• A importância do Direito Ambiental dentro das empresas

    Por Mais Empresas  |  22/12/2017  |  Comente »

    Em um país com recursos naturais abundantes, o Direito Ambiental se faz essencial para que esses recursos sejam utilizados de forma consciente

    O direito ambiental, como o próprio nome sugere, se preocupa com as questões ambientais de cada país. Por meio de um conjunto de regras e normas jurídicas zela tanto pela fauna e flora, quanto pelas interações desses bens com a sociedade.

    No Brasil o direito ambiental é indispensável em vista da quantidade de recursos naturais disponíveis. Porém, apesar de ter leis ambientais avançadas, na prática são pouco aplicadas.

     

    Dentro das empresas

    Quando se fala em direito ambiental dentro das organizações, relaciona-se a melhoria na qualidade ambiental dos serviços, produtos e do ambiente de trabalho. Sejam essas empresas públicas ou privadas, o compromisso com o direito ambiental estabelece que sejam adotadas práticas que causem o menor dano possível a natureza. Desde a produção, até os resíduos produzidos.

    E as empresas que se relacionam mais estreitamente com as legislações ambientais, são as de produção de alimentos e construção civil. Por exemplo, para a viabilização do projeto de um condomínio, é necessário juntar toda uma documentação referente a vários aspectos da obra. Tudo para garantir a proteção dos recursos naturais cuja utilização é comum para toda a sociedade.

    Apesar de ser uma área considerada nova no meio jurídico, encontra-se em expansão. E o mercado empresarial só tem a ganhar, pois aliado a consultoria ambiental cria um trabalho multidisciplinar e participativo que auxilia as empresas a cumprirem a legislação ambiental. Dessa forma sanções penais e administrativas são evitadas e os empreendimentos não sofrem com pagamento de multas e até paralisação de suas atividades.

     

    Especialização

    A área não compõe a grade dos cursos de Direito, o que faz com que os interessados tenham que buscar uma pós-graduação. E não somente profissionais da área jurídica como advogados, promotores e procuradores podem procurar essa especialização. Pessoas que já atuam na área ambiental podem investir, como cientistas, biólogos e até engenheiros.

  • A importância da gestão financeira para sua empresa

    Por Mais Empresas  |  02/12/2017  |  Comente »

    Saiba mais sobre as principais funções da gestão financeira e as primeiras etapas que a empresa deve receber no financiamento.

    A gestão financeira é um conjunto de ações e procedimentos administrativos que envolvem o planejamento, análise e controle das atividades financeiras da empresa. O objetivo da administração financeira é melhorar os resultados apresentados pela empresa e aumentar o valor do patrimônio, gerando um lucro líquido das atividades operacionais. No entanto, é muito comum que as empresas não realizem uma gestão financeira adequada.

    Uma boa gestão financeira permite que você visualize a situação atual da empresa. As pastas apropriadas permitem a análise e colaboram com o planejamento para otimizar os resultados.

    A falta de gerenciamento financeiro adequado pode causar os seguintes problemas:

    – Não tem a informação correta sobre o saldo de caixa, o valor das ações do produto, o valor das contas a receber e contas a pagar, o volume de despesas fixas e financeiras. Isso ocorre porque o registro correto das transações não é feito;

    – Não sei se a empresa obtém lucro ou perda em suas atividades operacionais porque não está preparada a demonstração do resultado;

    – Não calcule o preço de venda corretamente, pois seus custos e despesas não são conhecidos;

    – Não responde corretamente o volume e a origem dos recibos, bem como o volume e o destino do pagamento, uma vez que não está preparado um fluxo de caixa, um controle do movimento diário da caixa;

    – Não conheço o patrimônio líquido da empresa porque o balanço não está estabelecido;

    – Não sei o quanto os sócios retiram as taxas de administração, porque não é estabelecido um valor fixo para a remuneração dos membros;

    – Não saber como administrar adequadamente o capital de giro da empresa, porque o ciclo financeiro de suas operações não é conhecido;

    – Fazer planejamento financeiro e análise da empresa, porque não há sistema de informações de gerenciamento (fluxo de caixa, demonstração de resultados e balanço patrimonial).

    Muitas empresas do setor de têxteis e vestuário começam com pessoas que trabalham ou trabalham em outras empresas da região ou que possuem habilidades e conhecimentos de produção. Isso também é verdade em outros setores da economia.

