• Aprenda a utilizar o LinkedIn para gerar engajamento em seu negócio

    Por Mais Empresas  |  10/09/2020  |  Comente »

    Atualmente, o LinkedIn é uma das redes sociais mais utilizada no universo corporativo. A rede criada em 2003 por Reid Hoffman e comprada pela Microsoft em 2016, contém cerca 675 milhões de usuários no mundo.

    Sabe-se que antigamente, muitas pessoas usavam esta ferramenta apenas para postar currículo e procurar emprego. Mas muita coisa mudou, atualmente 200 países estão presentes na plataforma.

    O Brasil é o terceiro país que mais utiliza esta plataforma – ficando atrás somente para os Estados Unidos e a Índia respectivamente. É justamente por isso que se utilizado da forma correta, se torna uma ferramenta essencial para turbinar marcas que buscam ter uma forte presença online.

    Por onde começar com o LinkedIn?

    Um dos primeiros passos a serem feitos é criar uma página para a sua empresa no LinkedIn. Mas, por quê isso é tão importante? De forma resumida, essa página será uma espécie de cartão de visita online, é ali que futuros colaboradores e até mesmo, clientes, irão conhecer um pouco mais do que você faz.

    Por exemplo, vamos supor que você possui um consultório odontológico e está precisando aumentar a sua presença na internet. Ao criar a sua página no LinkedIn, você irá conseguir criar conexões que têm foco na área da saúde.

    Essa é uma das maiores vantagens da rede. Por ser uma ferramenta voltada a assuntos profissionais e em negócios, ela pode se tornar uma forte aliada quando se trata de criar uma carreira sólida e próspera.

    Mesmo com todos esses pontos positivos, alguns usuários acabam apenas criando o seu perfil e logo em seguida, abandonam e dedicam a sua atenção para outras plataformas digitais por não terem noção por onde começar. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você ter uma página de sucesso:

    1. Capriche na parte visual

    Uma página que possui uma boa identidade visual se torna mais atrativo. Como fazer isso? Crie uma imagem personalizada para capa e para a foto de perfil – dê preferência para a logo da sua empresa. Isso com certeza irá gerar ainda mais tráfego para sua página.

    Também crie uma descrição criativa e com personalidade. Este é o momento de vender a sua empresa. Um texto de impacto e com palavras-chave atrai mais público.

    No caso do consultório de odontologia, seria interessante utilizar frases como “lente de contato dental” ou “prótese sobre implante dentário”.

    2. Atualize a sua página com periodicidade

    De acordo com o Hootsuite, um sistema norte-americano especializado em gestão de marcas na mídia social, corporações que possuem uma página atualizada no LinkedIn, possuem o dobro de visitas quando comparados a outras que estão com informações incompletas.

    Outra forma de ter uma boa página é se posicionando. Imagine que você já criou a página do seu consultório e já preencheu todas as informações necessárias. Agora é preciso fazer com que as pessoas entendam o seu trabalho.

    Você pode criar por exemplo, uma publicação sobre o avanço da tecnologia e abordar o uso do aparelho ortodôntico transparente pelas pessoas que preferem um visual mais discreto.

    3. Trace metas e objetivos

    Ao começar a se posicionar no LinkedIn, é importante ter em mente quais são os objetivos que você deseja alcançar. Através destes tópicos, você e sua equipe irão criar uma estratégia de comunicação.

    Por isso, se sinta livre para desenhar suas metas – desde que elas sejam possíveis de serem atingidas. O importante é saber para onde você quer ir e quais são os caminhos necessários.

    4. Tenha um cronograma específico para o linkedin

    Sabe aquela frase “Quem não é visto, não é lembrado”? Nas redes sociais, a relevância e engajamento são medidos dessa forma. Ter um planejamento de posts, com uma determinada frequência faz com que os seus seguidores tenham maior interesse e afinidade com a empresa.

    Além disso, busque sempre compartilhar artigos de terceiros ou até mesmo de funcionários da empresa que estejam alinhados com a cultura e posicionamento do seu negócio. Isso faz com que o seu alcance aumente significativamente.

    De acordo com o próprio LinkedIn, é preciso que, pelo menos uma vez por semana, haja publicações em seu seu feed. É importante ressaltar que precisam ser legendas estratégicas e criativas. Que usem palavras que estejam ligadas com o seu produto.

    Nesse sentido, se sou da área da saúde, não é aconselhável falar sobre o dia do aviador, mas sim, buscar falar sobre temas mais próximos aos meus, como por exemplo, clareamento consultório.

    5. Explore a ferramenta do linkedin

    Use ao máximo os recursos que o LinkedIn oferece. Não se atenha a textos comuns, pense fora da caixa. Compartilhe seus conteúdos em vídeos, eBooks, Webinars e PDFs. Faça com que a sua página seja relevante e referência para o público.

    Assim, você irá conseguir gerar o tão sonhado engajamento de qualidade para o seu endereço e turbinar o seu negócio online. Coloque essas dicas em prática e através de persistência e foco, você estará com uma audiência qualificada dentre as empresas. Não perca tempo e comece agora!

    Este conteúdo foi produzido Mayara Santos, redatora da empresa Vue Odonto

  • Diferenças e aplicações entre SEO On Page e Off Page

    Por Mais Empresas  |  01/09/2020  |  Comente »

    O SEO é uma técnica conhecido no mundo online por ajudar a ranquear sites nas melhores posições dos motores de busca.

    Atualmente, a internet é fundamental para os negócio e divulgação de conteúdos.

    Isso porque, as ferramentas disponibilizadas pelo meio digital possibilitaram que as empresas e os produtores de conteúdo conversem com os seus respectivos públicos mais facilmente.

    Entretanto, elas não eliminaram a concorrência. 

    Produzir conteúdos de qualidade ou elaborar super ofertas não garante que as pessoas irão chegarão a você.

    Isso acontece porque existem muitas pessoas fazendo o mesmo e, assim, brigando pelo topo dos motores de busca, como o Google. 

    Por isso, existem estratégias que quando aplicadas corretamente ajudam você a otimizar o seu conteúdo e alavancar o seu negócio. 

    Juntas, essas estratégias formas o SEO. 

    O que é SEO?

    SEO é a sigla para o termo em inglês Search Engine Optimization. Ela corresponde ao conjunto de técnicas que tem por objetivo melhorar a posição de sites nos buscadores.

    Essas estratégias são feitas de forma orgânica, ou seja, gratuita. Na verdade, o único preço cobrado aqui é a informação. 

    As técnicas de SEO estão divididas em dois tipos: SEO On Page e Off page.

    SEO On Page

    As técnicas de Seo on page estão ligadas à parte estrutural do site, ou seja, à otimização do seu conteúdo. 

    Como os motores de busca têm por objetivo apresentar ao usuário os resultados mais relevantes para a pesquisa feita por ele, posicionar o seu site entre as primeiras colocações implica em mostrar para os mecanismos de busca que você atende aos critérios.

    Disponibilizar conteúdos informativos de qualidade e uma boa usabilidade do seu site são algumas das formas de fazer isso. 

    Algumas outras  formas de otimizar conteúdos são:

    Title tag: 

    É o título do seu site que aparece nos resultados de busca. Ele deve dar uma prévia do que o usuário encontrará na sua página.

    É importante utilizar a palavra-chave na Title Tag. 

    Por exemplo: Se você tem uma clínica odontológica especializada em implantes e canal, opte por utilizar termos, como “clareamento dental valor” e “ implante de dente valor”, pois essas são as palavras pesquisadas por quem busca por esses assuntos. 

    Títulos e subtítulos

    Para otimizar os textos do seu site é preciso hierarquizar bem as informações para que o conteúdo fique visualmente agradável de se ler. 

    Para isso, é distribuído títulos e subtítulos ao longo do texto que serão divididos em H1,H2,H3… O título principal deve ser formatado como header 1 (H1), os subtitulos principais como header 2 (H2) e assim por diante. 

    Lembre-se de criar títulos claros e que contenham as palavras-chave principais, obedecendo a hierarquia de H1,H2,H3, etc.  

    URL

    O URL é o endereço do seu site. É ele quem vai dizer para o usuário aonde ele está e o que está vendo, só de bater o olho.

    Por isso, ele deve ser o mais agradável possível, formado com termos claros e o uso das  palavras-chave. 

    Para que você não corra o risco de ser prejudicado pela formação do seu URL, fique de olho no endereço criado automaticamente pelo seu sistema de gestão de conteúdo. 

    Nesse sentido, se a sua página estiver falando de aparelho transparente preço, verifique  se o URL dela está indicando que é esse o assunto. Nada de deixá-lo com uma série de números e letras aleatórios. Observe: 

    www.dentista.com.br/836D58g4

    O URL seguindo o SEO seria assim: 

    www.dentista.com.br/aparelho-trasnparente-preco

    Meta description

    Diz respeito àquele resumo que acompanha a Title Tag nos resultados de busca. 

    O principal objetivo é chamar a atenção do usuário em poucas palavras para escolherem o seu site, em detrimento dos demais. 

    SEO off page

    Quando se trata de estratégias de SEO muitas pessoas tendem a se concentrar apenas nas técnicas on page, quando, na verdade, as técnicas off page são tão importantes quanto. 

