas precisam de software, hardware e rede para funcionar adequadamente.

    Mesmo assim, eles podem se tornar inúteis, caso não haja a presença de um profissional para comprá-los, configurá-los e mantê-los funcionando do jeito certo.

    Como ter uma boa infraestrutura de TI

    Independentemente do tamanho do negócio e de qual é o seu mercado de atuação, ter uma área de TI é fundamental.

    Isso, porque toda empresa possui informações que são confidenciais e que não podem ser compartilhadas com todos os colaboradores e clientes.

    O TI permite que a empresa controle quem tem acesso a essas informações, bem como de que maneiras elas estão sendo usadas.

    Toda a configuração da rede de computadores deve ser feita pelos profissionais de TI. Portanto, dentro de uma empresa de consultoria ambiental, são esses profissionais que vão garantir que tudo seja executado dentro dos padrões da organização.

    Eles também garantem que o ambiente digital seja seguro, atualizado e, principalmente, estável. É isso que protege os computadores das instituições de ameaças.

    Também serão esses profissionais que vão resolver qualquer problema técnico com o software, bem como qualquer tipo de contratempo que surgir relacionado com a rede de computadores.

    No entanto, para que a empresa possa usufruir de todos esses benefícios, ela precisa de uma infraestrutura de TI que englobe as seguintes subáreas:

    Desenvolvimento web

    Desenvolvimento web é uma subárea do TI dedicada ao desenvolvimento de sites na internet ou na intranet de uma empresa.

    Geralmente, atua mais na marcação, programação, configuração e trabalhos de retaguarda. No entanto, ele também pode atuar no projeto visual das páginas e desenvolvimento de comércio eletrônico.

    Além disso, se uma empresa de metalização tiver essa subárea em sua infraestrutura de TI, pode usá-la para o desenvolvimento de páginas estáticas e aplicações ricas. Bem como comércio eletrônico e redes sociais.

    Também é importante que a subárea de desenvolvimento web atue com as mais diferentes linguagens de programação. Dentre elas:

    • Java;
    • JavaScript;
    • PHP;
    • Python.

    Análise de sistemas

    É fundamental que qualquer empresa conte com um profissional de análise de sistemas. Isso, porque é ele quem encontra o melhor caminho para que a informação seja processada.

    Para isso, ele leva em conta os diversos sistemas existentes entre hardwares, softwares e o usuário final. 

    Após isso, o profissional desenvolve soluções padronizadas e transcritas de maneira que o computador possa executar.

    É nessa subárea do TI que se concentra a administração dos sistemas computacionais usados, por exemplo, por empresas de automação industrial.

    Esta área organiza, implanta e cuida da manutenção de aplicativos e redes de computadores. Para isso, os profissionais fazem um levantamento de todas as informações da empresa.

    Eles utilizam essas informações para desenvolverem um sistema que atenda às necessidades da empresa.

    Portanto, a área de análise de sistemas funciona como uma tradutora entre as necessidades da organização e o programa a ser desenvolvido.

    Só que para que isso seja possível, o profissional atuante dentro dessa área do TI precisa ter acesso a todos os dados do negócio, ou seja, conhecê-lo profundamente.

    A partir disso, ele consegue implantar as regras do negócio ao sistema que será desenvolvido para ele.

    Web design

    Na área de web design de uma fabricante de tubos flexíveis de aço inox existirá harmonia entre beleza e funcionalidade em suas páginas na web.

    Isso, porque os sites precisam mais do que simplesmente funcionar bem, eles também precisam agradar aos olhos do usuário.

    O profissional de web design consegue garantir isso, portanto, ele leva até o visitante do site de uma empresa, bem como aos funcionários que usam os sistemas intranet, uma experiência positiva de uso.

    Afinal, os profissionais da área de TI são formados para que falem a língua dos computadores e para serem extremamente analíticos e detalhistas. Então, sua maior preocupação é com a funcionalidade dessas páginas.

    Quando a organização conta com um web designer, dentro de sua infraestrutura de TI, ele consegue transformar essa linguagem do computador para algo mais humano nos softwares utilizados.

    Portanto, ele pode ser considerado a ponte entre os computadores e as pessoas. Para isso, ele trabalha para uma empresa de resistência tubular com um conceito de interface.

    Esse papel é fundamental para melhorar a interação entre usuários e páginas, para que elas executem o seu papel. Isso, inclusive, influencia no marketing externo e interno das organizações.

    Conclusão sobre infraestrutura de TI

    Tudo o que diz respeito à tecnologia é importante para as empresas do mundo moderno. É ela que vai garantir que todos os processos funcionem como esperado, garantindo a produtividade da organização.