    Poucas pessoas têm experiência em gestão financeira, o que interfere nos resultados. Muitas vezes, as atividades começam modestamente e, à medida que os negócios crescem, a gestão financeira não acompanha o crescimento do negócio porque os gerentes não possuem o conhecimento necessário nesta área e estão muito envolvidos no negócio. produção.

     

    As principais funções de gestão financeira são:

    – Planejamento e Análise Financeira: análise dos resultados financeiros e planejar as ações necessárias para garantir melhorias;

    – O uso adequado de recursos financeiros: análise e negociação dos recursos financeiros necessários e a utilização dos recursos financeiros disponíveis;

    – Empréstimos e depósitos: analisar a concessão de crédito ao cliente e lidar com a recepção dos créditos concedidos;

    – Caixa: realizar os recebimentos e pagamentos, acompanhar o saldo de caixa;

    – Contas a receber e a pagar: gerenciar contas a receber relativas a vendas futuras e contas a pagar relacionadas a encaminhar compras, impostos e custos operacionais. Você sabia que existem vários softwares de conciliação bancária?  O investimento é garantido, pois reduzem tempo, dinheiro e mão-de-obra na hora de conciliar todas as informações do seu banco com as informações das empresas de cartão e outros serviços financeiros terceirizados.

     

    Os primeiras decisões que a empresa deve tomar em relação às finanças são:

    – Organizar arquivos e verificar se todos os documentos estão devidamente controlados;

    – contas do Monitor a pagar e receber, estabelecendo um fluxo de pagamentos e recebimentos;

    – Verifique o fluxo de caixa e cheques bancários;

    – Encomendar os custos e gastos com fixa e variável;

    – Definir a retirada de membros;

    – Prever vendas e fluxo de caixa;

    – Siga a evolução do patrimônio líquido da empresa, conhecer a rentabilidade e lucratividade.

    Para mais dicas e informações sobre gestão financeira e conciliação bancária acesse: http://conferecartoes.com.br/

  • Saiba Porque Sua Empresa Precisa de Um Sistema de Gestão

    Por Mahmod Issa  |  28/11/2017  |  Comente »

    O sistema de gestão se tornou um dos pilares da administração contemporânea. Conhecido como ERP, ou Enterprise Resource Planning, ele cria uma interface virtual da empresa, ajudando a garantir alto nível de controle e integrar pessoas, tecnologias e processos.

    Ainda assim, muitos empreendedores questionam o real valor da ferramenta para seus negócios. Vejamos algumas das principais vantagens de se ter um sistema de gestão e como sua empresa pode se beneficiar de cada uma delas.

    Informações Confiáveis, Disponíveis e Centralizadas

    O primeiro grande ganho auferido com o uso de sistemas de gestão está na forma pela qual ele recebe, organiza e disponibiliza as informações. Trata-se de uma ferramenta que cria um diretório estruturado com tudo o que é essencial para o controle do negócio.

    Assim, de acordo com as entradas que cada setor realiza, você tem uma fonte de consulta unificada, de fácil acesso e em tempo real. Isso permite analisar a empresa de forma ágil e objetiva, proporcionando maior segurança no processo decisório.

    Tal aspecto é válido para toda a gama de documentos e informações empresariais, como: indicadores, procedimentos operacionais, emissor de notas fiscais eletrônicas, ordens de serviço e compra, por exemplo.

    Visão Sistêmica do Negócio

    O sistema de gestão é projetado para controlar e articular sua empresa em vários níveis. Não existem informações isoladas ou fora de contexto. A ideia é que o gestor tenha uma visão completa das interfaces e conexões entre áreas e resultados, permitindo decisões assertivas.

    Não basta ter uma grande massa de dados. É preciso saber qual o impacto disso para cada parte do negócio e definir intervenções que levem em consideração todos os lados da questão.

    Como gerir o fluxo de caixa sem pensar no estoque? Como definir a demanda sem analisar a escala de pessoal? Como combinar um prazo sem conhecer a produtividade? O sistema de gestão fornece a visão holística da organização, aumentando o conhecimento e o poder de decisão de quem administra.

    Informações Analíticas

    Toda organização pode ser representada por um emaranhado de dados. Eles têm as mais diversas fontes e razões, mas só fazem sentido quando convertidos em informações e interpretados de maneira apropriada. O problema é que esse processo toma tempo e, caso não siga um padrão, pode não alcançar o resultado esperado.

