• Aprenda como fazer marketing de conteúdo para hotéis

    Por Mais Empresas  |  31/10/2019  |  Comente »

    Já se foi o tempo em que desenvolver uma plataforma era o suficiente para vender mais, independente do produto ou serviço. Isso também se aplica em conteúdo para hotéis.

    O modo como o seu futuro cliente busca por você foi sendo refinado, e com esta maneira, as próprias ferramentas buscadoras foram aperfeiçoando cada vez mais suas métricas.

    O mesmo é válido para empreendimentos hoteleiros, considerando a enorme concorrência. O marketing de conteúdo para hotéis ou inbound marketing precisa se focar no ambiente em que o mesmo está inserido. Neste artigo, você encontrará dicas para alavancar o conteúdo do seu hotel.

    O que é o marketing de conteúdo para hotéis?

    Trata-se do desenvolvimento de textos, fotos, vídeos para site, blogs e redes sociais de empreendimento hoteleiros. Não importa se são grandes redes hoteleiras ou pequenas pousadas.

    Lembre-se: Conteúdo é tudo que compõe a página que vai atrair seu cliente, a foto é fator de peso neste caso, para isso indicamos conhecer sobre HDR em fotografias para hotéis.

    O conteúdo é bom se corresponde a alguma necessidade que o público do hotel tenha. Por exemplo, se o hotel também é um flat e conta com uma cozinha no apartamento, quem pesquisa gostaria de saber se o local conta com:

    • Utensílios de cozinha;
    • Panelas;
    • Fogão ou forno micro-ondas para cocção;
    • Se tem frigobar ou uma geladeira pequena para armazenar alimentos perecíveis.

    ‘Ah, mas eu não tenho ideia. Como vou saber o que o hóspede quer?’

    Para encontrar essa resposta basta perguntar aos recepcionistas, pessoal de reservas e ao responsável pela comunicação em geral. Com toda a certeza, existem perguntas recorrentes que poderiam gerar um conteúdo ótimo.

    Que tipo de conteúdo para hotéis posso utilizar para chamar a atenção?

    Quanto mais específico sobre a realidade do hotel ou pousada melhor. O marketing de conteúdo para hotéis será mais efetivo quando for pontual. Veja alguns exemplos:

    • Se o local é uma praia, falar sobre a previsão do tempo pode ser a informação crucial para que o cliente defina ir ou não. E ninguém melhor para isso do que o próprio hotel.
    • Pontos turísticos – você pode até achar que são assuntos batidos, que já tem muita gente tratando disso. No entanto, tente partir para algo que não foi feito ainda, como dar luz a pontos que apenas os moradores da região conhecem. Além de aumentar as chances de aumentar o número de diárias, incentivará o turismo local. Todos ganham!
    • Falar de acontecimentos locais como eventos que a cidade sediará e fatos em tempo real. Notícias mais sérias também podem entrar em sua lista de possíveis conteúdos.
    • Dicas sobre viagem em geral. Quem nunca pesquisou sobre a melhor forma de organizar a mala, objetos para levar na viagem e etc.?

    Esta lista poderia se estender muito mais, mas paremos por aqui, pois, com certeza, sua mente já está borbulhando de ideias.

    Seja um hotel, um restaurante, sempre tem algo a ser comunicado.

    Periodicidade no conteúdo para hotéis

    O marketing de conteúdo para hotéis deve ter uma periodicidade pré-definida, entretanto, não precisa ser algo muito rígido. Definir quando publicar depende principalmente da plataforma utilizada.

    Redes sociais são mais dinâmicas, então, dispor de um conteúdo diário, ainda que seja uma foto bem produzida, pode manter seu público interessado. Quando o marketing para hotéis usa o blog como plataforma principal, manter um espaçamento entre as publicações é o mais indicado para não sobrecarregar o leitor.

    Neste último, é necessário dizer, que por se tratar de um conteúdo com maior relevância, mais dados e informações densas, o público precisa de um tempo para assimilar. É por esta razão que o texto deve ter qualidade, informações relevantes e boa imagens.

    O formato do texto importa?

    Sim! É primordial, principalmente, se for inserido em um blog por exemplo.

    O responsável pelo marketing de conteúdo e as publicações deve atentar-se ao conforto de quem lê.

    • Escolha uma fonte confortável e em tamanho que possibilite a leitura sem dificuldades;
    • Usa subtítulos para definir os assuntos e levar o leitor até o desfecho do seu pensamento;
    • Não redija parágrafos muito longos, pois dificulta a leitura e pode ficar confuso;
    • Use imagens em boa qualidade para ilustrar sua postagem, desde que tenham relação com o texto. É mais uma maneira de facilitar o entendimento;
    • Listas (como esta aqui) são ferramentas utilizadas para organizar o pensamento e, claro, facilitar o desenvolvimento do argumento;
    • Insira espaçamentos, mas sem exageros. E sempre veja a prévia do artigo publicado para verificar se não ficou demais!

    A utilização de imagens com qualidade e de informação relevante também deve ser empregada nas redes sociais para manter um padrão!

    Não tenho tempo para cuidar de tantos detalhes!

    É para isso que agências de comunicação e relações públicas especializadas na produção de textos e na publicação das mesmas nas plataformas da empresa.

    Em muitos casos, o desenvolvimento inclui análise do Google Analytics para definição de pauta e planejamento, feitura dos textos, revisão e a publicação dos mesmos. O cliente não precisa se preocupar com nada.

    Se optar por uma agência, verifique o que os clientes dizem nas avaliações de Facebook, Reclame Aqui e demais sites. Analise o atendimento, o serviço prestado em marketing de conteúdo para hotéis, compare o valor cobrado.

  • Como um aplicativo pode aumentar as vendas da sua empresa?

    Por Mais Empresas  |  29/10/2019  |  Comente »

    A tecnologia tem evoluído muito nos últimos anos e com isso muitas empresas focaram em desenvolver aplicativos para seus negócios.

    Os motivos são muitos e a estratégia já é vista como uma necessidade do mercado atual, sendo que quem não desenvolve um app já sai em desvantagem, ficando atrás de outras empresas.

    Mas por acaso você sabe qual é o grande motivo para isso? Fique atento pois explicaremos como um aplicativo pode otimizar as vendas de sua empresa.

    Os apps mobile podem influenciar diretamente na UX e aumentar as suas vendas

    UX é a sigla de user experience, que quando traduzido para o português significa experiência do usuário. 

    Trata-se de um conceito importantíssimo pois, tanto em sites quanto em aplicativos, ele afeta diretamente a probabilidade dos usuários serem convertidos ou não.

    Basicamente, um bom UX é aquele que facilita ao máximo a experiência de seus clientes dentro do site ou aplicativo. 

    Alguns especialistas dizem, inclusive, que de maneira básica o conceito se refere a maneira como os usuários se “sentem” dentro de seu aplicativo. 

    Mas quando falamos em aplicativos especificamente, é necessário compreender o contexto de adesão aos dispositivos e apps mobiles por parte do público brasileiro. 

    Assim, é possível observar que as aplicações, frente a diversos modelos de negócio, podem certamente potencializar a venda de produtos e serviços.

    Isso porque os apps podem trazer mais dinamicidade e proximidade da empresa com os clientes, otimizando assim a sua experiência por alí. 

    Aplicativos podem auxiliar na fidelização de clientes

    Não adianta apenas conduzir potenciais clientes até o seu produto ou serviço prestado. Além disso também é necessário fidelizá-los. Somente dessa maneira você garantirá sucesso em seus negócios. 

    E por meio dos apps, as empresas conseguem tornar o controle de pontuações em programas de recompensa, gerar comunicações de ofertas de produtos e serviços, entre outras ações que fazem com que as ações de relacionamento estejam sempre às mãos de seus clientes.

    Desse modo eles se sentem muito bem tratados, tendo todos os serviços e comunicação com a empresa na palma da mão. Isso certamente garante credibilidade ao seu negócio, fazendo com que os clientes se fidelizem a ele. 

