• Controle de vendas: como a tecnologia pode ajudar?

    Por Mais Empresas  |  10/01/2019  |  Comente »

    A gestão empresarial pode ser uma atividade bastante difícil de ser realizada. São muitas informações e responsabilidades que precisam ser administradas e acompanhadas para que a empresa cresça de forma sustentável e gere lucro.

    As vendas são fundamentais para esse crescimento e manter esse controle organizado, acompanhando os resultados, é essencial para agir rapidamente quando há algum problema ou mesmo para planejar as ações seguintes.

    Ter um controle eficiente de vendas melhora as operações e o planejamento da empresa como um todo, permitindo que o negócio funcione com mais previsibilidade financeira, que tenha um bom controle de estoque e um ótimo relacionamento com os clientes.

    O que é o controle de vendas?

    Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o controle de vendas não se resume apenas à contagem do número de vendas feitas pela empresa.

    O controle de vendas é o acompanhamento de todas as etapas do processo de vendas de uma empresa, assim como a conversão final.

    Controlar as vendas significa ficar de olho não apenas na venda em si, mas em todos os processos que a empresa possui que ajudam a consolidar essa venda. E nesta lista estão incluídos o orçamento, o recebimento de produtos, estoque, entre muitos outros aspectos.

    Quais os benefícios do controle de vendas?

    Controle e organização são importantes em qualquer aspecto da vida, ainda mais em uma empresa. Conheça os principais benefícios de fazer um controle de vendas eficiente:

    • Melhora o planejamento financeiro da empresa

    Um dos principais benefícios do controle de vendas é melhor funcionamento do planejamento financeiro da empresa. Ao controlar as etapas do processo de vendas, a empresa pode identificar problemas antes que eles aconteçam e assim evitar custos extras desnecessários, além de programar a reposição de estoque na quantidade certa, sem investir mais do que é preciso.

    • Otimiza a distribuição de produtos

    O controle de vendas eficiente coleta dados mais detalhados sobre o consumo dos clientes. Dessa forma é possível identificar os produtos mais vendidos e criar uma projeção de reposição e de vendas futuras, aperfeiçoando a distribuição de mercadorias.

    • Organiza decisivamente o seu estoque

    O estoque é uma dos setores mais importantes de uma empresa, apesar de muitas vezes ser negligenciado.

    Decisões equivocadas podem comprometer o capital de giro da empresa e gerar impactos negativos em toda a estrutura do negócio. E para isso o controle de vendas é fundamental.

    Manter um controle de vendas mais robusto e rígido evita problemas como excesso de estoque de produtos que encalham nas prateleiras ou a perda de vendas por falta de produtos com muita procura, por exemplo.

    O controle eficiente das vendas oferece informações precisas sobre os produtos com maior procura e onde eles são mais vendidos.

    Isso garante que o investimento em novos produtos seja feito de maneira eficiente e evita que o capital investido fique parado no estoque.

    • Melhora o relacionamento com o cliente

    O controle eficiente de vendas passa pela interação constante entre empresa e clientes, e proporciona a melhor avaliação sobre o perfil dos consumidores e suas preferências. Isso ajuda a intensificar o relacionamento com o cliente e a identificar pontos de melhoria de produtos ou serviços.

    Ao fortalecer a relação de confiança e oferecer um atendimento de qualidade, com produtos e serviços que atendam ou superem as expetativas do cliente, as chances de ele se fidelizar e voltar a fazer negócios com o empreendimento aumentam bastante.

    Como fazer o controle de vendas eficiente?

    Depois de entender a importância de fazer um controle de vendas eficiente na empresa, chega a hora de saber como fazer isso.

    A melhor forma é aproveitar os recursos tecnológicos disponíveis para auxiliar a gestão empresarial. Utilizando um sistema de gestão empresarial ERP o controle de vendas se torna muito mais prático e eficiente.

    Com ele você controla de forma simples e intuitiva os orçamentos, vendas, estoque, recursos financeiro, comissões de vendedores, emissão de notas fiscais, emissão de boletos e muitas outras funcionalidades sem complicação.

    O controle de vendas é uma importante estratégia de negócio que deve ser utilizada em todas as empresas para que se tornem bem-sucedidas.

    Agora você já sabe o que é o controle de vendas e a importância dele para a sua empresa. Escolha um bom sistema de gestão empresarial e comece hoje mesmo a controlar as vendas da sua empresa para colocá-la no rumo do crescimento e da lucratividade garantida.

  • Por Mais Empresas  |  18/12/2018  |  Comente »

    Logística e Estratégia de Marketing

    Com o crescimento e amadurecimento do e-commerce e toda a revolução que ele vem provocando, o tema Logística tem sido bastante explorado pela sua relevância no sentido de tangibilizar a expectativa de conveniência e facilidade criada pela compra via Internet.

    Este fato tem contribuído também para evidenciar todas as deficiências de serviços e infra-estrutura do Brasil, desde estradas e serviços de transporte até roubos de carga e legislação tributaria inadequada à velocidade da informação e da economia destes tempos.

    Embora qualquer dos temas acima possa ser objeto de uma analise muito interessante, eu gostaria de me concentrar num aspecto muitas vezes esquecido, que consiste na necessidade de compatibilizar perfeitamente a estratégia de Marketing com a estrutura Logística adequada para suportá-la. Eu me lembro muito bem que, nas aulas de Marketing, dos quatro “pês” de Kottler (Product, Price, Propaganda e Placement).

    O ultimo era o “patinho feio”, relegado ao segundo plano nas perguntas e na analise, nem mesmo sendo assunto de questões de prova. Hoje, no entanto, este tema tornou-se absolutamente critico para que as empresas consigam suportar as demandas do mercado e dos múltiplos canais de distribuição dos mesmos.

    Além disso, isto também vem sendo percebido como importante vantagem competitiva mesmo por empresas tradicionais, cuja distribuição não foi substancialmente alterada pela internet.

    Naturalmente, a solução dos problemas de Logística das empresas deve passar por todas as fases de sua Cadeia de Suprimentos incluindo previsões de venda, abastecimento e estoques de matéria prima, programação de produção, nível de estoques de produto acabado, etc.