    Além disso, a tecnologia facilita processos e traz mais segurança para os negócios. Mas para que isso funcione, é importante que a empresa tenha uma boa infraestrutura de TI.

    A partir da implantação dessa estrutura, qualquer negócio estará atuando com a tecnologia da maneira mais segura e eficiente.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Gestor de investimentos: entenda como ele pode aumentar a rentabilidade

    Por Mais Empresas  |  06/02/2020  |  Comente »

    Você já tem uma carteira de investimentos pronta? Se não se incomoda com a pergunta, como ela está indo? Bem? Mal? Seja como for, que tal contratar um gestor de investimentos para torná-la melhor?

    Um profissional do tipo é utilizado pelos maiores fundos de investimento do país e do mundo, sempre em busca de maior rentabilidade e remuneração com base nos ganhos obtidos.

    Se você não sabe qual é a vantagem de contar com um gestor de investimentos e nem sabe como ele funciona, siga o artigo abaixo para aprender mais sobre o assunto!

    O que é um gestor de investimentos?

    Um gestor de investimentos é um profissional com autorização especial da Comissão de Valores Mobiliários (a CVM) para atuar prestando assessoria de investimentos e controlando a carteira de aplicações de seus clientes, que podem ser individuais (como você) ou fundos de investimento.

    Esse profissional, portanto, é o responsável por traçar estratégias para que uma carteira ou fundo de investimento possa alcançar a máxima rentabilidade possível, superando as metas estabelecidas para aquele dinheiro.

    Para se tornar um gestor de investimentos, é necessário ter muito conhecimento de economia e do mercado financeiro, além de uma óbvia capacidade de traçar estratégias com base no comportamento do mercado.

    Como é o dia a dia de um gestor de investimentos?

    O dia a dia de um gestor de investimentos é movimentado e envolve três funções primordiais.

    A primeira é conversar com os seus clientes, sejam os individuais, sejam os cotistas do fundo de investimento sob sua responsabilidade.

    Dentro desse contexto, o gestor ouvirá quais são as necessidades dos clientes, o nível de conforto e confiança que eles possuem no trabalho, além de reclamações ou sugestões que façam.

    A segunda principal função do gestor de investimentos é estudar o mercado exaustivamente, de modo a compreender o comportamento de mecanismos e encontrar boas oportunidades de lucro para a alocação de dinheiro.

    É importante que o gestor seja muito conhecedor do mercado, pois se gerir um fundo muito grande, pode causar distorções significativas dentro da Bolsa de Valores e outros ambientes, o que atrapalha a estratégia de lucro.

    Por fim, a terceira grande função de um gestor de investimentos é executar a estratégia pensada, controlando todas as métricas e variações que atingem o mercado.

    Assim, o profissional pode esticar ou encurtar o tempo de aplicação para aproveitar mais o rendimento ou diminuir o prejuízo de determinado ativo.

    Como um gestor de investimentos ajuda a aumentar a rentabilidade?

    A função de um gestor de investimentos, como já dito, é buscar estratégias que aumentem a rentabilidade de determinada carteira ou fundo.

    Por isso, ele tem liberdade quase que total para traçar várias estratégias.

    Dissemos “quase que total” porque alguns fundos de investimentos têm regras específicas definidas, estabelecendo que determinada porcentagem do dinheiro reunido deverá ir para um determinado tipo de aplicação.

    Já quando o trato é com individuais, a liberdade pode sim ser total, se combinada previamente com o contratante.

    Nesse caso, o gestor pode usar um robô de investimentos, trabalhar com criptomoedas, comprar e vender ações no Day Trade ou só aplicar em Renda Fixa.

    A melhor estratégia dependerá do combinado com o contratante. O foco, no entanto, é o de obter o máximo de lucro possível dentro do framework estabelecido na contratação.

    Em alguns fundos de investimento, por exemplo, a remuneração do profissional é feita com base na rentabilidade do fundo.

    Estabelece-se uma porcentagem dos ganhos para que o gestor seja remunerado.

    Além disso, há a possibilidade dele receber um bônus se ultrapassar determinados benchmarks de rendimentos.

    Vale a pena contratar um gestor para sua carteira?

    Essa é uma pergunta que não tem uma resposta fácil.

    É fato que um gestor de investimentos costuma atingir uma rentabilidade maior do que uma pessoa sem conhecimentos agindo sozinha? Sem dúvidas, especialmente no longo prazo.

    No entanto, vale a pena pagar o fee do profissional? Depende do valor total da sua carteira e da remuneração do profissional.

