• O que é marketing de proximidade?

    Por Mais Empresas  |  12/07/2019  |  Comente »

    Marketing de Proximidade, tudo que o varejo físico precisa!

    Se você está em busca de novas soluções e estratégias para aumentar os resultados do seu negócio, o marketing de proximidade é uma grande oportunidade para você adotar dentro das suas ações de marketing.

    O marketing de proximidade vem se tornando uma grande tendência para os varejistas impactarem seus clientes e possíveis consumidores em locais físicos, e o melhor é a precisão que as novas tecnologias possibilitam para essa nova grande tendência de marketing.

    Muitas marcas e lojas com a sua adoção, acabam desenvolvendo o conceito omni-channel de uma forma muito mais eficaz, integrando os canais off-line e online.

    A Ciclo, como uma agência de e-commerce, promove esse pensamento 360º, sabendo que hoje o cliente vê um único canal, a empresa, seja onde ela estiver.

    Mas, afinal, o que é marketing de proximidade?

    O marketing de proximidade é um conceito que foi criado por conta das novas tendências que a tecnologia anda proporcionando para marcas e empresas, desenvolverem suas estratégias de venda em locais físicos, fazendo com que clientes ou prospects que estiverem “próximos” aos locais sejam impactados com seus anúncios, mensagens ou qualquer outro objetivo que relacione o consumidor com a marca em uma determinada localização física.

    Com o grande avanço tecnológico desenvolvido hoje, existe a possibilidade até de impactar um determinado consumidor com a distância de apenas 1m de um determinado objeto, loja ou etc. Já imaginou impactar um cliente, quando ele estiver próximo de uma determinada gôndola da sua loja e você disparar uma mensagem especifica para ele? Essa é a grande sacada que o marketing de proximidade trás.

    Os canais disponíveis para marketing de proximidade

    marketing de proximidade todos os canais

    Para auxiliar em suas ações, existe um aparado de ferramentas tecnológicas para ser aplicado no marketing de proximidade, os canais disponíveis são:

    • GSM: Muitas empresas utilizam através de ações de SMS Marketing. Essa tecnologia utiliza as antenas telefônicas para definir a localização dos possíveis clientes, não é tão precisa, pois utiliza uma distância em torno de 2km.
    • NFS e QRcode: Uma das primeiras ações que me deparei, quando participei de projeto relacionado a marketing de proximidade, foi a utilização dessas duas tecnologias, que são bem similares e simples. Essas tags, quando criadas, podem ser impressas em adesivos, materiais de PDV e etc, basta apenas o usuário fazer a leitura com seu smartphone para que abra a mensagem embutida nele.
    • Bluetooth Marketing e Beacons (Ibeacons): Os beacons ou Ibeacons são pequenos dispositivos que ficam posicionados em locais estratégicos da loja ou estabelecimento, e transmitem, mensagens via Bluetooth. Leia mais sobre.
    • Social Wi-fi: Utiliza a rede de conexão para interagir com os clientes dentro do estabelecimento que solicitarem o acesso a rede, isso possibilita novas formas de engajar o cliente a consumir ainda mais.
    • Indoor: Tecnologia Brasileira, desenvolvida pela Inlocomedia, trás novas possibilidades e precisão na hora de se relacionar com os clientes.

    Como fazer o marketing de proximidade?

    Você precisará de auxílio de profissionais e empresas capacitadas na utilização das tecnologias e também de estratégias eficientes para que seu investimento nesse canal não seja em vão.

    Integração off-line e online

    A melhor estratégia que você pode adotar ao utilizar ações de marketing de proximidade é a integração com os canais digitais. O que quero dizer com isso?

    Imagine você utilizar ações em sua loja física para fazer a capturar emails, através dos smartphones de seus clientes e trabalhar em conjunto com uma ação de email marketing. O importante é que você conseguirá trabalhar e medir toda a jornada de compra e pontas de contato de compra que seus clientes tiverem com sua marca.

    Fatores do por que adotar o marketing de proximidade

    • Quase 38,7% dos consumidores desejam receber ofertas relevantes nos aparelhos móveis;
    • Segundo o (eMarketer,2014), 96% das vendas ainda acontecem no mundo físico;
    • A utilização de mobile ads que utilizam a geolocalização geram um aumento de 2.5X de visitas ás lojas físicas.
    • 1,6 bilhão de pessoas usando smartphones
    • Número de Smartphones em uso no Brasil, chega a 168 milhões

    Gostou desse conteúdo ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!

  • Conheça as 3 profissões do futuro

    Por Mais Empresas  |  10/07/2019  |  Comente »

    O mercado de trabalho atual está em constante crescimento e transformação. Novas profissões e formas de trabalho surgem a todo momento, ao passo empresas priorizam cada vez mais o conforto de seus funcionários implementando políticas de horas flexíveis e a possibilidade de realização de atividades de home office.

    Há até mesmo quem acredite que o trabalho dentro de um escritório esteja com seus dias contados.

    Embora algumas previsões ainda não tenham se concretizado, o fato é que o mercado atual tem privilegiado determinados profissionais que estão sendo cada vez mais solicitados por empresas no geral. Graças a uma análise das mudanças sociais contemporâneas, já é possível identificar ao menos 3 profissões do futuro que vieram para ficar e que devem dominar o mercado nos próximos anos. Confira: 

    1) Web Designer Freelancer

    As empresas precisam se estar no meio virtual, mas ao mesmo tempo, as múltiplas plataformas de interação, como celulares, tablets e até mesmo televisões, dificultam a implementação de forma eficiente de sites na internet. Nesse contexto, a procura por web designers cresceu, pois são eles que trabalharão na criação de projetos para sites em várias plataformas.