    No entanto, a variável que tem sido objeto de maior controvérsia tem sido o tempo de atendimento de um pedido. Em outras palavras, a partir do momento da colocação do pedido, quanto tempo o consumidor vai esperar para recebê-lo?

    É justamente neste ponto que o conhecimento do mercado e o posicionamento de Marketing faz diferença. O que o consumidor quer? Quanto ele está disposto a pagar por isso? Ou, usando a sabedoria popular, como tempo é dinheiro, o que é melhor: pagar mais barato em dinheiro e mais caro em tempo de espera ou vice versa?

    A resposta exata a esta pergunta é muito complexa por duas razões. A primeira delas é que na maioria dos casos diferentes segmentos de consumidores demandam diferentes serviços.

    A segunda é que, normalmente, uma empresa trabalha com linhas de produto muito distintas sob diversos aspectos e, cada uma delas, pode atender distintos segmentos de mercado. Neste caso é muito comum que todos os produtos sejam tratados igualmente pela estrutura logística, o que é evidentemente, um contra senso.

    Alem disso, estes mercados evoluem muito rapidamente e, muitas vezes, a segmentação planejada quando do lançamento do produto não é mais valida algum tempo depois.

    Creio que a melhor alternativa seja oferecer opções ao consumidor e informá-lo claramente sobre isto. Não me parece boa, por exemplo, a política de preços únicos para entregas em todo o Brasil.

    Todos sabem que, supondo a localização do fornecedor em São Paulo, o custo de entrega em Belém do Pará é muito maior que em São Paulo. O consumidor paulista minimamente informado sabe que está subsidiando o preço pago pelo paraense e pode não querer fazê-lo.

    Sabemos também que no Brasil as ineficiências logísticas são imensas, estimadas por alguns em 4 a 6% do PIB ou cerca de 30 bilhões de dólares por ano, porem esta analise continua valida mesmo em um ambiente mais eficiente em termos de uso de recursos.

    Por outro lado, me parece mais fácil e lógico que o comprador, seja ele um consumidor final ou não, tenha opções de serviço e saiba exatamente quanto cada uma delas está onerando o preço pago. Desta forma, a decisão passa a ser de quem deve realmente tomá-la e as empresas e prestadores de serviço passam a enxergar com clareza o que realmente é valorizado pelos seus clientes, além de atendê-los da forma desejada por estes.

    A tendência ao longo do tempo é que o Nível de Serviço exigido pelo mercado seja cada vez maior, pois os consumidores mais informados e cientes das opções disponíveis serão cada vez mais seletivos em suas escolhas. Por este motivo, eu acredito que os mais bem sucedidos nesta corrida para encantar o consumidor sejam as empresas cujos profissionais de Logística e Marketing trabalhem em estreita colaboração no sentido de atender ao consumidor em tudo o que ele quer, como e quando ele quer. Creio também que este tema da aliança entre as organizações de Marketing e Supply Chain nas empresas ainda merece outras análises, às quais espero voltar brevemente.

  • Oficina Auto Center: Conheça esta tendência do mercado automobilístico

    Por Mais Empresas  |  14/12/2018  |  Comente »

    Todos nós sabemos quais são os serviços de uma oficina mecânica, mas você sabe o quê faz uma oficina Auto Center? Basicamente, esses dois estabelecimentos oferecem o serviço de reparo e manutenção nos veículos.

    É na oficina mecânica que os proprietários levam os seus veículos para fazer uma troca de óleo, manutenção básica, entre outros.

    No entanto, os proprietários que precisam de um serviço mais completo para seu veículo devem levá-lo a uma Oficina Auto Center, nesse estabelecimento é possível fazer toda a manutenção do seu carro.

    A auto center é mais completa do que uma oficina mecânica, que na maioria das vezes oferece apenas os serviços básicos para o cliente.

    Serviços de uma oficina auto center

    Basicamente o que faz uma oficina Auto center é oferecer todos os serviços de mecânica para o proprietário do veículo, assim ele poderá fazer toda a manutenção do seu carro em um só lugar, os serviços mais procurados são:

    Alinhamento computorizado

    Ao realizar o serviço e alinhamento computadorizado o proprietário elimina o problema de vibração no volante, além de economizar combustível e com que os pneus durem mais.

    Balanceamento computadorizado

    As oficinas auto center oferecem o serviço de balanceamento para evitar a vibração na carroceria do carro quando ele atingir uma velocidade acima dos 60 km/h.

    Reparo na injeção eletrônica

    Na oficina o proprietário do veiculo encontrará o serviço de reparo na injeção eletrônica, ela é responsável por alimentar o motor com combustível e necessita manutenção e cuidados nos bicos injetores.

    Elétrica

    O serviço de elétrica é feito para evitar falhas no sistema elétrico que podem causar prejuízo ao proprietário.

    Caixa de marcha

    A caixa de marcha é responsável aumentar a potência da força do motor e a velocidade. Uma oficina auto center pode oferecer o serviço de manutenção completa nesta peça tão importante do veículo.

    Suspensão

    Em uma oficina auto center é realizada a reparação nos vários componentes que formam o sistema de suspensão do veiculo, garantindo assim mais conforto, segurança e estabilidade para o condutor.

    Entre os outros serviços que uma oficina Auto Center pode oferecer para os seus clientes são mecânica geral, regulagem de motor, suspensão, ar-condicionado, serviço de direção hidráulica, suspensão e troca de óleo.

    Porque levar o carro em uma oficina Auto Center?

    Alguns carros podem apresentar problemas mais complexos que precisam de equipamentos especializados para ser solucionado, como algumas oficinas mecânicas não dispõem de tantos recursos assim é necessário que o proprietário leve o seu carro para uma oficina auto center.

    Nesse estabelecimento os profissionais possuem habilidades práticas para solucionar o problema o veículo.

    Além disso, contam com equipamentos como computadores, scanners e entres que auxiliam neste trabalho, assim podem oferecer um serviço com mais qualidade e eficiência.

    Deu para entende sobre o que faz uma oficina Auto Center?

    Ela oferece serviços de manutenção nos veículos da mesma forma de uma oficina mecânica comum, porém conta com recursos mais avançados para encontrar e solucionar problemas mais complexos.