    O SEO off page consiste em criar links de direcionamento para o seu site em outros sites da internet.

    É dessa forma que você irá mostrar para o Google que o seu site é relevante. 

    Basicamente, quanto mais links e menções o seu site receber de outros sites relevantes e confiáveis da sua área de atuação, mais pontos ele terá com os motores de busca. 

    Ou seja, esse é um relacionamento de troca, em que você inclui links em outros sites, mas também recebe links de terceiros em seus conteúdos. 

    Os links posicionados nos site são chamados de backlinks e fazem parte de uma estratégia chamada link building. 

    Além do link building o SEO off page é formado por qualquer estratégia feita fora do site. Entre essas estratégias estão:

    Parcerias 

    Fazer parcerias com outros sites e blogs é essencial para fazer os backlinks sempre que possível.

    O ideal é que os parceiros sejam da mesma área de atuação e produzam conteúdos parecidos.  

    Comentários e menções

    Tão importante quanto os backlinks são as menções ao seu site em outros domínios.

    Essas menções podem ser feitas em posts de outros blogs ou fóruns da internet, mas sempre de forma relevante, com referências positivas que mostrem autoridade no assunto. 

    Redes sociais

    As redes sociais também são ferramentas do SEO off page.

    Por meio delas é possível monitorar o tráfego em determinada rede social, ou seja, números de compartilhamento, conversões, etc. 

    Assim, ainda usando o exemplo da clínica odontológica,  é possível produzir um conteúdo específico para o Facebook, por exemplo, sobre aparelho ortodôntico e conseguir clientes para a clínica através dele. 

    Comece a usar o SEO no seu site

    Agora que você já sabe o que é o SEO e as diferenças entre o SEO on page e off page você já pode colocar em prática as técnicas ensinadas nesse conteúdo. 

    Assim, você irá perceber uma mudança significativa nos resultados do seu site e, até, nos negócios!

    Texto produzido por Estela Lima, redatora da empresa Clínica Ideal. 

  • Qual a importância de criar um e-mail para sua empresa?

    Por Mais Empresas  |  21/08/2020  |  Comente »

    Mesmo com o crescimento exponencial das redes sociais e dos aplicativos de mensagens instantâneas, o e-mail ainda é considerado o canal de comunicação mais eficiente entre pessoas e empresas em todo o mundo.

    Atualmente, estima-se que existam mais de 4,3 bilhões de contas de e-mail e que 92% dos usuários de internet usam o recurso, sendo que 61% diariamente. 

    Além disso, 72% dos consumidores afirmam que preferem o e-mail para tratar de assuntos com as empresas.

    No entanto, é preciso separar as contas pessoais das profissionais, principalmente quando lidamos com estratégias de marketing e relacionamento com os clientes. 

    Endereços personalizados, como e-mails corporativos com o nome da marca no domínio, transmitem mais credibilidade e confiança ao público.

    Por isso, caso a sua empresa ainda não tenha um e-mail próprio, está na hora de começar a investir na estratégia.

    No artigo de hoje, saiba qual a importância de criar um e-mail para a sua empresa e as principais vantagens de um endereço eletrônico corporativo. Acompanhe a leitura!

    O que é um e-mail corporativo?

    O e-mail corporativo ou profissional é um canal de comunicação personalizado com o nome da sua empresa, que pode integrar diferentes setores ou pessoas, por exemplo:

    “atendimento@nomedasuaempresa.com.br” ou “seunome@nomedasuaempresa.com.br”.

    A partir disso, já é possível perceber a diferença desse tipo de e-mail com o convencional, geralmente hospedados nas plataformas mais populares, como o Gmail, Yahoo, Outlook, Hotmail, etc.

    Engana-se quem pensa que o e-mail corporativo só é adotado por grandes empresas. 

    Ao contrário, todo e qualquer negócio pode ter um endereço profissional. Assim, uma escola de violão, por exemplo, pode criar uma conta própria e outros e-mails para os professores.

    No ambiente profissional, ter esse tipo de conta vai além de uma opção, mas é uma maneira de transmitir credibilidade ao público.

    Pois mostra que a sua empresa está disposta a ir além do amadorismo, se importando com os detalhes da comunicação.

    Além disso, o e-mail corporativo reforça o nome da marca na mente dos clientes, colaboradores e parceiros. Ou seja, é uma estratégia de marketing e uma maneira de aumentar o reconhecimento do seu negócio.

    Quais as principais vantagens de um e-mail corporativo?

    Mas do que melhorar a credibilidade da empresa e reforçar a imagem da marca, o e-mail corporativo é uma maneira de transmitir confiança para a audiência. 

    Hoje em dia, muitas pessoas têm medo de cair em golpes na internet, que são comuns por hackers que criam contas falsas de e-mails.

    Portanto, quando a sua escola de música disponibiliza um e-mail com domínio próprio para tratar sobre aulas de violino, os interessados se sentem mais protegidos, o que é extremamente benéfico para os negócios.

    Abaixo, separamos outras vantagens do e-mail corporativo para a sua empresa. Confira!

    1 – Maior segurança de dados

    O e-mail profissional permite que a empresa acompanhe todos os dados que entram e saem do seu negócio. 

    Isso porque muitas plataformas de domínio próprio contam com sistemas de backups diários para proteção das informações, com gerenciamento em nuvem para aumentar a capacidade de armazenamento.

    Essa segurança permite acompanhar com mais assertividade a comunicação, evitando ruídos nas mensagens. 

    Por exemplo, a empresa pode consultar os dados a respeito da locação de salas para treinamento e, com isso, verificar corretamente quais clientes fizeram a requisição de aluguel.

    Além disso, o e-mail corporativo utiliza de uma criptografia de ponta para dificultar o acesso às informações e evitar o uso de dados por hackers

    O domínio também oferece a possibilidade de bloqueio de spam, entre outras mensagens suspeitas que podem infectar o sistema com vírus.

    2 – Relacionamento profissional

    Quando um usuário recebe uma cotação para restauração de fachada de um e-mail pessoal, ao invés de um endereço corporativo, a empresa transmite a ideia de amadorismo. 

    Isso se reflete na forma como o cliente enxerga o seu trabalho, o que pode ser extremamente prejudicial para os negócios.

    Fora isso, o e-mail corporativo permite o desenvolvimento de estratégias de marketing.

    Como por exemplo cadastro em newsletter, envio de contato para download de material rico, entre outras iniciativas que aumentam a geração de leads (potenciais clientes).

    Inclusive, o endereço de e-mail corporativo pode aparecer em outras peças publicitárias, como na impressão adesivo, nos cartões da empresa, entre outros.

    3 – Flexibilidade de criação de contas

    As empresas que lidam com um grande volume de dados e operam com diferentes setores têm a liberdade de usar o domínio para criar vários e-mails corporativos.

    Assim podem ser separados por ramo de atendimento ou até mesmo para cada colaborador.

    Isso torna a comunicação mais efetiva, uma vez que um cliente interessado na cotação para aluguel de espaço comercial pode falar diretamente com a equipe de vendas.

    Enquanto isso, outro consumidor interessado em mudar especificações contratuais pode entrar em contar com o suporte.

    Com isso, o atendimento torna-se mais direcionado, sendo possível resolver as requisições do público com mais facilidade. Além disso, os próprios usuários podem decidir para qual setor desejam enviar uma mensagem.

    Como criar um domínio de e-mail próprio?

    Diante de todas as vantagens apresentadas, é nítida a importância de criar um domínio personalizado de e-mail para a sua empresa. 

    No entanto, muitas pessoas têm dúvidas por onde começar, qual ferramenta escolher e quanto custa o desenvolvimento de um endereço profissional.

    Basicamente, é possível contratar um serviço de domínio de e-mail em um site de hospedagem. Caso a sua empresa já tenha uma página própria, vale a pena verificar se a plataforma oferece planos para criação de e-mails personalizados.

    De maneira geral, os planos mais básicos contam com esse recurso.

    Caso a sua empresa não tenha o interesse de criar várias contas de e-mail, o site de hospedagem pode dar conta do recado.

    E se o seu domínio de página não ofereça essa possibilidade, uma outra alternativa é contratar um plano diretamente em plataformas gratuitas de e-mail, como o Gmail. 

    Tudo irá depender dos objetivos da sua estratégia com o endereço corporativo e a quantidade de contas vinculadas que se deseja criar.

    Quanto custa ter um domínio de e-mail?

    O preço para criar um e-mail profissional pode variar muito, conforme a plataforma, a hospedagem ou o plano escolhido. 

    Para se ter qualidade, é provável que o valor seja um pouco mais dispendioso.

    Por isso, é necessário avaliar o quanto a sua empresa dispõe para investir na estratégia.

    Há opções de 20 a 30 reais mensais, bem como serviços de hospedagem gratuitos. 

    Contudo, é preciso avaliar se o e-mail tem limitações para envio de mensagens, se o nome será o mesmo da sua marca e se é acessível ao público.

    Por isso, na hora de decidir onde criar o seu domínio de e-mail, leve em consideração alguns pontos:

    • Quantos e-mails a sua empresa precisa?
    • As mensagens serão enviadas de maneira convencional?
    • Qual é a segurança do meio de hospedagem?
    • A sua empresa conta com servidores com capacidade adequada?