    Além disso, disponibilizar um app de qualidade para seus clientes pode funcionar como um espécie de marketing indireto para seu negócio, uma vez que ao receberem um serviço e tratamento de qualidade eles podem indicar a sua marca para outras pessoas.

    Como funciona um app de vendas

    Agora que você já sabe as principais vantagens de um aplicativo de vendas deve estar se perguntando como ele funciona, não é mesmo?

    Bom, basicamente ele é uma ferramenta que permite ao empreendedor ao a empresa possuir mais controle e mobilidade em sua rotina comercial através do celular.

    Os recursos presentes nele variam de acordo com a desenvolvedora do app e dos requisitos pré estipulados pela marca.

    Entretanto, o objetivo de todo e qualquer aplicativo de vendas é o mesmo: facilitar a venda dos produtos ou serviços disponibilizados pela empresa que o solicitou. 

    Eles possibilitam contar com um conhecimento objetivo estratégico acerca do crescimento do seu negócio, da saúde financeira da sua empresa e, claro, do papel que cada cliente desempenha no seu fluxo de caixa.

    Logo, vale muito a pena investir no desenvolvimento de um app para sua empresa visto que estes deixaram de ser uma tendência, se tornando uma necessidade do mercado.

  • Quais são as diferenças entre SEO e SEM?

    Por Mais Empresas  |  25/10/2019  |  Comente »

    Que empresa não quer alcançar o topo de sites de busca como o Google? As estratégias de SEO e SEM são utilizadas para isso: melhorar o posicionamento do empresa na internet, ao mesmo tempo em que geram leads e melhorias nas taxas de conversão.

    Apesar das siglas serem bem parecidas e complementares, há diferenças que demarcam cada técnica. 

    Enquanto a primeira significa o termo Search Engine Optimization e se refere otimização de sites de mecanismos de busca, a segunda é conhecida por Search Engine Marketing e também está ligada a otimização de sites, mas não se limita a ferramentas e sim a uma área.

    Se você quer saber mais detalhes sobre as diferenças na prática e como as técnicas podem ser utilizadas para ajudar no rankeamento de empreendimentos, como uma empresa que oferece máquinas de corte e gravação a laser – técnica usada para a fabricação de placas, brindes e fachadas, este artigo é para você.

    Leia mais e saiba as principais diferenças, características e benefícios dessas estratégias na prática.

    SEO e SEM: entenda os conceitos

    Como mencionado logo no início desse conteúdo, essas duas siglas são fatores de influência na otimização dos sites em sites de busca. 

    Contudo, há algumas diferenças. O SEM é uma área com uma visão mais ampla. Além de otimizar o site e melhorar o posicionamento do negócio online, essa técnica também valoriza os links patrocinados, ou seja, os anúncios e possui o objetivo de aumentar o tráfego.

    Já o SEO é uma parte que está dentro de tudo isso e o foco é a otimização dos sites, a partir de produção de conteúdo relevante, qualidade de links, usabilidade e outros mecanismos que influenciam o algoritmo de busca.

    A principal diferença entre os dois é a forma de financiamento. Ao utilizar as técnicas de SEO para divulgar o trabalho de áreas como empresas de consultoria ambiental em sp, por exemplo, o trabalho do profissional de marketing é angariar visibilidade de forma orgânica.

    É por isso que um bom planejamento do conteúdo com temas relevantes e ricos que fazem parte da área ambiental, bem como o uso de ferramentas para mapear os temas mais buscados e palavras-chave mais estratégicas é importante.

    Para negócios que desejam alavancar a presença online, é importante conhecer os dois conceitos e o investimento em ambos pode resultar em um bom custo-benefício.

    Agora que você já conhece as principais diferenças entre ambos, vamos abordar algumas curiosidades e exemplos práticos de cada técnica. Veja os tópicos seguintes.

    Boas práticas de SEO

    Estudos revelam que a maioria das pessoas só clica em um link quando faz uma pesquisa em algum site de busca. Logo, ter um bom rankeamento é essencial. Para isso, ter boas práticas de SEO faz toda a diferença.

    Uma das formas mais interessantes e recomendadas para sua empresa ser encontrada no Google é a criação de um blog. Mas atenção, nada adianta ter o blog sem alimentá-lo com conteúdo relevante, certo? 

    Vamos imaginar que você tem uma empresa de sustentabilidade ou trabalha com algum material reciclável como a sucata de alumínio

    Procurar bons temas ligados ao produto, destacar a importância da reciclagem para o meio ambiente, trazer informações sobre a resistência e versatilidade do alumínio pode ser algo muito interessante para seu público-alvo.

    Um primeiro passo para produzir conteúdo relevante é entender o que seu público procura de solução. Por isso, faça estudos, pesquise, monte e explore as possibilidades que a persona do seu negócio procura na web. 

    O que seria relevante para pesquisar? Quais são os temas relacionados ao assunto? Essas perguntas devem ser respondidas nos seus artigos.

    Em ferramentas como o Planejador de Palavras-Chave, você poderá encontrar quais são as palavras que mais se relacionam com os materiais recicláveis como as sucatas de alumínio ou o papelão ondulado, que geralmente é produzido a partir de fibras virgens de celulose, encontradas em fontes 100% renováveis.

    Existem outras ferramentas que podem ser utilizadas para monitorar as palavras-chave também. 

    Além da definição do tema, é importante você ter em mente que o conteúdo deve ser produzido não só com o objetivo de ser encontrado pelo algoritmo, mas sim para as pessoas que o acessarão. 

    Separamos alguns exemplos de boas práticas e fatores de rankeamento. Confira abaixo:

    • Produza conteúdos de qualidade para uma boa entrega ao usuário;
    • Invista em bons links para seu site ser mencionado como referência;
    • Tenha um site responsivo;
    • Ofereça conteúdos interativos;
    • Evite técnicas de Black Hat SEO — condutas antiéticas para enganar o algoritmo.

    São exemplos de Black Hat, práticas que infringem as normas do Google e manipulam os algoritmos apenas para ganhar posicionamento. Imagine que um site promete um tutorial de fumigação de paletes, uma técnica utilizada para tratar os paletes feitos de madeira e proteger o material contra pragas por meio de substâncias químicas.

    Em vez de oferecer uma resposta, o site em questão utiliza conteúdo oculto, duplica informações, faz inserção de links pagos e repete informações, sem trazer conteúdo rico. Provavelmente esse site será punido e pode ser até excluído do buscador, dependendo da gravidade.

    Fatores de influência 

    Além do conteúdo rico, existem outros fatores que contribuem para a otimização de um site. O design responsivo e uma boa acessibilidade das informações, tanto em dispositivos móveis quanto desktop é muito importante.

    Quanto mais leve o carregamento das páginas, melhores as chances de rankeamento. De acordo com uma pesquisa do próprio Google, mais de 50% das pessoas sai de um site se a página não carrega em 3 segundos no celular.

    Outros estudos indicam que 83% dos usuários esperam que a velocidade de um site seja de no máximo 3 segundos ou menos.

    Além disso, um site pensado não só em termos de design, mas também em UX – User Experience ou experiência do usuário em navegabilidade é muito importante. A otimização das URLs, a escolha de imagens apropriadas e a formatação adequada do conteúdo também são fatores de influência.

    Curiosidades do SEM

    A velocidade das páginas, o investimento em UX e um domínio seguro e confiável também influencia as ações de SEM.

    Como vimos anteriormente, a presença de anúncios patrocinados nessa estratégia é um diferencial. Digamos que você deseja anunciar um serviço de obras terraplenagem ou está buscando esse tipo de solução e resolve pesquisar sobre o tema.

    Se um site de uma empresa do ramo estiver bem otimizado, provavelmente o anúncio será exibido na sua tela pouco tempo depois. É como se o Google adivinhasse seus pensamentos e te entregasse justamente o que você procura no momento.