    Além disso, conta com profissionais experientes para oferecer o serviço de manutenção.

  • Como iniciar um negócio de acessórios para carros

    Por Mais Empresas  |  13/12/2018  |  Comente »

    Acessórios para carros, como kits de carroceria, aros, alarmes de carro e sistemas estéreo, aprimoram o interior e o exterior de carros, caminhões e outros veículos.

    Abra um negócio de acessórios para carros para vender esses itens para aqueles que querem tornar seu veículo mais confortável e divertido de dirigir.

    Estoque uma variedade de acessórios para diferentes tipos de veículos.

    Oferecer serviços de instalação para tornar a compra desses itens mais conveniente para os clientes e incentivar negócios repetidos.

    1. Crie um plano de negócios

    Para orientá-lo em cada etapa do desenvolvimento de negócios ao iniciar uma loja de acessórios para carros. Liste os tipos de acessórios e serviços de instalação que você pretende oferecer aos clientes na primeira seção. Liste os custos iniciais, como aluguel, serviços públicos, mão de obra, custos iniciais de acessórios, seguro comercial e custos de marketing, na segunda seção. Descreva formas de comercializar sua loja para clientes na terceira seção. Listar todas as responsabilidades de gerência e funcionários na quarta seção.

    2. Candidate-se a uma licença comercial

    Para operar um negócio de acessórios para carros na sua área. Entre em contato com o funcionário do condado ou com o escritório de administração de pequenas empresas para obter informações sobre pedidos e taxas de licenciamento. Adquira um seguro comercial de um provedor de seguros licenciado. O seguro comercial ajuda a proteger seus produtos contra roubo ou dano. O seguro também pode proteger os ativos da empresa no caso de uma ação judicial ou acordo.

    3. Locação de espaço comercial

    De um agente imobiliário comercial em uma movimentada área comercial ou no centro da cidade. Este espaço deve ser grande o suficiente para exibir vários acessórios do carro para atrair clientes. O espaço de varejo também deve incluir espaço de armazenamento para itens adicionais e uma área para você instalar acessórios, como aros de pneus e coberturas de luz.

    4. Compra de acessórios

    Participe de feiras de automóveis locais para saber mais sobre o que é moda em acessórios para carros. Adquira software de escrituração e varejo para acompanhar as vendas e monitorar o estoque. Compre estantes e prateleiras para exibir acessórios de carros.

    5. Comercialize seus negócios

    Criando panfletos e cartões de visita. Entre em contato com oficinas de reparação de automóveis, serviços de detalhamento automático e empresas de instalação de estéreo para solicitar referências. Crie um site para mostrar os tipos de acessórios para carros que você tem em estoque. Incluir informações de contato, horário de funcionamento e opções de pedidos e pagamento. Liste sua empresa em diretórios de empresas locais.

  • A importância de bons relacionamentos no ambiente de trabalho

    Por Mais Empresas  |   |  Comente »

    Muitas empresas buscam hoje pessoas que saibam trabalhar em equipe. O profissional precisa ficar atento não apenas ao serviço dele mesmo, mas também ao todo, enxergando a organização como uma unidade e trabalhando e se emprenhando para que essa unidade caminhe.

    Isso faz com que a parte técnica nem sempre seja o mais importante em uma entrevista. A pergunta correta agora é: Será que essa pessoa está preparada para entender, compreender e atuar nesse conjunto que formamos?

     

    Relacionamento em equipe gera vendas

     

    Importância de um bom relacionamento nas empresas

    Um bom relacionamento é a chave e ajuda a aumentar a confiança entre os membros da equipe, diminuindo os conflitos e colaborando para o crescimento individual e coletivo. O foco tem que ser da equipe, e não de uma ou mais pessoas e a missão organizacional e o cumprimento das metas estabelecidas são os pontos centrais em que cada um dos trabalhadores deve estar concentrado.

    Tudo isso faz com que seja essencial que o gestor, empresário ou líder esteja atento a esse problema e trabalhe não apenas para contratar pessoas com características adequadas ao empreendimento e ao trabalho em conjunto, mas também atuar diariamente para que o bom relacionamento ocorra e permaneça.

    Essa atitude afetará diretamente na produção da equipe, na manutenção de bons profissionais, no relacionamento com o mercado  e, como consequência, no aumento da lucratividade quando o trabalho for bem desenvolvido para não virar festa.

    Relacionamento em equipe para melhorar produtividade

    Como agir para que isso se dê de maneira mais natural?

    Separamos algumas dicas que podem ser usadas no dia a dia empresarial visando unir, motivar e melhorar o relacionamento da sua equipe de trabalho:

    Seja franco: o ambiente de trabalho precisa de transparência. Claro que isso não quer dizer que o gestor precise falar tudo sempre, mas o que puder ser comunicado à equipe, deve ser feito de maneira homogênea. Para isso, reuniões e esclarecimentos de metas e conquistas são importantes. Lembre-se que um bom relacionamento só é possível quando há confiança e sem transparência, a confiança não tem como existir.

    Educação é fundamental: por favor, bom dia, com licença, tudo bem, como vai, olá, entre outras palavras simples devem fazer parte da rotina das pessoas em uma organização. Isso também é válido para o chefe. Mesmo quando o assunto a ser tratado for mais sério ou grave, a educação e calma devem ser mantidas.

    Sorria: claro que há tempo para tudo. Se algo está péssimo, a notícia é ruim ou catastrófica, o sorriso se torna até inconveniente. Porém, no cotidiano, um sorriso quebra um clima ruim e aproxima as pessoas melhorando o relacionamento do grupo é como uma massagem no ego.

    Humildade: todas as pessoas têm limites e cometem erros. Assumir isso e pedir ajuda é essencial para uma boa relação. Além disso, é uma maneira de valorizar os demais membros da equipe, o que é bastante positivo.

    Entenda: as pessoas são diferentes, agem diferentes e pensam diferentes, aceite isso e saiba lidar da melhor maneira. As diferenças são enriquecedoras quando você sabe aproveitá‑las.