    A grande vantagem do sistema de gestão nesse ponto é realizar toda a parte manual de tratamento de dados, de maneira ágil e seguindo uma metodologia única. Torna-se algo corriqueiro realizar a extração de relatórios que representem uma determinada situação na empresa.

    Os gestores ficam então munidos de diversas linhas de raciocínio para analisar o negócio e definir a rota de ação mais adequada a cada desafio com o qual precisem lidar.

    Comunicação Ágil

    Já imaginou se as discussões e as interfaces entre várias áreas e pessoas de uma mesma empresa se basearem em fontes de informação distintas? Cada um com sua planilha de Excel, recheada de dados que os setores conheçam individualmente e sem a devida troca entre as partes.

    Isso aumenta em muito o tempo para colocar todos na mesma página e ainda abre margem para que cada gestor siga uma linha de raciocínio individual. Trata-se do tipo de situação em que os processos não fluem como deveriam, uma vez que cada indivíduo age baseado em interesses setoriais, não empresariais.

    Esse é um dos principais problemas resolvidos pelo sistema de gestão. Ao criar uma fonte central, todos aqueles que têm interesse em determinado processo podem ter acesso a informações que otimizem a relação entre setores. Isso promove uma linguagem única e assertiva, integrando áreas e fluxos.

    Sistema de Gestão: A Tecnologia que Pode Mudar Seu Negócio

    Não importa qual o seu desafio empresarial, o sistema de gestão ERP certo pode ajudá-lo. Trata-se do tipo de ferramenta pensada para favorecer cada área e processo do negócio, concedendo o tipo de clareza que todo administrador precisa.

    Não se trata de uma moda de mercado ou de um item supérfluo. Os sistemas de gestão abrem as portas para uma informatização robusta da sua empresa, permitindo o tipo de agilidade e controle de quem quer sobreviver a um mercado cada vez mais competitivo.

     

  • Marketing de conteúdo, uma estratégia poderosa

    Por Mais Empresas  |  06/11/2017  |  Comente »

    O Marketing de Conteúdo é mais antigo do que se pensa. Os primeiros registros desta iniciativa datam do século XIX. Uma ação inovadora na época, do fabricante americano de equipamentos agrícolas John Deere. Em 1895, a John Deere publicou a primeira edição da revista The Furrow, cujo foco eram assuntos ligados à agricultura. O objetivo era geração de conteúdo informativo para o público rural que possuía negócios ligados à agricultura, como venda de implementos ou alugueis de equipamentos.

    Uma forma de posicionar a marca como líder em seu ramo de atividade e gerar valor ao público específico da área. A ação foi um sucesso e a revista The Furrow existe até hoje bem como a John Deere ainda é a líder no seu segmento.

    De lá para cá muita coisa mudou. Conceitualmente o Marketing de conteúdo continua o mesmo, porém as mídias mudaram radicalmente e seu alcance e velocidade idem. Tal mudança foi proporcionada pelo avanço da tecnologia da informação e pela hiper-conectividade que vivenciamos à pleno desenvolvimento em nossos dias.

    Para pessoas e organizações um deleite estratégico que se bem aproveitado torna-se um poderoso instrumento de marketing, aliás o mais poderoso instrumento de marketing que temos à nossa disposição . Uma matéria publicada neste minuto na rede tem o potencial para atingir seu público global instantaneamente, em tempo real. Porém como tudo o que traz seus grandes benefícios, também traz seus efeitos colaterais e há a necessidade de estratégias específicas para o sucesso no marketing de rede.

     

    Marketing Digital e a Exposição da Rede

    Ao participar de um Curso de Liderança verá que um de seus fundamentos é a assertividade da comunicação para o público o qual o líder se dirige. Vamos entender melhor.

    Não adianta a comunicação do líder ter alcance, porém para um público que não se sensibiliza com o que comunica. Significa que houve uma comunicação, mas não houve a interlocução ou a relevância para o público que captou esta comunicação. Ou ainda não houve feedback.

    Para uma organização é um enorme problema, pois ações de marketing corporativo demandam esforços, investimentos e tempo das organizações. E se não receberem o direcionamento adequado, não chegarão ao público que tem interesse no que a empresa faz.