    Além disso, se a intenção é usar o e-mail como estratégia de marketing, é necessário ter um contato de fácil assimilação, possibilitando a leitura em inúmeras peças publicitárias, como um adesivo automotivo.

    Isso porque muitos sites gratuitos para a criação de e-mails corporativos disponibilizam nomes muito longos, que comprometem a identificação pelo público.

    Por isso, vale a pena encarar o custo de um domínio de e-mail como um investimento.

    A criação do endereço profissional melhora o relacionamento com o cliente, aumenta a credibilidade e pode ter um excelente ROI (Retorno sobre Investimento).

    Mesmo para as pequenas e médias empresas, como um empreendimento de sinalização vertical de advertência, recomenda-se procurar por uma solução inteligente de criação de conta de e-mail corporativo

    Assim, há uma melhora no alcance da marca e conquista maiores chances de vendas.

    Conclusão

    Como vimos, o e-mail ainda é a ferramenta de comunicação mais popular da internet. 

    Mesmo com o crescimento das redes sociais, aplicativos de trocas de mensagens e dos chatbots em plataformas comerciais, a troca de e-mails permanece como uma das formas mais eficientes para estabelecer um relacionamento entre usuários e empresas.

    Não é à toa que grande parte das estratégias de marketing incluem ações de e-mails.

    Como por exemplo newsletter, envio de ofertas exclusivas e respostas de inquietações dos clientes diretamente pelo endereço de correio eletrônico.

    A popularidade do e-mail justifica-se pela sua confiabilidade, sendo uma ferramenta que transmite credibilidade e profissionalismo. 

    Por isso, muito mais do que ter uma conta de e-mail, as empresas devem contar com endereços corporativos, separando seus canais pessoais e profissionais.

    Com um pouco de investimento, é possível usufruir de todos os benefícios de um e-mail corporativo.

    Além disso, você tem maior controle de dados e informações, evitando ações de hackers e pessoas mal intencionadas que podem comprometer a imagem da empresa.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Por que utilizar aplicativos de mensagens instantâneas pode gerar mais lucros para a sua empresa?

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    O envio de mensagens instantâneas tornou-se algo comum nos dias atuais.

    Com o avanço da internet e o boom das redes sociais, vários aplicativos de comunicação surgiram com o intuito de aproximar pessoas, com a possibilidade de diálogos em tempo real.

    Aliás, essa tecnologia foi vantajosa não apenas para os diálogos interpessoais, mas para as empresas também.

    Com as mensagens instantâneas é possível ter uma comunicação rápida e efetiva com os clientes, de uma maneira bastante simples.

    Para termos uma ideia, até o final de 2018, 78% dos usuários de smartphones em todo o mundo enviaram mensagens instantâneas mensalmente para outras pessoas. 

    A perspectiva é que haja um crescimento de 23% até o final de 2021.

    Ou seja, aos poucos o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) tradicional por telefone é substituído por aplicativos leves, que permitem uma comunicação dinâmica e direta entre os consumidores e as empresas.

    Inclusive, alguns e-commerces possuem uma plataforma própria para troca de mensagens instantâneas, onde os clientes podem perguntar sobre encomenda expressa, comentar alguma insatisfação ou tirar dúvidas.

    No artigo de hoje, saiba por que utilizar aplicativos de mensagens instantâneas para gerar mais lucros a sua empresa, e conheça quais são as principais ferramentas de comunicação para os negócios. Acompanhe a leitura!

    Quais são os aplicativos de mensagens instantâneas mais conhecidos?

    O desenvolvimento tecnológico disponibilizou inúmeros aplicativos de mensagens instantâneas e, a cada dia que passa, novas ferramentas surgem para atender à crescente demanda da comunicação online.

    Hoje em dia, podemos encontrar links para uma sala privativa virtual, em que é possível fazer reuniões, aulas, entrevistas em tempo real, em qualquer parte do mundo.

    Para os negócios, quais são os melhores aplicativos de mensagens? A seguir, separamos alguns deles.

    1 – WhatsApp Business

    O WhatsApp Business é uma versão aprimorada do aplicativo, com foco na troca de mensagens entre clientes e empresas. 

    A ferramenta empresarial foi a que mais cresceu no Brasil em 2019, registrando mais de 850 milhões de downloads para Android e iPhone em todo o mundo.

    A grande vantagem do WhatsApp Business é a oportunidade de separar as conversas pessoais das profissionais, algo que não era possível antes do advento da versão do aplicativo para negócios.

    Além disso, a automação do WhatsApp Business permite a automatização de mensagens para otimizar o tempo.

    Sendo possível responder leads (potenciais clientes) e consumidores com maior rapidez, mesmo fora do horário comercial.

    Contudo, o principal objetivo da ferramenta é construir um relacionamento de qualidade com o público, gerando mais vendas e tirando dúvidas acerca de um determinado assunto. 

    Dessa forma, é possível combinar especificações para a locação de espaço comercial, tirar dúvidas sobre prazos de entrega, conhecer características de um produto ou serviço, etc.

    O Whatsapp Business não é um aplicativo recomendado para quem deseja enviar mensagens promocionais ou anúncios diretos para os usuários. 

    Inclusive, o Facebook – que é responsável pelo aplicativo – reforça que poderá bloquear os negócios que estejam usando a versão Business de maneira equivocada.

    O Whatsapp Business é gratuito para empresas, sendo recomendado para negócios de pequeno ou médio porte. Também é preciso ter um número de celular diferente do pessoal. 

    No caso das grandes corporações, a versão indicada é a Enterprise.

    2 – Facebook Messenger

    O Messenger do Facebook é um dos aplicativos de mensagens instantâneas mais conhecidos em todo o mundo. 

    Muito disso deve-se à popularidade do próprio Facebook, e não demorou muito para que as empresas percebessem que era um diferencial usar o chat da plataforma para interagir com os clientes.

    O Messenger pode ser adotado por empreendimentos de qualquer ramo de negócio, desde que tenham uma fanpage no Facebook, pois o chat é integrado à página. 

    Dessa forma, todo seguidor (e não seguidores) pode enviar mensagens diretas para as empresas e receber respostas pelo mesmo canal.

    Normalmente, o Messenger é usado para dúvidas pontuais de usuários.

    Por exemplo, quando querem saber mais a respeito do valor de uma aula de violão iniciante, perguntar o endereço do estabelecimento, entre outras informações rápidas. 

    Por esse motivo, muitas empresas usam a configuração de mensagens automáticas no Messenger para responder os clientes fora do horário comercial.

    Ou até mesmo para tratar de questões recorrentes, como horário e local de funcionamento.

    Desde 2018, o Messenger também disponibiliza espaços publicitários, que podem ocupar uma parte da página inicial do aplicativo, em formato de carrossel horizontal. 

    Além disso, é possível enviar anúncios diretamente pela ferramenta, algo que não se pode fazer no WhatsApp Business.

    Por isso, o Messenger é um dos aplicativos preferidos das empresas que querem investir no estreitamento de relações com os clientes e desejam planejar estratégias de vendas por mensagens instantâneas.

    Assim como o WhatsApp Business, o Messenger é gratuito. Porém, ele abre a oportunidade de patrocínio de anúncios.

    3 – Telegram

    O Telegram é um aplicativo de troca de mensagens instantâneas, concorrente do WhatsApp. Embora não seja tão popular, a ferramenta é capaz de aprimorar a estratégia de marketing das empresas, aumentando o alcance da marca.

    Uma das maiores vantagens do Telegram é o envio de mensagens e postagens para todos os assinantes. Por isso, o aplicativo é muito usado como um canal de bate-papo em grupo.

    Desse modo, se o interesse é enviar um conteúdo a respeito de recarga de extintores, é possível transmitir a mensagem para todos os clientes cadastrados no grupo do Telegram.

    O aplicativo permite a inclusão de salas com até 200 mil membros.

    Além disso, o Telegram tem o seu armazenamento em nuvem.

    O que significa que é possível acessar o aplicativo em qualquer dispositivo (celular, tablet ou computador), pois as mensagens permanecem sincronizadas.

    Outro ponto positivo da ferramenta é a sua segurança. O Telegram conta com um recurso de chat secreto, que autodestroem as mensagens após determinado tempo, requisitando uma senha para a abertura do aplicativo.

    Para uma empresa de motoboy para delivery, o Telegram é uma opção bastante viável.

    Já que ele permite apagar dados pessoais dos clientes, como o endereço.

    O Telegram é gratuito, sendo uma alternativa muito vantajosa para as empresas que desejam enviar conteúdo em massa.

    Como escolher o aplicativo de mensagens instantâneas certo para a sua empresa?

    Não há uma resposta certa para essa pergunta.

    A verdade é que a escolha do aplicativo de mensagens instantâneas irá depender diretamente do objetivo da sua empresa, bem como a finalidade da comunicação com os clientes.

    Por exemplo, se a intenção é tratar de especificações para envio de uma mercadoria por entrega rápidas, talvez o WhatsApp Business seja a melhor opção.

    Já que o diálogo é mais próximo, simples e rápido.

    Contudo, é preciso ter cuidado, pois a mínima desatenção com o envio de um anúncio pode significar o bloqueio da sua conta pelo próprio aplicativo. 