    O caminho mais natural para criar anúncios nesta técnica é o Google ADs, mas nada impede que a sua empresa também utilize as redes sociais mais estratégias para o anúncio ao pensar em uma campanha nova.

    Independente do formato de anúncio, lembre-se que toda campanha é melhor otimizada pelos mecanismos de busca quando há uma segmentação adequada. 

    Se a sua empresa oferece serviços especializados em lavagem de aeronaves, por exemplo, algumas dicas são válidas:

    • Defina os objetivos da campanha;
    • Destaque os benefícios como: conservação de peças /prevenção de contaminações;
    • Entenda o seu público-alvo;
    • Segmente o anúncio por interesses, idades, localização, buscas;
    • Monitore as métricas da campanha.

    Por que otimizar um site é importante?

    O ditado popular que diz que “quem não é visto, não é lembrado”, é muito real quando se trata de autoridade, relevância e popularidade na internet.

    Em tempos de vendas online e marketing na era digital, não há como ignorar a otimização dos mecanismos de buscas e ficar para trás enquanto a concorrência pode avançar e vender mais justamente por causa da internet.

    Cerca de 75% das pessoas procura valores online antes de efetuar uma compra, e 97% dos internautas costumam procurar informações na internet antes de comprar em alguma loja física.

    É por isso que otimizar um site é muito relevante para quem deseja alavancar os negócios online. Seja em nichos de mercado comuns ou nas áreas mais específicas como empresas que trabalham com prova de carga estática, uma técnica que ajuda a determinar a resistência das fundações de uma construção, ser encontrado na internet é lucro.

    Quando seu site é encontrado, saiba que esse é um dos principais cartões de visita dos negócio online. O site traz mais credibilidade e é considerado um dos centros de distribuição das principais estratégias de conteúdo.

    Por isso, investir em boas práticas e técnicas para uma otimização de qualidade é fundamental para obter retorno a longo prazo e tanto o SEO quanto o SEM são fundamentais para essa missão.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 5 dicas de utilização da comunicação interna nas corporações

    Por Mais Empresas  |  22/10/2019  |  Comente »

    Você já parou para pensar no papel da comunicação interna? Tão importante quanto construir uma imagem de uma empresa para os clientes, é ter uma cultura de diálogo entre os colaboradores e resumidamente essa é uma das propostas desse conceito.

    Alguns especialistas da área como Clemen (2005) defende que essa é uma estratégia muito importante para alinhamento e organização de uma empresa.

    Não importa se o negócio é focado no conserto de geradores de energia ou envolve a área logística, a comunicação é uma chave para bons relacionamentos interpessoais.

    Como o público interno é composto por pessoas que a empresa tem uma relação de proximidade e agenda em comum, os desafios em estabelecer e implementar estratégias assertivas podem ser ainda maiores. 

    Neste artigo vamos abordar algumas dicas para você implementar essa estratégia na sua corporação ou melhorar a que já está em vigor. Confira!

    1 – Alinhe expectativas internas

    Para que uma mensagem seja compreendida entre as duas partes, sem ruídos de comunicação, é fundamental que o setor de comunicação interna fale a mesma língua que os colaboradores.

    Por isso, alinhar expectativas, realizar pesquisas, ouvir os desafios e necessidades da rotina do trabalho e entender qual é o meio de comunicação é mais efetivo para conversar com seu público é fundamental.

    Digamos que uma empresa vende peças para bicicletas atacado e a equipe de vendas e atendimentos precisa conhecer todos os detalhes, marcas e particularidades das peças de acordo com o modelo e transmitir as informações de forma padronizada para o cliente.

    Ação prática de comunicação interna

    Promover um treinamento para os colaboradores e disponibilizar materiais de apoio como guias, apostilas, gráficos e e-books sobre as peças.

    Inclusive, uma dica eficiente na hora de produzir esses materiais de comunicação é a equipe responsável pela produção de conteúdo realizar perguntas e coletar informações sobre as principais dúvidas, desafios e situações que a equipe enfrenta em relação ao produto.

    Quando as expectativas e informações são alinhadas, as ações de comunicação interna passam mais credibilidade para os colaboradores. Aliás, uma pesquisa da Harvard Business Review, chegou a conclusão que informações de fontes confiáveis valorizam a mensagem.

    2 – Divulgue informações relevantes

    Seja em temas mais técnicos com transmitir informações para uma equipe de manutenção de uma centrífuga industrial – equipamento usado na indústria em processos como separação e purificação de fluidos – ou em mudanças no cotidiano da organização como uma reforma no refeitório, a equipe de comunicação abordar conteúdos relevantes.

    É por isso que conhecer as necessidades, oportunidades, perfil e desafios internos da equipe ajuda a mapear o que pode ser interessante na hora de criar comunicados claros e efetivos.

    Ter clareza e objetividade na hora de divulgar as informações também é algo super importante e, para que as informações cheguem aos colaboradores certos, você pode utilizar ferramentas que ajudam a propagar a mensagem para um grande número de pessoas. São exemplos de informações relevantes:

    • Oportunidades internas;
    • Recessos ou alterações no fluxo de trabalho;
    • Reuniões;
    • Treinamentos;
    • Campanhas de conscientização;
    • Reestruturação de equipes;
    • Premiações;
    • Eventos.

    Em nichos de mercado mais específicos como as indústrias do segmento alimentício e farmacêutico que trabalham com produtos laboratoriais e normas específicas, atualizações em normas técnicas de órgãos sanitários como a ANVISA também são comunicados relevantes.

    3 – Utilize o e-mail marketing para comunicação interna

    Sustentável, prático, usual e efeito. O e-mail é um meio de comunicação direto e que você pode utilizar para enviar comunicados personalizados, campanhas segmentadas, mensagens individuais ou coletivas sobre uma organização.

    Por ser uma ferramenta padrão de trabalho, as chances desse canal ter sucesso na entrega são bem altas.

    Dessa maneira, as campanhas por e-mail podem ser úteis para divulgar informações relevantes, oportunidades, açõe da empresa, cursos e também podem ser complementares à outras formas de sensibilização.

    Vamos imaginar um exemplo prático? Uma empresa que realiza o transporte de cargas especiais precisa cumprir uma série de regras em relação às operações logísticas, principalmente no quesito segurança.

    São consideradas cargas especiais: produtos farmacêuticos, produtos perecíveis, bebidas, objetos de vidro, líquidos inflamáveis, entre outros.

    Qual é a forma mais prática de reforçar os cuidados ou criar uma campanha de conscientização sobre o assunto? O e-mail é uma alternativa.

    Além desse recurso, é viável analisar se os colaboradores deste setor também utilizam outras ferramentas de comunicação como o WhatsApp, por exemplo.

    Na hora de criar um e-mail marketing ou uma newsletter com assuntos que possam interessar o seu público interno, algumas dicas podem ser válidas.

    Veja a lista abaixo para melhorar comunicação interna:

    • Utilize ferramentas para envio de e-mails em massa;
    • Monitore a campanha, com métricas como taxa de clique;
    • Crie título de e-mail atraente para incentivar a abertura;
    • Personalize a mensagem;
    • Certifique-se que a linguagem está clara e condiz com a empresa.

    Além das campanhas e e-mails estratégicos, criar uma newsletter personalizada com assuntos relevantes para os colaboradores é uma forma de manter a comunicação ativa.

    Caso a empresa seja especialista no ramo de reparação de placas eletrônicas, por exemplo, uma ideia é selecionar as notícias da semana ou do mês relacionadas ao setor e montar uma lista de curiosidades de momento para envio.

    Capacitações, informativos, comemorações internas, datas importantes de eventos da empresa e novidades da organização também podem render assuntos para a newsletter. O setor de comunicação precisa se integrar do funcionamento e do sistema de organização da empresa para construir as pautas.

    4 – Promova palestras e rodas de conversa para melhorar comunicação interna

    Como está o relacionamento interpessoal na sua empresa? Os colaboradores estão engajados no propósito da empresa?