    Quanto maior for o volume de investimentos, mais interessante é colocar um gestor profissional pois cada 1% a mais significa alguns milhares de reais de diferença.

    Por isso, o custo-benefício do gestor é alto nesses casos, trazendo um pouco mais de lucro, especialmente quando há um bônus por benchmark alcançado.

    Já quando a sua carteira de investimentos ainda não chegou a R$ 1 milhão, por mais impressionante que seja, talvez não seja a hora de contratar um gestor.

    É preferível economizar na taxa que iria para ele para acumular mais dinheiro e poder montar depois uma carteira mais ampla e com mais opções quando o gestor chegar.

    E aí, gostou de aprender mais sobre o gestor de investimentos? Como deu para ver, é um profissional muito requisitado no mercado e com muitos conhecimentos especiais, além de ser uma profissão de muita pressão e responsabilidade.

    O que você achou? Vale ou não a pena contratar um gestor para a sua carteira? Comente abaixo!

  • Marketing para concessionárias: 5 formas de aumentar as vendas

    Por Mais Empresas  |  03/02/2020  |  Comente »

    Qual empresário do mercado de automóveis que não gostaria de saber como aumentar as vendas na concessionária? É possível, inclusive, que você já tenha pensado em usar várias ações diferentes para isso. No entanto, nenhuma funcionou, não é mesmo?

    O que é necessário entender é que não existe uma fórmula mágica para vender mais. O que existe é a compreensão de como o sistema de vendas funciona e como utilizá-lo de modo a conseguir gerar mais negócios para a sua concessionária.

    A partir do momento que se entende os mecanismos por trás da negociação, é possível obter uma taxa de sucesso consideravelmente maior. Quer ver 5 maneiras de aumentar as suas vendas? Então siga a leitura abaixo!

    Entenda o que é necessário para aumentar as vendas na concessionária

    Se você busca por boas estratégias para aumentar as vendas na concessionária, precisa entender que a situação pode ser tão simples quanto o motor de um carro.

    Para funcionar, o motor de um carro precisa de combustível. Esse combustível pode ser diesel, gasolina ou etanol. Uma vez lá dentro, o combustível é queimado e a energia produzida é direcionada para os eixos, que movem as rodas. O volante, controlado pelo motorista, direciona as rodas e, por consequência, o carro.

    A lógica é bem simples, correto? Com as vendas, é a mesma coisa.

    Para vender, você precisa que tenha uma pessoa interessada em comprar na sua concessionária. Além disso, você precisa convencê-la a comprar naquele momento.

    Ou seja: o segredo para vender mais é atrair mais pessoas + fechar mais vendas. Parece simples, mas muitos empresários não compreendem esses mecanismos.

    Para aumentar as vendas na concessionária você precisa:

    • ou atrair mais gente (e manter sua taxa de conversão);
    • ou atrair o mesmo número de gente (mas aumentar a taxa de conversão);
    • ou, que é a melhor opção, atrair mais gente E aumentar a taxa de conversão.

    É simples assim. Se mais pessoas entrarem na sua loja e seus vendedores fecharem mais negócios, suas vendas dobram. Como conseguir isso que é o difícil. Vejamos algumas maneiras nas dicas a seguir.

    Invista em Marketing Digital para atrair mais clientes

    Uma das maneiras de colocar mais pessoas dentro da sua concessionária é pela Internet. Ela é eficaz porque é mais barata do que métodos tradicionais e consegue atingir mais gente também.

    Existem muitas ferramentas dentro do Marketing Digital para que a sua concessionária receba mais interessados em comprar os seus carros.

    A primeira das ferramentas é o Marketing de Conteúdo. Ele é útil para aumentar a autoridade da sua concessionária e educar o seu público sobre como comprar carros da melhor maneira possível. Ele gera leads mais qualificadas, que são mais fáceis de converter.

    As redes sociais também são importantes para aumentar o número de pessoas na sua região que conhecem a sua empresa e, por consequência, possam se interessar pelos seus carros.

    Os anúncios pagos, como links patrocinados ou posts impulsionados, são muito versáteis para expandir seu alcance e conquistar possíveis novos clientes.

    Uma ferramenta muito útil e pouco utilizada é o geotargeting, que permite entregar anúncios e mensagens para pessoas que estão fisicamente próximos da sua concessionária, como 100 metros de distância, 150 metros.

    Entre em contato com antigos clientes para renovar as vendas

    A idade média da frota de carros brasileira é alta, com mais de 9 anos de idade em média. No entanto, nem todo motorista leva tanto tempo assim para comprar um carro novo.