    Sendo assim, o compartilhamento de propagandas pode ser melhor através do Facebook Messenger.

    Portanto, para tomar essa decisão, vale a pena verificar alguns pontos:

    • Seus clientes costumam usar quais aplicativos?
    • Sobre o quê desejo conversar?
    • Qual o intuito e o interesse da mensagem?
    • Quanto a minha empresa terá que investir?
    • Tenho recursos para responder com rapidez os clientes?

    Ao refletir sobre esses questionamentos, fica mais fácil escolher o aplicativo de mensagens instantâneas. Não se pode esquecer também que algumas plataformas, como as de delivery, contam com canais próprios para comunicação com o cliente. 

    Assim, o consumidor pode perguntar diretamente sobre o serviço motoboy que está com o pedido.

    Vale dizer que a agilidade da comunicação e troca de conteúdo instantâneos depende muito dos recursos técnicos disponíveis. 

    Portanto, caso a sua empresa não tenha um canal de banda larga adequado, é possível que se tenha falhas na troca de mensagens.

    Por conta disso, é importante que a empresa verifique se dispõe de equipamento técnico suficiente.

    Em especial de internet, para empregar aplicativos de mensagens instantâneas com eficiência, para não comprometer a comunicação com os clientes.

    Conclusão

    A substituição das linhas telefônicas por aplicativos de mensagens instantâneas já é uma realidade em todo o mundo. 

    É notável o crescimento da comunicação virtual e, a cada dia que passa, mais pessoas preferem enviar perguntas diretamente pelo Facebook, WhatsApp ou fazer parte de um grupo do Telegram.

    Muito disso deve-se à praticidade das plataformas, além da facilidade de digitar um pedido, ao invés de passar longos minutos no telefone e, muitas vezes, não ter o seu problema solucionado pelo SAC.

    Por esse motivo, as empresas buscam alternativas de comunicação, buscando alinhar um diálogo efetivo com estratégias de marketing digital, para conquistar mais leads e fidelizar os clientes.

    Contudo, vale a pena ter atenção na escolha certa do aplicativo.

    Leve em conta os objetivos da empresa, os recursos técnicos disponíveis e quais os canais preferidos dos consumidores.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Como o mercado de e-commerce se comporta diante da pandemia?

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    O e-commerce, ou como também é conhecido, comércio eletrônico, cresceu na pandemia. É uma modalidade de mercado onde as vendas e os pagamentos são feitos pela internet, por meio de dispositivos como celulares, tablets e computadores.

    Apesar de parecer óbvia, nem sempre a definição de e-commerce está clara para os empreendedores de negócios que atuam no meio físico há um tempo. 

    Por exemplo, para eles, é difícil distinguir a diferença entre e-commerce e loja virtual.

    Na loja virtual, o consumidor pode retirar o produto na loja física. Já no e-commerce, toda a transação é feita pela internet, sendo que o cliente vai receber sua mercadoria em casa.

    No entanto, estamos diante de um momento um tanto fora do padrão com a crise do novo coronavírus, que como consequência levou ao crescimento das plataformas de vendas para os comércios.

    Esta facilidade tem ganhado progressivamente mais adeptos, uma vez que se transformou no único meio seguro de continuar comprando, sem colocar em risco a saúde do consumidor.

    Só que é preciso entender essa nova realidade e seu desenvolvimento, prever como essa modalidade vai se comportar após a pandemia e as razões pelas quais os proprietários de negócios devem investir no e-commerce. Continue a leitura!

    O e-commerce continuará crescendo depois da pandemia?

    Antes de falarmos sobre o futuro, é necessário entender a situação das vendas on-line agora e de que maneira elas cresceram nos últimos anos.

    Desde 2018, as plataformas e-commerce vêm crescendo consideravelmente, segundo um levantamento feito pela Nielsen.

    O crescimento foi de 12% em 2018, seguido de mais 12% em 2019, movimentando bilhões de reais.

    Isso aconteceu em todos os setores, movimentando empresas de motoboy delivery e muitos outros seguimentos. 

    No entanto, com a chegada da pandemia, os hábitos dos consumidores se transformaram e o isolamento social obrigou as pessoas a consumirem mais pela internet.

    Para se ter uma ideia de tal evolução, segundo uma pesquisa do Compre & Confie, o e-commerce cresceu 71% no primeiro semestre de 2020 e a tendência é que continue em alta durante todo o ano, assim como nos meses que se seguirão.

    Como será o comércio após a pandemia?

    Os hábitos de consumo e a maneira como as pessoas compram produtos e serviços nunca mais serão os mesmos após essa crise na saúde.

    Isso será ainda mais sentido no Brasil, onde os efeitos da pandemia foram (e continuam sendo) muito grandes.

    Mesmo quando a rotina voltar normalmente, com as pessoas trabalhando fora e podendo frequentar os lugares de antes, a maneira como compramos sofreu alterações permanentes.

    O e-commerce, como já vimos, cresceu muito e também evoluiu para que fosse possível atender às necessidades de todas as pessoas, seja na hora de comprar alimentos ou contratar serviços de frete de moto.

    Para se ter uma ideia de sua rápida evolução, quando o vírus se espalhou, as plataformas de vendas on-line ainda tinham algumas limitações, mas agora não mais. 

    Isso porque essa modalidade nunca se fez tão necessária quanto agora.

    Por conta disso, muitos lojistas se sentiram obrigados a digitalizar seus negócios e investir em dispositivos e lojas virtuais.

    Também precisaram rever suas políticas de entrega, atendimento e outros processos, para transformar suas lojas no que há de melhor quando o assunto é e-commerce

    Isso inclui diversos setores, tais como:
    • Restaurantes;
    • Lojas diversas;
    • Serviços;
    • Supermercados;
    • Entre outros.

    A tendência é que, mesmo após a crise, as vendas pela internet continuem crescendo, portanto, é necessário que todo negócio pense em como fazer entrega rápidas e oferecer os melhores serviços para os consumidores.

    Isso porque já era previsto que esse tipo de venda crescesse naturalmente com o passar do tempo, uma vez que as pessoas estão cada vez mais conectadas.

    Olhando todo o histórico dos últimos meses de pandemia

    Podemos observar que as vendas on-line sofreram uma queda no início da pandemia em todo o país. 

    Isso porque a situação era nova e inusitada, e tanto as pessoas quanto o mercado e o governo não sabiam como agir, e com o passar do tempo, tanto os empresários quanto os consumidores foram se adequando. 

    No entanto, o crescimento do e-commerce se deve a diversos fatores.

    O principal deles é o fato de que as pessoas foram obrigadas a se adaptarem a essa nova realidade.

    No entanto, ao longo do tempo, é natural que isso se torne um hábito, principalmente porque há um vasto crescimento na disposição de produtos e serviços pela internet, inclusive de assuntos bancários.

    Além disso, seja na hora de comprar sacola de tecido personalizada ou qualquer outro produto, os hábitos de consumo são muito voláteis, e cabe ao e-commerce se adaptar aos hábitos de consumo das pessoas.

    Um exemplo disso é o fato de as lojas físicas terem de se ajustar aos hábitos de seus consumidores.

    Ou seja, se o e-commerce não priorizar seus clientes para um futuro que começou com a crise, a tendência é que ele fique para trás.

    Isso porque, as pessoas já perceberam que na internet elas têm um espaço infinito de lojas nacionais e internacionais, e que podem encontrar absolutamente tudo o que precisam.

    Essas facilidades, unidas à necessidade de segurança durante o isolamento social, aumentaram as compras pela internet, mas a concorrência também cresceu.

    A tendência é que isso continue acontecendo no período pós-pandemia.

    Portanto, os hábitos de consumo depois da pandemia não serão mais os mesmos

    Pois muito antes da crise já era possível notar um grande aumento em encomenda expressa, por exemplo.  

    Além disso, é importante se adaptar à nova realidade do dia a dia das pessoas.

    Por exemplo, uma loja virtual voltada para materiais de escritório pode focar suas vendas em materiais para home office.

    Outra tendência para o pós-pandemia é o aumento na pesquisa por voz, que já vem acontecendo há um tempo.

    Além disso, mais do que procurar por produtos e serviços, as pessoas estarão mais adeptas ao “faça você mesmo”.

    Ou seja, mais do que oferecer promoções e anúncios focados em seus produtos, as plataformas e-commerce precisam se voltar para a promoção de conteúdos que agreguem valor ao dia a dia das pessoas.

    Essa, inclusive, é uma das principais tendências pós-pandemia, que não vai só aumentar as vendas e-commerce, como também ajudar as marcas a se relacionarem melhor com seu público-alvo.

    Por que investir no e-commerce?

    Além de já ser um mercado bem estabilizado no presente e com boas perspectivas para o futuro, investir numa plataforma e-commerce traz outras razões para os negócios, tais como:

    1 – Vendas 24 horas por dia

    Ao contrário das lojas físicas, que têm horário para funcionar, uma empresa de cartão de visita moderno pela internet pode vender durante o dia inteiro, nos sete dias da semana, incluindo finais de semana e feriados.

    Para isso, não será necessário arcar com custos extras, como funcionários e estrutura física para funcionamento.

    2 – Sem limitações geográficas

    As plataformas e-commerce não têm limites geográficos, portanto, é possível vender para todo o país, inclusive para o exterior.