    Esses questionamentos são muito importantes para uma gestão mais eficiente e a comunicação corporativa pode ser uma grande aliada para identificar falhas e oportunidades.

    Vamos usar as empresas de usinagem em SP como exemplo. A usinagem é um processo que visa a criação de peças de metal e outros acessórios industriais. Como em toda empresa, é possível que essa atividade cause algum índice de insalubridade.

    Por isso, realizar rodas de conversa para ouvir os colaboradores, promover palestras sobre o uso dos equipamentos de proteção individual — os EPIs e coletar feedbacks é uma maneira de manter o diálogo ativo com os colaboradores.

    Uma cultura organizacional forte auxilia na comunicação interna

    Pode ser definida pelo bem comum e reflete a essência da empresa e uma boa comunicação entre os setores só fortalece a confiança entre a empresa e os colaboradores.

    Sendo assim, os benefícios da comunicação eficiente são: melhorias no relacionamento, maior transparência, maior compreensão dos propósitos da empresa, melhora da motivação e produtividade, entre outros.

    Ouvir os colaboradores de áreas que oferecem certos riscos na atividade, como as empresas de usinagem ou mesmo uma demolidora em SP – que geralmente conta com uma equipe preparada para trabalhos de muito esforço braçal – é a chave para identificar gargalos e promover melhorias.

    5 – Realize ações de incentivo

    O setor de comunicação corporativa não precisa se limitar à pesquisas e ao envio de mensagens burocráticas.

    Comunicar é ouvir, elogiar e incentivar os colaboradores também e, dessa forma, contribuir para um ambiente mais agradável para todos.

    Ter um calendário com datas comemorativas, realizar a comemoração dos aniversariantes do mês e promover confraternizações quando as metas são alcançadas são exemplos de ações de incentivo.

    Bonificar os resultados, incentivar cursos e eventos que contribuam com o desenvolvimento profissional do colaborador e aceitar sugestões de ações também pode render ótimos resultados.

    Lembre-se que a comunicação deve ser sempre uma chave e nunca um problema. Comunicar é expressar, resolver problemas, alinhar objetivos, evitar incompreensões e simplificar processos.

    Comunicação interna na sua empresa

    Uma empresa que se comunica com seus colaboradores pode ter mais sucesso na resolução de conflitos e alcançar resultados de forma mais objetiva. A organização é feita de pessoas, portanto, se comunicar com elas entendendo suas particularidades é um desafio, mas que vale a pena.

    Um líder que sabe se comunicar e ouvir a equipe, certamente terá colaboradores mais engajados em seu time. 

    Um gestor que incentiva a criação de ideias, escuta sugestões e preza pela colaboração, pode descobrir talentos novos. Colegas de trabalho que compreendem o propósito da organização podem se ajudar na rotina diária. 

    Dessa maneira, a comunicação exerce seu papel. Agora que você chegou ao fim deste artigo e descobriu algumas dicas de como implementar a comunicação interna na sua empresa, é hora de colocar as mãos na massa.

    Por fim, alinhe a missão, os valores e o objetivo da empresa com as futuras ações, faça um planejamento e inclua mais gente nessa roda. Identificar pontos de melhoria e motivos pelos quais a comunicação é útil também é válido.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 7 dicas para otimizar o marketing do seu escritório de advocacia

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    Uma das preocupações mais comuns de um escritório de advocacia é como otimizar o marketing jurídico que produz. Afinal de contas, é necessário manter um fluxo constante de clientes para ter lucro e não sair do mercado.

    No entanto, ao mesmo tempo que há essa necessidade, também existe uma série de preocupações com o Código de Ética da OAB e também em manter a produtividade da atuação jurídica. Por isso, surge o dilema: como melhorar o marketing, sem deixar cair a produtividade?

    Para ajudar a resolver essa questão, separamos 7 ótimas dicas que otimizarão o marketing do seu escritório de advocacia. Quer saber quais são? Então siga a leitura!

    1. Aprenda sobre SEO para otimizar o marketing do seu escritório

    Atualmente, a maneira mais fácil de ser encontrado por clientes é pela Internet. Afinal, quando você precisa de um serviço, a primeira coisa que faz é procurar por alguma empresa no Google, não é mesmo? Seus clientes fazem o mesmo.

    No entanto, apenas 5% de todas as buscas feitas no Google vão até a segunda página; 95% ficam apenas na primeira. Isso dá origem a uma piada entre publicitários de que “o melhor lugar para esconder um corpo é na segunda página do Google”. Afinal,  ninguém vai lá.

    Por essa razão, é importante que o escritório de advocacia aprenda sobre SEO, que é um conjunto de técnicas que visa aprimorar o seu site para aparecer na primeira página do Google. Isso garante que seu conteúdo será exposto para as pessoas e você conseguirá mais clientes sem precisar gastar muito por isso.

    2. Use um software jurídico para melhorar o seu marketing

    Parece que a dica não tem conexão, mas tem. Usar um software jurídico pode ajudar a melhorar o seu marketing. Isso por causa de algo chamado “marketing boca a boca”.

    Cerca de 92% dos consumidores admitem que compram ou experimentam um produto que foi indicado por um amigo ou familiar. Por causa disso, é essencial conseguir que seus clientes indiquem o seu serviço para um conhecido.

    Isso só acontece, no entanto, se o cliente for muito bem atendido e ganhar o caso com você. E, para aumentar as suas chances de fazer um bom trabalho, é importante aumentar sua produtividade e eficiência. Como se faz isso? Com um software jurídico.

    Logo, o software jurídico aumenta a qualidade do seu serviço, que vai encantar o cliente e gerar recomendações. Não demorará para mais e mais clientes surgirem na porta do escritório com essa estratégia.

    3. Invista em Marketing de Conteúdo com o seu escritório

    O Código de Ética da OAB proíbe muitas coisas dentro do Marketing Jurídico. No entanto, o documento libera o uso do Marketing de Conteúdo para escritórios de advocacia. E você deve aproveitar isso.

    O Marketing de Conteúdo é uma das maneiras mais baratas e eficazes de conquistar novos clientes. Basicamente, consiste em produzir conteúdo educativo e informativo de modo a construir uma imagem de autoridade e criar uma relação de confiança com o consumidor.

    Quando ele precisar de um escritório de advocacia, lembrará do seu, que o ajudou a resolver problemas com vídeos, textos e infográficos.

    4. Faça parcerias para conseguir novos clientes na sua advocacia

    Uma das maneiras de otimizar o marketing de um escritório de advocacia é criando parcerias com outros profissionais que trabalham em segmentos diferentes. Isso permite conquistar clientes a custo baixo e ter uma estratégia mais eficaz.

    Por exemplo, suponha que o seu escritório seja especializado em Direito Tributário e só atenda empresas. É interessante fazer uma parceria com um escritório especializado em Direito Trabalhista. Assim, quando uma empresa chegar lá pedindo ajuda para resolver um problema tributário, eles indicam os seus serviços (e vice-versa).

    5. Busque reduzir custos para otimizar o marketing de advocacia

    Um dos grandes problemas do marketing para um escritório de advocacia é o seu custo. Como não dá para fazer o próprio conteúdo e outras técnicas estão proibidas pelo Código de Ética da OAB, o profissional jurídico fica sem saber o que fazer e acaba gastando muito.

    No entanto, é importante lutar para tentar reduzir os custos, mas sem perder resultados. É importante avaliar o desempenho da sua estratégia e trabalhar para que ela se torne cada vez mais eficiente.

    Por isso, analise os relatórios de desempenho e veja onde a sua estratégia está sendo mais bem sucedida e foque seus investimentos ali, cortando campanhas e ações que não dão resultados.

    6. Otimize o marketing de advocacia trabalhando com vários canais

    É importante que o escritório de advocacia pense no marketing como um organismo vivo e não como uma ciência exata que funciona de maneira linear. Aliás, é justamente o contrário: o marketing, especialmente na área do Direito, é completamente circular e fora de ordem.