    Se você quer aumentar as vendas na concessionária, que tal contatar seus clientes antigos? Se eles já compraram uma vez, provavelmente vão querer comprar de novo e você tem o contato deles do primeiro negócio feito.

    Ligue para eles e convide-os para conhecer as opções para renovar o carro que ele tem. Quando chegarem, coloque seus melhores vendedores para fazer um atendimento de primeira linha. Por falar neles…

    Capacite seus vendedores para converter mais leads em clientes

    Até agora, tudo que vimos foram maneiras de colocar mais gente na sua concessionária. Mas e como fechar mais negócios e aproveitar esse fluxo de pessoas?

    Para isso, é necessário treinar e motivar os seus vendedores. Afinal, eles são essenciais para o sucesso da sua concessionária.

    Portanto, invista em treinamentos modernos e direcionados a aumentar a taxa de vendas dos seus vendedores. Estabeleça métricas e controle o desempenho deles, para verificar se os treinamentos estão ajudando a fechar negócios mais facilmente.

    Flexibilize as suas formas de pagamento para vender mais

    Um impeditivo que pode estar evitando a sua concessionária de vender mais é as suas condições de pagamento. É possível que você precise flexibilizar um pouco mais as condições para fechar mais negócios.

    Por isso, estude maneiras de tornar as coisas mais fáceis para os seus clientes. Faça acordo com as montadoras e aceite usados como entrada ou estabeleça uma concessionária de seminovos para isso, por exemplo.

    Seguindo essas 5 maneiras de aumentar as vendas na concessionária, você conseguirá vender mais carros em 2020 e ter um ano muito mais lucrativo do que em 2019.

    Gostou das nossas dicas? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião!

  • Entenda como aplicativos de entrega podem alavancar as vendas do seu restaurante

    Por Mais Empresas  |  11/11/2019  |  Comente »

    Com a chegada dos aplicativos de entrega, houve também o aumento da demanda de diversos estabelecimentos. Muitos deles tiveram que investir em mudanças estruturais que permitissem o atendimento dos pedidos.

    De fato, a chegada dos aplicativos de entrega de comida possibilitou um crescimento significativo do segmento de restaurantes e lojas de fast food. Esse crescimento propiciou um maior faturamento para muitas empresas.

    Segundo uma pesquisa, 56% das pessoas fazem pedidos semanais via delivery.

    Realmente, cadastrar um restaurante em um aplicativo de entrega é uma excelente ideia para quem deseja lucrar muito mais. Para saber como isso é possível sugerimos que você nos acompanhe nessa leitura!

    LUCRANDO MAIS COM APLICATIVOS DE ENTREGA: MAIS AGILIDADE

    Uma das razões pelas quais os aplicativos de entrega de mercadorias possibilitam o aumento das vendas é o fato de o processo do pedido ser mais rápido e eficiente.

    De fato, concretizar os pedidos por esses apps evita os ruídos de comunicação das ligações telefônicas, o que diminui os riscos de envios de pratos errados.

    Além disso, com a mudança na forma de consumo, com as compras sendo, cada vez mais, feitas pela internet, sem sair de casa, o ramo alimentício e de consumo rápido não poderia ficar de fora.

    As compras online garantem muito mais comodidade para os usuários.

    Fora isso, o uso de aplicativos de entrega impede que os clientes esperem pelo atendimento. Ao contrário, telefones ocupados por muito tempo geralmente ocasionam desistências.

    Em outras palavras, essas plataformas evitam que o estabelecimento deixe de atender a seus clientes. Assim, pode-se ter um faturamento muito maior.

    MAIS VISIBILIDADE COM OS APPS DE ENTREGA

    Outra vantagem dos aplicativos de entrega que pode propiciar um maior faturamento é o fato de ele expor um estabelecimento a um grande público.

    Para se ter uma ideia da abrangência desses programas, milhares de pessoas os acessam todos os dias para pedir comida.

    Dito de outro modo, fazer um cadastro em um desses aplicativos representa uma maior chance de conquistar novos públicos.

    É possível chegar a novos clientes mesmo sem um maior investimento em marketing. Dessa forma, o retorno com o uso dessas ferramentas pode ser ainda maior.

    Esse fato fez com que as empresas do setor crescessem 16% somente no primeiro semestre de 2019.

    A FACILIDADE DE GERENCIAMENTO DOS APLICATIVOS DE ENTREGA

    Outro fator que permite mais lucratividade com um menor custo é a administração da plataforma.

    De fato, os aplicativos de coleta e entrega podem ser facilmente gerenciados, não havendo necessidade de contratação de mão de obra específica.