    Para isso, basta usar algumas ferramentas de pagamento global, que possuem versões gratuitas disponíveis.

    3 – Gastos reduzidos

    Antigamente, quando essa modalidade ainda era novidade, investir nas vendas pela internet podia ser muito caro.

    Mas hoje, com a popularização da internet e da tecnologia, ficou muito mais vantajoso investir nas vendas on-line.

    Para quem já atua no espaço físico vendendo embalagens papel ou qualquer outro produto ou serviço fica ainda mais fácil, uma vez que é possível unir os dois recursos quando a crise da pandemia passar.

    4 – Melhor acompanhamento do negócio

    Qualquer empresa precisa de um administrador que acompanhe de perto o negócio, necessitando ter acesso rápido às informações que fazem parte dele.

    O e-commerce possui ferramentas informatizadas que registram todas as suas informações, tais como:

    • Vendas;
    • Estoque;
    • Contas a pagar e receber;
    • Pedidos;
    • Lucros.

    Dessa forma, fica mais fácil gerenciar um negócio on-line do que físico, melhorando seus serviços e processos e conquistando mais vendas.

    5 – Igualdade de oportunidade

    É muito mais difícil competir no mercado tradicional do que no on-line, independentemente de qual nicho a empresa atue.

    Por exemplo, uma nova fabricante de sinalização horizontal de cor vermelha vai ter muito mais espaço na internet logo de cara. 

    Inclusive, ela consegue montar uma loja virtual tão atraente quanto à loja física de uma concorrente há mais tempo no mercado.

    As campanhas de marketing digital também são mais baratas, o que leva oportunidades iguais para todos.

    Conclusão

    O e-commerce já é uma realidade na vida dos consumidores antes, durante e depois da pandemia.

    Cabe aos negócios se adaptarem a essa nova demanda e possibilitar que seus consumidores tenham acesso ao que vendem pela internet.

    Mais do que fazer bons negócios, ter um comércio virtual é acompanhar uma tendência que vai crescer cada vez mais, pois traz mais vantagens para quem compra e para que vende.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Seu site tem as ferramentas certas para conseguir gerar mais valor para sua empresa?

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    Ter um site vai muito além de possuir um endereço na web é necessário torná-lo funcional. O que quer dizer que vários elementos, em especial as ferramentas ou Widgets que ele oferece. 

    Para facilitar a vida dos negócios, surgiram os widgets, que podem ser utilizados para uma série de demandas, seja para melhorar o contato ou conduzir ações tomadas por parte dos clientes. 

    Dessa forma, uma empresa que trabalha com paisagismo fachada consegue ter resultados cada vez mais surpreendentes no seu site, podendo obter o retorno desejado dentro da sua página na internet. 

    Há diversas possibilidades nesse cenário, mas você precisa entender quais dessas ferramentas podem ser relevantes para o seu público. 

    Os widgets podem ser utilizados dentro de site, blogs, e até mesmo nas redes sociais, para tornar as plataformas mais dinâmica e interessante para os usuários. 

    Por isso, se você quer implementar um chatbot na sua página, ou até mesmo criar um formulário onde o visitante possa enviar uma mensagem facilmente para a sua empresa, utilizar um widget é a melhor maneira para solucionar essa necessidade. 

    Dessa forma, para entender as principais perguntas e resposta a respeito do assunto, siga na leitura deste conteúdo e saiba os motivos pelos quais ter essas ferramentas presentes no site da sua empresa pode gerar mais valor para a sua marca.

    O que é um widget?

    Assim como um totem informativo pode ser um recurso essencial para promover ou auxiliar o seu negócio, ter um widget presente no seu site é um recurso indispensável para conquistar os seus clientes. 

    Mas afinal, o que é um widget?

    Trata-se de um recurso responsável por simplificar a usabilidade de uma página, tornando o acesso mais simples a diferentes recursos e funcionalidades. 

    As finalidades que os Widgets podem ter:

    • Reservas de horários;
    • Chatbots ou bate-papo;
    • Formulários de contato;
    • Atualização de redes sociais;
    • Comentários;
    • Botões de compartilhamento.

    Uma empresa de coleta de entulho de obra, por exemplo, pode disponibilizar um widget para marcação de horário de retirada de material, onde o cliente tem maior facilidade para programar o serviço diretamente pelo site. 

    Outra ferramenta cada vez mais indispensável para os estabelecimentos são os chatbots, eles também permitem um relacionamento mais rápido com os compradores. 

    Há ainda os formulários de cadastro ou de contato.

    Nos quais os visitantes da página podem se inscrever para obter benefícios, para enviar mensagens para tirar dúvidas ou fazer solicitações. 

    Outros widgets podem ser bastante funcionais, como os que mostram as atualizações das redes sociais, os comentários das páginas e compartilhamento de conteúdos. 

    Por esses motivos, eles se tornam cada vez mais importantes para a plataforma de uma empresa.

    Lembre-se que devem ser utilizados para facilitar a usabilidade e garantir maior valor na experiência do usuário dentro da sua plataforma. 

    Os Widgets mais utilizados: 

    Levando em consideração as principais tendências no que diz respeito ao relacionamento com o cliente, ou marketing, é comum encontrar alguns tipos de widgets entre os preferidos de qualquer empresa. 

    Assim, para quem quer aumentar a visibilidade da empresa na internet, os botões de compartilhamento de conteúdos para as redes sociais se tornaram praticamente obrigatórios.

    Um estabelecimento que trabalha com sinalização vertical de indicação, por exemplo, pode utilizar desse widget para comunicar ao seu público sobre as atualizações legais do seu ramo e permitir a divulgação orgânica do seu conteúdo.

    Os comentários realizados nas postagens de um site se tornaram widgets importantes até mesmo para um bom posicionamento da página nos buscadores.

    O que faz com que os visitantes encontrem boas referências ali, além de poderem interagir nesse campo do site.

    Vale ressaltar que os formulários de contato e de cadastro podem ser imprescindíveis para qualquer empresa que deseja coletar leads e aumentar a sua lista de contatos.

    Assim fica mais fácil o envio de campanhas de marketing ou promocionais. 

    Qual widget é mais adequado para a minha empresa? 

    Vai depender do segmento em que se atua, o widget ideal para o seu site pode variar conforme a funcionalidade dele.

    Empresas do segmento de hotelaria, agências de viagens, restaurantes, clínicas médicas e outros estabelecimentos, que dependem de uma agenda para realizar os seus serviços, podem utilizar um widget de reservas com maior sucesso para a sua página. 

    Afinal, com poucos cliques, o cliente consegue programar um serviço facilmente, podendo desfrutar dele de modo mais dinâmico e integrado. 

    Da mesma forma, uma gráfica com alta demanda de encomendas e produção de folder criativo pode apostar no uso de chatbots para automatizar o seu atendimento, respondendo rapidamente perguntas comuns dos seus usuários. 

    Leve em conta as principais ações dentro da plataforma que podem ser automatizadas e disponibilizadas de maneira prática no seu site. 

    Qual a tendência para essas ferramentas? 

    Em um mundo cada vez mais globalizado, é essencial que as empresas utilizem a tecnologia a favor do seu negócio.

    Quer crescer de modo cada vez mais rápido? Disponha de recursos modernos e viáveis. 

    Nesse sentido, o uso de widgets oferecem mais comodidade aos clientes, ao mesmo tempo em que promovem maior facilidade para o dia a dia da empresa.

    Por isso, é essencial levar em consideração que a tecnologia e a experiência que o cliente terá na sua página.

    Tudo isso influenciará na preferência do público no momento de encomendar uma pasta catálogo personalizada, por exemplo, já que o comprador poderá utilizar as ferramentas do seu site para fazer o pedido online, diretamente do celular ou do computador. 

    Sendo assim, tornar os widgets compatíveis com dispositivo móvel é essencial para garantir que mais pessoas possam acessar a sua página.

    Os widgets ainda devem evoluir mais?

    Mesmo que os widgets tenham tido grande relevância e destaque há pouco tempo, isso não quer dizer que eles não estão em constante evolução.

    Ao contrário do que se imagina, uma empresa especializada em disk entulho pode estar descobrindo esses recursos apenas agora.

    o que faz com que o site da empresa esteja sendo atualizado para otimizar a experiência do cliente na página.

    Do mesmo modo, ao se pensar que a tecnologia está sempre em evolução, trazendo novidades que facilitam cada vez mais a rotina de diferentes tipos de negócios online, os widgets ainda podem desenvolver-se de maneira interessante. 

    Quanto mais se proporciona recursos simples e dinâmicos, seja para o pagamento de uma compra de porta etiqueta acrílico, seja para o envio de um e-mail para o suporte ao cliente, mais a empresa se torna uma referência no mercado. 

    Afinal, as pessoas querem desfrutar de ferramentas que tornem o seu dia a dia cada vez mais integrado e acessível.

    O que inclui, necessariamente, o investimento em widgets e outros mecanismos no site de uma empresa. 

    Por que utilizar widgets no seu site?

    Depois de entender melhor sobre o uso de widgets no seu site, é essencial saber os motivos pelos quais vale a pena apostar nessas ferramentas. 