    O grande volume de trabalho dos web designers tem possibilitado que eles atuem de forma freelancer, atendendo a diversos clientes ao mesmo tempo. Desse modo, se uma loja precisa criar um site que seja responsivo em plataformas como notebooks, smartphones e tablets, basta que seus proprietários procurem um web designer loja virtual que trabalhará no projeto de elaboração da identidade da loja no meio digital.

    2) Analista de Mídia Digital

    Como é possível notar, a internet tem um papel fundamental no crescimento do mercado atual. Por isso, a profissão de analista de mídia digital tem se tornado uma das mais procuradas por indústrias de todos os ramos.

    Esse profissional é responsável por fazer todo o atendimento digital de uma empresa. Ele analisa dados de clientes online, compara estatísticas e cria planejamentos para que uma empresa se apresente no meio virtual de forma satisfatória. O analista de mídia elabora anúncios e gerencia páginas em redes sociais, de forma a possibilitar que a empresa mantenha sempre contato com o seu público, não importa que site ou rede esse público visite.

    3) Designer de Jogos

    Atualmente, os videogames são a mídia de entretenimento mais rentável no mundo, movimentando bilhões na economia todos os anos. Graças a esse fato, o profissional de designer de jogos se tornou cada vez mais solicitado no mercado.

    Mesmo no Brasil, a atuação desse profissional cresceu e muitas empresas procuram esses profissionais para a criação de jogos interativos para seus clientes e até mesmo funcionários. 

    Isso acontece porque os jogos podem ser utilizados para a realização de treinamentos profissionais e durante processos seletivos para vagas muito requisitadas.

    A ideia é de que esses jogos estimulem a inteligência e determinem o perfil que um profissional precisa apresentar.

    De fato, os designers de jogos sempre encontram uma vaga no mercado, tamanha tem sido a aplicação dos jogos virtuais nos mais diferentes contextos, que ainda abrangem os aplicativos de celular e os jogos educativos.

  • Casa em cidade turística? Conheça os principais aspectos de valorização

    Por Mais Empresas  |  08/07/2019  |  Comente »

    Na hora de adquirir um imóvel, por se tratar de uma troca de alto valor, é muito importante encará-lo como investimento. Ainda que não seja sua intenção no presente, um dia você pode querer vender ou trocá-lo por outro. Sendo assim, o processo de escolha do imóvel deve ser avaliado com muita cautela.

    Uma vertente de investimento imobiliário que tem oferecido rentabilidade destacável frente a outros tipos de investimento é a aquisição de imóveis em cidades turísticas. A Baixada Litorânea, no estado do Rio de Janeiro, por exemplo, oferece diversas opções de casas em Rio das Ostras, em Macaé e em Cabo Frio, que garantem ganhos extras para o locatário especialmente durante a temporada de verão.

    Os fatores que tornam essas cidades atrativas quanto à aspectos de valorização imobiliária são diversos, e no post de hoje você poderá conhecer um pouco mais sobre o assunto:

    Atrativos comerciais 

    Cidades turísticas costumam destacar seus aspectos culturais através da arte, dança, e até mesmo da gastronomia. Por isso, é mais comum encontrarmos nestas cidades centros comerciais com lojas de artesanatos ou produtos industrializados que sejam relevantes para região, restaurantes com comidas típicas e espaços de realizações de eventos.

    Da mesma maneira, de modo a dar suporte para a economia local, estabelecimentos focados no setor de prestação de serviços também se instalam na região e propagam facilidades para todos ao seu redor. 

    Bairros que se localizam no entorno de centros comerciais e até mesmo shoppings centers, costumam ser mais valorizadas que outros. Isso porque estimulam a criação de emprego e melhoram a vizinhança, garantindo segurança e conforto para quem transita pela localidade.

    Além disso, promovem facilidades para quem vive na região, uma vez que as pessoas têm cada vez mais buscado se instalar em espaços que permitam realizar suas atividades cotidianas a pé, ou com pequeno deslocamento de carro.

    Logo, por oferecerem bancos, lojas, supermercados, farmácias e outros estabelecimentos de grande importância no nosso dia-a-dia, estas regiões geram maior comodidade.

    Atrativos naturais

    Com a maior preocupação das pessoas em relação a saúde e prática de exercícios físicos, ter fácil acesso à espaços naturais, como áreas verdes de parques e orlas arborizadas à beira-mar, acaba sendo um diferencial que eleva a qualidade de vida.

    Estas regiões também são capazes de tornar o ambiente ao seu redor mais agradável, uma vez que reduzem a sensação térmica e melhoram a qualidade do ar respirado. 

    Estes atrativos naturais também estão em consonância com o desejo das pessoas em viver em equilíbrio com o meio ambiente.

    Na busca por um estilo de vida mais leve, o incentivo à prática de meditação ao ar livre, piqueniques em família e contemplação da natureza se tornaram cada vez mais comuns.

    Acessibilidade

    Regiões próximas às vias de acesso rápido, que garantem uma entrada e uma saída mais facilitada da cidade, destacam-se pois permitem que o morador passe menos tempo em trânsitos e congestionamentos quando se locomove de uma cidade para outra.

    Um local com boa sinalização, ruas asfaltadas e acessos de qualidade são mais procurado no mercado e, consequentemente, se tornam mais valorizados. 

    Também é interessante procurar saber dos investimentos em obras e transporte público previstos para a região.

    Mesmo nos casos em que o morador tenha carro próprio, é comum valorizar locais com boas opções de transporte público, no caso de eventualidades.

    Potencial de Urbanização

    Regiões limítrofes à bairros populares costumam apresentar bons investimentos, uma vez que, com o aumento populacional, é em direção às margens que a cidade cresce.