    Na sua organização há uma harmonia entre os colaboradores? Como vocês trabalham isso? Conte pra gente nos comentários!

  • Os benefícios da remuneração variável para a sua empresa

    Por Mais Empresas  |  10/12/2018  |  Comente »

    Montar uma equipe eficiente, focada nas metas estabelecidas é sempre muito difícil.

    Todos gestor sabe muito bem que não é nada fácil encontrar o profissional adequado para uma função específica.

    Quando o líder consegue reter um funcionário com essas características, passa a enfrentar o segundo desafio: mantê-lo motivado, empenhado em suas tarefas e alinhado aos objetivos da empresa.

    Com o passar do tempo foram desenvolvidas formas de recompensas que visam atrair e reter o funcionário.

    Existem formas de remuneração criadas especialmente para estes casos.

    Pensando nisso, buscamos apresentar dicas e informações importantes sobre uma das formas de remuneração mais eficazes: a remuneração variável.

    Confira!

    Mas, o que é remuneração variável?

    Todos conhecem a remuneração fixa, obrigatória, aquela que é entregue ao colaborador mensalmente pelo trabalho existente. Ou seja, é o salário acrescido dos benefícios sociais. Conheça este software de recrutamento e seleção.

    Diferentemente da remuneração fixa, a variável é a recompensa. Ela varia conforme a performance de cada colaborador, da equipe, ou da empresa como um todo. Conhecida como bonificação ou PLR, ela deve estar atrelada a metas, ou seja, à medição do desempenho profissional em um período de tempo.

    Qual é a importância da remuneração variável para a empresa?

    Estabelecer uma política de remuneração variável na empresa não é algo simples. é preciso planejar e organizar bem os processos para que as recompensas sejam entregues ao colaborador de forma clara e justa.

    Uma política de remuneração variável solidificada oferece grandes benefícios para a empresa, pois, ela estimula o esforço individual e coletivo por melhores resultados. Além disso, ela incentiva a busca da qualidade total, alavanca a redução de custos e despesas e pode reforçar os valores culturais de uma organização.

    Quais são os Benefícios da remuneração variável?

    A remuneração variável oferece diversos benefícios para a empresa. Entre eles estão:

    • Estimula o esforço individual e coletivo por melhores resultados;
    • Incentiva a busca da qualidade total;
    • Alavanca a redução de custos e despesas;
    • Reforça os valores culturais da organização;
    • Permite atrelar as recompensas aos resultados obtidos para atrair e reter os melhores talentos;
    • Auxilia na redução dos custos fixos com o pagamento de encargos e salários;
    • Evita um alto índice de turnover.
    Quais são os tipos de remuneração variável?

    Existem dois tipos de remuneração variável utilizado pelas organizações. São ele:

    1- PLR – Participação nos Lucros e Resultados

    A PLR é regulamentada pela lei 10.101/2000 e deve contemplar todos os funcionários da empresa. Veja alguns benefícios e exigências de sua implementação:

    • Isenta de contribuições previdenciárias e trabalhistas;
    • Possibilita dedução como despesa operacional;
    • Exige uma comissão interna para a distribuição da PLR. O sindicato não precisa aprovar, só tem que tomar conhecimento e eventualmente pode participar da comissão;
    • Pode haver diferença de valores entre funcionários, mas precisa estar dentro da arquitetura do plano de remuneração, com regras diferentes para cada nível.

    2- Bonificação ou Gratificação

    A bonificação é regida por metas pré-estabelecidas e oferece alguns benefícios e exigências em sua implementação.

    São eles:

    • Pode ser pago em múltiplos salários;
    • Recai tributação sobre o valor pago;
    • Referência do mercado: quatro salários para a gerência e seis salários para a diretoria.

    Bônus X Comissão: Qual é melhor?

    De acordo com especialistas, é melhor combinar salário fixo com remuneração variável por meio de Bônus, e não por Comissão.

    Isto porque o Bônus permite realinhar as metas conforme as circunstâncias de mercado.

    Por não ser a base da remuneração, mas um prêmio, o Bônus não torna a empresa refém da ambição do empregado.

    Já a comissão funciona mais com equipes de vendas, porque incentiva o colaborador a desempenhar cada vez mais.

    A remuneração variável oferece diversos benefícios para a empresa!

  • GUIA COMPLETO PARA UMA CARREIRA EM MARKETING DIGITAL 

    Por isabela  |  07/12/2018  |  Comente »

    As novas áreas de atuação e funções que surgiram, aperfeiçoaram-se ou ramificaram-se com o desenvolvimento das ferramentas digitais já não são novidade para ninguém. A tecnologia modificou não apenas o ritmo do mercado, mas também os processos e estágios percorridos pelos profissionais nas atividades que realizam.

    Esse cenário encontra-se, ainda hoje, em contínua evolução. Por isso, acompanhar as inovações pode causar a sensação de estar se afogando em informações. Temos contato diário e frequente com inúmeros dispositivos, canais e recursos digitais. Mas, principalmente, estamos expostos às criações de profissionais especializados em considerar nossos desejos e necessidades em benefício da divulgação de seus produtos e serviços.

    Mas se pedíssemos que listasse os profissionais envolvidos na produção de um anúncio no Facebook, por exemplo, como você se sairia? Provavelmente apontaria o designer, o redator e o gerente de mídias, mas se lembraria do Analista de Facebook Ads ou do Gestor de Comunidades Online, por exemplo?

    E se precisasse apontar as habilidades fundamentais para atuar na área? Criatividade e conhecimento sólido das ferramentas digitais. Mas é só isso?

    Neste artigo, vamos explorar não só as possíveis carreiras em Marketing Digital, mas também os conceitos, conhecimento e habilidades que o profissionais devem adquirir e constantemente aperfeiçoar a fim de acompanhar a dinâmica do setor. 

    Uma nova mentalidade

    O marketing digital surgiu de um novo modelo mental. As decisões que antes eram influenciadas por mídias tradicionais e tomadas no espaço físico das lojas ganharam uma nova etapa, amparada pela tecnologia. A ação de recorrer à Internet para informar-se sobre o produto ou serviço desejado antes de comprá-lo passou a ser definida pelo termo “Zero Moment of Truth (ZMOT)”, ou Momento Zero da Verdade. Cunhado pelo Google, o conceito é a melhor representação da nova forma de pensar dos consumidores que, consequentemente, motivou a nova forma de pensar do marketing.