    Imagine a jornada comum de um cliente. Para muita gente, ela é assim:

    • o cliente tem um problema jurídico;
    • ele abre o Google e digita “escritório de advocacia”;
    • encontra o primeiro e liga;
    • faz uma reunião e fecha negócio.

    No entanto, as coisas não são lineares assim. Essa é só a etapa final da jornada do cliente. No começo, ele nem sabe que tem um problema. Por isso, ele precisa aprender. Depois que aprende, ele pensa que não é tão sério assim.

    Então ele faz algumas pesquisas no Google e admite que, ok, ele tem um problema. Mas não precisa resolvê-lo, ou não tem como.

    Depois, andando pelo Facebook, ele dá de cara com um vídeo explicando que é possível sim resolver o problema dele com uma ação judicial. Certo, mas como escolher um advogado para esse caso? Esse é mais um problema.

    Dias depois, no Instagram, ele curte um post contando o caso de um cliente que teve um problema igual ao dele. No entanto, é só duas semanas depois, ao ler um e-mail mostrando como o escritório de advocacia resolveu alguns casos parecidos, que ele decide marcar uma reunião.

    Viu como a jornada é muito mais confusa e gera interação em diversos pontos? No nosso exemplo, a interação aconteceu por blog, Facebook, Instagram e e-mail. Por essa razão, é importante que tenha uma campanha completa, agindo em várias plataformas para conquistar clientes.

    7. Experimente coisas novas para otimizar o marketing da sua advocacia

    Às vezes, o segredo para ter um marketing mais eficaz é tentar uma estratégia nova. Faça testes e veja o que funciona e o que não funciona. Analise os resultados e tente novamente. Pesquise novas plataformas, novos canais e aprenda como eles funcionam. Quem sabe quantos clientes estão nesses lugares?

    Seguindo essas 7 dicas, você não terá problemas para otimizar o marketing do seu escritório de advocacia. Em breve, o fluxo de clientes ficará estável e você poderá crescer de maneira sustentável.

    Gostou das nossas dicas? Deixe um comentário abaixo contando qual delas você já testou e quais os resultados obtidos!

  • Como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet?

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    O empreendedor ao pensar em como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet acaba pensando em sites, redes sociais, blogs, e-mail, e nas diversas outras opções.

    De fato, esses empreendedores estão certos, já que todas essas opções são alternativas para como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet.

    Essas ações citadas podem funcionar como um quebra-cabeça e cada execução desse trabalho funciona como um todo e há diversas peças que precisam ser gerenciadas para que dê certo a presença na internet.

    O serviço de marketing na internet ou simplesmente serviço de marketing digital é algo indispensável atualmente, pois as pessoas passam muito tempo online.

    Além do benefício de alcançar as pessoas com maior facilidade, os empresários poderão ser ativos no mundo digital sem precisar investir muito dinheiro, por outro lado será essencial muito empenho e dedicação.

    No geral, a presença online irá proporcionar ajuda em:

    • Estabelecimento de marca;
    • Atração de novos leads;
    • Produção de vendas.

    Quem saber como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet? Continue lendo esse artigo.

    Como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet: dicas essenciais!

    Há diversas alternativas para os empreendedores que desejam investir no marketing na internet, já que vivemos em um mundo cada vez mais digital e não há como ignorar essas estratégias.

    Dica #1: Redes sociais

    As redes sociais são excelentes alternativas, pois todo mundo possui um cadastro e vive horas por dia pendurado no celular checando todas as informações disponíveis em uma mídia social.

    Não há como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet e ignorar a existências das redes sociais.

    Sendo assim, quando alguém disser que uma empresa precisa ter uma página no Facebook ou um perfil no Instagram, essa pessoa está certíssima, pois esse tipo de marketing na internet é sinônimo de sucesso.

    É possível realizar o marketing de uma empresa tanto de forma gratuita e utilizando a criatividade, como investindo um pouco de dinheiro em publicidade paga.

    O objetivo de realizar o marketing na internet por meio das redes sociais são:

    • Promoção da conscientização, ou seja, fazer a divulgação da marca para as pessoas que ainda não a conhecem;
    • Realizar a nutrição dos clientes e manter a marca na mente de todos os consumidores.

    A melhor rede social para realizar o marketing digital: como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet

    Atualmente o Facebook é a mídia social mais popular em todo mundo e há a possibilidade de criar páginas completas apresentando diversas informações sobre a empresa.

    Todo bom empresário deve saber como fazer marketing digital no Facebook.

    É a forma mais comum de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet, pois com as páginas, os clientes terão acesso a diversas informações e postagens criativas.

    Além do Facebook, há também outras redes sociais que podem ser interessantes para alcançar os clientes, como:

    • Instagram;
    • Twitter;
    • Pinterest;
    • Youtube.

    Divulgue todas as características do produto, as promoções e novidades sobre o serviço, pois essa é uma ótima forma de garantir que o cliente tenha acesso a informações como essas.

    Dica #2: Link patrocinados para o seu público-alvo

    Tradicionalmente, os links que são patrocinados são cobrados pelo CPC, também conhecido como custo por clique.

    A maneira como será realizado o pagamento pode depender da plataforma ou da escolha do empreendedor.

    O pagamento poderá ser de acordo com os cliques, ações realizadas, conversões e até mesmo por impressões.

    Dessa maneira, quando for realizado campanhas com links patrocinados, o empreendedor pode optar por anúncios de pesquisas ou anúncios gráfico, que também são conhecidos como Display.

    Um exemplo de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet através dos links patrocinados é que os usuários irão receber os anúncios para o produto de forma muito eficiente.

    Quando um usuário pesquisa por “camisa xadrez vermelha” e o produto que o empreendedor estiver oferecendo for uma camisa xadrez vermelha, o anúncio irá para o topo da pesquisa feita pelo consumidor.

    As plataformas mais famosas de anúncios de pesquisa de custo por clique é o Google AdWords e o Bing Ads.

    Essa é uma das estratégias de marketing digital mais interessantes.

    Dica #3: SEM — Search Engine Marketing

    Por fim, o objetivo dessa estratégia é fazer com que os clientes chegam até o produto através das pesquisas realizadas no Google ou em outras plataformas como essa.

    O Search Engine Marketing engloba todo esforço de marketing que é desenvolvido para contribuir na vida consumidores.

    Sendo assim, é uma ótima forma de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet.

    A partir desse conceito há o SEO, ou seja, o trabalho de otimizar os mecanismos de pesquisa e das plataformas pagas de pesquisa, um exemplo é o Google AdWords.

    O SEO é de graça e com a ajuda dessa estratégia, o empreendedor poderá desenvolver um site que seja otimizado para se classificar bem com o mecanismo de pesquisa.

    Sendo assim, as pessoas irão encontrar o conteúdo ofertado pela sua empresa.

    Aproveite as estratégias de marketing digital para atingir seu público-alvo

    Por fim, é interessante pensar em alternativas de pesquisa, como a ferramenta https://cnpj.biz/ que encontra as empresas, através de pesquisa avançada.

    Nesse sentido, basta você definir quais parâmetros quer, que a ferramenta entrega uma pesquisa completa.

    São ótimas estratégias de como fazer marketing para o seu público-alvo com a internet.

    Porém é preciso que o empreendedor seja bastante empenhado e invista dedicação em fazer com que o seu produto seja alcançado.

    Gostou desse artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais!

  • Qual é a hora certa para automatizar processos?

    Por Mais Empresas  |  27/09/2019  |  Comente »

    Há uma gama considerável de fatores que podem agregar para o bom desempenho organizacional de uma grande corporação, ou mesmo para empresas de médio ou pequeno porte. Com toda certeza, a automação de processos é uma das principais.

    De fato, hoje em dia já se fala em Indústria 4.0. Trata-se de um dos conceitos mais recentes em termos de gestão e tecnologia, que lida com a interconexão entre maquinário, softwares, líderes e colaboradores de maneira inovadora.