    Sendo assim, na grande maioria das vezes, os imóveis destas regiões são mais baratos que em bairros consolidados, mas, com o passar dos anos e com novos investimentos, tendem a se tornar mais valorizados.

    Uma vez que a região recebe atenção do governo local, através da infraestrutura de iluminação, asfaltamento, coleta diária de lixo e linhas de ônibus, novos moradores e comerciantes são atraídos. 

    No caso de cidades turísticas, a tendência ao processo de urbanização e investimento em infraestrutura tende a ser ainda mais intensa.

    Isso porque, com o passar dos anos, devido a grande atração e recebimento de visitantes, diversas pessoas se acabam se instalando na cidade, contribuindo para o aumento da população e arrecadação de impostos através do turismo.





  • Técnicas de SEO: saiba como melhorar a performance do seu negócio

    Por Mais Empresas  |  24/06/2019  |  Comente »

    Técnicas de SEO (Search Engine Optimization, ou, em português, “otimização de mecanismos de busca”) trata-se de todos os fatores levados em consideração pelos sites de busca para rankear melhor o conteúdo do seu site.

    Por esse motivo, tais fatores são de grande importância para quem possui uma página na web, pois ela pode receber ou não mais evidência nas pesquisas feitas pelos usuários.

    Nesse sentido, as estratégias e técnicas de SEO são utilizadas por empresas para que a imagem das marcas seja mais vista dentro da internet.

    As principais técnicas de SEO para a melhoria de negócios virtuais são:

    • A otimização de conteúdos
    • Desenvolvimento de um HTML de qualidade
    • Veiculação de conteúdos interessantes
    • Criação de um layout agradável para o site
    • Utilização de uma hospedagem adequada

    Técnicas de SEO: Como otimizar os conteúdos

    Possuir um conteúdo otimizado é um passo primordial para que a visitação de um website seja maior.

    Nesse sentido, a atitude principal é que a empresa entregue ao usuário um conteúdo capaz de satisfazer todas as necessidades de quem busca por uma informação.

    Além disso, o conteúdo precisa ser original, sem plágios, visto que tal ação pode acarretar em punições por parte dos sites de buscadores.

    Em segundo lugar, a otimização de conteúdos requer que estes sejam feitos pensando nos perfis dos clientes de uma marca.

    Portanto, a empresa precisa compreender como os seus potenciais consumidores agem e como eles costumam consumir conteúdos.

    Como desenvolver um HTML bem feito

    O nome HTML significa “Hypertext Markup Language”, o qual, em português, equivale à “Linguagem de Marcação de Hipertexto”.

    Com isso, depreende-se que o HTML é o nome dado para a linguagem de computador utilizada para o desenvolvimento de websites.

    Essa linguagem possibilita que um navegador interprete as informações colocadas em HTML, para apresentar o conteúdo requisitado na página da internet.

    Portanto, um bom HTML é aquele em que a ordem dos códigos digitados constrói uma organização textual adequada, contando com significados coerentes.

    É por essa razão que o HTML se assemelha bastante com a língua que se utiliza na sociedade e em técnicas de SEO.

    Além disso, um HTML feito com qualidade possui elementos principais, tais como:

    • Cabeçalhos
    • Quebras de linha
    • Blocos
    • Ênfase em trechos dos textos
    • Links
    • Imagens

    O que é veicular conteúdos interessantes para melhorar o SEO

    Refere-se, em outras palavras, à criação de uma estratégia de marketing de conteúdo, que nada mais é do que a produção de conteúdos interessantes e valiosos por parte de uma organização.

    O objetivo é fornecer ao seu público-alvo uma imagem positiva da marca, bem como atrair as pessoas para um e-commerce específico.

    Com isso, uma empresa que pratica o marketing de conteúdo possui a capacidade de ampliar a sua rede de clientes.

    Isso decorre do fato de que, na era digital, o consumidor vem, cada vez mais, ganhando autonomia para escolher quais modalidades de conteúdos ele quer consumir.

    Por essa razão, uma empresa precisa atrair a atenção das pessoas para colocar o seu e-commerce em evidência.

    Entre os exemplos de conteúdos desenvolvidos para negócios, destacam-se os sites de decoração e design de interiores.

    Os conteúdos mais técnicos, como é o caso de artigos sobre colocação de porcelanato, de concreto polido e outros com dicas para decorar espaços, tal qual textos sobre janelas acústicas e corrimão de vidro.

    O ato de criar um layout agradável ao website

    Antes de tudo, é preciso saber que o layout trata-se do projeto visual e funcional de um website, bem como o arranjo de elementos importantes dentro do espaço disponível pelo site.

    Assim, essa técnica de SEO preza por um layout adequado e que traga uma sensação agradável ao visitante é constituído por um bom espaçamento entre os elementos.

    Como por exemplo: imagens com boa qualidade e personalizadas, itens criativos e interativos para o usuário e ferramentas úteis para a busca interna do site.

    Utilizando uma hospedagem adequada em SEO

    A hospedagem é o nome dado ao local onde o website ficará, de certa forma, armazenado.

    Por isso, é bom investir em uma hospedagem de qualidade.

    Visto que, caso contrário, o website corre riscos de ficar fora do ar durante certos períodos do dia, dificultando a tarefa de gerar um usuário fiel ser fidelizado.

    Além disso, o tempo de carregamento de uma página também atua como um fator de descontentamento do usuário, pois longas esperas pode acabar afastando as pessoas de um website.

  • Estratégias de Marketing Digital para Empresas de Telecomunicações

    Por Mais Empresas  |  19/06/2019  |  Comente »

    Confira este post que tratará as melhores estratégias de Marketing Digital para empresas de telecomunicações!