    Isso porque essas plataformas são muito intuitivas e simples de usar. Elas permitem que as informações sejam alteradas rapidamente, sem complicações.

    Assim, é possível fazer alterações em um cardápio a qualquer hora, alterando preços e outras informações em apenas alguns minutos.

    Essa é uma forma também de evitar a impressão de materiais físicos, que geralmente custam caro aos restaurantes.

    CLIENTES MAIS SATISFEITOS COM ENTREGA DE ENCOMENDAS

    Aplicativos de entrega de moto como o Rappi trazem mais ganhos a um estabelecimento porque permitem uma maior fidelização da clientela.

    Isso se deve à quantidade de informações sobre o restaurante e o produto a que os clientes têm acesso antes de realizarem a compra.

    Esses dados evitam que os clientes se frustrem com os produtos que escolheram. É possível verificar também o tempo de espera da encomenda, o que impede insatisfação e telefonemas ao restaurante sobre o andamento do pedido.

    MAIS ECONOMIA NA ENTREGA DO PRODUTO

    Com certeza, adotar os aplicativos de entrega é bem mais barato do que investir na contratação de mão de obra.

    Isso porque as taxas cobradas pela maioria das startups são irrisórias frente aos gastos que se têm com a seleção e contratação de entregadores.

    Além disso, utilizar os aplicativos para entregar os produtos evita também as despesas com a manutenção de motos e outros transportes.

    CRESCER E FATURAR MUITO MAIS COM APLICATIVOS DE ENTREGA

    Assim, podemos concluir que esses apps podem trazer muito mais lucros para um restaurante, haja vista que agilizam o atendimento dos clientes.

    Ademais, os aplicativos de entrega possibilitam uma maior visibilidade do estabelecimento, o que aumenta as chances de uma marca chegar a novos públicos.

    E você, já utiliza esses aplicativos para fazer suas entregas? Esse uso permitiu alguma melhoria no faturamento do seu negócio? Comente!

    LSI: aplicativos de coleta e entrega, aplicativos de entrega de moto, apps de entrega.

    Secundárias: aplicativos de entregas de mercadorias, aplicativos de entrega de comida, aplicativos de entrega de encomendas.

  • 5 dicas de utilização da comunicação interna nas corporações

    Por Mais Empresas  |  22/10/2019  |  Comente »

    Você já parou para pensar no papel da comunicação interna? Tão importante quanto construir uma imagem de uma empresa para os clientes, é ter uma cultura de diálogo entre os colaboradores e resumidamente essa é uma das propostas desse conceito.

    Alguns especialistas da área como Clemen (2005) defende que essa é uma estratégia muito importante para alinhamento e organização de uma empresa.

    Não importa se o negócio é focado no conserto de geradores de energia ou envolve a área logística, a comunicação é uma chave para bons relacionamentos interpessoais.

    Como o público interno é composto por pessoas que a empresa tem uma relação de proximidade e agenda em comum, os desafios em estabelecer e implementar estratégias assertivas podem ser ainda maiores. 

    Neste artigo vamos abordar algumas dicas para você implementar essa estratégia na sua corporação ou melhorar a que já está em vigor. Confira!

    1 – Alinhe expectativas internas

    Para que uma mensagem seja compreendida entre as duas partes, sem ruídos de comunicação, é fundamental que o setor de comunicação interna fale a mesma língua que os colaboradores.

    Por isso, alinhar expectativas, realizar pesquisas, ouvir os desafios e necessidades da rotina do trabalho e entender qual é o meio de comunicação é mais efetivo para conversar com seu público é fundamental.

    Digamos que uma empresa vende peças para bicicletas atacado e a equipe de vendas e atendimentos precisa conhecer todos os detalhes, marcas e particularidades das peças de acordo com o modelo e transmitir as informações de forma padronizada para o cliente.

    Ação prática de comunicação interna

    Promover um treinamento para os colaboradores e disponibilizar materiais de apoio como guias, apostilas, gráficos e e-books sobre as peças.

    Inclusive, uma dica eficiente na hora de produzir esses materiais de comunicação é a equipe responsável pela produção de conteúdo realizar perguntas e coletar informações sobre as principais dúvidas, desafios e situações que a equipe enfrenta em relação ao produto.

    Quando as expectativas e informações são alinhadas, as ações de comunicação interna passam mais credibilidade para os colaboradores. Aliás, uma pesquisa da Harvard Business Review, chegou a conclusão que informações de fontes confiáveis valorizam a mensagem.