    No livro “Conquistando o Momento Zero da Verdade”, Jim Lecinski explica a diferença entre os modelos mentais de consumo: o consumidor costumava receber um estímulo de compra de um anúncio e seguir direto para o primeiro momento da verdade (ou “prateleira”, quando tinha contato com o produto na loja) e então para o segundo momento da verdade (experiência pós-compra); todas as etapas ainda existem hoje, a diferença é que entre o estímulo e o primeiro momento, acontece o Momento Zero, quando os consumidores buscam na Internet todas as informações que irão sustentar sua decisão de compra.

    Se a escolha do consumidor acontece online, é aí que devem estar os esforços de venda, de persuasão. Então o marketing digital surge para acompanhar esse movimento, gerando estratégias capazes de entender o que o consumidor procura na Internet, o que o influencia e como racionaliza suas escolhas.

    “Se você é um gerente de marcas, você tem políticas, metodologias, treinamento, agências de marketing do comprador, parceiros e orçamentos para ganhar aqueles três passos originais de estímulo, prateleira e experiência. Mas o que você tem para ganhar aquele momento em que a pessoa pega o laptop — o Momento zero da verdade?” – Jim Lecinski

    O marketing encontrou a resposta em uma palavra: conteúdo.

    Palavra-chave que rege o marketing digital, a forma como as marcas passaram a valorizar a criação de conteúdo como instrumento para vendas e expressão da marca representa não só uma mudança no canal de decisão, mas no processo mental e nas novas prioridades do consumidor. As pessoas não utilizam os canais digitais no Momento Zero para se informar superficialamente sobre preço e funcionalidades. Elas procuram referências, opiniões, comentários, comparações, notícias e uma infinidade de outras informações capazes de tornar a sua escolha o mais certeira possível. Já não se interessam por simples frases de efeito e desprezam marcas que não demonstram valores e responsabilidade social.

    Nesse cenário, surge o Inbound Marketing, uma ramificação do marketing digital que tem como princípio atrair e converter clientes voluntariamente por meio da produção de conteúdo. Artigos, vídeos, e-books, podcasts… Uma variedade de formatos e técnicas surgiu para sustentar a demanda tanto dos profissionais responsáveis pela criação do conteúdo, quanto do público ávido por consumi-lo.

    Mas quem são esses profissionais? Porque se a mentalidade e os métodos mudaram, consequentemente as habilidades exigidas pelo mercado tiveram de se adaptar a essas alterações. Portanto, uma diversidade de novos cargos passaram a  estampar currículos:

    Consultor de marketing digital: responsável pela definição das melhores estratégias e ações em benefício da exposição online da marca. Ou mesmo pelas ações offline que afetam a presença da mesma nas mídias digitais.

    Gestor de redes sociais (ou social media): passar o dia no Facebook nunca foi tão útil! O gestor de redes sociais deve ter conhecimento profundo das principais redes e, por isso, passar horas navegando tornou-se o treinamento ideal para o cargo. Mas não se iluda pensando que o trabalho se resume a atualizar status e criar posts “engraçadinhos”. A função exige muito pensamento analítico e segurança para testar ideias, sem temer falhas. Isso porque tudo o que é postado nas redes sociais deve ser cuidadosamente considerado antes.

    Em que horário essa postagem irá gerar maior engajamento? Esse é o tipo de conteúdo que meu público quer ver? Devo investir em anúncios? Por que essa postagem não foi tão bem quanto a outra? Como devo responder a este comentário? Essas e inúmeras outras questões são comuns no dia-a-dia do social media.

    Analista de métricas: a pessoa que te sugeriu escolher o marketing digital para se ver livre dos números estava muito enganada! O analista de métricas deve estar bastante familiarizado com os algarismos e, principalmente, em enxergá-los de forma lógica, crítica e coerente. Isso porque os resultados alcançados pelos produtos digitais são representados por esses números, que se tornam a base para as decisões estratégicas da marca. O analista, portanto, coleta, atualiza e interpreta dados a fim de recomendar aprimoramentos.

    Produtor de conteúdo: pilar do marketing digital, é a produção desse profissional que estrutura todas as estratégias. A criatividade para definir temas atrativos e o domínio da língua e do objetivo de seus textos, a fim de definir a abordagem mais apropriada, características essenciais. Mas o produtor de conteúdo é ainda mais requisitado se estiver familiarizado com plataformas de publicação como o WordPress e técnicas de SEO (optimização do conteúdo para melhor posicioná-lo no Google e ampliar seu alcance).

    Como se preparar para trabalhar com marketing digital?

    A ramificação de funções no marketing digital surgiu da necessidade de novas técnicas e modelos de criação de conteúdo para o meio digital. Sejam vídeos para o Youtube ou frases de efeito para anúncios no Instagram, as possibilidades de formatos e canais são inúmeras e o aprimoramento, contínuo. Por isso, estudar essas novas possibidades significa não apenas dominar as ferramentas e conceitos de criação e otimização de conteúdo, mas adquirir conhecimento suficiente para estimular a criatividade a gerar novas ideias e as próprias tendências.

    Veja abaixo algumas das ferramentas essenciais:

    Inbound Marketing: também conhecido como marketing de atração por um motivo simples: as ações de inbound marketing têm precisamente o objetivo de atrair o interesse de determinado público e, preferencialmente, sua conversão em clientes e manutenção dessa relação. Para isso, o curso de Inbound proporciona informações pautadas nos três pilares que o sustentam: SEO, marketing de conteúdo e mídias sociais

    SEO: ou Search Engine Optmization (Otimização para Mecanismos de Busca, em tradução livre). Um curso de SEO contempla o funcionamento dos mecanismos de busca e como utilizá-los a favor de uma marca ou produto digital. O objetivo aqui é estabelecer uma posição vantajosa nos buscadores, principalmente no Google, facilitando o alcance do público ao seu conteúdo. Dependendo do nível do curso, você aprenderá apenas os conceitos ou irá adquirir um conhecimento profundo das técnicas (como links patrocinados  e o uso de palavras-chave) e ferramentas mais utilizadas (como o Google Analytics e o Google Search Console).