    1. Facilitar o acesso a diferentes serviços

    Os widgets são fundamentais para facilitar o acesso dos clientes aos serviços oferecidos pelo seu negócio, independentemente de qual for a área. 

    Dessa forma, eles se tornam indispensáveis para otimizar os recursos encontrados no seu site e tornar a página ainda mais atrativa. 

    2. Melhorar a comunicação com o público

    O que gera reconhecimento dos clientes em relação à preocupação de uma marca com quem deseja adquirir os seus produtos ou serviços.

    Isso inclui desde o cuidado em oferecer um suporte 24 horas via chatbot, até disponibilizar um campo para o envio de mensagens em diferentes áreas do seu site.

    3. Tornar o acesso imediato a informações recentes

    Outro benefício importante do uso de widgets é tornar o acesso a informações da sua empresa mais acessível e imediato.

    Permitindo assim a divulgação de novidades por meio de ferramentas práticas dentro do seu site. 

    De fato, os widgets são as ferramentas certas para que você possa gerar maior valor para o seu negócio.

    Desse modo, utilizá-los pode ser uma forma prática de potencializar o seu site e conquistar a fidelidade do público que acessa a sua página na internet.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • Os jogos online são legais na América Latina?

    Por kenaum  |  15/08/2020  |  Comente »

    O status legal e os regulamentos do jogo online na América Latina são diferentes em cada país da região. Nem todos os países aplicam a mesma legislação no domínio dos jogos virtuais. A indústria de jogos on-line adquiriu grande importância e popularidade no México, esta particularidade gerou um grande impulso nas regulamentações e a criação de uma legislação que regulamente a atividade no país.

    A entidade encarregada de velar pelo cumprimento dos requisitos, e a normativa estabelecida para estes sites online é a Direção Geral de Jogos e Sorteios. No Brasil os consumidores apostam seguro com operadoras internacionais, mas é importante acessar a um site com licença e boa reputação que apoie o usuário e seu investimento. É aconselhável ler comentários e opiniões de outros usuários antes de confirmar o registro.

    Em relação ao gigante latino-americano foram adiantados vários projetos para a regulação de jogos e apostas esportivas online, no seio governamental estão sendo discutidas ideias entre os legisladores que visam legalizar a indústria no Brasil.

    O governo de Bolsonaro tem em discussão projetos de lei que farão parte da agenda parlamentar a partir de 10 de dezembro. A proposta busca a legalização dos cassinos resorts e o jogo online no Brasil, com um processo de licitação, pelo que nos próximos meses serão conhecidos os resultados para ter certeza do rumo que terão as apostas legais no Brasil.

    As operadoras de jogos internacionais têm especial interesse no Brasil para aproveitar o mercado potencial. A nação carioca chama poderosamente a atenção por suas condições particulares como o desenvolvimento turístico, número de habitantes, e o auge dos esportes no país, aditivos preponderantes para explorar a indústria de jogos online.


    Cada província da Argentina se encarrega, de forma autônoma, da legalização dos cassinos online. Uma das vantagens desta forma de legislação é que os possíveis apostadores têm garantia e proteção dos organismos provinciais. Os jogadores argentinos devem escolher preferencialmente casinos licenciados, o que significa que eles operam legalmente.

    Por sua vez, o parlamento uruguaio está em constante debate e empreendendo ações para legalizar as apostas. Mas os atrasos fizeram com que muitos casinos desistissem de continuar a prestar serviços no país.


    A Coljuegos é o organismo regulador da indústria de jogos na Colômbia, o primeiro país sul-americano a criar leis que regulam o jogo online, e a partir de 2016 foi encarregada de emitir licenças para operadoras de jogos e apostas online. Atualmente promovem-se os denominados “Pactos pela Legalidade no jogo”, com o objetivo de gerar cultura de legitimad em um ambiente de legalidade dentro da indústria do jogo e apostas no país.

    É bem sabido que na Colômbia as arrecadações provenientes dos jogos de azar e apostas esportivas se investem no financiamento de programas de saúde. As iniciativas da Coljuegos propiciaram o jogo legal criando uma aura de confiança, em torno do jogo, entre as operadoras nacionais e internacionais e a população colombiana.

    No Peru existe um marco legal rígido, apesar disso estão sendo implementadas normas que permitem às empresas operar no país com a devida segurança jurídica, os jogadores podem participar nas plataformas reconhecidas sem medo de fraudes, até que a indústria esteja totalmente regulamentada.

    Países como Cuba, Venezuela, Nicarágua e Honduras não possuem regulamentações claras sobre os jogos de azar, nem demonstraram interesse em mudar a realidade, enquanto isso os adeptos da atividade recorrem a casas de apostas com licenças internacionais para efetuar apostas virtuais.

  • Qual a configuração ideal de um notebook para trabalhar em Home Office?

    Por Mais Empresas  |  11/08/2020  |  Comente »

    O home office consiste no trabalho em casa. Cada vez mais as pessoas estão optando por essa modalidade de trabalho devido à sua enorme praticidade. Além do mais, hoje em dia, essa tem sido a melhor alternativa, devido à pandemia causada pelo novo Coronavírus.

    Nesse contexto, as pessoas estão criando ambientes propícios para que possam desempenhar as suas tarefas com o máximo de eficiência e conforto possíveis.

    Por isso, elas precisam contar com equipamentos que facilitem o trabalho. É o caso, por exemplo, de computadores. Afinal, eles são indispensáveis para quem trabalha em home office.

    No post de hoje, iremos descrever qual a configuração ideal de um notebook para trabalhar em home office. Porém, iremos tratar mais especificamente do Sistema Windows. Pois ele é o que possui o valor mais acessível do mercado e, apesar disso, atende muito bem a todas as necessidades.

    Melhor Sistema Operacional para home office: Windows 10

    O sistema operacional Windows 10 oferece ao usuário inovações muito potentes, que estão diretamente ligadas tanto à privacidade, quanto à segurança, para que você possa trabalhar da melhor forma possível, e com total tranquilidade.

    Sem contar que também é bem intuitivo e prático para tornar a sua rotina mais simplificada e tranquila.

    Em contrapartida, o Windows 7 e 8 não são mais recomendados.

    No caso do Windows 7, ele não recebe mais atualizações. A Microsoft encerrou o suporte que se estendia ao sistema.

    Com isso, caso você ainda utilize esse sistema operacional, deve estar ciente de que, pelo fato de não receber mais atualizações, o seu PC está totalmente vulnerável à ação de programas de malware.

    No entanto, apesar da descontinuidade das atualizações por parte da Microsoft, uma enorme parcela da população ainda utiliza esse sistema. Porém, é importante frisar que isso não é recomendado.

    Pois, exatamente por causa dessa grande quantidade de pessoas que ainda utilizam, o ataque de hackers será ainda maior.

    Enquanto isso, o Windows 8 também não é tão recomendado para trabalhos em home office, pois ele é considerado muito instável pela maioria dos usuários.

    Portanto, a melhor opção é o Windows 10. Além disso, como ele corresponde a uma atualização, os arquivos pessoais do usuário não são perdidos a cada atualização.

    Ainda que o sistema usado anteriormente seja o Windows 7, por exemplo.

    Outra vantagem do Windows 10 é que a sua instalação não necessita da remoção dos arquivos que já existem no computador.

    Processador Intel Core i5 ou acima

    Como o processador é quem executa as instruções da memória do PC ou Notebook, no caso do trabalho em home office, o mais indicado é que seja um processador Intel Core i5 ou acima.

    Pois esse tipo de processador contribui para um aumento na duração da bateria, permite uma melhor conexão com a internet, sem contar que o Notebook também apresenta um desempenho muito mais satisfatório.

    Mínimo 4 GB de memória RAM

    Com uma memória RAM de, pelo menos, 4 GB, você poderá executar diversas tarefas. Você poderá, inclusive, deixar abertos alguns programas ao mesmo tempo, poderá navegar na internet, deixando algumas páginas abertas sem travar, e trabalhar normalmente.

    Sendo assim, 4 GB de memória RAM é o mínimo que um computador precisa ter para quem trabalha em home office.

    HD de 500 GB ou acima

    O HD é o disco rígido do computador, e é onde os dados do usuário ficam registrados, como programas, documentos, vídeos e fotos. Sem o HD, a máquina não funciona. Para exemplificar a sua importância, saiba que é no HD que o Windows se encontra instalado.

    Por isso, se o computador não tivesse um HD, não seria possível usar o sistema operacional.

    Desse modo, para trabalhar em home office, o ideal é que o computador tenha um HD a partir de 500 GB, que é o suficiente para baixar programas, arquivos documentos diversos, navegar na internet e para os trabalhos do dia a dia.

    Conclusão Home Office

    Enfim, essa é a configuração ideal, ou pelo menos, essencial que um notebook precisa ter para trabalhar em home office, mas, para fazer uma escolha ainda mais eficiente, você pode pesquisar no Melhor do Lar e fazer comparações de preços, características e marcas e, dessa forma, tomar uma decisão mais precisa.

    Lembrando que existem ainda alguns componentes de hardware como a placa de vídeo e de som, porém, não são itens que farão tanta diferença se o intuito é apenas fazer trabalhos a partir de casa, já que as tarefas, em sua maioria, são leves. Portanto, apenas a configuração que vem de fábrica já é suficiente.