    Com o advento da internet empresas renomadas no mercado tiveram que mudar suas estratégias para não serem ultrapassadas. Hoje, quem não acredita que o comportamento de compra do cliente mudou por conta da internet, não consegue obter resultados de venda significativos.

    Não é diferente com as empresas de telecomunicações, realizar uma ótima estratégia de marketing digital é fundamental para esse tipo de empreendimento, visto que empresas de telecomunicações trabalha diretamente com comunicação.

    Por isso, preparamos um post, sem muitas delongas, que trata sobre estratégia de Marketing Digital para empresas de telecomunicações.

    Quais Estratégias de Marketing Digital São Ideais para Minha Empresa de Telecomunicação?

    Por trás de toda estratégia de Marketing Digital para empresas de telecomunicações existe um objetivo comum e prioritário: estabelecer uma relação com o cliente.

    Por mais que pareça ambíguo por se tratar de uma empresa da área de comunicação, muitas falhas advém da falta de comunicação de empresas e clientes.

    Então anote: Para obter sucesso em qualquer estratégia de Marketing Digital para empresas de telecomunicações é preciso conhecer o seu cliente e cliente em potencial e estar disponível nos principais meios de comunicação, principalmente pelo telefone.

    Inbound Marketing

    Uma das estratégias de Marketing Digital mais eficaz para empresas de telecomunicações é o Inbound Marketing, pois ele trabalha com 4 ações importantes: Atração, Conversão, Fechamento e Fidelização.

    Inbound Marketing é uma modalidade estratégica que tem como centro produzir conteúdos para determinado tipo de público na finalidade de chamar atenção dos clientes para a sua marca de forma espontânea.

    Hoje abordaremos sobre blog, e-mail marketing e links patrocinados.

    Blog

    Desenvolver um blog corporativo é proporcionar maiores chances de ser encontrado nas buscas orgânicas de um buscador, como por exemplo o Google, e através dessas pesquisas transformar os visitantes em clientes.

    Claro, não é tão simples assim. É necessário entregar um conteúdo relevante, otimizado em SEO para atingir as primeiras colocações do Google e assim receber mais visitantes, aumentar a chance de adquirir novos clientes e por aí vai.

    Links Patrocinados

    Sabe aqueles anúncios muito vistos no Google e no Facebook? Eles se chamam link patrocinados. São anúncios baseados em uma palavra-chave específica.

    Os links patrocinados aumentam muito as chances de venda do seu produto porque eles são entregues já para o seu público-alvo. E você escolhe o formato, texto, vídeo, imagem ou link.

    É outra estratégia de Marketing Digital bastante usada por empresas de telecomunicações.

    E-mail Marketing

    Outro meio de se relacionar com seus clientes e possíveis clientes é o e-mail marketing. Com o e-mail marketing é possível realizar maior interação, apresentar novos serviços e produtos, informar sobre novos post disponíveis no blog, dentre outras atividades.

    Realmente o e-mail marketing é um meio estratégico bastante flexível, e está contemplado em qualquer boa estratégia de Marketing Digital para empresas de telecomunicações.

    Existem dois desafios ao desenvolver um ótimo e-mail marketing: criar um título que atraia o usuário a abri-lo e lê-lo e desenvolver uma chamada (conhecida no marketing digital como call-to-action) para que o usuário tome uma ação.

    As informações deste post é só começo da estratégia de Marketing Digital para empresas de telecomunicações. Relembre: Conhecer seu público, produzir conteúdos relevantes para seu público a fim de ser referência no mercado, atrair novos usuários e como consequência transformá-los em clientes.

    Agora, se você tem sede em saber mais, veja outros posts do site, eles te ajudarão a se aprofundar nesse assunto que é de suma importância para compreender e colocar em prática na estratégia de comunicação de sua empresa.

  • Gestão contábil: ferramentas importantes

    Por Mais Empresas  |  14/06/2019  |  Comente »

    A gestão contábil está presente no dia a dia de qualquer empresa, mas infelizmente, apesar de existir há décadas, ainda é um assunto distante da rotina dos empresários brasileiros, que acabam não dedicando a atenção necessária ou mesmo vendo ela como uma obrigação.

    Porém a gestão contábil pode proporcionar muitos benefícios para a empresa, tanto na gestão em si, como nas finanças. Conhecê-la profundamente e, principalmente como aplicá-la na prática fazendo uso das melhores ferramentas de gestão pode ser um grande diferencial do seu negócio.

    O que é gestão contábil?

    A contabilidade é uma ferramenta de gestão que reúne informações patrimoniais e financeiras e elabora relatórios e projeções que auxiliam na tomada de decisões importantes para o negócio.

    A gestão contábil eficiente auxilia o administrador no cumprimento das obrigações tributárias para que as atividades sejam executadas sempre em conformidade com o que é exigido pela lei. Isso garante que não haja prejuízos financeiros com o pagamento de multas por perda de prazos, e até mesmo o prejuízo de imagem.

    Quais são os principais erros contábeis nas empresas?

    A legislação fiscal brasileira é bastante ampla e frequentemente é alterada ou atualizada, portanto, a empresa que não realiza a gestão contábil eficiente pode cometer erros sem perceber.

    Além disso, algumas vezes as alterações nas leis favorecem o empreendedor que, sem sabem acaba não aproveitando a redução de impostos ou a possibilidade de reenquadramento tributário.

    Hoje os principais erros contábeis cometidos pelas empresas são:

    Omissão de informações – a falta de informações ou o erro nos dados fornecidos pode gerar autuações de órgãos tributários sobre o imposto devido, que acarretam em multas e juros altos. A falta de notas fiscais, contratos, duplicadas e outros documentos atrapalha o fechamento de demonstrativos contábeis e induzem ao erro que podem prejudicar a empresa, que terá relatórios incorretos, e corre o risco de ter sua imagem abalada.