    2 – Divulgue informações relevantes

    Seja em temas mais técnicos com transmitir informações para uma equipe de manutenção de uma centrífuga industrial – equipamento usado na indústria em processos como separação e purificação de fluidos – ou em mudanças no cotidiano da organização como uma reforma no refeitório, a equipe de comunicação abordar conteúdos relevantes.

    É por isso que conhecer as necessidades, oportunidades, perfil e desafios internos da equipe ajuda a mapear o que pode ser interessante na hora de criar comunicados claros e efetivos.

    Ter clareza e objetividade na hora de divulgar as informações também é algo super importante e, para que as informações cheguem aos colaboradores certos, você pode utilizar ferramentas que ajudam a propagar a mensagem para um grande número de pessoas. São exemplos de informações relevantes:

    • Oportunidades internas;
    • Recessos ou alterações no fluxo de trabalho;
    • Reuniões;
    • Treinamentos;
    • Campanhas de conscientização;
    • Reestruturação de equipes;
    • Premiações;
    • Eventos.

    Em nichos de mercado mais específicos como as indústrias do segmento alimentício e farmacêutico que trabalham com produtos laboratoriais e normas específicas, atualizações em normas técnicas de órgãos sanitários como a ANVISA também são comunicados relevantes.

    3 – Utilize o e-mail marketing para comunicação interna

    Sustentável, prático, usual e efeito. O e-mail é um meio de comunicação direto e que você pode utilizar para enviar comunicados personalizados, campanhas segmentadas, mensagens individuais ou coletivas sobre uma organização.

    Por ser uma ferramenta padrão de trabalho, as chances desse canal ter sucesso na entrega são bem altas.

    Dessa maneira, as campanhas por e-mail podem ser úteis para divulgar informações relevantes, oportunidades, açõe da empresa, cursos e também podem ser complementares à outras formas de sensibilização.

    Vamos imaginar um exemplo prático? Uma empresa que realiza o transporte de cargas especiais precisa cumprir uma série de regras em relação às operações logísticas, principalmente no quesito segurança.

    São consideradas cargas especiais: produtos farmacêuticos, produtos perecíveis, bebidas, objetos de vidro, líquidos inflamáveis, entre outros.

    Qual é a forma mais prática de reforçar os cuidados ou criar uma campanha de conscientização sobre o assunto? O e-mail é uma alternativa.

    Além desse recurso, é viável analisar se os colaboradores deste setor também utilizam outras ferramentas de comunicação como o WhatsApp, por exemplo.

    Na hora de criar um e-mail marketing ou uma newsletter com assuntos que possam interessar o seu público interno, algumas dicas podem ser válidas.

    Veja a lista abaixo para melhorar comunicação interna:

    • Utilize ferramentas para envio de e-mails em massa;
    • Monitore a campanha, com métricas como taxa de clique;
    • Crie título de e-mail atraente para incentivar a abertura;
    • Personalize a mensagem;
    • Certifique-se que a linguagem está clara e condiz com a empresa.

    Além das campanhas e e-mails estratégicos, criar uma newsletter personalizada com assuntos relevantes para os colaboradores é uma forma de manter a comunicação ativa.

    Caso a empresa seja especialista no ramo de reparação de placas eletrônicas, por exemplo, uma ideia é selecionar as notícias da semana ou do mês relacionadas ao setor e montar uma lista de curiosidades de momento para envio.

    Capacitações, informativos, comemorações internas, datas importantes de eventos da empresa e novidades da organização também podem render assuntos para a newsletter. O setor de comunicação precisa se integrar do funcionamento e do sistema de organização da empresa para construir as pautas.

    4 – Promova palestras e rodas de conversa para melhorar comunicação interna

    Como está o relacionamento interpessoal na sua empresa? Os colaboradores estão engajados no propósito da empresa?

    Esses questionamentos são muito importantes para uma gestão mais eficiente e a comunicação corporativa pode ser uma grande aliada para identificar falhas e oportunidades.

    Vamos usar as empresas de usinagem em SP como exemplo. A usinagem é um processo que visa a criação de peças de metal e outros acessórios industriais. Como em toda empresa, é possível que essa atividade cause algum índice de insalubridade.

    Por isso, realizar rodas de conversa para ouvir os colaboradores, promover palestras sobre o uso dos equipamentos de proteção individual — os EPIs e coletar feedbacks é uma maneira de manter o diálogo ativo com os colaboradores.

    Uma cultura organizacional forte auxilia na comunicação interna

    Pode ser definida pelo bem comum e reflete a essência da empresa e uma boa comunicação entre os setores só fortalece a confiança entre a empresa e os colaboradores.

    Sendo assim, os benefícios da comunicação eficiente são: melhorias no relacionamento, maior transparência, maior compreensão dos propósitos da empresa, melhora da motivação e produtividade, entre outros.