    De todo modo, não é preciso ter uma indústria extremamente tecnológica para investir em automação de processos. Você sabia que o uso de uma simples tabela digital já é um tipo de automação?

    Pois é. Nós aplicamos a automação sempre que designamos algum processo feito por humanos e integramos com a tecnologia de máquinas ou dispositivos digitais, quaisquer que sejam eles.

    Adiante, entenderemos melhor como funciona o processo de implantação desse incrível recurso e qual o melhor momento para fazê-lo.

    A revolução das últimas décadas

    De fato, a forma mais moderna de tornar a dinâmica da empresa eficiente, e de tomar posse do controle de todas as etapas dos processos empregados, é a da automatização.

    Antes de entender qual o momento ideal de recorrer a ela, é preciso compreender do que exatamente se trata, e quais são todas as vantagens e exigências implicadas nessa tomada de decisão.

    Embora os recursos tecnológicos sejam comuns para gerações mais novas, os nativos digitais, quem presenciou a rotina dos escritórios antes e depois dos computadores e microcomputadores, viu o tamanho da mudança causada.

    Como dito acima, uma simples tabela digitalizada já é um tipo de automatização. Portanto, a automação pode envolver processos mais complexos e hierarquizados, como no caso de grandes indústrias, mas também outros mais simplificados.

    Em todos os casos, apesar das enormes diferenças de implementação e instalação do formato de trabalho, ela sempre traz melhorias.

    Isso se verifica, por exemplo, no caso da indústria de Usinagem de peças. Para os familiarizados com o CNC (sigla para Computer Numeric Control; Comando Numérico Computadorizado, em português), sabe como a computação influenciou nos processos mais pesados deste setor.

    Tais sistemas permitem a automação de várias máquinas, como:

    • Puncionadeiras;
    • Fresadoras;
    • Entalhadeiras;
    • Retificadoras;
    • Furadeiras;
    • Tornos, etc.

    O aumento de produção, e mesmo a precisão e qualidade de acabamento que essa tecnologia de automatização permitiu, é verdadeiramente revolucionário.

    Você já ouviu falar em verticalização?

    Uma das grandes palavras do momento é “padronização”.

    Essa regra costuma ditar os parâmetros tanto para ramos industriais e de manufatura quanto para serviços em geral.

    Conforme demonstrado, não é difícil imaginar como a automação pode beneficiar uma linha de fabricação de cilindros hidráulicos. Porém, ela pode e costuma ir muito além disso.

    Hoje uma pessoa vai a um restaurante e espera ter a mesma experiência da última vez, se percebe no atendimento ou mesmo na refeição que ela pede uma mudança drástico, é irá se decepcionar e reclamar.

    O que precisa ficar claro, em casos assim, é que para tudo sair da melhor maneira possível é preciso verticalizar a linha de produção.

    Ou seja, é preciso criar uma hierarquia de mando e de comando que traga esse controle para a mão dos cargos-chave. Isso só pode ser feito através de soluções de automatização.

    A mesma lógica serve para a sua e todas as demais empresas, com as devidas adaptações, esteja ela na área de produto ou de serviços. Um processo aplicado desta maneira costuma incluir:

    • Uma fabricação verticalizada;
    • Maquinários e equipamentos interconectados;
    • Softwares de gestão de estoque;
    • Softwares de gestão financeira;
    • Softwares de gestão de clientes;
    • Métodos de verificação e revisão;
    • Controles de qualidade severos, etc.

    Produção escalável e segurança do trabalho

    Ainda no caso de grandes processos de automatização, outra vantagem bastante considerável é a da escala de produção, bem como da segurança dos colaboradores.

    Imaginemos uma Montagem de equipamentos eletrônicos, com aquelas esteiras industriais enormes, e toda a divisão de trabalho em processos individuais: um inicia o tratamento da placa lógica, o outro o gabinete do equipamento final, o outro a conexão de ambos, o outro o lacre, e daí por diante.

    Em uma realidade de décadas atrás esse processo podia ser bastante demorado e moroso, embora para a época representasse uma revolução tecnológica e nos costumes.

    Com uma automação integrada de tipo hardware-software é possível criar a mesma linha de produção de modo incrivelmente mais rápido e eficiente, o que permite, por exemplo, subir a fábrica ao patamar 24 horas. Ou seja, ela irá trabalhar dia e noite.

    Embora alguns vejam esse tipo de automação como “inimiga do homem”, tal visão não é verdadeira. Primeiro, são os homens que desenvolvem esses sistemas, e ganham por isso.

    Além do mais, a manutenção desses sistemas é delicada e exige o que na área se chama manutenção preventiva, que é aquela rotineira, que não depende de um problema surgir para ser feita.

    De fato, qualquer setor logístico da atualidade sabe a importância de fazer vistorias em seus equipamentos, as quais vão desde reparos e trocas de peças empilhadeira, por exemplo, até a substituição total do pátio.

    Também assim, a tecnologia vem em favor do homem no sentido de aumentar a segurança do trabalho nesse tipo de ambiente, que antes disso era considerado bastante perigoso.

    Transporte marítimo: exemplo paradigmático

    Os malefícios para não utilizar a automação são muitos. O principal deles costuma ser bem simples: a sua concorrência já está fazendo isso há muito tempo, e certamente você corre o risco de seu cliente trocá-lo por ela.

    Hoje a automação está em tudo. Quando você ouve falar em um simples Container marítimo, por exemplo, pode não imaginar, mas por trás desse tipo de transporte, que aliás é o maior do mundo, estão grandes sistemas de automação e de gerenciamento automatizado.

    Tudo isso e muito mais seria impensável sem alguns softwares e hardwares que vieram substituir ou complementar o esforço de trabalho humano.

    Ao falar em Locação de container, por exemplo, vários fatores entram em jogo. Além do controle de estoque, shelf-life (data de validade) e demais fatores logísticos, há as modalidades de transporte, que são:

    • LCL: Container com menor carga;
    • FCL: Container totalmente carregado;
    • Carga de tipo granel;
    • Carga de tipo neogranel, etc.

    Sendo assim, para decidir estrategicamente se o frete deverá ser de tipo LCL ou FCL, o controle que a empresa deve ter do seu próprio material é primordial. E um simples detalhe ignorado pode ser a diferença entre tudo dar certo, ou ocorrer a perda de um lote e de milhares de reais.

    Na ponta do lápis: quando e como investir?

    Todos os dados mencionados acima precisam ser levados em conta na hora em que o empresário se fizer a pergunta: será que eu devo automatizar determinado processo da minha empresa?

    Primeiramente, hoje grande parte dos processos já é automatizada, via computadores, como vimos acima. Mas também é verdade que existe muita gente sofrendo com gestão financeira, de clientes, de estoque, etc.

    A conta que precisa ser feita é simples: qual o custo da implementação de que você precisa, em contraponto ao prejuízo que você tem por ainda não ter feito a mesma implementação.

    Muitas vezes a economia que a automatização pode trazer já vale pelo seu custo de aquisição. É o caso de um conciliador de cartões que, como é sabido, esses sistemas unificam e controlam todos os pagamentos que um varejo recebe via cartão, seja de débito, crédito, refeição, etc.

    Qual a melhor parte disso, além de agilizar o processo e talvez reduzir a quantidade de funcionários? Muito simples: as soluções mais recentes são integradas com as administradoras de cartão, e controlam toda a movimentação feita por elas.

    Portanto aquele pesadelo que era o das cobranças indevidas, que podia comprometer boa parcela do seu lucro líquido, agora está impedido na base, graças à solução dos conciliares mais modernos.

    Conclusão

    Como dito, a automação está em todo lugar.

    Um exemplo bastante emblemático disso, que muitos empresários já viram funcionando, mas não percebeu do que se tratava, é o da tradução simultânea preço.

    Afinal, todo empreendedor que está acostumado a ir a palestras e workshops que ocorrem em outra língua, lança mão daqueles fones de ouvido que, como o nome já diz, traduzem a fala do palestrante em tempo real.