    Regime de tributação inadequado – o regime tributário é um conceito que interfere diretamente na apuração tributária empresarial. Hoje as opções são Lucro Real, Lucro Presumido e o Simples Nacional. Cada um tem suas características e pode ser mais benéfico para determinadas empresas e ruim para outras. Quando não existe atenção nessa escolha a empresa pode acabar tomando decisões equivocadas que a farão pagar cargas tributárias maiores, sem necessidade.

    Falta de planejamento tributário – esse é o principal motivo de problemas fiscais nas empresas. O planejamento tributário contribui para que a empresa conheça profundamente suas questões fiscais e consiga reduzir sua carga tributária. Ele também define a forma de cumprimento das obrigações, garantindo que sejam enviadas corretamente e dentro do prazo exigido.

    Principais ferramentas para gestão contábil eficiente

    A tecnologia hoje é uma grande aliada da contabilidade, eliminando os trabalhos repetitivos e reduzindo as chances de erros e retrabalhos. Nesse meio já existem algumas ferramentas que facilitam o dia a dia e garantem a segurança das informações:

    Sistema ERP

    Um Sistema ERP permite que todas as informações importantes da empresa sejam registradas adequadamente e se mantenham organizadas de forma a facilitar a compreensão e a análise dos dados.

    Esses softwares possuem módulos integrados que disponibilizam as informações com os setores responsáveis e permitem a geração de relatórios atualizados, sobre a situação da empresa, permitindo a criação de previsões.

    Além disso, a integração entre os módulos garante que os registros sejam feitos corretamente e que todo o processo contábil aconteça adequadamente e os prazos sejam cumpridos.

    Gestão de tempo e fluxo de tarefas

    Essas ferramentas permitem que os colaboradores da empresa sejam cadastrados e recebam as tarefas através do sistema, que também permite o acompanhamento de prazos, interação entre os participantes e compartilhamento de informações.

    Esses recursos ajudam a distribuir adequadamente as atividades e garantir que todas as informações necessárias para o desenvolvimento das tarefas seja disponibilizado de maneira eficiente.

    Conciliação contábil

    Os sistemas de conciliação contábil garantem que as informações registradas no sistema de gestão empresarial sejam compartilhadas corretamente com o escritório de contabilidade que assessora a empresa.

    Dessa forma, o próprio contador consegue as informações sem precisar que um funcionário da empresa as forneça, aumentando a produtividade e reduzindo as chances de perda de informações.

    É importante escolher um sistema que seja compatível com os softwares utilizados pelas empresas e que permita a classificação adequada dos dados registrados.

    Com essas dicas você já pode começar hoje mesmo a fazer a gestão contábil da sua empresa e garantir que não terá problemas tributários.  

  • Saiba as diferenças entre Marketplace e E-Commerce

    Por Mais Empresas  |  04/06/2019  |  Comente »

    De acordo com o IBGE, o Brasil tem mais de 150 milhões de pessoas acessaram a rede em 2018 e destes, 98% das pessoas já compraram em um site de vendas.

    Ou seja, a compra e venda de produtos e serviços pela internet já se tornou realidade no Brasil.

    De acordo com pesquisa do Instituto Ipsos, entre 2017 e 2018 foram R$ 166,2 bi de faturamento em compras na rede.

    Grande parte desse montante foi gasto em plataformas de vendas E-commerce e marketplaces.

    Duas plataformas que tem suas diferenças, inclusive no faturamento.

    Enquanto as lojas E-commerce faturaram R$ 59,9 bilhões em 2018, os marketplaces somaram R$ 73 bilhões no mesmo período, segundo a Ebit.

    Para saber de tudo sobre marketplace e e-commerce, saiba as principais diferenças entre essas plataformas de venda.

    O que é E-Commerce?

    Um e-commerce é, basicamente, um modelo de vendas pela internet em que é necessário investir na própria plataforma de venda.

    Ou seja, a empresa precisa criar seu próprio site de vendas, se responsabilizando por questões importantes como pagamentos, divulgação e segurança.

    É como se você montasse uma loja do zero e precisasse conquistar uma base de clientes, aos poucos.

    O que é Marketplace?

    Os marketplaces se tornaram a grande tendência do mercado para empreendedores que têm dúvidas em como vender mais pela internet.

    Esse tipo de plataforma funciona como shoppings virtuais, recebendo várias empresas que vendem produtos no mesmo local.

    Nessas plataformas, tudo aquilo que é necessário para o funcionamento da loja virtual como sistemas de pagamento, posicionamento nos buscadores e identidade visual já estão presentes nos marketplaces.

    Dadas as explicações do que são Marketplaces e E-commerces, veja agora as principais diferenças de cada portal de vendas:

    Despesas

    Para quem quer abrir a própria loja virtual precisa se ater a todos os custos como a escolha de um domínio, hospedagem e identidade virtual do site.

    E ainda, os donos dos E-commerces devem investir pesado em divulgação online e contratar empresas que fornecem sistemas de pagamento virtuais.

    Já os marketplaces tem custos de implementação e operação mais baixos, pois toda infraestrutura da plataforma, sistemas de segurança e pagamento já estão presentes, pagando apenas uma taxa por venda.

    Ou seja, o marketplace só irá cobrar a empresa por transação, evitando investimentos desnecessários que não geram retorno.

    Visibilidade

    A visibilidade dos E-commerces precisa ser construída lentamente, investindo em ações de divulgação para que o público conheça a marca.