    Exceto se você não for usar a sua máquina para jogos ou tarefas mais complexas, apenas essa configuração que indicamos vai te servir muito bem.

  • Conheça as atualizações do Facebook para combater as fake news

    Por Mais Empresas  |  14/07/2020  |  Comente »

    Um dos grandes problemas que o mundo tem enfrentado nos últimos anos é a desinformação. Milhões de páginas são indexadas todos os dias no Google, no entanto, muitas empresas têm investido em geração de fake news para alcançar seus objetivos. 

    É pensando nisso que houve uma série de empresas que retiraram sua verba de anúncios da plataforma.

    A campanha chegou até outras mídias grandes, como o Facebook, em que mais de 400 marcas retiraram links patrocinados, como forma de exigir um posicionamento enfático contra os discursos de ódio.

    A iniciativa chamada #StopHateforProfit (“pare o ódio pelo lucro”, em tradução), pressionou os gigantes da mídia online. O próprio Facebook anunciou uma série de atualizações para combater as fake news.

    A seguir, conheça cada uma dessas táticas adotadas pelo Facebook, incluindo a parceria com agências de checagem de fatos e promoção de iniciativas de educação para a mídia. Acompanhe a leitura!

    Primeiro, o que são as fake news?

    A internet abriu espaço para que as notícias se espalhassem em uma velocidade cada vez mais rápida. 

    Hoje em dia, com apenas um clique, é possível encontrar informações acerca de um serviço de aluguel de maquina de café, fatos ao redor do mundo, conteúdos culturais e muitos outros.

    Com a ascensão das redes sociais, o boom de informações foi ainda maior. Contudo, esse cenário é propício para que as notícias falsas, chamadas de fake news, também sejam facilmente divulgadas.

    Além disso, muitas pessoas perderam o costume de verificar fonte de um dado. Ou seja, quando se publica algo na internet, uma parte do público realmente acredita que aquilo é verdade, sem ao menos conhecer de onde partiu a notícia.

    As eleições de 2018, por exemplo, levantaram o debate sobre o perigo das fake news

    Durante o período, candidatos adversários utilizaram várias táticas de divulgação de conteúdos falaciosos na internet, a partir de departamentos especializados na criação e propagação de informações inverídicas.

    É preciso ficar atento a essas desinformações, uma vez que apenas um conteúdo incorreto sobre qualquer assunto, por exemplo, dicas de instalação de esquadrias, pode gerar consequências graves. 

    No caso citado, alguém pode instalar o material da forma incorreta e ter seu imóvel prejudicado.

    O problema é ainda pior quando envolve informações importantes sobre a sociedade civil e agenda pública.

    Uma pesquisa realizada pela Avaaz apontou que 7 em cada 10 internautas brasileiros, o que é equivalente a 100 milhões de pessoas, acreditam em ao menos uma notícia falsa a respeito da pandemia do novo coronavírus.

    O Facebook aparece como a segunda plataforma com maior número de fake news, com 5 em cada 10 usuários recebendo informações inverídicas pela rede social. 

    Ou seja, mais de 100 milhões de brasileiros se baseiam em falácias sobre a Covid-19, o que pode resultar em falta de proteção e negligência com a saúde pública.

    As notícias falsas também resultam em discurso de ódio, especialmente contra as minorias. 

    De acordo com o Instituto Palavra Aberta, as mulheres são as principais vítimas de ameaças, conteúdos violentos e xingamentos na internet.

    Mas qualquer um está sujeito aos discursos de ódio propagados pelas fake news – até mesmo as empresas. Um profissional que ministra um curso de violão para iniciantes e que faz um bom serviço, pode ser vítima de informações inverídicas e ter o seu negócio prejudicado.

    Por isso, é fundamental investir em ações para combater as notícias falsas e conscientizar a população do perigo do compartilhamento desse conteúdo. 

    Isso significa que o cidadão também deve assumir o compromisso de verificar os fatos antes de divulgá-los nas redes sociais, e não acreditar em absolutamente tudo que se vê online.

    Em contrapartida, a legislação brasileira vem trabalhando com reflexões para uma futura política pública de combate às fake news, como forma de oferecer informação de qualidade.

    5 atualizações do Facebook para combater as fake news

    Diante da grande repercussão negativa das fake news no Brasil, em conjunto com o boicote das empresas às grandes mídias online, o Facebook decidiu investir em algumas atualizações para o combate à desinformação e discursos de ódio na rede social.

    Abaixo, confira algumas das principais mudanças na plataforma.

    1 – Ampliação do programa de verificação de fatos para outros países

    O Facebook já expandiu o seu programa de verificação de fatos para mais de 14 países, incluindo o Brasil. 

    Assim, com softwares inteligentes, verificadores certificados e independentes, a rede social irá avaliar os conteúdos, sendo possível reduzir em até 80% o volume de publicações falsas.

    Isso quer dizer que a plataforma irá avaliar as postagens, como um conteúdo sobre peças de usinagem, para evitar a propagação de informações não verdadeiras.

    2 – Testes de verificação de fotos e vídeos

    Uma notícia falsa não vem só em formato textual. 

    Por isso, o Facebook também está investindo na expansão da verificação de conteúdos em fotos e vídeos para a análise de materiais, que podem ter sido manipulados ou retirados do contexto.

    3 – Introdução de novas tecnologias de análise

    Não é fácil controlar todos os usuários do Facebook, ainda mais porque a rede é a mais popular de todo o mundo. Entretanto, a plataforma faz uso de novas tecnologias que facilitam o acompanhamento, que são:

    • Machine learning;
    • Claim Review, da Schema.org;
    • Códigos avançados de verificação;
    • Criptografia inteligente para identificação de conteúdos.

    Com esses programas, é possível realizar a identificação de conteúdos duplicados, incluindo de notícias já contestadas.

    Assim, os usuários irão se deparar com notícias a respeito de assuntos públicos, bem como demais conteúdos, como relógios de ponto, que foram previamente verificadas por softwares tecnológicos e inteligentes.

    4 – Realização de pesquisas independentes

    Em abril de 2018, o Facebook anunciou que irá investir em pesquisas independentes sobre o papel das redes sociais nas eleições, bem como demais assuntos dedicados à democracia.

    Com isso, a plataforma irá contratar equipes para medir o volume e os efeitos da desinformação nas redes sociais. 

    Isso trará maior transparência e qualidade na mensuração de dados, como uma medida possível para orientar futuras políticas públicas.

    5 – Contratação de usuários para checagem

    No final de 2019, o Facebook lançou um projeto piloto para contratar pessoas que usam a plataforma como “checadores” de informações, em período parcial. 

    De acordo com a própria rede, a ideia é usar os seus usuários e ajudar na promoção do discernimento do que são as notícias falsas.

    De acordo com a proposta, os usuários podem usar um filtro para identificar o que é uma fake news dentro do Facebook, antes que o conteúdo seja enviado às empresas parceiras. 

    O intuito é tornar o processo de combate à desinformação muito mais ágil.

    O Facebook também declarou parceira com a YouGov, uma empresa de dados sobre a opinião pública geral, que será a responsável por conduzir estudos com os internautas e selecionar quem fará parte da equipe de checagem.

    A era da desinformação no Brasil

    Embora as atualizações no Facebook ajudem no combate à desinformação, o Brasil ainda lidera o ranking entre os países com maior consumo de fake news

    Ou seja, grande parte dos brasileiros não sabe diferenciar um conteúdo de qualidade sobre automação de persianas de um conteúdo inventado.

    Segundo um estudo publicado pela Kaspersky, em parceira com a empresa CORPA, grande parte dos brasileiros não são capazes de reconhecer se é um boato ou uma notícia verdadeira.

    Chamada de “Iceberg Digital”, a pesquisa analisou a situação da segurança dos usuários na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. 

    O objetivo foi de desvendar os riscos que as empresas e pessoas enfrentam quando se conectam à rede, sem ter o mínimo de conhecimento sobre fake news.

    De acordo com o levantamento, 62% dos brasileiros não reconhecem uma notícia falsa. Os que mais compartilham conteúdo inverídico são os usuários entre 25 a 34 anos.

    Vale dizer que é importante combater todo e qualquer tipo de material falacioso na internet, desde uma matéria com informações inconsistentes sobre galvinoplastia, por exemplo, até conteúdos que tratam sobre política, economia e saúde pública.

    Além do Facebook, também é necessário combater a desinformação em outras mídias, visto que há sites especializados na produção e compartilhamento de notícias falsas. 

    Inclusive, alguns portais são extremamente convincentes, pois utilizam de recursos profissionais para a criação de páginas e de conteúdo.

    Lembre-se que de uma fake news pode prejudicar pessoas e negócios. Assim, receber uma informação descontextualizada sobre uma empresa de fretamento reconhecida no mercado, pode ser bastante prejudicial, por isso, a verificação é imprescindível.

    Conclusão

    Desde as eleições de 2018, as fake news mostraram o quanto elas podem impactar negativamente a sociedade civil, gerando desinformação e fomentando discursos de ódio, principalmente contra as minorias.

    Com a crise do novo coronavírus, as infinitas notícias falaciosas também contribuíram significativamente para a falta de conscientização pública, tornando as medidas de controle difíceis de serem aplicadas.