    Naturalmente, há uma pessoa operando a tradução. Porém, quem dispõe desse serviço é a casa que promove o espetáculo. E com isso ela automatiza a relação dos seus funcionários ou parceiros com os clientes e público-alvo.

    E faz isso com uma velocidade incrível, que demanda muita tecnologia e atenção para que nada saia do controle. Além de ser um sistema de tipo hardware-software, ele torna o serviço prestado muito melhor e mais atraente para o público.

    Esse exemplo deve responder de modo claro o quanto a automação e gestão de processos pode tornar a experiência do seu cliente melhor, e garantir que ele não o troque pela concorrência na primeira chance que tiver.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

  • 4 Dicas Essenciais Para Emitir Nota Fiscal Eletrônica Corretamente

    Por Mais Empresas  |  26/09/2019  |  Comente »

    O trabalhador moderno precisa, cada dia mais, saber como emitir nota fiscal eletrônica corretamente. Por mais que para alguns esse ainda seja um processo desconhecido, ele é mais simples do que parece.

    Hoje, você irá conferir como emitir uma nota fiscal eletrônica passo a passo sem dificuldades, mantendo sua empresa regular em termos de pagamentos – tanto para você, quanto para os seus clientes.

    A nota fiscal eletrônica também pode ser chamada de NF-e, então fique atento à essa sigla!

    Dicas para emitir nota fiscal corretamente

    A emissão de nota fiscal eletrônica é feita pela Sefaz de cada estado e mais de um tipo dela está disponível. Dentre as opções, pode-se citar: nota fiscal de produto, que é a NF-e, propriamente dita, NFS-e, que é a nota fiscal de serviço e a NFC-e, que é a nota fiscal do consumidor.

    Nesse artigo, vamos focar na emissão da NF-e, que cobre uma vasta gama de profissionais da atualidade na hora de cobrarem por seus serviços e garantir uma documentação legal de seus pagamentos.

    – Cada regime de tributação diferente pode contar com algumas mudanças na hora de efetuar a emissão, então é importante ficar atento!

    ·         Por exemplo, diferentemente de outros tipos de tributação, o MEI – microempreendedor individual (aquele que ganha até R$81000,00 por ano) não precisa necessariamente emitir nota fiscal para pessoa física.

    ·         Isso só acontece se o próprio cliente solicitar. Por outro lado, ele é obrigado a emitir nota fiscal para empresas jurídicas, como é o caso de outros tipos de tributação.

    1-) Tipo de tributação

    Levando os pontos acima em consideração na hora de emitir nota fiscal eletrônica, é importante ficar atento ao seu tipo de tributação para seguir os passos corretamente.

    – Aqueles que não são MEI, como os participantes do Simples Nacional, não seguem exatamente as mesmas regras dos que optam pelo Lucro Presumido.

    A diferença está na porcentagem do pagamento de impostos, com o Simples Nacional começando a 6%. Nesse caso, a principal função da emissão da nota fiscal é comprovar o recebimento de dinheiro para quaisquer fins.

    ·         Os que optam pelo lucro presumido (ou até mesmo o lucro real), também devem prestar contas à Receita e, para isso, também devem sempre emitir nota fiscal.

    2-) Conte com um sistema para emitir notas fiscais

    Para ter a certeza de que você vai emitir nota fiscal corretamente, você pode – e deve – contar com um programa para emitir nota fiscal eletrônica Eles automatizam o processo de emissão para você.

    – Um exemplo desse tipo de sistema é o GestãoClick, que minimiza amplamente a burocracia com a qual você terá que lidar.

    ·         Com ele, basta você adicionar os dados de recebimento, o CNPJ da sua e da outra empresa (ou CPF para o qual você está enviando a nota) e mais algumas informações simples e intuitivas, e sua nota será gerada automaticamente para você!

    Isso economiza amplamente o seu tempo e garante que você fará um trabalho sem erros!

    3-) Analise o tipo de venda que está sendo feita

    Especialmente ao se falar de e-commerce, que é uma área em constante crescimento em todo o mundo, se tornou muito simples cometer erros no valor final de emissão de sua nota, sem deduzir valores.

    Para conseguir mensurar o valor final a ser colocado na sua nota de maneira correta, é essencial que você saiba qual o tipo de venda que você está fazendo.

    ·         Vendas diretas que fazem parte de produções suas devem levar em consideração o lucro obtido pelas empresas e plataformas que foram usados para divulgar aquele produto!

    Por exemplo, ao colocar um e-book seu em uma plataforma para venda, possivelmente uma porcentagem de cada venda será destinada a ela. Na hora de cobrar por seu produto, é preciso levar isso em conta!

    ·         Se você estiver vendendo o produto de outras pessoas, é preciso ficar ainda mais atento a isso, uma vez que você pode receber – e provavelmente o vai – menos de 50% daquela venda.

    Portanto, o valor a ser colocado na hora de emitir nota fiscal eletrônica deve ser correspondente ao seu ganho – e não ao valor total da venda. Afinal, são os seus lucros que precisam ser justificados, não os de terceiros!

    4-) Passo a passo para emitir nota fiscal

    O site do Governo Digital é um site que permite a você emitir nota fiscal eletrônica de forma simples, gratuita e rápida. Confira um passo a passo para isso!

    – Entre no site do Governo Digital.

    – Clique em “Primeiro Acesso” e crie seu login e senha. Esses dados serão pedidos sempre que você entrar para emitir uma nota fiscal eletrônica.

    – Clique em NF-e, no canto esquerdo da tela e preencha os dados pedidos, como Dados do Tomador (CPF / CNPJ, Nome, entre outros). É normal que muitos dados se preencham automaticamente apenas ao colocar o CPF / CNPJ.

    Liste seus ganhos, se necessário, na Descrição ao emitir nota fiscal e coloque quaisquer observações que desejar. Adicione o valor ganho. No final, clique em Emitir e pronto! Você já poderá enviar a nota para quem desejar. Simples, né?

  • Inovação em condomínios: portaria virtual promete mais economia e segurança

    Por Mais Empresas  |  20/09/2019  |  Comente »

    Uma tecnologia que está cada vez mais presente em condomínios é a portaria virtual, cujo principal objetivo é melhorar a segurança do local e economizar nos gastos que o condomínio possui. 

    As portarias virtuais, também são conhecidas como portarias remotas e a ideia dela é bastante simples, muito eficaz e cheias de vantagens.

    O objetivo da portaria virtual é simples, agentes substituirão os porteiros e, de maneira remota, irão controlar os portões de acesso e as garagens e ficarão vigiando o condomínio durante 24 horas através de câmeras e da internet. 

    O porteiro representa um dos maiores gastos de um condomínio, e com a portaria virtual, essa despesa é eliminada.

    Haverá o gasto com a empresa da portaria virtual, porém a taxa que será paga mensalmente diminui a despesa em 50%. 

    Sendo assim, é uma inovação que ajuda a economizar e a melhorar a segurança do local e elimina bastante problemas com a portaria virtual.

    Já pensou em contratar o serviço de uma empresa de portaria virtual? A Virtua Portaria, preparou um guia completo para você entender melhor os benefícios do serviço.

    Portaria virtual: qual deve ser o perfil do condomínio?

    Trata-se de uma tecnologia avançada, porém não é indicada para todos os condomínios, apenas alguns são perfis ideais para esse tipo de serviço. 

    Locais grandes e cuja área é extensa, que possuem mais de uma portaria e diversas entradas de garagem são mais complicados de implantar esse serviço e de resultar no bom desempenho do sistema.

    O condomínio, considerado bom para receber a portaria virtual geralmente possui cerca de 40 unidades e apenas uma entrada de portaria.

    Especialistas, alertam que o funcionamento de sistemas pode ser prejudicado em condomínios grandes e que o custo desse serviço pode ser caro. 

    Portaria virtual: condomínios menores

    Quando o local é pequeno, o custo dos funcionários da portaria é maior, portanto, são lugares como esse que aproveitam mais a economia ofertada pela portaria virtual. 