    Ouvir os colaboradores de áreas que oferecem certos riscos na atividade, como as empresas de usinagem ou mesmo uma demolidora em SP – que geralmente conta com uma equipe preparada para trabalhos de muito esforço braçal – é a chave para identificar gargalos e promover melhorias.

    5 – Realize ações de incentivo

    O setor de comunicação corporativa não precisa se limitar à pesquisas e ao envio de mensagens burocráticas.

    Comunicar é ouvir, elogiar e incentivar os colaboradores também e, dessa forma, contribuir para um ambiente mais agradável para todos.

    Ter um calendário com datas comemorativas, realizar a comemoração dos aniversariantes do mês e promover confraternizações quando as metas são alcançadas são exemplos de ações de incentivo.

    Bonificar os resultados, incentivar cursos e eventos que contribuam com o desenvolvimento profissional do colaborador e aceitar sugestões de ações também pode render ótimos resultados.

    Lembre-se que a comunicação deve ser sempre uma chave e nunca um problema. Comunicar é expressar, resolver problemas, alinhar objetivos, evitar incompreensões e simplificar processos.

    Comunicação interna na sua empresa

    Uma empresa que se comunica com seus colaboradores pode ter mais sucesso na resolução de conflitos e alcançar resultados de forma mais objetiva. A organização é feita de pessoas, portanto, se comunicar com elas entendendo suas particularidades é um desafio, mas que vale a pena.

    Um líder que sabe se comunicar e ouvir a equipe, certamente terá colaboradores mais engajados em seu time. 

    Um gestor que incentiva a criação de ideias, escuta sugestões e preza pela colaboração, pode descobrir talentos novos. Colegas de trabalho que compreendem o propósito da organização podem se ajudar na rotina diária. 

    Dessa maneira, a comunicação exerce seu papel. Agora que você chegou ao fim deste artigo e descobriu algumas dicas de como implementar a comunicação interna na sua empresa, é hora de colocar as mãos na massa.

    Por fim, alinhe a missão, os valores e o objetivo da empresa com as futuras ações, faça um planejamento e inclua mais gente nessa roda. Identificar pontos de melhoria e motivos pelos quais a comunicação é útil também é válido.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 7 dicas para otimizar o marketing do seu escritório de advocacia

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    Uma das preocupações mais comuns de um escritório de advocacia é como otimizar o marketing jurídico que produz. Afinal de contas, é necessário manter um fluxo constante de clientes para ter lucro e não sair do mercado.

    No entanto, ao mesmo tempo que há essa necessidade, também existe uma série de preocupações com o Código de Ética da OAB e também em manter a produtividade da atuação jurídica. Por isso, surge o dilema: como melhorar o marketing, sem deixar cair a produtividade?

    Para ajudar a resolver essa questão, separamos 7 ótimas dicas que otimizarão o marketing do seu escritório de advocacia. Quer saber quais são? Então siga a leitura!

    1. Aprenda sobre SEO para otimizar o marketing do seu escritório

    Atualmente, a maneira mais fácil de ser encontrado por clientes é pela Internet. Afinal, quando você precisa de um serviço, a primeira coisa que faz é procurar por alguma empresa no Google, não é mesmo? Seus clientes fazem o mesmo.

    No entanto, apenas 5% de todas as buscas feitas no Google vão até a segunda página; 95% ficam apenas na primeira. Isso dá origem a uma piada entre publicitários de que “o melhor lugar para esconder um corpo é na segunda página do Google”. Afinal,  ninguém vai lá.

    Por essa razão, é importante que o escritório de advocacia aprenda sobre SEO, que é um conjunto de técnicas que visa aprimorar o seu site para aparecer na primeira página do Google. Isso garante que seu conteúdo será exposto para as pessoas e você conseguirá mais clientes sem precisar gastar muito por isso.

    2. Use um software jurídico para melhorar o seu marketing

    Parece que a dica não tem conexão, mas tem. Usar um software jurídico pode ajudar a melhorar o seu marketing. Isso por causa de algo chamado “marketing boca a boca”.

    Cerca de 92% dos consumidores admitem que compram ou experimentam um produto que foi indicado por um amigo ou familiar. Por causa disso, é essencial conseguir que seus clientes indiquem o seu serviço para um conhecido.

    Isso só acontece, no entanto, se o cliente for muito bem atendido e ganhar o caso com você. E, para aumentar as suas chances de fazer um bom trabalho, é importante aumentar sua produtividade e eficiência. Como se faz isso? Com um software jurídico.