    Google Adwords: principal ferramenta de publicidade do Google, um curso de Adwords foca na apresentação de técnicas para potencialização de anúncios online. Como segmentá-los, quais palavras-chave são estratégicas para o seu negócio, como fazer o investimento gerar retorno, como analisar os resultados das campanhas, entre outras ações fundamentais para estabelecer uma presença online sólida e favorável à imagem da marca, sempre considerando custo-benefício.

    Google Analytics: essencialmente uma ferramenta de acompanhamento, o Google Analytics permite que você acompanhe toda a movimentação em seus sites, canais e aplicativos. Dominar a ferramenta significa visualizar os resultados de todas as ações de marketing de forma crítica, trabalhar no ritmo do negócio e, em certos casos, ser capaz de prever contratempos. Claramente, é uma ferramenta muito valiosa para os profissionais da área, pois possibilita maior segurança na tomada de decisão. Quem decide fazer o curso, deve se preparar para ter contato com números e gráficos, além de desenvolver raciocínio lógico.

    Mídias Sociais: um curso de formação de social media vai proporcionar o conhecimento necessário para gerenciar redes sociais com foco em resultados tanto financeiros quanto relativos a relacionamento com cliente e exposição da marca. Além de aprender a alinhar as postagens aos dias, horários e formatos de melhor alcance, adaptá-las ao perfil de cada canal e entender a dinâmica de interação do público com as redes, o curso apresenta todos os recursos disponíveis para o profissional de marketing digital tirar o máximo de proveito possível das mídias. Esteja pronto(a) para descobrir inúmeras ferramentas que você provavelmente nem sabia que existiam por trás dos seus perfis, e que proporcionam verdadeira vantagem quando estrategicamente utilizadas.

    E-mail marketing: aprenda a planejar campanhas por e-mail de acordo com sua meta principal. Seu objetivo é transformar leitores em clientes? Aumentar receita? Atrair um nicho diferente? Independente do resultado que almeja, o curso de e-mail marketing apresenta as boas práticas para atingí-lo com a produção de conteúdo divulgado por e-mail.

    6 ferramentas indispensáveis

    Hoje, o conhecimento técnico já não se resume a conceitos de sua área de atuação, mas se expande para o uso de tecnologia que facilita o trabalho e favorece a produtividade. Algumas ferramentas são não apenas úteis, mas indispensáveis:

    Buffer: ferramenta para gerenciamento de redes sociais. É possível agendar postagens, acompanhar o engajamento dos seguidores e até mesmo receber sugestões de otimização do conteúdo. Trabalha com as principais redes: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Pinterest e Google+.

    Mailchimp: permite a automação das campanhas de e-mail marketing, desde simples newsletters até conteúdos mais robustos para e-commerce. É gratuito para até 2 mil assinantes.

    Ubersuggest: no site, é possível fazer uma pesquisa bem completa por palavras-chave a serem usadas em anúncios e estratégias de SEO, incluindo palavras relacionadas, volume de pesquisa, seu custo no Adwords e mesmo o quão concorridas elas são.

    Typeform: a importância das pesquisas é de grande relevância para sustentar decisões de marketing mais precisas. Por isso, questionários atrativos e fáceis de serem respondidos são fundamentais. E é assim que o Typeform estimula os participantes: layouts instigantes e convidativos porque, como diz a frase de efeito no site, “como você pergunta é tudo”.

    Canva: editor de imagens online e gratuito. É bastante intuitivo, até mesmo para quem não tem qualquer conhecimento de design gráfico. Isso porque oferece uma infinidade de layouts já prontos, inclusive no tamanho apropriado para o objetivo da sua imagem, seja ela um post para Facebook ou um pôster a ser impresso. Além de imagens gratuitas, ícones, gráficos, entre outros.

    Unbounce: crie landing pages (páginas de destino) e popups (banners) de forma simples e rápida. O Unbounce permite grande flexibilidade na criação de produtos digitais para um negócio, já que simplifica o processo de elaboração de páginas para a apresentação de um produto, serviço ou da marca em geral.

    Você tem o perfil para trabalhar com marketing digital?

    Conhecimento técnico não é tudo! O domínio das principais técnicas é fundamental, mas por ser uma área que lida diretamente com pessoas, algumas habilidades interpessoais (ou soft skills) devem ser desenvolvidas ou potencializadas a fim de criar conteúdo relevante. Afinal, o alcance dos resultados almejados depende de uma combinação de fatores no perfil do profissional de marketing.

    A busca por aprendizado constante, por exemplo, é essencial para manter-se atualizado sobre o mercado e sobre as mudanças que ocorrem no universo digital e das novas tecnologias.

    Uma boa porção de pensamento analítico também deve ser adicionada à receita, afinal, é uma habilidade primordial para a análise de métricas e a tradução desses dados em informações valiosas para a marca.

    Devido ao seu caráter social, a função exige tanto empatia para entender os desejos e motivações do público, quanto criatividade para atrair sua atenção e transformar potenciais clientes em clientes reais.

    De acordo com o blog da Udacity, uma visão 360º do negócio também é fundamental:

    “O conhecimento específico de marketing não é a única exigência para trabalhar na área: é preciso ir muito além! Seja em uma grande ou pequena empresa, o domínio sobre o nicho de mercado de atuação é mais do que uma necessidade.”

    Organização e dinamismo vão auxiliar o profissional em sua rotina multitarefa e dependente de detalhes que influenciam seus resultados direta ou indiretamente, dos melhores horários para postar nas redes sociais até a análise da quantidade de cliques mensais no site da empresa.

    Conheça seu mercado

    E essa é uma dica que funciona para todo profissional, de qualquer área: conheça o setor em que trabalha. Mantenha-se atualizado(a) sobre tendências, técnicas e os anseios do público para o qual trabalha. Estar atento à movimentação do mercado vai tornar o seu aprendizado natural, tanto de ferramentas e conceitos, quanto das habilidades que estão sendo exigidas e os novos cargos que surgem com elas.