    Portaria virtual: condomínios maiores

    Há sistemas nesse setor que suportam condomínios maiores, utilizando mais de uma única torre, por exemplo. 

    Porém, em cenários como esse, o dinheiro economizado pode ser menor e outros cuidados são recomendados para que tudo dê certo.

    Conheça o funcionamento da portaria virtual

    As melhorias na tecnologia e o avanço da internet permitem que o sistema de portaria virtual funcione da melhor maneira possível, pois oferece ótimas condições técnicas e de infraestrutura para entregar serviço de qualidade. 

    A eficiência e a falta de vulnerabilidade do serviço são devido a essas características, o que torna acessível e viável para os condomínios residenciais e para condomínios comerciais. 

    Para que esse tipo de serviço seja eficaz são necessários alguns equipamentos para portaria virtual:

    • Abertura e fechamento de portões remotos;
    • Câmeras IPS;
    • Cerca elétrica;
    • Backup de imagens;
    • Sistema de biometria;
    • Sistema de internet e telefonia que possua redundância;
    • Gerador ou sistema de nobreak.

    Conscientização dos moderadores

    A aprovação coletiva desse tipo de serviço é fundamental dentro de um condomínio. Os moderadores precisam entender os benefícios e vantagens da portaria virtual na rotina do local.

    Há também os documentos que estabelecem as regras do condomínio, que deve ser respeitado, quando o documento diz que o local possui uma portaria 24 horas, o certo é que dois terços do condomínio aprove a mudança. 

    Porém, há a possibilidade de a troca ser feita apenas quando mais de 50% do condomínio aprove o projeto. Essa é uma maneira de evitar problemas com portaria virtual.

    Portaria virtual: qualidade e bom serviço

    O que a portaria virtual se propõe é oferecer um serviço de qualidade, econômico e garantir a seguranças das pessoas que vivem em condomínios com esse tipo de serviço, sendo assim, torna-se uma ótima opção de serviço. 

    Gostou desse artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais com amigos e familiares!

  • Porque devo investir em um site para minha imobiliária?

    Por Mais Empresas  |  17/09/2019  |  Comente »

    Saiba detalhes de como o marketing online pode ajudar a alavancar seu negócio!

    Atualmente, as empresas que desejam se destacar no mundo dos negócios precisam estar alinhadas às tendências de comportamento do consumidor e também, às novidades provenientes do mundo do marketing.

    Não é mais possível fazer negociações, anunciar produtos, buscar o crescimento num determinado segmento, especialmente no ramo imobiliário, se uma empresa não estiver presente num dos principais canais de relacionamento com os clientes da atualidade: a internet.

    Por meio dela, é possível anunciar produtos, ganhar engajamento, seguidores, relevância de marca, realizar atendimentos e, especialmente, conquistar clientes de uma maneira muito mais ágil e rápida do que pelos antigos classificados de anúncios de imóveis que se fazia antigamente por outros meios de comunicação, como jornais, panfletos e anúncios em murais.

    Ou seja, assim como a tecnologia evoluiu, as soluções para negociar um imóvel também se transformaram e podem facilitar de uma maneira impressionante seu modo de fazer negócio! Portanto, separamos alguns itens elucidativos que lhe explicarão um pouco mais sobre os motivos que justificam você investir em um bom site para sua imobiliária! Acompanhe! 

    1. Sua marca ficará mais conhecida

    Com a popularização da internet, dos celulares inteligentes (smartphones), de aplicativos e inúmeros recursos tecnológicos, qualquer pessoa que deseja comprar ou pesquisar a respeito de um produto ou serviço pode usar a internet. Por essa razão, quando quer comprar um imóvel, vender ou alugar, a internet é uma fonte de pesquisa para encontrar o tipo de propriedade que busca. Por essa razão, se você estiver presente na internet com um bom website, é muito provável que seja encontrado. E esse tipo de ação será fundamental para que sua imobiliária cresça e tenha uma margem muito maior de clientes atendidos! 

    2. A comunicação via internet encurta distâncias 

    Você vai ter muito mais facilidade para encontrar clientes e, também, para desenvolver conteúdos que possam chamar a atenção de seu público-alvo. A grande dinâmica da internet é seu modo de encurtar distância e fazer os contatos serem muito mais rápidos e otimizados. Quando alguém encontrar em seu site um apartamento à venda que seja de seu agrado, por exemplo, essa pessoa vai querer entrar em contato contigo para agendar uma visita ao local. Você vai se surpreender! Esse contato será muito mais rápido via internet, por meio de formulários de contato! Ou, ainda você pode disponibilizar em seu site seu número de telefone, de celular, e-mail e até mesmo endereço. Nessa hora de atrair a clientela, é importante deixar à vista todo tipo de possibilidade de contato!

    3. O cliente terá noção imediata do imóvel encontrado 

    Este é outro grande trunfo de um site: ele pode conter todo tipo de informações sobre um imóvel, desde sua metragem, até mesmo a distribuição de quartos, quantidade de banheiros, recursos adicionais e especificações de localização, pontos comerciais próximos e detalhes minuciosos. Vale colocar todo tipo de informação que possa favorecer a pesquisa do cliente. Além do mais, inserir boas fotos e vídeos, que garantam uma experiência de conhecimento apurado sobre o que está sendo negociado é uma ótima ferramenta. Assim, logo que fizer contato para agendar uma visita, você já saberá o que seu cliente está buscando, podendo oferecer a ele também outras possibilidades de imóveis que estejam dentro do perfil do que busca. 

    4. As possibilidades de venda aumentam significativamente

    Ser notado é muito importante! Isso é a razão que faz com que a grande maioria das imobiliárias em Porto Alegre estejam se informatizando, para poder atender à essa nova característica de vitrine digital de produtos (imóveis). Algumas que tinham sistemas mais antigos, inclusive, têm cada vez mais buscado investir em sites mais robustos, dentro de uma linguagem de internet que atenda aos padrões de SEO para estar entre as primeiras nas ferramentas de busca da internet, como o Google, o Bing ou mesmo o Yahoo!. Afinal, para uma empresa que tem um site, cresce a possibilidade de ser notado e, com isso, as negociações aumentam. 

    5. Vários perfis de clientes e vendedores te encontrarão!  

    Assim como uma vitrine, seu site será uma porta de entrada para todo tipo de negociação. Além de conquistar clientes, você também poderá fazer um planejamento de marketing para atrair anunciantes de imóveis para venda e locação, fazendo a gestão desse tipo de negociação – o que lhe garantirá uma boa margem de comissão! Portanto, tenha um site bem feito na internet, que possa ser divulgado e contenha inclusive uma divulgação ativa dos itens que estão presentes em seu portfólio de imóveis também nas redes sociais. Assim, sua chance de obter êxito será muito maior!  

    6. Você terá mais controle de produtos e clientes

    Uma coisa é inegável. Tendo um site com um bom sistema interno, você terá uma excelente ferramenta de organização interna em sua imobiliária. Afinal, por meio dele você poderá não apenas trabalhar estratégias de marketing e de publicidade para o público externo, mas também, organizar sua “própria casa”. E isto é bem simples: a partir do momento que tiver a gestão dos imóveis disponíveis para locação e compra/venda, você poderá controlar a carteira de imóveis disponíveis, saber a data que entrarão em evidência, verificar características de seus clientes, gerenciar o relacionamento com eles, fazer a gestão de negociações em andamento, criar anúncios com muito mais agilidade, trabalhar aspectos importantes de sua gestão financeira e, até mesmo, organizar a emissão de boletos, recibos e contratos! 

    Em linhas gerais, um bom site poderá deixar uma imobiliária muito mais profissional, trazendo benefícios internos imensuráveis! 

    Agora que você conheceu um pouco mais sobre os motivos que conjugam para o aprimoramento de um site para sua imobiliária, aproveite para assinar nossa newsletter e compartilhar este post em suas redes sociais!