    Daí concluímos que a exposição na rede é importante, mas também a exposição para o público que se interessa pelo conteúdo que está sendo exposto. Caso contrário não haverá boas possibilidades de negócio.

    A seletividade com inteligência na rede, requer a expertise de profissionais do marketing digital.

    Chegamos então à um dos fundamentos da comunicação estratégica : A comunicação ser exposta para o público que se interessa por aquilo.. Ou ainda a comunicação estrategicamente direcionada.

     

    Marketing Digital e a Relevância

    Outra questão fundamental é a relevância. Ela é uma das características importantes da comunicação e a percebemos claramente quando estamos em contato direto com o público. Em um Treinamento in Company percebemos muito bem a relevância dada à um determinado tema pela expressão direta ou indireta dos trainees, afinal estamos partilhando o mesmo ambiente e a leitura das reações é bem visível.

    Mas e na rede, quando o compartilhamento dos ambientes e o contato pessoal não é possível? A leitura da reação de quem está acessando a página de uma organização não é detectada. Como, então, perceber a relevância do que estamos expondo ao nosso público?

    Mais uma vez os prestadores de serviço que dedicam-se ao Marketing Digital tem um papel importante na estratégia empresarial de comunicação na Internet.

    Na rede existem as famosas palavras chave que representam o que cada público pesquisa sobre temas que tem uma relevância específica. Estas palavras ou expressões desenham um mapeamento de buscas que pode ser dividido por temas, ou por palavras. E indicam o que cada público tem interesse em suas pesquisas. Se tem interesse é por que são relevantes à este ou aquele público.

    Chegamos então ao segundo fundamento da Comunicação Estratégica : A Relevância do que se publica, ou se comunica

    Afinal, não é razoável que uma organização atinja o seu público com matérias ou temas que este não percebe como relevante. O resultado é que chega-se ao lugar certo, ou ao o público de interesse, mas sem relevância. Não tendo relevância, o público não irá interagir com sua matéria e não voltará à sua página.

    A busca por estas palavras chave e como posicioná-las na rede é uma das matérias primas mais importantes para um bom marketing digital. E é especialidade das empresas que dedicam-se à esta atividade.

    Fica claro que os fundamentos do marketing digital acabam por definirem-se em : Exposição ao público correto e com relevância. A chave para os bons negócios na rede.

    O segredo não é a super-exposição mas, a exposição para quem interessa para a organização, e para que tem interesse no que a organização faz.

    Um bom suporte de empresas de marketing digital é a melhor escolha na hora de se pensar em negócios na rede.

     

     

    Autor Convidado

  • Uma alternativa para quem deseja obter melhores resultados em seu negócio é a reestruturação societária, entenda

    Por Mais Empresas  |  03/10/2017  |  Comente »

    Muitas empresas do mesmo ramo não são concorrentes durante toda sua existência. Às vezes a busca por vantagens faz com que aconteça uma reestruturação societária para alcançar melhores resultados no mercado. Existem três tipos de processo para que isso ocorra, a cisão, a fusão e a incorporação.

    Os três nomes são denominados como estratégias econômicas para quem busca ingressar um novo nicho de mercado. Em certo momento surge uma necessidade de aumentar o campo de atuação mercadológico, e isso leva os empreendedores a estes tipos de reorganização societária.

    De acordo com a Lei 6.404/1976, “a cisão é a operação pela qual a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim ou já existentes, extinguindo-se a companhia cindida, se houver versão de todo o seu patrimônio, ou dividindo-se o seu capital, se parcial a cisão”. Ou seja, o processo de cisão ocorre quando uma pessoa jurídica decide dividir seu patrimônio com duas ou mais sociedades que já existem.

    Pela mesma lei, a fusão é “a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações”. O propósito aqui é o inverso da cisão, pois as sociedades se unem, formando uma nova e automaticamente extinguindo as companhias originárias, assim formando uma outra personalidade jurídica. Uma empresa que é criada a partir da fusão tem uma maior capacidade produtiva e detém de mais tecnologias, além da redução de custos.

    A incorporação “é a operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações”. As sociedades incorporadas deixam de existir, mas a empresa incorporadora passa a ser titular de todo o patrimônio da sociedade.