    Todavia, a empresa é mais livre para divulgação dos seus produtos, podendo trabalhar a imagem da maneira que preferir.

    Além disso, quando um cliente comprar um produto na loja, ele saberá com quem fez a transação, aumentando a confiança no processo de compra.

    Por outro lado os marketplaces já tem um ótimo posicionamento nos sites de busca, com milhões de acessos por mês, ficando fácil a empresa ser encontrada pelo cliente.

    Entretanto, vendedores iniciantes podem sofrer com a enorme concorrência pelo mesmo produto.

    E além disso, sua empresa pode não ser o centro da atenções, pois o cliente tem a impressão que comprou do próprio marketplace e não do vendedor.

    Praticidade

    Devido os custos totais com divulgação e hospedagem que os e-commerces precisam arcar, provavelmente a empresa precisa de uma equipe especializada para fazer operar toda a loja.

    Mas, a empresa terá mais liberdade para desenvolver a loja virtual de acordo com as necessidades e da demanda.

    Em contrapartida os marketplaces são mais práticos, pois os vendedores não precisam se preocupar com a infraestrutura e com suporte técnico, já que todo trabalho é feito pelo próprio marketplace.

    Porém os vendedores marketplaces não tem liberdade para mudar as ferramentas e a interface da loja, sendo de total responsabilidade da plataforma.

    Tudo sobre E-Commerce e Marketplace

    O comércio eletrônico não pára de crescer no Brasil, devido ao crescimento nas vendas e no faturamento.

    Nesse mercado as vendas se dividem em E-commerces e Marketplaces.

    Com suas diferenças, cada um tem suas vantagens e desvantagens.

    No quesito despesas, os marketplaces tem grandes vantagens, pois os vendedores dessa plataforma não se preocupam com custos de identidade visual, hospedagem e divulgação.

    Ao contrário dos E-commerces, que precisam custear todos esses processos.

    Quando se fala em visibilidade os marketplaces tem ótimo posicionamento nas redes sociais, porém a concorrência pode ser ruim para pequenos vendedores.

    Já os E-commerces precisa investir em divulgação para ter posicionamento, mas tem mais liberdade na venda de produtos.

    E no quesito praticidade, os donos de E-commerces precisam investir numa equipe personalizada, sendo menos prático para gerenciar.

    Isso não ocorre com os marketplaces, que toda a operação e manutenção da loja fica responsabilizada pela própria plataforma.

    Então, ao conhecer as funcionalidades e diferenças dessas plataformas, fica mais fácil para escolher a mais adequada para seu negócio.

    Esse artigo foi escrito por Mateus Portela, redator do Soluções Industriais.

  • Saiba como utilizar o inbound marketing no seu negócio

    Por Mais Empresas  |  03/06/2019  |  Comente »

    Nos dias de hoje,  há diversas práticas de marketing digital que levam soluções para os clientes e buscam cada vez mais eficácia, como o inbound marketing.

    Trata-se de uma modalidade também nomeada de marketing de atração, pois atende a premissa de que os clientes vão até as corporações.

    Como desenvolver uma estratégia de Inbound Marketing?

    Os pilares do inbound marketing estão relacionados essencialmente com a atração, conversão e encantamento dos clientes.

    Mas para que isso seja possível, naturalmente, há algumas etapas que são cruciais para que as práticas sejam implementadas e reparadas com eficácia, tais como:

    • Determinar um objetivo;
    • Identificar o público;
    • Atrair adequadamente;
    • Fechar;
    • Organizar conteúdos e atualizações.

    A definição de um objetivo tem impacto em todos os outros passos, pois tem influência no período da ação para alcançá-lo, como cerca de um ano.

    Com isso, é sempre bom identificar o público-alvo e as pesquisas que são relacionadas devem ser sempre atualizadas, uma vez que o mercado está em constante evolução.

    Além disso, estabelecer uma persona contribui com estratégias mais precisas e para encontrar com maior facilidade o público, pois corresponde a uma representação do consumidor ideal, ou seja, um perfil semi fictício.

    Já a atração ocorre essencialmente por meio do desenvolvimento de conteúdo de qualidade, capaz de levar soluções para as pessoas e por esse motivo, é praticamente uma das principais etapas do inbound marketing.

    Por isso é recomendado que um material prazeroso de ler seja criado.

    Para a conversão do lead, que corresponde a oportunidade de negócio, é preciso dispor de ofertas atrativas, como por exemplo cartões exclusivos, e-books, e-mails, entre outras técnicas que contribuem para a jornada de compra.

    As últimas etapas são cruciais para não comprometer todo o trajeto, pois a organização e devida manutenção contribui com que os compromissos sejam atendidos, assim como o conteúdo seja devidamente atualizado.

    Por exemplo, uma empresa que atua com a produção de chapa de inox e comercialização de produtos deste material, além de atender as medidas apresentadas, também pode reiniciar o método de inbound marketing para a atração de novos visitantes, como com a venda de conexões de aço inox.

    Quais ferramentas podem ser aplicadas?

    Para que as técnicas de inbound marketing sejam implementadas, uma série de ferramentas podem ser utilizadas.

    Como um blog por exemplo, que viabiliza postagens informativas e interessantes para os consumidores em potencial.

    Além da relevância do conteúdo, é interessante que ele seja de fato atrativo para o público-alvo.

    Por esse motivo, apostar em infográficos, imagens de qualidade, vídeos, listas, curiosidades, entre outras possibilidades, pode ser ainda mais vantajoso.

    Tanto o site, quanto o blog da empresa são otimizados para promover melhor experiência para o cliente.

    Mas para alcançar uma visibilidade maior nos mecanismos de busca também é incisivo e faz parte das práticas que podem ser adotadas no inbound marketing.