    A Adzuna é a ferramenta de busca por oportunidades de emprego que mais cresce no mundo. E onde você vai encontrar todas as vagas em um só lugar. Faça sua busca!

  • Cidadania Digital: Entenda como funciona

    Por Mais Empresas  |  26/11/2018  |  Comente »

    Para que pessoas de diferentes classes, idades e pensamentos consigam viver bem e em harmonia, existem algumas regras, conhecidas como cidadania digital, que devem ser respeitadas para que tudo funcione de modo organizado e correto.

    O mesmo, deve acontecer com os meios tecnológicos e para isso, utilizamos os principais conceitos da cidadania digital. Conheça a Contraktor, empresa referência em assinatura digital.

    O que é cidadania digital?

    “A cidadania digital é, acima de tudo, agir como um cidadão também em ambiente virtual, respeitando as normas de conduta, direitos e deveres que são estabelecidos pela nossa constituição.” Fonte.

    De acordo com as definições de Mike Ribble, a cidadania digital, é o uso responsável e apropriado da tecnologia.

    Sabemos que a tecnologia conseguiu transformar para melhor, a vida de milhares de pessoas desde a sua invenção.

    Especialmente, através dos tempos em que foi possível evoluir e trazer os diferentes recursos para tantas outras pessoas, nos mais diferentes lugares.

    Segundo Mike Ribble, existem alguns elementos que fazem parte da cidadania digital que devem ser respeitados, para que toda e qualquer pessoa possa fazer o bom uso das tecnologias, nas suas diferentes aplicações.

    • Acesso digital;
    • Comércio Digital;
    • Comunicação Digital;
    • Alfabetização Digital;
    • Etiqueta Digital;
    • Lei Digital;
    • Direito e Responsabilidade Digital;
    • Saúde e bem-estar digital;
    • Segurança digital.

    A cidadania digital tem como objetivo, proporcionar o direito à cultura digital e utilizar a tecnologia de forma responsável e ética.

    Todos os conhecimentos e ensinamentos que são disponibilizados através dessa ciência.

    São divulgados para que as pessoas tenham a correta consciência sobre o impacto que as publicações online que podem causar na vida das pessoas.

    Assim como informar sobre os cuidados que devem ser tomados enquanto se utiliza a internet.

    A partir disso, será possível construir uma reputação digital positiva, que poderá trazer vários benefícios para uma pessoa, trazendo-a à reflexão a respeito das redes sociais e também, do uso de ferramentas digitais.

    Como funciona a cidadania digital?

    A cidadania digital faz com que um usuário consiga exercer os seus direitos, mas também cumprir os seus deveres, de modo que toda a relação entre os meios tecnológicos possam ser vividos de modo adequado.

    Vale a pena ressaltar que tanto os direitos como deveres de um determinado usuário são legalmente estabelecidos, para que possam ser aplicados às atividades que serão desenvolvidas em ambiente virtual.

    Todo esse conhecimento e também, as normas que devem ser seguidas são feitas de modo a respeitar a exposição e segurança de cada pessoa.

    As assinaturas eletrônicas

    Uma das principais formas de manter essa exposição e principalmente a segurança de cada pessoa são as assinaturas eletrônicas.

    As pessoas se tornam usuários no ambiente virtual, o que consequentemente aumentam a cada dia o número de acessos aos meios tecnológicos.

    Principalmente por ser uma atividade que realizamos todos os dias.

    Muitas vezes nem sequer paramos para pensar ou nem ao menos sabemos, que realmente se trata de uma cidadania digital que está sendo exercida naquele momento.

    Ao utilizarmos um mecanismo válido e que pode conferir uma identidade digital, assim como a legitimidade da mesma, estamos colocando em ação uma das seguintes possibilidades:

    • Assinatura com senha;
    • Código de segurança;
    • Certificado emitido digitalmente.

    A partir do momento que você confere e se torna válido qualquer uma dessas assinaturas eletrônicas, você passa a exercer a sua cidadania digital.

    Podendo até mesmo assegurar a sua proteção e também, de outras pessoas.

    Esses procedimentos são simples exemplos de validações que podem ser solicitadas para ter acesso a documentos até mesmo empresariais e que são de grande importância, para diferentes corporações.

    Uma vez que através dos meios tecnológicos é possível ter acesso a esse tipo de informação pela internet, pode se tornar muito mais fácil gerenciar contratos, documentos e outras informações a partir de diferentes dispositivos.

    Isso torna a vida de milhares de pessoas muito mais fácil.

    Principalmente pelo fato de que não será mais necessário permanecer apenas no ambiente físico, que pode ser limitado pelo tempo e espaço.

    O que acaba tornando mais difícil a realização até mesmo de atividades como essas que foram citadas acima.

    Cenário atual

    Nos dias de hoje, podemos contar com diferentes empresas de alta qualidade que disponibilizam toda a infraestrutura necessária para disponibilizar esse serviço aos seus clientes.

    Isso facilita a vida das pessoas a partir da utilização da tecnologia.

    Muitos avanços já foram realizados nessa área e os especialistas indicam que, à medida em que a tecnologia avançar, o mesmo irá acontecer com a cidadania digital.

    Hoje o que acontece é que os direitos e deveres que encontramos em nossa constituição devem ser igualmente respeitados seja no ambiente físico ou virtual.

    No entanto, como as pessoas estão diretamente conectadas a cada dia, se torna mais necessário leis e regras que sejam exclusivas para o ambiente digital.

    Proporcionando assim que cada cidadão saiba exatamente como deve se portar nesse ambiente, nas diferentes situações que forem apresentadas.

  • Como conquistar um estágio e adquirir experiência

    Por Mais Empresas  |  22/11/2018  |  Comente »

    Estágio durante a faculdade

    Saiba como conquistar um estágio e adquirir experiência no mercado

            O estágio é que dá ao aluno de universidade e futuro profissional a oportunidade da transição para o mercado de trabalho. Ele tem o objetivo de fazer com que o universitário adquira experiência e melhore sua compreensão sobre a prática daquilo que aprendeu na teoria.