    As vantagens de unir um ou mais empreendimentos

    É preciso entender quais as diferenças, pois apesar de serem simples na teoria, na prática é mais complexa, dependendo do tamanho das empresas envolvidas. Existem inúmeras vantagens ao unir duas empresas para concluir um mesmo objetivo, como a diversificação maior de mercado, abrangendo não somente um único público alvo.

    E com essa união de públicos há um aumento da abrangência da marca, isso ajuda no fortalecimento do negócio, aumentando as oportunidades de conversão de vendas. E com mais vendas e mais contratações o faturamento pode dobrar e a empresa continua se desenvolvendo, assim como ocorrem as reduções de custo.

    Surgem também melhores condições de atuação, já que com a nova sociedade a empresa ganha um formato maior, com melhores perspectivas de mercado e com riscos reduzidos. Com isso as dificuldades diminuem e o crescimento é certo.

    Realize o processo da melhor forma possível, faça acordos claros, defina a contribuição de cada empresa antes da sociedade se firmar. A comunicação deve ser aberta entre todos os colaboradores, para que não haja falhas e todos fiquem cientes das decisões que serão tomadas. E antes de tudo, defina responsabilidades para cada um dos envolvidos, isso permite um gerenciamento mais adequado e maior produtividade.

    Antes de qualquer decisão é preciso buscar informações para tudo ocorra dentro da lei e sem grandes problemas, para as duas ou mais empresas que desejam formar uma nova sociedade. É preciso buscar uma consultoria especializada para o processo de constituição.

  • Investir em suplementos alimentares pode ser uma boa ideia de negócio

    Por Mais Empresas  |  27/09/2017  |  Comente »

    Segundo uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD), 54% dos lares brasileiros consomem algum tipo de suplemento, com relação aqueles que tomam como parte de uma dieta de emagrecimento 24%. A pesquisa mostra que o setor é um potencial em investimento.

    Além disso, muitas pessoas tem procurado levar uma vida mais saudável fazendo exercícios, e é quase automática a associação das atividades físicas com a suplementação. E os empreendedores já enxergaram esse nicho como uma boa oportunidade de negócio.

     

    Loja de suplementos

    Abrir uma loja especializada na comercialização de suplementos te trará uma margem de lucro  entre 40% e 100% sobre cada produto que você vender. São números bons, mas para atingi-los é essencial que você conte com fornecedores para abastecer  sua loja com produtos de qualidade a preços acessíveis. Existem várias empresas especializadas na terceirização de alimentos que podem te ajudar e muito neste momento.  

    É muito importante também você se dedicar para fidelizar seus clientes, para que eles voltem a comprar com você todos os meses, com aproximadamente 30 clientes fixos por mês, você terá um lucro de R$ 5 mil reais. Para que isso aconteça, invista em promoções e na qualidade e excelência no atendimento, além de criar meios para se comunicar, que pode ser com redes sociais ou até um site onde você atualizará com dicas de suplementação, etc.

    O que você precisa saber antes de empreender:

    Como empreendedor você deve ter em mente que terá diversas dificuldades para superar diariamente, algumas podem parecer impossíveis de serem resolvidas mas é preciso foco e persistência.

    Fique atento ao seu controle financeiro, observar em que está investindo e cortar tudo que pode estar drenando seu dinheiro, bem como gastos que podem parecer insignificantes mas que no fim do orçamento fazem toda a diferença.

    Outro ponto é a formação do time que irá te acompanhar nessa empreitada, ele deve estar alinhado aos objetivos do negócio e acreditarem tanto quanto você que dará certo. Mesmo que a equipe seja reduzida, eles devem acreditar em sua liderança para que produzam o necessário e assim a empresa terá sucesso.

    Uma dificuldade que os novos empreendedores enfrentam é a mentalidade, mudar de empregado para dono do negócio é bem difícil. A partir do momento que você cria um negócio, a responsabilidade muda completamente e não existe faculdade, curso ou outra experiência que lhe ensine como lidar com essa situação. Apenas vivendo essa realidade você terá a noção das dificuldades e como lidar com elas.

    E novamente, acreditar em seu negócio, além de passar confiança para seu time, te dará a confiança necessária para passar por cima das dificuldades. Afinal uma empresa não é somente uma boa ideia, capacitação e análises de mercado. Busque entender cada dia mais sobre o universo do empreendedorismo, estude e busque se capacitar.