    As otimizações para os buscadores correspondem às técnicas SEO (Search Engine Optimization) e são ideais para a elevação do tráfego orgânico.

    As redes sociais também são ferramentas importantes nesse cenário, especialmente ao considerar a contribuição que podem apresentar para o fortalecimento da imagem da empresa.

    Para isso, é preciso que exista muita cautela no conteúdo publicado e uma identidade visual clara.

    Além disso, é interessante aproveitar da melhor maneira possível  os espaços para interações com os usuários.

    As particularidades do Inbound para cada empresa

    Naturalmente, é necessário considerar que cada tipo de corporação apresenta suas particularidades, desde determinadas metas até o público-alvo.

    Não basta somente que ocorra o investimento em inbound marketing, é preciso que cada estratégia a ser executada conte com os recursos necessários.  

    Afinal, o público de uma empresa que comercializa esticador de cabo de aço é distinto da que presta serviço de gravação a laser, assim como a abordagem deverá ser divergente e provavelmente canais de atuação.

    É preciso que a estratégia e planejamento sejam realizados com foco na persona e de acordo com as etapas abordadas em cada tipo de negócio.

    Empresas de pequeno porte podem buscar maior competitividade, assim como as maiores podem enxergar no inbound marketing uma oportunidade de expansão.

    Por mais que existam determinadas particularidades a serem respeitadas de acordo com cada modelo de negócio.

    É importante analisar que com a aplicação adequada das práticas, há possibilidade de que o interesse do cliente cresça de maneira significativa.

    Como consequência, a fidelização é alcançada com maior agilidade e solidez.

    Diferentes soluções podem ser encontradas com eficácia e independentemente do porte ou setor de atuação, é importante sempre que a estratégia seja elaborada adequadamente.

    Caso contrário, os prejuízos podem ser severos para a empresa devido a falta de retorno ou até mesmo para a sua imagem.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 5 dicas para adotar o design thinking em sua empresa

    Por Mais Empresas  |  30/05/2019  |  Comente »

    É normal que conceitos de determinadas áreas contribuam com a elaboração de práticas favoráveis para outros setores e este é o caso do design thinking. Uma ideia com origem no design, mas que é capaz de levar soluções para qualquer área, inclusive a corporativa.

    Sua base tem relação com a possibilidade de revolucionar a forma de enfrentar desafios, em que as soluções são direcionadas para aspectos reais e não suposições.

    Para aplicar o design thinking na sua empresa, é só seguir as seguintes dicas:

    1) Aposte na flexibilidade

    A adaptabilidade é crucial para as empresas que adotam esse tipo de abordagem no dia a dia.

    Mas naturalmente, determinadas diretrizes e procedimentos não devem ser negligenciados, principalmente os que são indispensáveis para uma boa atuação da empresa.

    O ideal é observar o que pode contribuir de fato para que a empresa esteja aberta para inovações.

    2) Conheça de fato o público

    Conforme será abordado, a coleta e informações é uma etapa importante do design thinking.

    Uma dica significativa é que a empresa aposte em uma equipe engajada e de fato comprometida em realizar os estudos necessários para o levantamento de informações a respeito dos clientes, da empresa e do mercado.

    3) Colaboração como prioridade

    É importante para a produção de resultados cada vez melhores, que existam diferentes perspectivas e cooperação na procura da melhor solução e esse é um dos pilares do design thinking.

    Por esse motivo, uma organização colaborativa têm grande significado para o processo, em especial, para as discussões de ideias.

    4) Estímulo de ideias

    Se a inovação é um dos principais pontos ao se tratar do design thinking, estimular ideias entre os colaboradores é o mínimo.

    É algo fundamental no dia a dia de qualquer tipo de corporação e pode ser trabalhado de diversas formas, como por meio de reuniões, momentos de descontração ou debates.

    5) As ideias devem ser testadas

    Não basta apenas apostar na colaboração e estímulo de ideias, é possível observar se há potencial, testá-las.

    Como o auxílio de testes deve ser analisada brevemente para que não haja o comprometimento absoluto recursos financeiro.

    Desta forma,  as etapas do design thinking apresentadas prevalecem com grande importância ao longo do texto

    Entenda como funciona o design thinking em empresas

    Quando se pensa no mercado de forma geral, inclusive no comportamento dos consumidores, a exigência cresce cada vez mais.

    Por exemplo, uma empresa de construção civil que adotava determinadas estratégias em sua atuação para a venda de tijolo refratário, assim como empreendimentos de outros setores, pode comumente se deparar com resultados que precisam ser alterados, seja com ajustes ou exclusões de determinados métodos empregados.

    Por isso utilizar o  design thinking é um grande diferencial, uma vez  que o seu funcionamento conta com quatro etapas, que ganham nomenclaturas extremamente diferente das que estão neste conteúdo.

    De forma geral, os passos consistem essencialmente na detecção de onde encontrar oportunidades inovadoras, a identificação e desenvolvimento, testes e a execução. Os passos são:

    • Imersão;
    • Ideação;
    • Prototipagem;
    • Execução.

    A primeira fase consiste na aproximação do problema e por meio de diferentes pontos de vistas, na qual,  pesquisas de mercado são realizadas para alcançar informações mais sólidas para encontrar o contexto do problema.

    É uma etapa que comumente exige dados relevantes a respeito dos clientes e até mesmo da empresa.

    Todo esse material é utilizado para a próxima fase, onde ideias  a respeito da oportunidade de inovação no negócio são discutidas e público-alvo definido.

    Para compreender a aplicação da etapa seguinte, é possível citar como exemplo uma empresa que apresenta soluções para coberturas, como ferragem armada, estrutura metálica para telhado e perfil U.