            Existem os estágios obrigatórios e os opcionais, que na maioria são remunerados. Normalmente existe uma dificuldade em encontrar um bom estágio, com um bom monitor e que dê a oportunidade ao aluno progredir. Mas existem alguns caminhos que podem ser seguidos para que isso ocorra.

    10 dicas para conseguir um bom estágio

    1.    Comece o processo na faculdade

    Não é mistério que para conseguir um bom estágio é preciso ter uma experiência prévia, e a melhor forma de adquiri-la é dentro da universidade. Veja a área que mais se identifica do curso e procure fazer uma Iniciação Científica, isso dará ao currículo um peso maior na hora de conseguir um estágio, e o próprio professor pode indicar o aluno para uma vaga.

    1.    Conheça suas vontades

    A melhor forma de se organizar e saber quais são seus objetivos é criar uma lista com os pontos fortes e habilidades. Esse processo auxilia na escolha das empresas que tenham o foco parecido com o seu, o ambiente que você procura, além de ser importante para o autoconhecimento.

    1.    Qual empresa quero trabalhar

    Conheça as empresas que oferecem estágio na área que pretende atuar, pesquise sobre a história, segmento, plano de carreira, etc. Para que o trabalho seja eficiente é preciso um ambiente agradável e que respeite as leis trabalhistas.

    1.    Esteja nas redes sociais

    Para conhecer mais sobre alguém basta dar uma olhada nas redes sociais da pessoa, e não é diferente com o futuro empregador, para ter uma ideia de quem você é eles sempre vão olhar seu perfil na internet. Por isso é importante ter sempre as redes atualizadas e com compartilhamentos relevantes. Atualmente você é o que compartilha.

    1.    Esteja sempre atualizado

    Para ser um destaque dentre os outros candidatos a algum estágio é preciso ter conhecimento sempre atualizado. Buscar informações sobre a área de atuação, ser curioso e saber um pouquinho de tudo. Seja antenado e se mostre sempre interessado e disponível para aprender mais.

    1.    Faça um bom currículo

    Prepare um currículo enxuto e com as informações necessárias. Ele é a porta de entrada para uma entrevista, por isso valorize seu currículo, coloque as informações pessoas, formações e experiências anteriores. Nada de muitos textos, isso não causa a curiosidade do empregador.

    1.     Crie uma rede de contatos

    Quanto mais pessoas você conhece na sua área de atuação, maior é a chance de ter um emprego dos sonhos. Invista no aumento da rede de contatos, se misture, socialize com as pessoas e crie laços de amizades, isso poderá te levar longe profissionalmente.

    1.    Abuse da criatividade

    A criatividade é um meio para se destacar dentre a concorrência, use isso a seu favor. Mostre suas habilidades de maneira diferente, faça um currículo diferenciado, crie um vídeo ou imagens que falem mais sobre você e suas experiências. Essas atitudes podem de dar maior evidência, mas siga essa dica importante: criatividade e bom senso devem andar sempre juntos.

    1.    Seja um bom aluno

    A instituição de ensino e o desempenho dentro da sala de aula podem influenciar a escolha de muitas empresas. Por isso mantenha uma postura proativa nas aulas, um bom profissional é aquele que sabe se comunicar, que seja aplicado e esteja sempre aprimorando seu conhecimento.

    1.  Faça trabalho voluntário

    O currículo se torna mais interessante com atividades voluntárias, e isso também ajuda na valorização do profissional. Mostra as experiências que teve e como conseguiu administrar a convivência com pessoas diferentes. O voluntariado ajuda a pessoa a desenvolver o trabalho em equipe e a empatia com o próximo. Além de ser um crescimento profissional, é um crescimento pessoal.

     

  • Como conseguir uma renda extra em tempos de crise

    Por Mais Empresas  |  07/11/2018  |  Comente »

    Em um cenário econômico prejudicado nós temos que ter idéias e iniciativas para desvencilhar a crise e manter a renda e não passar por apuros. Então separamos dicas e profissões que podem te ajudar nessa fase para gerar uma renda extra ou até mesmo uma nova profissão de interesse aumentando a qualidade de mercado.

    O que é Empreendedorismo

    Empreendedorismo é observar e checar oportunidades e desenvolver recursos para tornar algo como um negócio lucrativo. Hoje em dia é comum as pessoas verem algo que já deu certo com outra pessoa e apostar nessa ideia também.

    Ás vezes pode sim dar certo, mas você enxergar uma oportunidade antes que ela exista, a probabilidade de você se tornar referência para determinado negócio é bem maior. Então você identificar oportunidades é muito importante nesse estágio inicial.

    Mas e agora, o que fazer?

    Você pode ter decidido ser especialista em determinado nicho de mercado, como por exemplo na marcenaria e se torna especialista somente em móveis para sala de estar. É fundamental que para isso você invista em idéias para se tornar um destaque nesse nicho de mercado e oferecer a si mesmo uma condição de trabalho desejável e confortável como usar a melhor furadeira na hora de montar os móveis, ser referência em utilizar materiais de qualidade, seja eles desde a madeira até os parafusos.

    Se tornar referência em qualidade é fácil, basta observar as falhas que existem nesse mercado e tentar adaptá-las para mudar esse cenário.

    Se tornar parceiro de algum negócio que está dentro dessa oportunidade que você visualizou é importante, traz credibilidade pro seu trabalho e confiança do cliente quanto a qualidade do que você usa.

    Usando o exemplo da marcenaria, fazer parceria com a loja de ferramentas, com a loja de furadeiras ou com a distribuidora de materiais que você utiliza, isso traz credibilidade no seu trabalho e com isso os clientes conseguem ter uma confiança maior na hora de te contratar ou adquirir algum produto.

    Case de Sucesso

    Agora com as melhores dicas para se tornar um empreendedor de sucesso, você pode começar estudar um mercado que considere potencial e aplicar nossas dicas. Assim você se tornara especialista no assunto e a margem de erro se torna sempre menor quando entendemos o que queremos e aonde queremos chegar.

    É essencial que haja esse estudo para não ter surpresas e saber como fazer se houver algum imprevisto. Então planeje, conheça e se for um mercado potencial para você, SUCESSO.