  • Entenda como a iluminação comercial ajuda a atrair clientes

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    Você sabe como utilizar das luzes para atrair clientes para os produtos certos da sua loja? Vamos falar de exemplos de lâmpadas e layouts para garantir melhor visibilidade para os produtos. A luminosidade interfere nos resultados das vendas do seu negócio, o sistema de iluminação deve proporcionar conforto visual, evitando distorção nas cores e valorizando o ambiente e os produtos expostos.

     

    Elaborar um bom projeto é essencial para deixar o ambiente do seu estabelecimento comercial acolhedor e destacar o que há de melhor em produtos. A luz transmite emoções, cria atmosferas adequadas e facilita o caminho que o cliente deve percorrer. É possível também encaminhar e atrair a atenção a um ponto específico, no qual você queira evidenciar.

     

    Veja nove dicas para utilizar bem a luz no seu comércio:

    1) Evite muito brilho e altos níveis de contraste. As lojas devem ter tanto luz difusa quanto luz dirigida, além de iluminação geral funcional. Com isso, evite utilizar somente lâmpadas frias, pois elas não conseguirão valorizar os seus produtos. E tampouco encha a sua loja com lâmpadas quentes, pois quando usadas em excesso, elas tornam o lugar abafado e desconfortável aos olhos. O equilíbrio é o segredo!

    2) Cores transmitem emoções e influenciam a aceitação de um espaço: Cores quentes fazem o ambiente parecer menor e aconchegante. O cliente tende a se sentir seguro e protegido. As mais claras criam a sensação de bem-estar, sendo adequada para iluminação geral.

     

    3) Diferentes temperaturas de cor devem ser usadas de maneira consciente e equilibrada na iluminação geral e vertical. O interessante é sempre que possível combinar adequadamente luz fluorescente e incandescente, atingindo uma boa reprodução de cor.

     

    4) Há diferenças de percepção em função do sexo, idade e perfil dos consumidores. Identifique o comportamento do público alvo para atender suas necessidades e expectativas.

     

    5) As vitrines deixaram há muito tempo de ser uma mera exposição dos produtos de uma loja, a comunicação visual é de suma importância para o lojista e vai além da vitrine. Pesquisas apontam que 70% das compras são feitas pela vitrine.  Não é necessário abusar do brilho. Uma iluminação sutil deve ser o suficiente para atrair a atenção do comprador.

     

    6) As prateleiras mais baixas passam despercebidas, por isso, especial atenção a elas! Prateleiras com iluminação integrada são recomendáveis em todos os níveis.

     

    7) Dê atenção especial ao direcionamento da luz nas prateleiras.

     

    8) Em época de economia, é importante destacar que as lâmpadas compactas acabam economizando 80% de energia em relação as tradicionais incandescentes, além de vida útil até 10.000 horas. 

     

    Tenha um objetivo e planeje sua iluminação Comercial

     

    A iluminação interfere na identidade do negócio, contribuindo ou atrapalhando para alcançar a missão e metas estabelecidas pelo empreendedor para sua empresa. A escolha do esquema de iluminação deve ser feita de acordo com a sua identidade, além de ter como objetivo criar uma atmosfera que agrade o público. Isso torna um fator de diferenciação em relação a concorrência, já que a loja ganha destaque. Saiba de que forma a iluminação pode agregar valor à sua marca:

     

    • Sofisticação: a sombra é muito importante para definir a atmosfera do local. Quanto maior o contraste entre os objetos iluminados e os não iluminados, maior será a impressão de sofisticação do local. Esse tipo de iluminação é indicado para bares, lojas e restaurantes de alto poder aquisitivo.

     

    • Simplicidade e acessibilidade: os ambientes mais claros e com luminosidade uniformes transmitem a impressão de simplicidade, acessibilidade e agilidade. Ideal para negócios que atendem a um público com perfil popular.

     

    • Eficiência e produtividade: A uniformidade da iluminação também é uma boa escolha para locais onde é preciso ter produtividade. É o caso de caixas, provadores de lojas, cozinhas de restaurantes, academias de ginástica e escritórios.

     

  • Construtoras inovam em qualidade de vida, meio ambiente e relação de compra para atrair investidores

    Por Mais Empresas  |  26/09/2017  |  Comente »

    Como nova tendência de mercado, construções apresentam mais áreas de convivência, tecnologia em segurança e preservam o meio ambiente

    Com a mudança de mentalidade sobre conforto, qualidade de vida e responsabilidade ambiental, os empreendimentos imobiliários passam por uma reestruturação nos conceitos de arquitetura que visam beneficiar o morador e investidores. Com novas propostas que vão desde a economia de água e energia até reutilização e reciclagem de resíduos, os novos conjuntos habitacionais trazem maior sustentabilidade, aliada à tecnologia.