    Nas etapas anteriores, basicamente, ocorreu o filtro de ideias e na prototipagem é onde tudo começa a ganhar de fato uma forma material e formal para a validação do conteúdo.

    A partir deste ponto ocorre o período de testes e em seguida, caso seja viável, a solução é implementada.

    Os benefícios do design thinking para as empresas

    Sem dúvidas, para que melhorias sejam empregadas nas empresas, o trabalho deve ser constante e em meio às diversas opções que podem ser desenvolvidas em prol de resultados mais satisfatórios.

    Dessa maneira, é preciso que os profissionais responsáveis busquem alternativas compatíveis com as necessidades do negócio.

    Com um envolvimento maior da equipe na produção como um todo pode ser alcançado e a integração é imprescindível para qualquer tipo de empresa.

    Pois assim gera oportunidades para que a perspectiva multidisciplinar alcance níveis cada vez mais altos, inclusive com a valorização do serviço realizado.

    Dessa maneira, os funcionários também podem se sentir mais motivados.

    Além das vantagens apresentadas, é válido ressaltar que por meio dessa abordagem soluções mais favoráveis podem ser identificadas e ainda mais, com valor agregado para o cliente.

    Uma vez que questões como a viabilidade e praticabilidade de determinadas ações também são averiguadas.

    No entanto, para cada caso é imprescindível que exista equilíbrio para que a corporação tenha foco adequado no consumidor enquanto sua competitividade e inovações também são trabalhadas.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Marketing para dentistas: 5 dicas indispensáveis

    Por Mais Empresas  |  29/04/2019  |  Comente »

    O marketing para dentistas é um dos que mais sofrem no mercado atualmente, porque as práticas tradicionais de divulgação como panfletagem, já não são tão eficientes como antes.

    Por este motivo, é importante começar a investir em estratégias de marketing digital para dentistas.

    A internet oferece várias possibilidades para a captação de clientes com um custo que pode ser mais acessível do que o marketing tradicional.

    Além disso, consegue alcançar um público mais segmentado.

    Conheça o Blog Minha Saúde Bucal e veja como publicar artigos informativos aos seus pacientes, tudo através da internet.

    No entanto, se você nunca investiu e não sabe como começar no marketing digital, observe abaixo algumas estratégias indispensáveis.

    5 dicas de marketing digital para dentistas

    Existem diversas estratégias de marketing que ajudam a promover o seu consultório na internet, as principais são:

    Crie um site diferenciado

    Um site bem feito hoje em dia é fundamental para qualquer negócio e não é diferente para um consultório de dentista.

    O site é importante porque ele transmite para as pessoas credibilidade, o que consequentemente ajuda a conquistar mais clientes.

    No entanto, para que o seu marketing seja eficaz é preciso que ele seja diferenciado, tanto no layout quanto no conteúdo.

    As imagens e os textos devem ser de caráter informativo para transmitir para o seu público a sensação de beleza que faz parte do seu serviço.

    Além disso, também é importante que você esteja no topo dos sites de busca como Google, Yahoo e Bing e para isso, um profissional de SEO (Search Engine Optimization) pode ajudar você.

    Esteja no Google Maps

    O marketing digital para dentistas consiste basicamente, na divulgação do consultório e dos serviços.

    E como se trata de um negócio físico, é importante que ele seja encontrado facilmente no Google Maps, pois ajuda o cliente a encontrar o seu consultório.

    Para isso, é preciso cadastrar o seu consultório no Google Meu Negócio, para adicionar sua localização no mapa.

    O Google Meu Negócio também é uma ferramenta de marketing gratuita e muito efetiva para mostrar o seu trabalho.

    Cuide das suas redes sociais

    O site e a redes sociais devem ser trabalhados em conjunto como objetivo de promover o seu consultório.

    Deve ser atualizado constantemente com conteúdos relevantes na sessão de blog, por exemplo, para não perder o posicionamento nos buscadores.

    E as redes sociais como Facebook e Instagram devem ser atualizadas com frequência para atrair mais seguidores através da sua presença virtual.

    Dessa forma, você abre uma gama maior de pessoas interessadas nos seus serviços e cria um engajamento com o público.

    Invista no retargeting (Remarketing)

    O retargeting é um tipo de rastreador que segue a pessoa que acessou o seu site e foi embora.

    Geralmente, os visitantes demoram determinado tempo para ter confiança em alguma empresa que eles visitaram na internet.

    Por este motivo, é importante investir no retargeting.

    Ele tem como objetivo apresentar anúncios relacionados à busca tanto do Google Ads quanto do Facebook Ads para as pessoas durantes meses.

    Assim, ela continua tendo contato com a empresa, que neste caso é o seu consultório.

    Através destes anúncios frequentes, as pessoas acabam confiando e virando seu cliente.

    Conheça a sua concorrência

    O marketing digital para dentistas não se baseia somente na aplicação de estratégias.

    Na internet, é preciso se destacar para ser encontrado pelos seus futuros clientes.

    E a melhor forma para isso, é observar o seu concorrente para saber o que ele está fazendo e trabalhar em cima dos erros deles.

    Ao fazer uma análise de concorrência, é possível saber quais os serviços que são ou não oferecidos.

    Desta maneira, os serviços que não são oferecidos pelo seu concorrente podem ser o destaque do seu consultório.

    Para conquistar novos clientes e ainda fidelizar os que você já tem, é importante investir em estratégias de marketing digital de maneira constante e efetiva.

    Assim, você mantém o seu consultório sempre no topo das buscas.

    No entanto, para que essas estratégias sejam eficientes, é importante contar com a ajuda de uma agência de marketing digital e profissionais de SEO.