    Por esse motivo, é fundamental que as grandes mídias online invistam em atualização de seus códigos, como forma de conter o compartilhamento de fake news e promover a informação de qualidade.

    O Facebook está formulando diversas novas atualização e, em pouco tempo, espera-se que o impacto dos boatos possa ser controlado.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 6 motivos para produzir conteúdo no Tik Tok

    Por Mais Empresas  |  13/07/2020  |  Comente »

    O Tik Tok tornou-se uma das redes sociais de maior crescimento nos últimos anos. Desde o seu nascimento, em 2017, o aplicativo superou a marca de dois bilhões de downloads em todo o mundo, sendo um dos programas mais baixados no Brasil e na Índia.

    O objetivo do Tik Tok é o compartilhamento de vídeos curtos, de 15 a 60 segundos, mas com amplas ferramentas de edição. Dessa forma, é possível incluir filtros, legendas, trilhas sonoras, gifs, fazer cortes, entre outros recursos.

    Não é incomum, por exemplo, ver um tutorial rápido de como é feito um banho de ouro em peças metálicas, em um vídeo editado com o aplicativo.

    O grande poder de viralização desses conteúdos tornou a rede muito popular, com seus desafios que reproduzem coreografias, imitam pessoas famosas, criam sátiras e outras brincadeiras para atrair o público.

    A rede social é febre entre adolescentes e jovens, que produzem e consomem a maior parte do conteúdo da plataforma.

    Tanto que há os famosos “TikTokers”, usuários considerados populares dentro da rede social, que já são vistos como influenciadores digitais, fechando parcerias com marcas, organizações e empresas.

    O Tik Tok já registrou mais de US$ 456,7 milhões em faturamento com gastos de usuários no aplicativo, principalmente nos celulares com sistema Android. Para os usuários de iPhone, a quantia é de US$ 435,3 milhões.

    Mas, além da popularidade, quais são os motivos para produzir conteúdo no Tik Tok?

    No artigo de hoje, saiba o porquê é vantajoso investir na rede social e como as empresas podem aproveitar o momento para inovar, atraindo o público por meio de vídeos. Acompanhe a leitura!

    1 – Grande alcance de audiência

    O Tik Tok é um fenômeno mundial. Com mais de 1 bilhão de downloads, o aplicativo bateu o recorde de instalação mensal, alcançando a marca de 75 milhões em plataformas Google Play e Apple Store.

    Em termos de comparação, no ano de 2018, o Facebook teve 711 milhões de downloads e o Instagram, 444 milhões. O Tik Tok, no mesmo período, quase alcançou a rede mais popular do mundo, com 663 milhões.

    Hoje, a rede é considerada a quarta maior do mundo, devido à sua grande popularidade e a quantidade cada vez mais crescente de usuários. 

    Portanto, é uma boa oportunidade para ampliar o alcance de público, já que muitos internautas estão presentes na plataforma.

    Não é à toa que muitas empresas usam o Tik Tok para anúncios patrocinados, aproveitando a oportunidade de criar um vídeo sobre o processo de reciclagem de papel, por exemplo, para conscientizar os usuários do aplicativo.

    2 – Alta segmentação do público-alvo

    Diante de números tão expressivos, o Tik Tok tornou-se extremamente atrativo para as estratégias de marketing. 

    Mas é preciso considerar que os usuários da rede social são altamente segmentados, e nem sempre investir no aplicativo pode ser a melhor iniciativa.

    Segundo dados da própria plataforma, cerca de 66% dos usuários do Tik Tok têm menos de 30 anos. Dentre os usuários ativos por mês, 60% possui idade entre 16 e 24 anos. 

    Portanto, uma empresa mais formal, que tem uma audiência mais velha, como um negócio que vende alarme antifurto perimétrico, pode não conquistar os resultados esperados com o Tik Tok.

    Mas se o seu negócio integra vários nichos, incluindo consumidores jovens, é possível pensar em ações direcionadas na rede social, centralizando a divulgação e colhendo ótimas conversões de leads (potenciais clientes).

    Apesar disso, tenha em mente que a idade não é um limitador, nem mesmo o único fator característico do público-alvo. 

    É possível criar uma peça extrovertida com o Tik Tok, como um vídeo de como fazer troca de óleo automotivo, e atrair consumidores mais experientes.

    Afinal de contas, há uma parcela de adultos que também faz uso da rede social e, além disso, é possível compartilhar o conteúdo do Tik Tok em outras mídias.

    3 – Criação de conteúdos virais

    Qualquer marca deseja criar uma peça de marketing viral, que atinge um grande número de pessoas e se torna um sucesso na internet. 

    A estratégia não somente atrai usuários em quantidade, mas também promove o engajamento, fazendo com que o próprio público passe a mensagem adiante.

    As vantagens de um conteúdo viral são inúmeras, incluindo:

    • Popularização de produtos e serviços;
    • Destaque perante a concorrência;
    • Maior reconhecimento da marca;
    • Aumenta a curiosidade do público.

    No entanto, não é tão simples criar um material viral, principalmente devido à grande competitividade nas redes sociais.

    O Tik Tok quebrou essa barreira, visto que o engajamento no aplicativo tem índices mais altos do que em outras plataformas.

    Além do mais, o usuário não consegue simplesmente “rolar o feed”. Ele passa pelos vídeos e, consequentemente, acaba interagindo.

    Dessa forma, até um conteúdo simples, como um vídeo mostrando uma revitalização de um móvel com resina epoxi, feito com auxílio das ferramentas de edição do Tik Tok, tem capacidade para ser viral.

    Além disso, o tempo gasto na rede social é significativo. Nos Estados Unidos, os usuários passam cerca de 46 minutos por dia na plataforma. Ou seja, é possível criar um material viral, de custo extremamente baixo, ou até nulo.

    4 – Encontro de influenciadores

    O Tik Tok é uma das mídias mais usadas pelos influenciadores digitais. Grande parte dos youtubers e instagrammers renderam-se ao aplicativo e, além disso, muitos novos influencers surgiram na plataforma.

    Isso porque, devido à simplicidade da ferramenta e os efeitos interessantes, é muito mais simples criar um vídeo no Tik Tok do que no YouTube, por exemplo. Assim, a primeira rede passa a ser usada com maior frequência e mais interações.

    Para as empresas, essa é uma boa oportunidade de investimento em marketing de influenciadores. 

    O Tik Tok ainda não conta com recursos como o Facebook e Instagram Ads, de anúncios patrocinados, mas é possível contar com os famosos da rede para a divulgação de produtos e serviços.

    Por exemplo, uma TikToker que faz vídeos sobre casas pode firmar uma parceria com uma empresa de forro de gesso, usar o material e postar o resultado em vídeo no Tik Tok.

    Hoje em dia, o marketing de influenciadores é uma das estratégias mais eficientes, pois as pessoas tendem a considerar a opinião de celebridades da internet.

    5 – Facilidade de uso da plataforma

    Não é preciso ser um grande expert em redes sociais para usar o Tik Tok. 

    Aliás, em comparação com o YouTube, a plataforma de vídeos chinesa é muito mais simples, pois os vídeos são gravados e editados diretamente no aplicativo, de forma intuitiva e simples.

    Dessa forma, caso um usuário queira falar sobre o que é o procedimento de st metrologia, não é necessário investir em grandes equipamentos ou softwares de edição. 

    Com o celular, o Tik Tok e um pouco de criatividade, é possível ter um ótimo conteúdo. 

    A proposta da rede social é justamente essa: dar poder aos usuários para criar conteúdos interativos e interessantes, em um programa de fácil manipulação, que permite, ao mesmo tempo, a edição de áudio e vídeo, com os mais diversos filtros e efeitos.

    6 – Pouca necessidade de investimento

    Por não contar com ferramentas de anúncios patrocinados, o Tik Tok é uma ferramenta muito barata para o marketing. 

    Em alguns casos, não é preciso gastar nenhuma quantia para produzir um conteúdo.

    Sendo assim, um vídeo sobre como tira entulho de construções, por exemplo, pode ser bastante educativo e, ao mesmo tempo, não gerar gastos para a empresa.

    Porém, é importante lembrar que o Tik Tok não é focado em propaganda, mas sim no relacionamento e engajamento entre os usuários. Por isso, é importante ter cuidado na hora de produzir o conteúdo ideal.

    Conclusão

    O Tik Tok é realmente um fenômeno da internet atual e vem conquistando cada vez mais usuários em todo o mundo. 

    Com um enorme potencial para viralidade, a rede social é altamente intuitiva e simples, possibilitando que todas as pessoas possam usar o aplicativo com facilidade.

    Entretanto, é necessário lembrar que o Tik Tok, assim como as demais redes sociais, é uma plataforma de entretenimento e não um canal publicitário. 

    Por isso, para conquistar o sucesso com marketing, é preciso levar em consideração o perfil dos usuários e o que eles realmente querem consumir na internet.

    Além disso, é imprescindível considerar que a audiência do Tik Tok é bastante específica, formada por adolescentes e jovens, majoritariamente. Esse fato pode influenciar a forma como se produz o conteúdo.

    Ou seja, devemos investir no poder da criação e deixar a criatividade aflorar, para oferecer um material atrativo e interessante ao público-alvo.
    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.