    O objetivo é convencer o consumidor que investir num imóvel que possui mais do que conforto e sofisticação. O Brasil conta com uma legislação que norteia as construções com exigências ambientais. Aliar essas características e deixar o imóvel mais próximo da realidade do clientes é o desafio atual das construtoras.

    Uma das características é a personalização do imóvel, variedade de configurações, como número de quartos e até na funcionalidade das salas e ambientes de convívio. A preocupação com a preservação da natureza também é um recurso bastante comum nas obras modernas, que garantem uma boa imagem da construtora.

    Características que facilitam a rotina de trabalho de quem investe em imóveis é uma vitrine para alavancar as vendas. Opções de construção com versatilidade para home office e versatilidade de prédios empresariais são exemplos das inovações que estão chegando ao mercado.

    Quem possui uma rotina de trabalho, busca um local que oferece conforto e tranquilidade para as horas de descanso. Quadras para práticas esportivas, piscinas e áreas de convivência estão presentes nos novos condomínios mais do que nunca. A localização também é importante. Imóveis próximos a supermercados, shoppings e lojas são sinônimo de bom investimento e valorização do imóvel.

    Tecnologia e segurança também são incluídos como fator diferencial, sem que isso interfira na estética da construção. Afinal, a moradia não precisa ter uma aparência bruta e fechada para manter a confiabilidade.

    Uma novidade é a criação dos Centros de Negócios, dentro dos condomínios. Acomodações como auditórios, cafés e salas de reunião são adaptações ao mercado cada vez mais competitivo, atendendo uma demanda de investidores versáteis que necessitam desses espaços para o trabalho.

    Relação com o investidor

    Uma das mudanças mais relevantes é na relação que as construtoras mantêm com o investidor. A propaganda chega aliada à um aporte estrutural de acompanhamento e aproximação com o cliente. Exemplos de configurações do apartamento ainda na planta são demonstrados em modelos mobiliados.

    Promoções de aquisição, como brindes de mobília e preços mais baixos com imóveis ainda na planta são comuns para ganhar a atenção do consumidor. Porém outro fator que auxilia na intenção de ganhar a confiança do investidor é a comunicação. Ela acontece entre o cliente e a construtora, sendo uma ferramenta bastante utilizada, no intuito de estreitar a relação que consolida a compra, podendo inclusive fidelizar investidores que atuam no ramo imobiliário.

    O acompanhamento pode ser feito pela internet, direto no site das construtoras e também por e-mail. Corretores trabalham com atendimento especializado por meio de redes sociais e aplicativos de mensagens, sempre disponíveis para sanar dúvidas e com farto material de marketing visual. Essas mudanças auxiliam no acompanhamento pré e pós venda. Dessa forma, as construtoras mantêm uma relação de proximidade entre investidores e empreendimentos.

  • Quais os maiores desafios do profissional de marketing?

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    O mundo vem passando por uma transformação digital, onde todos os processos estão sendo automatizados pelos computadores, softwares, aplicativos e até celulares. E poucas profissões sofreram tantas mudanças quanto a de gerente de marketing, pois seu principal foco, o cliente, foi introduzido a novos canais de comunicação desafiando os profissionais a buscarem estratégias mais eficazes de venda e de estabelecimento de relacionamento com seu cliente. E todos os setores da empresa saem ganhando quando uma estratégia de marketing é bem sucedida.  

    Por vezes, os profissionais acabam se sentindo perdidos sobre qual é o melhor caminho a seguir para ter uma melhor performance e, assim, trazer melhores resultados para a empresa. Hoje em dia, já não são importantes o número de e-mails que são enviados, mas sim o impacto que cada um deles no faturamento da empresa, e se essa é a melhor estratégia de campanha.

    Em 2016 o HubSpot publicou um estudo sobre as tendências de markerting mundial, e a maior parte dos profissionais apontou que a comprovação do retorno sobre o investimento é o maior desafio da área. Essa dificuldade vem do desconhecimento do histórico de ações da empresa e falta de planejamento, neste ponto o profissional de marketing deve trabalhar lado a lado da gestão financeira.