    Logo, o software jurídico aumenta a qualidade do seu serviço, que vai encantar o cliente e gerar recomendações. Não demorará para mais e mais clientes surgirem na porta do escritório com essa estratégia.

    3. Invista em Marketing de Conteúdo com o seu escritório

    O Código de Ética da OAB proíbe muitas coisas dentro do Marketing Jurídico. No entanto, o documento libera o uso do Marketing de Conteúdo para escritórios de advocacia. E você deve aproveitar isso.

    O Marketing de Conteúdo é uma das maneiras mais baratas e eficazes de conquistar novos clientes. Basicamente, consiste em produzir conteúdo educativo e informativo de modo a construir uma imagem de autoridade e criar uma relação de confiança com o consumidor.

    Quando ele precisar de um escritório de advocacia, lembrará do seu, que o ajudou a resolver problemas com vídeos, textos e infográficos.

    4. Faça parcerias para conseguir novos clientes na sua advocacia

    Uma das maneiras de otimizar o marketing de um escritório de advocacia é criando parcerias com outros profissionais que trabalham em segmentos diferentes. Isso permite conquistar clientes a custo baixo e ter uma estratégia mais eficaz.

    Por exemplo, suponha que o seu escritório seja especializado em Direito Tributário e só atenda empresas. É interessante fazer uma parceria com um escritório especializado em Direito Trabalhista. Assim, quando uma empresa chegar lá pedindo ajuda para resolver um problema tributário, eles indicam os seus serviços (e vice-versa).

    5. Busque reduzir custos para otimizar o marketing de advocacia

    Um dos grandes problemas do marketing para um escritório de advocacia é o seu custo. Como não dá para fazer o próprio conteúdo e outras técnicas estão proibidas pelo Código de Ética da OAB, o profissional jurídico fica sem saber o que fazer e acaba gastando muito.

    No entanto, é importante lutar para tentar reduzir os custos, mas sem perder resultados. É importante avaliar o desempenho da sua estratégia e trabalhar para que ela se torne cada vez mais eficiente.

    Por isso, analise os relatórios de desempenho e veja onde a sua estratégia está sendo mais bem sucedida e foque seus investimentos ali, cortando campanhas e ações que não dão resultados.

    6. Otimize o marketing de advocacia trabalhando com vários canais

    É importante que o escritório de advocacia pense no marketing como um organismo vivo e não como uma ciência exata que funciona de maneira linear. Aliás, é justamente o contrário: o marketing, especialmente na área do Direito, é completamente circular e fora de ordem.

    Imagine a jornada comum de um cliente. Para muita gente, ela é assim:

    • o cliente tem um problema jurídico;
    • ele abre o Google e digita “escritório de advocacia”;
    • encontra o primeiro e liga;
    • faz uma reunião e fecha negócio.

    No entanto, as coisas não são lineares assim. Essa é só a etapa final da jornada do cliente. No começo, ele nem sabe que tem um problema. Por isso, ele precisa aprender. Depois que aprende, ele pensa que não é tão sério assim.

    Então ele faz algumas pesquisas no Google e admite que, ok, ele tem um problema. Mas não precisa resolvê-lo, ou não tem como.

    Depois, andando pelo Facebook, ele dá de cara com um vídeo explicando que é possível sim resolver o problema dele com uma ação judicial. Certo, mas como escolher um advogado para esse caso? Esse é mais um problema.

    Dias depois, no Instagram, ele curte um post contando o caso de um cliente que teve um problema igual ao dele. No entanto, é só duas semanas depois, ao ler um e-mail mostrando como o escritório de advocacia resolveu alguns casos parecidos, que ele decide marcar uma reunião.

    Viu como a jornada é muito mais confusa e gera interação em diversos pontos? No nosso exemplo, a interação aconteceu por blog, Facebook, Instagram e e-mail. Por essa razão, é importante que tenha uma campanha completa, agindo em várias plataformas para conquistar clientes.

    7. Experimente coisas novas para otimizar o marketing da sua advocacia

    Às vezes, o segredo para ter um marketing mais eficaz é tentar uma estratégia nova. Faça testes e veja o que funciona e o que não funciona. Analise os resultados e tente novamente. Pesquise novas plataformas, novos canais e aprenda como eles funcionam. Quem sabe quantos clientes estão nesses lugares?

    Seguindo essas 7 dicas, você não terá problemas para otimizar o marketing do seu escritório de advocacia. Em breve, o fluxo de clientes ficará estável e você poderá crescer de maneira sustentável.

    Gostou das nossas dicas? Deixe um comentário abaixo contando qual delas você já testou e quais os resultados obtidos!