    Outro ponto é o foco no produto e não no cliente, segundo dados da Adobe apenas um de cada cinco profissionais de marketing enxerga que a experiência do consumidor como sua oportunidade mais valiosa. Ou seja, é mais comum que as empresas se preocupem mais em divulgar seus produtos e serviços, sem considerar a entrega de valor que está sendo feita a seus clientes.

    Dar mais importância ao cliente não significa deixar seu produto de lado, quer dizer para se tornar necessário, estar sempre a um passo à frente. Ao orientar sua estratégia ao cliente, abrirá portas para mais oportunidades de negócios.

    É importante, também, entender a importância da tecnologia neste processo. Muitas empresas ainda tratam as iniciativas e estratégias digitais como objetivos adicionais, separados do negócio principal, portanto surgirem problemas em outras áreas dentro da empresa que não estão preparadas para atuar com os modelos digitais. O digital não é uma tendência e sim, uma necessidade.

    Mas são os desafios que nos movem em busca de maior desenvolvimento e conhecimento. Como profissional de marketing dentro de uma empresa, não tenha medo de expor suas ideias nem sugerir novas ações e estratégias. Você pode enfrentar algumas resistências, mas seus resultados falarão por você.

    Principais tópicos que você deve investir para se tornar um profissional melhor:

    • Compreenda qual o seu papel dentro da empresa e o que você pode fazer para que te valorizem mais profissionalmente
    • Analise os meios pelos quais você entra em contato com seus clientes e parcerios, e veja se são eficientes
    • Feita essa análise, prepare sua equipe para que ela entenda como os seus clientes buscam informação e quando tomam a decisão de comprar um produto ou serviço
    • Incentive sua empresa a buscar engajamento em diversos canais, tanto para comunicação interna quanto externa
    • Defina um objetivo e conecte todos os produtos e soluções em torno dele
    • Não tenha medo de inovar e experimentar ações diferenciadas
    • Esteja em constante movimento, nunca pare de estudar sobre seu trabalho para se manter atualizado
  • Quando é a hora certa de inovar? Empresas há muito tempo no mercado dão exemplo

    Por Mais Empresas  |  15/09/2017  |  Comente »

    A longevidade das empresas é um tema delicado, afinal os empresários precisam estar preparados para lidar com as adversidades do mercado em que atuam, crises econômicas, concorrência e problemas de gestão. Por isso é essencial que as empresas reconheçam que o mercado sofreu mudanças, hoje está muito mais competitivo e inovar é o único meio de continuar ativo. Infelizmente o pensamento dos empresários, principalmente aqueles que comandam empresas mais antigas, ainda é um pouco atrasado. É comum que acreditem que o negócio irá prosperar sempre se continuarem a fazer o que sempre fazem, só que melhor do que os concorrentes.

    Em uma entrevista ao portal Uol o diretor-superintendente da FTD Educação, Antônio Rios, concorda que os empresários mais antigos tendem a ter certa resistência com mudanças nas estratégias de negócios. E que quando o mercado está favorável, é fácil perder a mão “Em tempos de bonança, é comum as empresas fecharem os olhos para determinadas coisas e se permitirem (gastar) mais do que deveriam. A cada crise enfrentada, a empresa renasce, e a tormenta acaba sendo um grande aprendizado” diz.

    Antônio é diretor de uma empresa centenária, a FTD Educação foi fundada em 1902 pelo Instituto Marista, e mesmo que venha fazendo basicamente a mesma coisa desde então, a empresa soube encarar as crises e a evolução do mercado de forma otimista e consciente.

    Exemplos de empresas que se mantém firmes em seu segmento há anos

    Tramontina, existe desde 1911.

    Granado, fundada em 1870

    Multicasa, nasceu em Campo Grande MS em 1978

    Inovação

    Não existe uma fórmula ou estratégia perfeita que garanta a permanência e sucesso de uma empresa no mercado, é necessário que seja feita uma análise que mostre em quais inovações a empresa deva investir, quais aspectos devem ser mudados e quais devem ser mantidos. Porém, há três pilares principais que podem ser levados em consideração, que são os clientes, concorrentes e a tecnologia. Dentro desses três aspectos a empresa deve inovar não só em produtos e serviços, mas em processos operacionais, comercialização e estrutura organizacional.